Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for torre and 27,041 records were found.

Primeiro outorgante: Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis. Segundo outorgante e seguintes: João Ruela Ramos e Henrique Carpio de La Torre, representantes da União Elétrica Portuguesa.
Inventariado: Emília Pereira da Torre e Silva, morador que foi em Neiva; Inventariante: João José Vieira, morador em Neiva.
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção Recordação de Cascais: 5
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 296
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 6038
À semelhança da Alfândega de Freixo de Espada à Cinta, aqui na vila da Torre de Moncorvo, tendo uma pequena aduana, também teve a necessidade de ter livros próprios para o registo das fianças. Cada registo era datado, mencionava o nome do despachante ou seu representante, quantidade e qualidade do produto, para os levar para determinado porto seco e para o mesmo se obrigou por seu fiador e principal pagador determinada pessoa, que mostrará a certidão da descarga à entrada no tal porto de destino no termo de 4 meses e na falta pagará os direitos devidos aos portos secos. Assina este termo o escrivão e o fiador. Na margem direita está identificado o despachante e menção da desobriga por certidão que se fez à linha e menção da data de produção da mesma. Por carta da Superintendência Geral das Alfândegas do Norte, datada em 11 de Maio de 1782, nestes livros lançaram-se as guias impressas usadas nesta aduana e remetidas até ao mês Junho do ano seguinte ao Administrador Geral da Alfândega de Lisboa.
Original: Bilhete-postal ilustrado
Inventariada: Maria Gonçalves da Torre, viúva de Sebastião Miranda (falecido há 18 anos), moradora que foi em Mujães, Viana do Castelo, falecida em 3 de março de 1943, sem testamento. Inventariante: Joaquina Gonçalves Miranda, solteira, maior, filha da inventariada, moradora em Mujães, Viana do Castelo.
Inventariado: Domingos Alves da Torre, casado com a inventariante, morador na freguesia de Vila de Punhe, Viana do Castelo, falecido em outubro de 1866, sem testamento. Inventariante: Clara Maria, a viúva, moradora na freguesia de Vila de Punhe, Viana do Castelo. Filhos: João, de 16 anos; Maria, de 13 anos; Manuel, de 10 anos; Domingos, de 8 anos; Luísa, de 5 anos.
Inventariado: Manuel Gonçalves da Torre, casado com a inventariante, ausente en Espanha há 17 anos. Inventariante: Maria Luísa Antunes, mulher do inventariado, moradora na freguesia de Nogueira, Viana do Castelo. Filhos: José Gonçalves, solteiro, de 22 anos; Manuel Gonçalves, solteiro, de 17 anos.
Inventariado: José Martins da Torre, casado com a inventariante, morador que foi na freguesia de Arca, Ponte de Lima; Inventariante: Ana Afonso, a viúva, moradora na freguesia de Arca, Ponte de Lima. Não teve seguimento por não haver bens a partilhar.
Inventariado: José Martins da Torre, casado com a inventariante, morador que foi na freguesia de Alvarães, Viana do Castelo, falecido em 20 de fevereiro de 1823; Inventariante: Isabel Francisca, a viúva, moradora em Alvarães, Viana do Castelo. Filhos: Miguel, solteiro, maior; Manuel, de 20 anos; António, de 19 anos; José, solteiro, de 18 anos.
Inventariado: Bento Afonso da Torre, casado com a inventariante, morador que foi na freguesia de S. Lourenço da Montaria, Viana do Castelo, falecido em 27 de outubro de 1852, com testamento; Inventariante: Teresa Rosa, a viúva, moradora na freguesia de S. Lourenço da Montaria, Viana do Castelo.
Inventariante: Josepha Margarida, fr. Cambra, conc. Vouzela Inventariado: José Ferreira da Torre, fr. Cambra, conc. Vouzela Tem apenso inventário por óbito de Josefa Margarida (1879) Tem apenso processo de ação de curadoria definitiva (1881), do Juízo de Direito de Vouzela, 2.ºofício Tem apenso documento de conta corrente respeitante ao ausente Justino (1880), do Juízo de Direito da Comarca de Vouzela, 2.º ofício
Inventariante: Florinda Maria, Cabo de Vila, fr. Alcofra, conc. Vouzela Inventariado: José João da Torre, Cabo de Vila, fr. Alcofra, conc. Vouzela Encontra-se apenso ao inventário por óbito de Manuel Gonçalves (1897) Encontra-se apenso ao inventário por óbito de Maria Joaquina (1898)
A torre Eiffel foi construída pelo engenheiro Gustave Eiffel e serviu como o arco de entrada da Exposição Universal de 1889, tendo sido inaugurada a 31 de Março desse ano. Também a Grande Roue foi construída para a Exposição Universal de 1900 e foi demolida em 1920.
Folha com 3 fotografias anexas de Vale Figueira e Penedo do Príncipe, Tapada de Mafra. À direita, manuscrito, legenda das fotografias: "1954/ Setembro/ Vale Figueira"; "Penedo do/ Príncipe/ Torre de Obser/ -vação"; "Vale Figueira (?)". No verso, desenho de células, indicando aproveitamento do papel.
Parecer favorável do Vogal Henrique Gomes da Silva relativamente ao requerimento de Agostinho Domingues Caro Quintiliano, o quel pretende proceder à modificação de um prédio sito na Rua de Valdevinos, nº.s 6 e 6-A, em Évora, dentro da zona de protecção da Torre de Sizebuto.
Parecer favorável do Vogal Raul Lino ao requerimento de Manuel Aboim Sande de Lemos, o qual pretende efectuar uma obra de modificação num prédio sito na Rua Miguel Bombarda, n.º 67-A, em Évora, dentro da zona de protecção da Torre de S. Manços.
Conjunto de pareceres de teor favorável, do Vogal Henrique Gomes da Silva, relativamente ao projecto de modificação de um prédio, por Manuel Aboim Ascensão de Sande Lemos, sito na Rua Miguel Bombarda, n.º 67-A e Largo das Portas de Moura, em Évora, dentro da zona de protecção da Torre de S. Manços.
Por decisão ministerial, o Director-Geral da Fazenda Pública encarregou a casa francesa "Les fils de George Paccard" de reparar os sinos da torre sul do Palácio de Mafra. Esta decisão mereceu o parecer negativo do relator Henrique Gomes da Silva que defendeu que esta reparação devia ser feita dentro do país com a assistência de técnicos especializados.
Ofício do Diretor-Geral da Secretaria da Guerra remetendo o requerimento, incluso, do 2.º sargento, João Baptista, no qual pede para ser admitido no lugar de porteiro do Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Inclui nota dos assentos que tem no registo de matrícula o sargento.
Inventariado: Manuel Gonçalves da Torre, casado com a inventariante, morador que foi em Lage, freguesia de Soajo, Arcos de Valdevez, falecido em 31 de outubro de 1841; Inventariante: Rosa Rodrigues do Caminho, a viúva, moradora em Lage, freguesia de Soajo, Arcos de Valdevez. Filho: João Gonçalves, de 6 anos.
Inventariado: Joaquim Lourenço da Torre, viúvo de Luísa Maria Afonso e casado em segundas núpcias com a inventariante, morador que foi na freguesia de Riba de Âncora, Caminha, falecido em 24 de março de 1857, com testamento; Inventariante: Maria Inácia Pires, a viúva, moradora na freguesia de Riba de Âncora, Caminha.
Contém documentação relativa à candidatura da Escola Primária de Torre do Pinhão ao Programa de Preservação e Salvaguarda do Património Escolar Português. Entre os documentos encontram-se: fundamentação da candidatura, planta de localização, comprovativo da existência de recursos financeiros para a realização da obra e estimativa do custo da obra (3.790.000 escudos). Inclui 4 fotografias, 1 do interior e 3 do exterior.
Pedido da Câmara Municipal do Porto para demolir a torre da igreja do Convento dos Lóios, para utilizar os materiais para fins de utilidade pública.
Contém documentação referente a oçamentos, compromissos e sua reforma pertencentes à Confraria do Santíssimo Sacramento da freguesia de Torre de Vale Todos.
Contém documentação referente a orçamentos, compromissos e inventário de bens pertencentes à Confraria dos Defuntos da Torre, freguesia de Reguengo do Fetal.
Inventariado: António Martins Gonçalves da Torre, morador que foi em Mazarefes, Viana do Castelo. Inventariante: Maria de Lurdes Rodrigues Batista, moradora em Mazarefes, Viana do Castelo.
Inventariada: Maria José Gonçalves da Torre, moradora que foi em Monserrate, Viana do Castelo; Inventariante: Francisco Parente Ribeiro, morador em Monserrate, Viana do Castelo.
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 465.
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 558
Inventariado: Custódio Gonçalves da Torre, casado com a inventariante, morador que foi na freguesia de Sandiães, Ponte de Lima, falecido em 10 de julho de 1869, sem testamento; Inventariante: Maria de Jesus, a viúva, moradora na freguesia de Sandiães, Ponte de Lima. Filhos: José, de 13 anos; Manuel Senior, de 12 anos; Maria, de 10 anos; Joaquim, de 8 anos; António, de 5 anos; Manuel Junior, de 4 anos; Rosa, de 3 anos.
E.M. de ligação entre a Colónia Martim-Rei (E.M. Sabugal - Vale de Espinho) com Torre, Ozendo e Soito
Original: Bilhete-postal ilustrado
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Autorização solicitada pela junta de freguesia de Sabóia para poder construir uma pequena casa junto da torre da igreja paroquial daquela freguesia do concelho de Odemira, a fim de ali instalar uma máquina para o funcionamento de um relógio que será colocado na referida torre.
Original: Bilhete-postal ilustrado
Descrição e ornamentação do Convento. Descrição do terreno e da atmosfera que rodeia o Convento. Descrição da casa da roda, ante-coro, coro, casa da portaria, casas em volta, claustro, edifício, pátio, frontaria, galeria e outras partes do Convento. Sinais dos pedreiros gravados na pedra. Terrenos e demarcações do Convento. Localização, desenho e descrição da torre do campanário do Convento. Desenho, a lápis, do claustro. Localização e descrição do lavabo das religiosas. Desenho e localização do chafariz e da pia de água-benta. Melhoramentos nas varandas, ao tempo da abadessa soror Leonor de S. João, em 1617. Obras e ornamentação do coro. Contém referências datadas dos séculos X a XIX.
Inventariado: João Martins da Torre, viúvo de Maria Francisca, morador no lugar do Padrão, da freguesia de Alvarães, do concelho de Viana do Castelo. Inventariante: o genro, Miguel Fernandes Peixoto. Filhos do inventariado: Maria Francisca, casada com Manuel Manso Monteiro, na mesma freguesia; Ângela, solteira, de 46 anos de idade; Teresa Francisca, casada com Manuel Afonso, na mesma freguesia; Manuel Martins, casado com Ventura Gonçalves, na mesma freguesia; João, de 41 anos de idade, ausente no Brasil; José Martins, casado que foi com Maria Fernandes, ambos falecidos, com 1 filha (Maria, de 4 anos); Luísa Francisca, casada com Miguel Fernandes Peixoto (o declarante).
Inventariado: António Martins da Torre, casado que fora com Maria Joaquina, morador no lugar de Pouso, da freguesia de Alvarães, do concelho Viana do Castelo, falecido em 18 de março de 1804. Inventariante e cabeça de casal: Maria Joaquina, a viúva. Filhos do inventariado: 1 -Maria Vitória, de 13 anos de idade; 2 - Rosa, de 11 anos de idade; 3 - Catarina, de 9 anos de idade; 4 - Manuel, de 7 anos de idade; 5 - José, de 5 anos de idade; 6 - Ana, de 3 anos de idade.
Solicitada a pronunciar-se pela DGESBA, a J.N.E., pelo Vogal Henrique Gomes da Silva, emite parecer favorável (aprovado em sessão da J.N.E. de 13.01.1950) no que respeita à classificação de Monumento Nacional da "Torre dos Ferreiros" e vários trechos das Muralhas de Cintura da antiga Praça da Guarda. Conforme refere o relator: "(...) mas, ainda, além do troço situado junto à Torre, vários fragmentos de muralha, na quási totalidade encobertas com casas particulares que no decorrer dos tempos se foram construindo, merecem a classificação de Monumento Nacional." Em virtude de vários proprietários da cidade da Guarda terem apresentado "(...) protestos pela classificação das suas casas como monumentos nacionais por estarem encostadas ou apoiadas em certo troço e fragmentos de muralha do arruinado Castelo, alegando que esta classificação os prejudica, cerceando os seus direitos de propriedade, e mais dizendo que os referidos fragmentos nenhum interesse apresentam", é emitido um Aditamento (aprovado em sessão da J.N.E. de 15.09.1950) a um segundo parecer de autoria de Raul Lino (aprovado em 14.07.1950), referindo não terem razão as reclamações dos proprietários, pois as habitações existentes dentro das respectivas zonas de protecção já se encontravam abrangidas pela lei de defesa dos Imóveis Classificados e, por conseguinte, a situação criada aos proprietários mantem-se a mesma com a homologação do primeiro dos pareceres aprovado em sessão da J.N.E., de 13 de Janeiro de 1950.
O 1º Marquês de Fronteira foi D. João de Mascarenhas, 2º Conde da Torre (1633-1681), título criado por Pedro II, ainda príncipe, em 1670. Foi comendador do Rosmaninhal, Santiago de Fonte Arcada, São Nicolau de Carrazedo, São João de Castelão, São Martinho de Cambres e São Martinho de Pindo, da Ordem de Cristo, e senhor dos morgados de Goucharia (junto a Almeirim) e Chantas (termo de Santarém), bem como de Conculim e Verodá, na Índia. Foi gentil-homem do príncipe regente D. Pedro, membro do Conselho de Estado e do Conselho de Guerra de D. Pedro II, mestre de campo general da Estremadura e do Minho, general de cavalaria no Alentejo, cavaleiro da Ordem de Malta e grão-prior do Crato. Foi um dos generais da Guerra da Restauração, tendo participado nas batalhas do Ameixial e de Montes Claros. Foi o fundador da casa de Benfica, posteriormente transformado no palácio de Fronteira. O 2º Marquês e 3º Conde da Torre, filho primogénito dos anteriores, D. Fernando de Mascarenhas, (1655-1729), acrescentou à Casa a donataria da mordomia-mor de Faro, várias comendas e os padroados dos mosteiros de São Domingos da Serra, OP, e de Nossa Senhora da Conceição da Torre das Vargens. Além de vários cargos, pertenceu ao Conselho de Estado de D. João V, e foi presidente do Desembargo do Paço, vedor da Fazenda (1721) e mordomo-mor da rainha D. Maria Ana de Áustria (1727). Foi ainda censor e presidente da Academia Real de História, e através desta Academia publicou vários trabalhos de cariz historiográfico. Casou com Joana Leonor de Toledo e Meneses, filha dos 7os Condes de Atouguia. O 4º Marquês, 5º Conde da Torre, D. Fernando de Mascarenhas faleceu sem descendência, pelo que foi 5º Marquês e 6º Conde da Torre, seu irmão, D. José Luís Mascarenhas (1721-1799), cónego na Sé de Lisboa, cargo a que renunciou para poder receber o título de Marquês de Fronteira, em 1769. Pertenceu ao Conselho de D. Maria I e foi vedor da Princesa D. Maria Francisca Benedita. Foi o responsável pela transformação da casa de Benfica no palácio actualmente existente. Casou com D. Mariana Josefa de Vasconcelos e Sousa, filha dos 1os Marqueses de Castelo Melhor. O 6º Marquês e 7º Conde da Torre, D. João José Luís Mascarenhas Barreto (1778 - 1806), casou com D. Leonor Benedita de Oyenhausen e Almeida, condessa de Oyenhausen na Áustria, filha do Conde Oyenhausen Gravenburgo, enviado extraordinário e ministro de Portugal junto da Corte de Viena, tenente general do exército, inspector de infantaria, e de D. Leonor de Almeida Portugal, 4ª Marquesa de Alorna, conhecida no mundo literário como Alcipe. Devido a este casamento entrou na Casa de Fronteira a representação da Casa dos Marqueses de Alorna e Condes de Assumar e os títulos de Marqueses de Távora e Condes de São João da Pesqueira, que os Alorna também representavam. Detém actualmente a representação das Casas D. Fernando José Fernandes Costa Mascarenhas nascido em 1945, filho de D. Fernando Mascarenhas (1910-1956) que usou o título de Marquês de Fronteira e representou os títulos de Marquês de Alorna, Conde da Torre, de Conculim e de Assumar, e de D. Maria Margarida de Sousa Canavarro de Meneses Fernandes Costa.
Fragmentos de uma estátua de mármore, inscrições lapidárias e medalhas encontradas nos caboucos da Torre do Outão, entregues pelo alcaide-mor dessa fortaleza a D. Pedro de Lencastre, Arcebispo eleito de Braga. Contém referências datadas do século XVII.
Reparação da Torre do relógio do Concelho, em 1741. Colocação de um novo sino no campanário municipal, em 1835. Obras na varanda dos Paços Municipais, em 1614. Contém referências datadas de 1614 a 1835.
Projecto (peças escritas e desenhadas) e orçamento para o revestimento das fundações da torre do lado direito da Igreja da Misericórdia da Guarda e construção de um muro de cortina para resguardo do lado da estrada Municipal n.º 14.
Inventariados: João Afonso e mulher Maria Pires da Torre, moradores que foram em Vilarinho de Souto, freguesia de Ermelo, Arcos de Valdevez; Inventariante: Luísa Alves, moradora em Vilarinho de Souto, freguesia de Ermelo, Arcos de Valdevez.
Planta do Porto de Sines para identificação de possíveis locais de instalação de uma torre do tipo Sarus. Serviço: DIP (Divisão do Terminal Oceânico) Desenho nº 5786 - DIP Escala 1:25.000
Inclui documentos supostamente fornecidos a José Pereira da Costa pelo Dr. João Martins da Silva Marques que foi diretor do Arquivo Nacional Torre do Tombo entre 1926 e 1960 (data da sua aposentação).
Livro de toda a leitura colegida da Torre do Tombo, com o fim de se saber quais as igrejas em que os reis de Portugal tinham o direito de apresentar pároco.
Livro de registo das guias de trânsito no Posto da Torre das Vargens (Beirã)- 2.ª repartição. Contém referência ao número dos comboios; número das guias; número de vagões; volumes; procedência; destino; identificação dos praças e apelido; companhia e observações.
Livro de registo das guias de trânsito no Posto da Torre das Vargens - 2.ª repartição. Contém referência ao número dos comboios; número das guias; número de vagões; volumes; procedência; destino; identificação dos praças e apelido; companhia e observações.
Livro de registo das guias de trânsito no Posto da Torre das Vargens - 4.ª repartição. Contém referência ao número dos comboios; número das guias; número de vagões; volumes; procedência; destino; identificação dos praças e apelido; companhia e observações.
Parecer favorável (nome do Vogal não identificado) ao requerimento da firma H. Vaultier & C.ª, para execução de trabalhos de modificação num prédio sito na Rua de Valdevinos, n.º 19, dentro da zona de protecção da Torre Sizebuto, em Évora.
Contém o parecer do vice-presidente Henrique Gomes da Silva sobre o pedido da Câmara Municipal de Braga que pretende utilizar o terreno junto à Torre de Menagem para parque de estacionamento de automóveis ligeiros.
Contém ofício do vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa e o parecer de Henrique Gomes da Silva sobre o projecto de modificação do muro marginal entre a Torre de Belém e o Forte do Bom Sucesso.
A capa do processo encontra-se vazia. No rosto da mesma, sob Assunto, encontra-se o seguinte texto: "Direcção Geral da Fazenda Pública - Instalação do Museu do Porto de Lisboa na Torre de Belém. - Passou ao livro A-13, n.º 443/594."
Precer do relator Raul Lino relativo à comunicação da Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais onde se informa que se construiu uma capela na zona de protecção da Torre do Relogio, em Caminha.
Parecer favorável do Vogal Henrique Fernandes Tavares à proposta da D.G.E.M.N., para que se proceda à criação da zona de protecção da Torre dos Ferreiros e da Casa da Câmara, na cidade da Guarda.
Trinta e duas cartas inéditas do Cardeal Saraiva: como Guarda-Mor da Torre do Tombo. In Almanaque Ilustrado "O Comércio do Lima". Ponte de Lima: [s.n.]. N.º 6 (1924), p. 248-264.
Adjudicação aos escultores Álvaro de Brée; Ernesto Canto da Maia e Leopoldo Neves de Almeida os trabalhos de execução de doze estátuas, de 2 metros de altura, de navegadores a erigir nos Jardins da Torre de Belém. Relação dos navegadores portugueses da época dos Descobrimentos organizada pelo Dr. Manuel Múrias. Contrato de adjudicação dos trabalhos ao escultor Álvaro de Brée das estátuas dos navegadores Diogo Gomes; Pedro de Sintra, João de Santarém e Diogo Cão. Contrato de adjudicação dos trabalhos ao escultor Ernesto do Canto da Maia das estátuas dos navegadores João Gonçalves Zarco; Gil Eanes; Nuno Tristão e Gaspar Corte Real. Contrato de adjudicação dos trabalhos ao escultor Leopoldo Neves de Almeida das estátuas dos navegadores Pero de Alenquer; Nicolau Coelho; António de Abreu e Pedro Escobar.
Contém uma carta, um ofício da Secretaria de Estado da Cultura para o Diretor da Torre do Tombo e uma fotocópia de uma ficha curricular.
Outras informações: Casamento celebrado em Lisboa, no oratório do palácio da residência do Visconde de Torre Bela, na R. de Santa Isabel.
Requerimento inicial - Francisco Inácio. Casal da Torre, Mafra. Reconstruir casa de habitação. Deferido em 29 de Novembro de 1927. Planta do alçado com escala de 1/100.
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 955
Decreto Regulamentar que decreta a transferência de documentos antigos dos cartórios notarias das Comarcas Judicias de Lisboa e Porto, para o Arquivo Nacional Torre do Tombo.
Correspondência recebida e expedida com a Torres do Tombo.
Reprodução de uma paisagem litografada a representar uma vista do forte de São Julião da Barra (concelho de Oeiras), tomada a partir do rio Tejo, e vendo-se também, em primeiro plano, dois pequenos barcos a remos, ambos repletos de passageiros.
Programa IV - Estudos, projetos, implantação de novos museus e Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Projeto 7 - Elaboração do projeto para o Arquivo Nacional da Torre do Tombo. Contém ofícios e relatórios de execução.
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 9-10 (9)
Original: Bilhete-postal ilustrado. Coleção: 8 - 108
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Documento descrito no Índice Portugal, Torre do Tombo, Chancelaria de D. Afonso V: Índice dos próprios, L 33, f. 20 (PT/TT/ID/1/33). Este Instrumento de Descrição Documental, não datado, foi substituído pelo catálogo em linha, em 2010.
Carta. Pároco da Igreja de S. Pedro da Torre.
Carta. Pároco da Igreja de S. Pedro da Torre.
Carta. Pároco da Igreja de S. Pedro da Torre.
Entidade comparticipada: Câmara Municipal de Valença Projectista: José do Lago Arrais Torres de Magalhães (Engº Civil)
Localização do castelo de Setúbal, fortaleza de Mouguelas e torre de Branca Anes. Desaparecimento do castelo da vila de Setúbal, já pelos anos de 1510. Resistência heróica da fortaleza de Santiago, em 1580. Contém referências datadas dos séculos X a XVI.
D. Carlos e a fortaleza de Santiago ou da Torre do Outão. Visitas de D. Carlos I a Setúbal, e sua estadia na fortaleza de Santiago. Construção da fortaleza de Santiago no reinado de D. João I. Grito de revolta de Évora, por ocasião da chamada conspiração do Manuelinho em 1637, contra a usurpação tirânica do Governo de Castela.
Inventariada: Maria José Fernandes da Torre, casada com o inventariante, moradora que foi em Santa Marta de Portuzelo, Viana do Castelo, falecida em 24 de dezembro de 1946. Inventariante: António Gonçalves da Silva Sordo de Barros, o viúvo, morador em Santa Marta de Portuzelo, Viana do Castelo.
Inventariado: José Nicolau Fernandes da Torre, casado com a inventariante, morador que foi na freguesia de Serreleis, Viana do Castelo, falecido em 19 de maio de 1875, com testamento cerrado. Inventariante: Maria Martins Camelo, a viúva, moradora na freguesia de Serreleis, Viana do Castelo. Filho: António, de 11 meses.
Inventariado: Domingos da Torre ou Domingos José Cerqueira do Pateo, viúvo de Ana Pires, morador que foi em Barreiro, freguesia de São Jorge, Arcos de Valdevez; Inventariante: Maria Cerqueira do Páteo, filha do inventariado, moradora em Barrieo, freguesia de São Jorge, Arcos de Valdevez. Filhos: Maria, Rosa, Manuel, Antónia, Ana, Joaquina, António.
Desenho arquitetónico (planta, perfil longitudinal e cortes). Desenhos de pormenor do acesso à esteira industrial junto da torre UEF-03. Desenho (Lusotecna) Nº 754.02.036A (substitui 754.02.036) Desenho (GAS) Nº 16.695 Escalas V=1:20; H=1:200 Tem desenhada a orientação do ponto cardeal Norte
Imagem interior da Biblioteca Nacional de Lisboa, com a legenda no verso, Biblioteca Nacional de Lisboa, Pormenor de um depósito de livros na torre (canto sup. esq.); Arq. Pardal Monteiro. Comer - Foto Jorge Alves (canto i nf. esq.); 13 - Edição da Biblioteca Nacional de Lisboa - Portugal (coluna central)