Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for registo and 1,187,117 records were found.

Contém o registo dos diversos rendimentos eventuais cobrados pela Câmara Municipal.
Livros de registo da receita e da despesa da Paróquia de Paderne.
Livros de registo da receita e da despesa da Paróquia de Paderne.
Registo das visitas do Bispo, ou enviados do Bispo, à Paróquia de Paderne.
Livros de registo de Leis e Ordens da Intendência Geral da Polícia.
Livros de registo de Leis e Ordens da Intendência Geral da Polícia.
Livro de registo diário da frequência e nota mensal da aplicação e comportamento das alunas, da freguesia de S. Cristovão de Mafamude, entre Janeiro de 1896 e Janeiro de 1898.
Registo de receita e despesa da igreja de S. Paulo que contém: coletas, quotas, venda de livros, obras do colégio, despesas de manutenção do edifício, pagamento ao organista, gratificações a presbíteros.
Contém as séries: Registo de entrada de sisas; Registo do lançamento de sisas; Registo de verbas de bens de raiz; Registo de verbas de sisas de bens de raiz; Autos cíveis do Juízo das Sisas; Registo de guias de vinhos e aguardentes; Registo de rendimentos de real de água; Registo de entradas de vinhos e carnes sujeitos ao pagamento de real de água; Registo de arrobação de carnes de talhos; Arrecadação do real de água pelo arrobamento dos açougues; Contas do tesoureiro relativas à aplicação do real de água na reparação da canalização de águas; Manifestos do real de água e avenças; Registo mensal de avenças sujeitas ao real de água; Registo trimestral de avenças sujeitas a contribuições municipais indiretas; Registo de documentos de cobrança de impostos municipais indiretos; Registo de termos de manifesto das contribuições municipais; Registo de subsídio literário; Registo de provisões de arrematação e condições que ligam os rendeiros do subsídio literário; Registo de receita da décima para o real de água; Autos cíveis de denúncia ao juízo da décima; Registo da décima; Registo de receita de imposto dos novos selos; Registo de receita do novo imposto da contribuição extraordinária; Registo de receita dos novos impostos pertencentes à junta dos juros; Registo de receita do Usual; Registo de receita do imposto indireto, real de água e matadouro; Registo de receita de impostos da venda de carnes verdes no matadouro; Registo da receita proveniente dos impostos diretos e indiretos da Câmara; Registo de coletados com a contribuição municipal direta; Registo de coletados com a contribuição municipal direta, sobre juros de capitais; Registo de coletados com impostos diretos municipais sobre a taxa complementar; Registo de correspondência recebida pelo juiz do contencioso dos impostos e outros rendimentos municipais; Registo de propostas de avenças de impostos indiretos; Registo de avenças do imposto sobre águas de mesa; Processos relativos a impostos indiretos; Propostas de avenças de impostos indiretos; Baixas de avenças; Processos de avença sobre peixe; Baixas de avenças sobre peixe; Controlo de impostos indiretos de peixe vendido para consumo em mercados; Registo de impostos indiretos sobre peixe trazido de fora do concelho cobrado por avença; Controlo de pagamento de impostos indiretos por avençado; Registo de impostos diretos; Processos de anulação de contribuição; Registo da taxa anual fixa de turismo; Registo de taxas fixas de turismo; Registo de percentagens e descontos dos adicionais às contribuições do Estado; Registo de percentagens de imposto de turismo cobradas em hotéis, pensões, restaurantes, estalagens e casas de hóspedes; Registo de receita da taxa de turismo da Junta de Turismo, cobrada diretamente pela Câmara Municipal; Registo de cadernetas de turismo; Registo de importâncias sujeitas a imposto de turismo por estabelecimento; Processos de transgressão fiscal da taxa e percentagem de turismo; Registo de declaração de rendas de casas alugadas; Fichas de registo do imposto de turismo sobre casas arrendadas; Registo de pagamento de imposto de turismo sobre casas arrendadas; Processos de rendas de casa sujeitas a imposto de turismo; Relações de declaração de rendas de casa; Registo de pagamento de contribuintes sujeitos a imposto de comércio e indústria - Grupo B; Registo de pagamentos retirados de contribuintes sujeitos a imposto de comércio e indústria; Registo de pagamentos pendentes de contribuintes sujeitos a imposto de comércio e indústria; Registo de pagamento de contribuintes sujeitos a imposto de comércio e indústria - Grupos A e C; Registo de pagamento de contribuintes com sede no concelho sujeitos a imposto de comércio e indústria; Registo de pagamento de contribuintes com sede no concelho e estabelecimentos noutros concelhos sujeitos a imposto de comércio e indústria; Registo de pagamento de contribuintes com sede noutros concelhos e estabelecimentos em Cascais sujeitos a imposto de comércio e indústria; Registo de pagamentos retirados de contribuintes com sede no concelho sujeitos a imposto de comércio e indústria; Processos de criação, votação e cobrança de imposto de comércio e indústria; Róis da contribuição municipal direta; Róis de lançamento da contribuição de prestação de trabalho para a viação municipal; Relações de cobrança de impostos indiretos; Relações para descarga de cobrança de impostos; Processos de certidão de contribuição industrial e Registo de lançamento de impostos diretos de 10%
Registo das atas da Assembleia-Geral para aprovação dos sócios efectivos. Constituída pelas seguintes séries: - Atas - Registo de presenças - Documentos para apreciação em reuniões - Atas para aprovação de sócios
A documentação reflete a atividade da Sociedade Recreativa Musical de Carcavelos no domínio das funções definidas por estatutos. O fundo é constituído por 5 secções: Constituição, Regulamentos e Órgãos; Secretaria e Arquivo; Gestão Financeira e Património; Atividades Culturais e Documentos Bibliográficos; e por 21 séries: Estatutos (1901-1986); Atas da Assembleia Geral (1901-2014); Convocatória da Assembleia Geral (1996); Atas da Direção (1911-2006); Relatórios e contas (1993-1996); Correspondência recebida e expedida (1934-1993); Registo de sócios (1935-1937); Fotografias e recortes de imprensa (1974-2000); História da Sociedade, discursos e homenagens (1901-2001); Registo de caixa (1908-1989); Balancetes (1945-1963); Registo de receita e despesa (1978-1988); Registo de conta corrente (1937-1944); Registo de quotização (1913-1959); Documentos de despesa (1956-1993); Registo de inventário (1927-1986); Contrato de arrendamento (1912); Registo de inscrição de músicos na Banda (1913-1938); Registo de atuações da Banda (1926-1946); Cadernetas musicais (1949-1959); Partituras de obras interpretadas pela Banda (1917-1980) e Escola de Música (1982)
Contém as séries: Atas; Registo de presenças; Documentos para apreciação em reuniões e Atas para aprovação de sócios
Contém as séries: Ordenação, compromisso e estatutos; Atas de sessões; Correspondência recebida; Copiador de correspondência expedida; Editais; Relação de irmãos; Registo de irmãos; Diplomas de admissão; Registo de irmãos que professam; Termos de eleições; Listas de contagem de vistos em eleições; Registo de capelães e andadores; Registo de missas de capelas; Alvarás de quitação para cumprimento de legados pios; Relações de missas e formatura de procissão; Processos de pedidos de realização de procissões e Procuração, termos e mandado
Registo de atas de termos de posse das Secções de Vela e Motonáutica e de Remo e Canoagem
Contém as séries: Atas da Assembleia Geral; Convocatórias da Assembleia Geral e Registo de presenças na Assembleia Geral
Contém as séries: Correspondência recebida; Copiador da correspondência expedida; Registo de sócios; Recortes de imprensa; Fotografias e Diplomas
Livro de registo do Fundo dos Pobres da Igreja de Jesus.
A documentação reflete a atividade do Clube da Praia no domínio das funções definidas por alvará, que desconhecemos. O fundo é constituído por 3 séries: Registo de receita (1904), Registo de receita e despesa (1904) e Registo de sócios (1904-1905). Comporta, ainda, lista de objetos encontrados no Clube (1905)
A documentação reflete a atividade da Estação de Saúde do Porto de Cascais no domínio das funções definidas por legislação. O fundo é constituído por 3 séries: Registo de correspondência expedida (1848-1890), Registo de embarcações (1848-1890) e Registo de barcos de pesca (1848-1880)
Contém as séries: Registo de receita; Guias de receita eventual; Registo de despesa; Autorizações de pagamento; Registo de receita e despesa; Entrada e saída de fundos; Contas de gerência; Caderneta de depósito bancário; Contas de gerência da Irmandade do Santíssimo Sacramento e Processos de arrematação da obra da Igreja Matriz
Contém as subsecções: Edificações Municipais ou de Interesse Municipal; Rede Viária; Águas e Saneamento; Iluminação Pública, Electricidade e Telecomunicações e Oficinas, Parques de Máquinas e Viaturas; e contém as séries: Registo de informações de processos de obras; Registo de obras com projeto; Registo de obras sem projeto; Registo de obras por deliberações; Registo de obras comparticipadas; Registo de obras não comparticipadas; Registo de empreitadas; Registo de mandados de intimação, avisos, ordens e notas de serviço; Processos de inquérito; Correspondência recebida e informações relativas a obras; Correspondência recebida e expedida relativa a obras; Registo de projetos de casas económicas e para operários; Processos de gestão de pessoal das obras; Registo de despesa relativa a obras; Processos de obra de edifícios municipais ou de interesse municipal; Processos de construção, reparação e conservação de arruamentos, túneis e pontes; Processos de construção de infraestruturas para abastecimento de água; Registo de correspondência recebida e informações relativas ao fornecimento de energia elétrica; Registo de despesa de eletricidade consumida nas estações de tratamento e elevação de esgotos e Processos de aquisição de veículos e equipamentos
A documentação reflete a atividade da Associação Empresarial do Concelho de Cascais no domínio das funções definidas por estatutos. O fundo é constituído por 4 secções: Constituição e Órgãos; Secretaria e Arquivo; Gestão Financeira e de Património e Documentos bibliográficos e museológicos; e por 29 séries: Atas da Assembleia Geral (1914-1939); Registo de presenças na Assembleia Geral (1944-1975); Registo de tomadas de posse (1914-1930); Atas da Direção e do Conselho Fiscal (1916-1986); Ordem de Trabalhos da Reunião de Direção (1991); Ata da Associação com comerciantes de venda de vinho a retalho (1936); Ata de Reunião da Associação do Comércio e Indústria do Concelho de Cascais - Grémio da Construção Civil e relação dos sócios convocados (1936); Relatório e Conta de Gerência (1985); Registo de correspondência recebida (1975-1983); Registo de correspondência expedida (1980-1983); Correspondência recebida (1951-1973); Registo de sócios (1914-1918); Registo de assiduidade (1973-1987); Processo de ação especial de despejo (1982-1985); Título e licença de exploração de instalação elétrica (1916-1920); Apólice de seguro (1920); Fotografias (1960-1970); Processo de inauguração do hipermercado Jumbo (1970-1973); Registo de caixa (1929-1992); Balancetes (1944-1991); Registo de receita (1967-1974); Registo de ordens de pagamento (1941-1945); Registo auxiliar (1971-1991); Registo de controlo de quotização (1941-1991); Registo de inventário (1944-1976); Biblioteca (1983-1988) e Hemeroteca (1912-1991)
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O ofício de escrivão do Registo de Testamentos foi criado em 2 de Dezembro de 1604. Competia-lhe registar todos os testamentos de quaisquer pessoas que falecessem na cidade de Lisboa e seu termo, ou nela fossem moradores. Os escrivães só podiam registar os testamentos e documentos afins após o termo de abertura e encerramento efectuado pelo provedor. Foi-lhe dado novo Regimento em 7 de Janeiro de 1692.
Livro de registo de frequência dos alunos, sexo masculino, da Escola do Prado.
Livro de registo de frequência dos alunos, sexo masculino, da Escola do Prado.
Livro de registo de frequência e matrícula dos alunos, sexo masculino, da Escola do Prado.
Livro de registo de frequência dos alunos da Escola do Prado.
Livro de registo de frequência dos alunos, sexo masculino, da Escola do Prado.
Livro de registo de atas da direção da Missão da Madalena.
Livro de registo de livros adquiridos pela biblioteca escolar e oferecidos por alunos.
Livro de registo de presenças de alunas da escola do Torne.
Livro de registo de assuntos pendentes da paróquia de S. Paulo.
Registo de receita e despesa da Escola do Torne do ano de 1964.
Despesas e receitas relativas ao bazar da Escola do Torne: faturas, registo de donativos.
Livros de registo da Escola Dominical da Igreja de Jesus, da 1ª à 3ª classe.s
Livro de registo das classificações de apuramento, dos alunos da escola dominical da Igreja de Jesus.
Livro de registo de óbitos da igreja de S. João Evangelista.
Livro de registo de óbitos da igreja de S. João Evangelista.
Livros de registo de caixa da paróquia do Salvador do Mundo.
Registo de fundos especiais destinados à gestão financeira da paróquia de S. João Evangelista.
Processo constituído por correspondência recebida, copiador de correspondência enviada e registo de receita e despesa.
Livro de registo de frequência dos alunos da Escola do Torne.
Registo de receita e despesa do Fundo Paroquial da Igreja Lusitana.
Livro de registo de Autos de Posse da Junta Paroquial da Igreja de S. João Evangelista.
Livro de registo de Autos de Posse da Junta Paroquial da Igreja de João Evangelista.
A documentação reflete a atividade da Venerável Ordem Terceira de S. Francisco da Vila de Cascais no domínio das funções definidas por compromisso e estatutos. O fundo é constituído por 4 secções: Constituição e Regulamentação da Ordem; Gestão Financeira; Património e Assistência; e por 42 séries: Ordenação, compromissos e estatutos (1693-1914); Atas de sessões (1853-1922); Correspondência recebida (1801-1911); Copiador de correspondência expedida (1887-1894); Editais (1892-1896); Relação de irmãos (1893); Registo de Irmãos (1728-1876); Diplomas de admissão (1790); Registo de irmãos que professam (1675-1876); Termos de eleições (1765-1886); Listas de contagem de votos em eleições (1837-1880); Registo de capelães e andadores (1694-1848); Registo de missas de capelas (1744-1894); Alvarás de quitação para cumprimento de legados pios (1818-1895); Relações de missas e formatura de procissão (1832-1872); Processos de pedidos de realização e procissões (1815-1827); Procuração, termos e mandado (1774-1878); Registo diário de receita e despesa (1746-1868); Registo anual de receita e despesa (1839-1920); Acórdãos do Tribunal Administrativo para aprovação de contas (1887-1911); Registo de importâncias entregues à Administração do Concelho (1888-1890); Registo de receita (1751-1906); Registo de cobrança de anuais (1794-1868); Registo de receita de capelas (1743-1861); Registo de cobranças de juros (1769-1897); Recibos de cobrança de juros (1889); Processos de empréstimo de capital (1759-1889); Registo de despesa (1751-1765); Documentos de despesa (1618-1883); Registo de ordens de pagamento (1842-1861); Ordens de pagamento (1842-1851); Orçamentos gerais (1869-1883); Relações de dívidas (1873-1889); Processos de dívidas (1677-1780); Registo de dívida em processo judicial (1782-1844); Inventário (1751-1862); Auto para emprazamento de capela (1671-1796); Escrituras (1664-1877); Sentenças cíveis (1749-1835); Termo de desistência (1619); Registo de irmãos pobres vestidos pela Ordem (1782-1896) e Processos para concessão de agasalhos (1830-1910). Comporta, ainda, Desenho picotado com motivo litúrgico (1900)
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
O registro civil em Portugal é oficialmente instituído pelo "Código do Registo Civil" de 18 de fevereiro de 1911 (alguns meses antes da promulgação da Constituição portuguesa de 1911). Em 20 de abril de 1911, a "Lei da Separação da Igreja do Estado" radicaliza o Estado laico e determinou que todos os registos paroquiais (baptismos, casamentos e óbitos) anteriores a 1911 gozassem de eficácia civil e fossem transferidos das respectivas paróquias para as recém-instituídas Conservatórias do Registo Civil. Essa era uma luta anterior que vinha desde que foi formada, em 1895, a Associação do Registo Civil, uma agremiação maçónica, apresentada pelos seus mentores como "um forte baluarte anticlerical e antirreligioso". De forma geral, há hoje uma conservatória de registo civil em cada concelho português, sendo que nas cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Setúbal há onze, quatro, duas e duas conservatórias respectivamente. Em concelhos de pequena e média dimensão, as conservatórias também acumulam outras funções além do registo civil, como o registo predial (imóveis), comercial (pessoas jurídicas) e de veículos. Em Lisboa está localizada a Conservatória dos Registos Centrais que é responsável pelos registos que envolvam cidadãos portugueses no estrangeiro e pela gestão de qualquer trâmite que diga respeito à nacionalidade portuguesa.
"Há-de servir este livro para registo dos testamentos deste Concelho vai numerado e rubricado por mim com a rubrica que uso - Leote - leva no fim termo de encerramento. Administração do Concelho de Albufeira 15 de Outubro 1860." O Administrador do Concelho Francisco Correia Leote
"Há de servir este livro, para registo dos testamentos deste Concelho: vai numerado e rubricado com a rubrica - Mendonça - de que uzo, e leva no fim termo d'encerramento. Do que para constar fiz lavrar o presente termo que assigno. Albufeira 13 de Fevereiro de 1857." O Administrador do Concelho António Pedro de Mendonça Corte Real Francisco Correia Leote
Livro numerado e rubricado com termo abertura e de encerramento da responsabilidade do Visconde de Balsemão. Reaproveitado por João Vicente Barrunel para este novo fim, como consta do novo termo de abertura. Capa: Livro do registo das portarias e provisões; 10. Entre outros, encontra-se aqui registados: p. 1 - Provisão de 19 de junho de 1815 da recondução de Feliciano de Sousa no serviço de guarda da Alfândega do Porto de Belém; p. 104 - Portaria de 10 de novembro de 1815 para serem conduzidos à mesa Grande os livros que vieram de França para Paulo Martins e Filhos; p. 147 - Provisão de 1 de fevereiro de 1816 para que Manuel Fernandes Pias continue a servir na companhia da abertura desta alfândega; p. 477 - Portaria de 17 de julho de 1817 para ser entregue na mesa da alfândega os livros que vieram o Rio de Janeiro para Manuel Teixeira Cabral de Mendonça; p. 520 - Relação das fazendas de diversas tomadias, existentes no armazém.
Livros de registo de caixa da Pulvertaft, empresa gestora dos bens da Igreja Lusitana.
Contém as subsecções: Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães e Associativismo; e contém as séries: Relatórios de atividade; Registo de correspondência recebida; Correspondência recebida, expedida e informações; Registo de assiduidade; Documentos de despesa; Gestão de espaços culturais; Apoio a iniciativas culturais; Registo fotográfico; Medalhas de mérito municipal; Correspondência recebida pelo Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Copiador de correspondência expedida e informações produzidas pelo Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Registo de receita e despesa do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Registo de despesa do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Registo de ordens de pagamento do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Documentos de despesa do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Contas e Orçamentos do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Registo de descontos do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães para Fundo de Desemprego; Processos de descontos do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães para Fundo de Desemprego; Registo de visitantes e vendas do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Inventário e requisições de livros do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Registo de leitores do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Regulamento de concurso para conservador do Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães; Avisos na imprensa para venda de propriedades do Conde de Castro Guimarães; Biblioteca Itinerante; Correspondência recebida e expedida com associações e coletividades; Relatórios de atividades; Registo de assiduidade; Apoio a iniciativas culturais; Registo fotográfico; Materiais de divulgação e Ofertas institucionais
A documentação reflete a atividade da Associação de Socorros Mútuos de Alcabideche, no domínio das funções definidas pelos seus estatutos. O fundo é constituído por 5 secções: Constituição e Regulamentação da Associação; Órgãos da Associação (Assembleia Geral e Direção); Serviços Administrativos e Financeiros e Gestão de Sócios e Património; e por 43 séries: Estatutos, regulamentos e alvará (1926-1960); Documentos de apoio à elaboração de estatutos (1932-1953); Listas dos corpos gerentes (1948-1969); Homenagem a sócios e colaboradores (1935); Convocatórias (1950-1975); Atas de sessões da Assembleia Geral (1894-1974); Registo de sócios inscritos em sessões da Assembleia Geral (1925-1975); Atas de sessões da Direção (1907-1969); Relatórios e contas da Direção e parecer do Conselho Fiscal (1927-1945); Envelopes timbrados (1950-1976); Correspondência recebida e expedida (1931-1976); Copiadores de correspondência expedida (1929-1943); Registo anual de receita e despesa (1899-1959); Registo trimestral de receita e despesa (1931); Registo mensal de receita e despesa (1890-1894); Registo diário de receita e despesa (1894-1967); Razão auxiliar (1952-1970); Balancetes do razão (1952-1963); Balancetes (1931-1952); Inventário e balanço (1952-1970); Registo de saldos (1932-1971); Guias de receita (1936-1975); Caderneta e boletins bancários (1908-1974); Título de dívida pública (1931); Relação de donativos e prémios (1939-1959); Ordens de pagamento (1918-1975); Guias de pagamento de impostos e taxas ao Estado (1935-1972); Registo diário de despesa (1966-1975); Registo de faturas (1960-1963); Registo de pagamento de quotas (1891-1944); Talões de quotas (1937-1972); Registo de conta corrente do cobrador (1952-1971); Registo anual de despesa com subsídios, consultas e medicamentos (1890-1970); Registo individual de despesa com subsídios, consultas e medicamentos (1945-1968); Relações de entrega de papeletas (1957-1958); Papeletas com recibos (1923-1967); Recibos (1915-1975); Propostas de sócios (1927-1962); Registo de sócios (1890-1968); Fichas individuais de sócios (1900-1970); Documentos relativos a imóveis e obras na sede (1919-1946); Registo semanal de despesa com fornecimento de obras e serviços (1925-1956) e Seguro de incêndio (1940). Comporta, ainda, Faixa decorativa (1920) e Cartão de Condolências (1920)
Livro numerado e rubricado com termo abertura e de encerramento da responsabilidade de Romão José Rosa Guião e Abreu. Reaproveitado por Diogo Inácio de Pina Manique para este novo fim, como consta do novo termo de abertura. Capa: L.º 1.º do registo das portarias. Lombada: L.º 1.º de registo das portarias e provisões. Entre outros, encontra-se aqui registados: f. 14 - Portaria de 7 de julho de 1788 para que o bacharel Joaquim de Sousa Ribeiro, presbítero secular e notário do Santo Ofício possa levantar desta alfândega um caixão de livros de seu uso que vieram de Coimbra pela Figueira; f. 76 - Provisão de 12 de março de 1789 para ser entregue livre de direitos a Jácome Ratton e Filho, 4 volumes de pele de coelho que mandou vir de Amesterdão para a sua fábrica de chapéus; f. 100v - Aviso de 28 de maio de 1789 para se dar despacho a 3 caixas de livros para o Núncio Apostólico; f. 151 - Portaria de 3 de agosto de 1789 para se dar despacho aos livros do uso do frei Manuel de São Nicolau de Tolentino, religioso descalço; f. 227v - Provisão de 18 de novembro de 1789 para se entregar, livre de direitos, umas peças fabricadas em Bragança a Francisco José Simões.
Contém as séries: Livro razão; Faturas; Registo de pagamentos de alunos; Balancetes diários e Guias de abono de família
Livros de registo de receita e despesa da paróquia de S. João Evangelista: fundo de reserva especial, fundo de obras, fundo missionário, escola do Torne, cantina beneficente do Torne, caixa, bancos, papéis de crédito, bazar da escola, fundo paroquial, fundo paroquial dos pobres, caução amortizável, bairro Diogo Cassels.
Livro de registo de pessoas confirmadas na paróquia de S. João Evangelista. Contém 10 documentos avulsos: 4 notas com nomes, duas a lápis e uma a caneta; 2 diplomas de confirmados, de 1957; 3 cópias de diplomas de confirmados, de 1992; 1 folha dactilografada inacabada, de 1957, sobre uma reunião na paróquia de S. João Evangelista.
Livro de contas da Sociedade de Senhoras com os nomes dos membros, registo de quotizações e despesas.
Livros de registo de receita e despesa da paróquia de S. João Evangelista: fundo de reserva especial, fundo de obras, fundo missionário, escola do Torne, cantina beneficente do Torne, caixa, bancos, papéis de crédito, bazar da escola, fundo paroquial, fundo paroquial dos pobres, caução amortizável, bairro Diogo Cassels.
Contém as subseccões: Planos Municipais de Ordenamento do Território; Estudos e Projectos; Loteamento; Toponímia e Numeração Policial e Obras Particulares; e contém as séries: Estudos e planos de urbanização; Anteprojetos de remodelação do centro de Cascais; Projetos de urbanização; Estudos urbanísticos; Levantamentos topográficos; Processos de cópias de desenhos; Registo de loteamentos; Registo de nomenclatura de ruas; Registo de alterações de números de polícia de ruas; Processos de obras particulares; Processos de licença para pequenas obras, reparações e ocupação de via pública; Processos de licença para prorrogação de prazo de obras; Processos de obras particulares indeferidas; Processos de obras sem licença; Registo de processos de obras particulares; Relações de proprietários intimados para reparações; Registo de vistorias a casas construídas e reconstruídas; Autos de vistoria para habitação; Registo de vistorias a habitações para efeito de beneficiações higiénicas; Processos de vistoria a casas de aluguer; Registo de termos e declarações de responsabilidade de técnicos de obras; Processos de inscrição de engenheiros, arquitetos e construtores civis; Processos de instalações elétricas; Processos de mais-valias e encargos; Processos de demolição; Registo de taxas; Anteprojetos; Registo de informações relativas a projetos de obras particulares e Registo de licenças de obras
A documentação reflete a atividade da Sociedade de Educação Social de S. João do Estoril no domínio das funções definidas por estatutos. O fundo é constituído por 4 secções: Constituição e Regulamentação; Secretaria e Arquivo; Património e Gestão Financeira; e por 35 séries: Regulamentos e estatutos (1911-1983); Atas da Assembleia Geral (1913-1988); Atas da Direção (1911-1985); Atas do Conselho Administrativo (1984-1986); Atas do Conselho Escolar (1987-1989); Termos de posse da Assembleia Geral e da Direção (1913-1941); Convocatórias para a Assembleia Geral (1952-1991); Registo de presenças em Assembleias Gerais (1913-1956); Registo de sócios, subscritores e protetores (1911-1930); Registo de correspondência recebida (1973-1989); Correspondência recebida (1975-1982); Copiadores de correspondência expedida (1920-1989); Correspondência recebida e expedida (1953-1987); Instruções e comunicações internas (1956-1990); Registo de assiduidade do pessoal (1983-1988); Relatórios de professores (1987-1989); Registo de assiduidade e aproveitamento de alunos (1915-1927); Relações de alunos (1977-1980); Inquéritos a encarregados de educação (1989); Registo de fotocópias e chamadas telefónicas (1987-1991); Assistência técnica a fotocopiadora (1989-1990); Recortes de imprensa (1930-1985); Festas e comemorações de aniversários (1960-1986); Homenagem ao jornal "A Nossa Terra" (1960-1961); Registo de bens imóveis (1898-1959); Processos de obras (1980-1987); Inventário de património móvel (1974); Catálogos de material escolar e didático (1960-1970); Registo de receita e despesa (1911-1986); Registo de receita e despesa de reconstrução da escola (1951-1965); Registo de quotas (1965); Guias de pagamento de IRS (1989-1990); Documentos bancários (1912-1953); Orçamentos (1956-1974) e Requisições de material (1952-1990)
Livro de registo de receita e despesa da Associação dos Antigos Alunos das Escolas do Torne e Prado com registo de : caixa, fundo de auxílio às escolas; fundo de assistência às crianças; quotizações; donativos; balanços.
Secção composta pelas seguintes séries: SR RD: Registo de receita e despesa SR DON: Registo de donativos SR MC: Movimentos contabilísticos SR SC: Saídas de caixa SR QT: Quotas
Livro de registo escolar dos alunos, do sexo masculino, da Escola do Torne com indicação da sua filiação, registos de matrículas e resultados de provas de exame.
Curso de Formação de Leitores do Centro Lusitano de Estudos Teológicos: registo diário de disciplinas, certificados, Leituras Bíblicas.
Edital a informar da necessidade de proceder ao registo de todos os cães, sob pena de 100$00 de multa.
Secção constítuida pelas seguintes séries e subsecção: SR PSS: Pagamentos à Segurança Social SR RB: Registo de benfeitores da Escola do Torne SR BAZ: Bazar Subsecção: Tesouraria SR RD: Registo de receita e despesa SR DON: Registo de donativos SR MC: Movimentos contabilísticos SR SC: Saídas de caixa SR QT: Quotas
Contém as séries: Contas de gerência; Registo de caixa; Registo de conta corrente da receita; Registo de conta corrente da despesa; Registo da receita; Registo de documentos; Diário de receita; Mapas diários e mensais da despesa; Documentos da receita; Documentos da despesa; Documentos da receita e despesa; Guias de receita; Mapas auxiliares da receita; Resumo da despesa por classificação funcional; Mapas comparativos entre despesa orçada e paga; Registo de autorizações de pagamentos; Balancetes de tesouraria; Diários de tesouraria; Folhas de tesouraria; Conta da responsabilidade do tesoureiro; Ordens de pagamento; Mandados de pagamento; Documentos de cobrança; Receita de operações de tesouraria; Protocolo de cheques; Justificativos e movimentos bancários; Subsídios; Certidões de saldo e Orçamento da receita e da despesa
A documentação reflete a atividade da Federação Portuguesa de Remo no domínio das funções definidas por estatutos. O fundo é constituído por 3 secções: Regulamentação e Órgãos; Secretaria e Arquivo e Gestão Financeira; e por 19 séries: Atas de Assembleias Gerais (1929-1996); Atas da Direção (1925-1998); Atas do Conselho Técnico (1993-1994); Atas dos Júris dos Exames do Curso de Juízes Árbitros (1945-1961); Atas do Júri das regatas do Campeonato Peninsular de Remo (1945-1947); Registo de termos de posse da Comissão Regional de Remo da Zona Centro (1982-1988); Plano e Orçamento (1988-2006); Relatórios e contas (1952-2002); Registo de correspondência recebida (1972-1996); Registo de correspondência expedida (1988-1995); Correspondência recebida e expedida (1976-1999); Relação de treinadores (1986-1989); Registo de inscritos (1933-1999); Regulamentos, programa de treinos e planos de construção de equipamentos (1954-1998); Projetos de estádios náuticos (1942-1952); Dossiê de imprensa (1998-1999); Zincogravuras (1940); Registo de receita e despesa (1950-1994) e Registo de devedores e credores (1945-1955)
Livro de registo de frequência dos alunos, sexo masculino, da Escola do Prado, 1ª à 3ª classe.
Livro de registo de presenças nas reuniões de estudo bíblico e de consagração da igreja de S. Paulo.
Livro de registo de livros requisitados da biblioteca da Sociedade de Esforço Cristão Infantil da Igreja de Jesus: - Registo de saída e entrada de livros (mês, dia); - Nome do leitor; - Título da obra, nome do autor e cota.
Registos de custas das execuções fiscais.
Registos de custas das execuções fiscais.
Registos de custas das execuções fiscais.
Registos de custas das execuções fiscais.
Registos de custas das execuções fiscais.
Contém as séries: Recenseamento eleitoral; Atas de sorteio de jurados para recenseamento eleitoral; Relações de jurados para recenseamento eleitoral; Atas da comissão do recenseamento eleitoral; Registo de correspondência recebida referente a recenseamento eleitoral; Registo de correspondência expedida pela comissão de recenseamento eleitoral; Registo de requerimentos relativos a recenseamento eleitoral; Atas de eleições de juiz substituto do juiz de fora, vereadores e provedor da câmara e Processos de eleições e referendos
Contém as séries: Recenseamento militar dos mancebos aos 20 anos; Recenseamento militar dos mancebos aos 17 anos; Recenseamento militar extraordinário; Atas da comissão de recrutamento militar; Registo de correspondência recebida sobre recenseamento militar; Copiadores de correspondência expedida sobre recenseamento militar; Registo de petições relativas a recenseamento militar; Livro auxiliar de recenseamento militar; Registo de fogos e moradores do distrito da 4.ª companhia de capitania-mor das ordenanças de Oeiras e Cascais; Processos de recenseamento militar e Cadernetas militares
Livro com registo de celebrações litúrgicas de 17 de Junho de 1906 a 9 de Julho de 1909 da Congregação da Santíssima Trindade. A partir 17 de Abril de 1915 passou a registar as celebrações litúrgicas da Igreja de Jesus. Tem indicação da data, dia, hora, leitor da liturgia, pregador, assistentes (adultos, crianças, comungantes e total de assistentes), assunto do sermão, colecta e observações.
Unidade de instalação
A documentação reflete a atividade da Junta de Freguesia de Cascais no domínio das funções definidas por legislação. O fundo é constituído por 8 secções: Órgãos da Freguesia (Junta de Freguesia e Assembleia de Freguesia); Serviços Administrativos; Serviços Financeiros; Património; Impostos e Contribuições; Eleições; Habitação e Educação; e por 44 séries: Atas de sessões da Junta de Freguesia (1876-1993); Editais (1906-1923); Autos de posse (1975); Atas de sessões da Assembleia de Freguesia (1977-1994); Documentos para apreciação da Assembleia de Freguesia (1990-1992); Registo das comissões de moradores (1975); Atas de sessões da Comissão de Moradores do Bairro do Cobre (1975-1977); Documentos para apreciação da Comissão de Moradores do Bairro do Cobre (1975-1976); Registo de correspondência recebida (1942-1994); Registo de correspondência expedida (1974-2000); Copiadores de correspondência expedida (1881-1922); Correspondência recebida e expedida (1880-1990); Registo de requerimentos de atestados (1948-1977); Requerimentos e cópias de atestados (1937-1950); Registo de emolumentos de atestados (1942-1995); Autorizações de atestados de assistência judiciária e emancipação (1977-1980); Requerimentos e cópias de certidões (1940-1941); Certidões de legados pios (1894-1910); Registo de termos de identidade, idoneidade e justificação administrativa (1979-1997); Registo de cartões de identidade de funcionários (1994-1996); Concurso "Passa Poesia em Cascais" (1996); Registo de receita (1981-1985); Guias de receita eventual (1945-1950); Registo de despesa (1954-1985); Autorizações de pagamento (1883-1950); Registo de receita e despesa (1879-1990); Entrada e saída de fundos (1876-1888); Contas de gerência (1889-1950); Caderneta de depósito bancário (1920); Contas de gerência da Irmandade do Santíssimo Sacramento (1912-1921); Processos de arrematação da obra da igreja matriz (1906-1912); Registo de foros e rendas (1858-1881); Escrituras de aforamento (1782-1873); Cobrança de foros (1908-1918); Inventário de bens da Junta (1969-1977); Inventário de bens da Paróquia (1920); Registo da contribuição direta paroquial (1881-1908); Talões de contribuição voluntária para o Fundo de Assistência e Fins Sociais (1946-1950); Recenseamento eleitoral (1938-1948); Atos eleitorais (1913-1955); Registo de pedidos de habitação (1975-1978); Registo de habitações devolutas (1975); Mapas de assiduidade das alunas da Escola Feminina (1887-1889) e Inventário do património da Escola-Cantina 1.º de Maio de 1922 (1922-1923)
Livro com o registo de membros da Igreja de Jesus com indicação do nome, da data de nascimento, naturalidade, filiação, data de batismo, admissão como membro, confirmação, profissão, estado civil, residência, data de falecimento e observações. No fim do livro há um índice.
Contém as séries: Registo da contribuição direta paroquial e Talões de contribuição voluntária para o Fundo de Assistência e Fins Sociais
A documentação reflete a atividade do Arciprestado de Cascais no domínio das funções definidas. O fundo é constituído por 2 documentos: Registo de testamentos (1779-1833)
A documentação reflete a atividade da Sociedade de Instrução e Recreio de Janes e Malveira no domínio das funções definidas por estatutos. O fundo é constituído por 5 secções: Constituição, Regulamentos e Órgãos; Secretaria e Arquivo; Gestão Financeira; Atividades Culturais e Desportivas e Património; e por 30 séries: Alvarás e Estatutos (1938-1979); Regulamentos (1938-1989); Atas da Assembleia Geral e Direção (1938-1990); Atas da Direção (1986-2009); Convocatórias e informações à Assembleia Geral (1985); Intervenções na Assembleia Geral (1990); Atas certificadas (1971-2008); Registo dos corpos gerentes (1970-2008); Relatórios, planos de atividade e orçamento (2004-2006); Correspondência recebida (1970-2012); Copiador da correspondência expedida (1976-2006); Registo de sócios (1938-2006); Recortes de imprensa (1947-2005); Fotografias (1918-1990); Diplomas (1985); Registo de caixa (1984-2008); Mapa de movimentos (1985-1996); Registo de compras de matérias-primas subsidiárias e de consumo (1989-1996); Registo de pagamento de encargos com obras e ofertas (1954-1972); Registo de quotização (1938-1951); Registo para o Instituto Nacional de Estatística (1946-1959); Contratos (1981-1995); Atividade Cultural (1957-2008); Licença de recinto (1962); Registo da história dos jogos (1986-1989); Escola de Música (1960-1990); Banda Filarmónica (1960-1980); Registo de presenças na Banda (1979-1980); Atas da Comissão de Obras (1986-1987) e Processos de obra (1949-2009)
Contém as séries: Estatutos; Atas da Assembleia Geral; Atas da Direção; Registo de presenças na Assembleia Geral e Relatórios da Direção
Contém as séries: Correspondência recebida e expedida; Registo de sócios; Fotografias e recortes de imprensa e História da Sociedade, discursos e homenagens
Contém as séries: Registo de foros e rendas; Escrituras de aforamento; Cobrança de foros; Inventário de bens da Junta e Inventário de bens da Paróquia
A documentação reflete a atividade do Sporting Club de Cascais no domínio das funções definidas por estatutos. O fundo é constituído por 4 secções: Órgãos do Clube (Assembleia Geral e Direção); Expediente; Contabilidade e Gestão de Sócios e Atividades Desportivas; e por 24 Séries: Atas de sessões da Assembleia Geral (1904-1935); Atas de sessões da Direção (1905-1933); Registo de correspondência recebida (1953-1957); Correspondência recebida (1947-1967); Copiador de correspondência expedida (1948-1967); Copiador de correspondência recebida e expedida (1947-1973); Cartões-de-visita e convites (1948-1966); Impressos, regulamentos e programas (1949-1958); Borrão de receita e despesa (1904-1950); Registo de receita e despesa (1948-1970); Registo diário de receita e despesa (1892-1970); Livro razão (1951-1954); Livro razão auxiliar (1951-1965); Balancete do razão (1953-1969); Registo de quotizações (1947-1951); Registo de ações (1907-1932); Listagem e certificados de ações (1931-1932); Títulos de ações (1905); Registo de sócios (1904-1924); Índice de sócios (1902-1918); Registo de convidados (1955-1971); Registo de jogadores de ténis (1971-1974; Registo de jogadores de minigolfe (1971-1972) e Recortes de imprensa (1950). Comporta, ainda, Carta relativa a transferência de bens do clube para particular (1973) e Cartão de sócio extraordinário (1900)
Contém as séries: Propostas de sócios; Registo e controlo de sócios; Fotografias; Recortes de imprensa; Boletim informativo e Peças de teatro