Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for torre and 33,921 records were found.

Carta. Barão da Torre.
Carta. Comenda de Torre.
Carta. Comarca da Torre.
Carta. Para que se mude a Feitoria de Moçambique pela de Cochim. Filiação: Domingos de Torres.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
O presente traslado, datado de Lisboa, foi copiado de outro traslado obtido do original existente na Torre do Tombo, mediante requerimento de José Pedro Ferreira de Sousa. O referido original, outorgado por dom Afonso III, era datado de 15 de agosto da Era de 1288 (Anno Domini 1250).
Declaração de arrendamento, por tempo de um ano, que fazem Manuel Gonçalves Codeço e mulher Ana de Sousa Guia, lavradores, do lugar do Sixto, freguesia de Santa Maria de Geraz, a Francisco de Abreu e Lima Pereira Coutinho, de um campo no sítio do Porto, terra lavradia e vinha com água de rega e lima e com dois tanques de água da Quinta da Torre, por pensão anual de oitenta alqueires de milho, uma rasa de feijão branco.
Parecer desfavorável do Vogal Henrique Gomes da Silva ao requerimento da firma Nazareth & Filho, Lda., de colocar um letreiro luminoso na zona de protecção da Tôrre de Sizebuto e Fonte da Praça do Geraldo, em Évora.
A certidão contêm os traslados dos seguintes documentos: - Carta de D. João I pela qual mandou desembargar a João de Almeida a terra e celeiro de Moçâmedes, no julgado de Lafões, dada em Viseu, 30 de janeiro da Era de 1448 (ano 1410); - Carta de D. João I pela qual fez doação a Martim Lourenço de Almeida, alcaide do castelo da Covilhã, do souto de Alcambar com seus moinhos, dada em Lisboa, 5 de abril de 1442; - Carta de D. Afonso V pela qual fez mercê a Duarte de Almeida, fidalgo da Casa Real, que sendo o caso que, em algum tempo, se lhe tirasse a terra de Moçâmedes se lhe desse uma equivalente, que rendesse o mesmo, dada em Samora, 29 de novembro de 1475; - Alvará de D. Afonso V pelo qual desembargava a João de Almeida, fidalgo da Casa Real, mil e oitocentas coroas do seu casamento, dada em Lisboa, 6 de outubro de 1463; - Carta de D. João I pela qual deu a Diogo Fernandes de Almeida, seu criado, em casamento com Maria de Sousa, o reguengo de Santa Margarida e de Moreira, com o direito dos moinhos de Rio de Moinhos e três mil coroas velhas de França, dada em Almeirim, 26 de dezembro da Era de 1431 (ano 1393); - Mandado ao recebedor do dinheiro do Reino para que pagasse a Luís de Almeida de Vasconcelos, fidalgo da Casa Real, trinta e oito mil e novecentos réis de seu casamento, dada em Lisboa, 18 de abril de 1521; - Carta de D. Afonso V pela qual confirmou a doação feita por D. João I a João de Almeida Colaço e D. Isabel de Melo, sua mulher, de setecentas libras de seu casamento, dada em Lisboa, 8 de abril de 1439; - Carta de D. Afonso V pela qual confirmou a mercê de D. João I pela qual dava em casamento a João de Almeida, escudeiro do infante D. Henrique, e Beatriz de Gouveia mil coroas de ouro, e que, enquanto não lhes pagassem, lhes dessem trezentas libras de tença, dada em Lisboa, 5 de agosto de 1439; - Contrato de paz feito por D. João I em Almeirim, a 27 de Janeiro de 1432, da qual constava a qualidade dos cavaleiros e escudeiros dos infantes que a ela assistiram; - Carta de D. João I pela qual fez doação a Gonçalo de Tavares, fidalgo e criado escudeiro do infante D. Henrique, de um pardieiro em Portalegre, dada em Évora, 15 de julho da Era de 1459 (ano 1421). Contém ainda o traslado de uma provisão de D. Filipe III passada a Manuel de Almeida de Vasconcelos, datada de 16 de novembro de 1623, sobre o mesmo assunto. Contém informação em como o documento foi registado na Torre do Tombo.
Trata-se de um bilhete-postal endereçado ao Prof. Vergílio Correia. "Foto Beleza, Porto".
Termos: Manuel da Costa, superintendente geral das alfândegas da província do Norte. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
O livro tem 150 folhas. Termos: Claudio Manuel de Almeida Cordeiro Teles. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
O livro tem 132 folhas. Rúbricas: Manuel da Costa, superintendente geral das alfândegas da província do Norte. Termos: João Batista de Aguiar, juiz da alfândega. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Pereira de Miranda. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Pereira de Miranda . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Pereira de Miranda. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
O livro tem 144 folhas, e tem ainda, como continuação, cozido um caderno com 20 folhas. No fim tem um resumo das guias condenadas e uma relação dos devedores deste mesmo livro e caderno. Em 1776, visto na correição, mandando cobrar as guias condenadas. Termos: Henrique José Porto Carreiro Pimentel. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Luís de Melo Freire de Soveral e Andrade . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Claudio Manuel de Almeida Cardoso Feliz . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Claudio Manuel de Almeida Cardoso Feliz . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Pereira de Miranda. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Rodrigues da Cunha. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Rodrigues da Cunha . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Rodrigues da Cunha. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Rodrigues da Cunha. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: António Rodrigues da Cunha. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Claudio Manuel de Almeida Cardoso Feliz . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Claudio Manuel de Almeida Cardoso Feliz . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
O termo é feito pelo juiz de fora e da alfândega, por comissão dada pelo desembargador, superintendente geral dos tabacos e alfândegas desta provincia. Termos: Manuel da Costa Pinto e Azevedo . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Manuel da Fonseca Coelho. Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Este livro foi aberto pelo juiz de fora, e deu comissão ao feitor da alfândega Miguel António Robalo, sendo este a rubricar as folhas todas. Recebendo este livro o escrivão da alf. no mês de Outubro, e escriturando-o nessa altura. Termos: Manuel da Costa Pinto e Azevedo . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
Termos: Manuel da Fonseca Coelho . Escrivão: Luís António de Oliveira Pimentel.
A "Berrôa" está associada ao culto de fertilidade e é representada por uma porca de pedra, semelhante à porca de Murça.
Esta imagem, provavelmente destacada de um álbum, foi realizado no âmbito da viagem realizada a Lisboa por Amédée de Ternante-Lemaire como enviado do jornal francês "L' Illustration" Amédée de Ternante-Lemaire para documentar a chegada da princesa Estefânia a Lisboa, vinda de Düsseldorf, para casar com o rei D. Pedro V. Amédée de Ternante-Lemaire realiza uma reportagem sobre o acontecimento e, durante essa estadia, completou um levantamento de vistas da cidade de Lisboa.
Estes negativos terão sido realizados por Homero Paz dos Reis numa das idas a Tancos, considerando que fez parte das Escolas de Recruta e Repetição, bem como passou pelo Estado Maior de Engenharia como Ajudante de Campo do Ministro da Guerra.
Fotografia foi tirada no âmbito das funções de arquiteto que Octávio Lixa Filgueiras exercia no Gabinete de Estudos da Direção do Norte dos Edifícios Nacionais (Ministério das Obras Públicas). A ponte fica na foz do rio Sabor.
Fotografia foi tirada no âmbito das funções de arquiteto que Octávio Lixa Filgueiras exercia no Gabinete de Estudos da Direção do Norte dos Edifícios Nacionais (Ministério das Obras Públicas). A ponte fica na foz do rio Sabor.
Fotografia foi tirada no âmbito das funções de arquiteto que Octávio Lixa Filgueiras exercia no Gabinete de Estudos da Direção do Norte dos Edifícios Nacionais (Ministério das Obras Públicas), sendo que estas obras do Ministério da Agricultura dependia daquela Direção. A ponte fica na foz do rio Sabor.
Crê-se que esta reportagem terá sido o resultado de um contrato de encomenda.
Crê-se que esta reportagem terá sido o resultado de um contrato de encomenda.
Crê-se que esta reportagem terá sido o resultado de um contrato de encomenda.
Esta reportagem das escolas de Penafiel tem data de 1940 e foi objeto de encomenda por parte do Direção Geral dos Edificios e Monumentos Nacionais. Os outros documentos poderão estar incluídos nesta encomenda.
Esta fotografia, entre outras, foi uma encomenda da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, entre 1939 e 1940, que resultou na realização de 7 álbuns, quatros dos quais relativos às operações ligadas ao cultivo e comércio do vinho verde e às instalações e armazéns da Comissão. Outros dois designados de "álbuns turísticos" retratam as cidades e lugares que fazem parte da rota demarcada do vinho verde. O álbum que diz respeito aos armazéns desapareceu das instalações da Comisssão.