Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for lisboa and 88,179 records were found.

Registo da distribuição dos emolumentos pelos empregados da Alfândega Municipal de Lisboa. Contém identificação dos trabalhadores.
Registo de depósitos provenientes de taxas alfandegárias, relativos à Alfândega Municipal de Lisboa .
Registo de depósitos provenientes de taxas alfandegárias, relativos à Alfândega Municipal de Lisboa .
Registo de depósitos provenientes de taxas alfandegárias, relativos à Alfândega Municipal de Lisboa .
Registo de embarcações que demandaram os portos da Alfândega de Lisboa. Contém identificação das embarcações.
Registos de depósitos resultantes da arrematação de bens provenientes de tomadias da Alfândega Municipal de Lisboa.
Registos de depósitos resultantes da arrematação de bens provenientes de tomadias da Alfândega Municipal de Lisboa.
Registo dos termos das sisas dos prédios da responsabilidade da Alfândega de Lisboa.
Registo dos termos das sisas dos prédios da responsabilidade da Alfândega de Lisboa.
Registo da Conta corrente do imposto de rendimento cobrado pelo tesoureiro da Alfândega de Lisboa.
Registo das remessas de mercadoria para o Armazém de Leilões da Alfândega de Lisboa.
Registo contabilístico da Caixa dos Depósitos da Alfândega Municipal de Lisboa.
A Igreja colegiada pertenceu ao arcediagado de Santarém e, sucessivamente, à diocese, arcebispado e patriarcado de Lisboa. Em 1320, a igreja era do padroado real. O priorado passou depois a ser apresentado pelo bispo de Lisboa. Em 1851, a colegiada foi extinta, a paróquia foi suprimida de facto e de direito, para todos os efeitos da administração paroquial, a igreja foi secularizada por Provisão do cardeal patriarca de 29 de Agosto de 1851, Art.º 2.º, 12.ºe 9.º, confirmada por Aviso Régio de 25 de Setembro de 1852.
Fotografia do reverendo Belarmino José Vieira Barata
Passeio a Sesimbra, Arrábida e Palmela.
Parecer desfavorável relativo ao requerimento apresentado pela Câmara Municipal de Lisboa para construção de um edifício para arquivos camarários, na Calçada do Cascão, n.º 37, em Lisboa.
Requerimento nº 0826. 1988: Requerimento de transferência de propriedade do velocípede com motor auxiliar n.º 1 - CTC - 26 - 08 em nome do requerente: Carlos Gonçalo de Matos Lisboa.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
Autor: não mencionado Alfredo Pedro Guisado (Lisboa, 30 de Outubro de 1891 - 2 de Dezembro de 1975) foi um poeta, deputado, político e jornalista português
Avis, Braga, Mafra, Lisboa. Manuel Gonçalves Fabião, Maria Rodrigues, Manuel Rodrigues, Domingas Rodrigues, José Rodrigues, Manuel Gomes de Oliveira. Testamento e autos de aprovação e abertura.
Registo n.º 101 Idade: 36 anos Filiação: Manoel Fernandes Lisboa / Thereza de Jesus Naturalidade: Barracão Residência: Barracão Destino: S. Paulo (Brasil)
A 22 de março de 1921 aterrou na baía do Funchal o hidroavião Felixtowe F-3, da Aviação Naval Portuguesa, que efetuava a primeira travessia aérea entre Lisboa e o Funchal. O hidroavião foi comandado pelo capitão-tenente Artur de Sacadura Freire Cabral (1881.04.23 - 1924.11.15), pelo capitão-de-mar e guerra Carlos Viegas Gago Coutinho (1869.11.17 - 1959.02.18), como observador, e mais 2 tripulantes, nomeadamente o mecânico-chefe do Centro de Aviação Marítima, Roger Soubiran (1894-1979.12.18) e como segundo piloto o primeiro-tenente Manuel Ortins Bettencourt (1892.07.12 - 1969.07.08). Durante a sua permanência na Madeira foram-lhe prestadas diversas homenagens. Quando do seu regresso a Lisboa, previsto para 6 de abril, passaram pela ilha do Porto Santo, onde fizeram algumas passagens aéreas sobre a ilha.
Varino à vela em frente a Lisboa. Varino do Tejo é um barco de carga que é um híbrido entre os botes do Tejo e as canoas de tábuas de tipo mesopotâmico da ria de Aveiro, em particular do mercantel. Os modelos recentes distinguem-se das canoas de tábuas por terem a popa de painel, uma proa menos esbelta, cobertos de proa e popa, e armação com vela de pendão muito alteada. A sua área de difusão é o rio Tejo de Abrantes para jusante. As suas dimensões são 19,50 x 5,40m. A propulsão é por vela de pendão. A cidade de Lisboa é a capital portuguesa, sendo também a maior e mais importante cidade de Portugal.
Varino à vela em frente a Lisboa. Varino do Tejo é um barco de carga que é um híbrido entre os botes do Tejo e as canoas de tábuas de tipo mesopotâmico da ria de Aveiro, em particular do mercantel. Os modelos recentes distinguem-se das canoas de tábuas por terem a popa de painel, uma proa menos esbelta, cobertos de proa e popa, e armação com vela de pendão muito alteada. A sua área de difusão é o rio Tejo de Abrantes para jusante. As suas dimensões são 19,50 x 5,40m. A propulsão é por vela de pendão. A cidade de Lisboa é a capital portuguesa, sendo também a maior e mais importante cidade de Portugal.
Documentação relativa ao Observatório Astronómico de Lisboa, ao qual foi atribuído o n.º de processo 4719. Contém o registo de diversos assuntos relacionados com a gestão de recursos humanos, tais como a lista de transição do pessoal do Observatório para a estrutura da Função Pública; «listas de antiguidade de pessoal»; «abertura de concursos para provimento de pessoal»; «delegação de competências na pessoa do diretor do observatório», entre outros documentos. Inclui o apelo humanitário de Krunoslav Pisk, diretor geral do Ruder Boskovic Institut, situado em Zagreb, Croácia, contra a alegada agressão militar de que o seu país estava a ser alvo, por parte da Sérvia; e ainda uma exposição de Manuel Nunes Marques, subdiretor do Observatório, sobre a integração do mesmo na Faculdade de Ciências de Lisboa (FCL).
Contém os seguintes temas: calçada da avenida da Liberdade; eléctrico Poço do Bispo; carros eléctricos; eléctrico e carroça na rua; demolição da chaminé do antigo matadouro junto ao cinema Monumental; liceu Pedro Nunes; faculdade de Letras; bairro da Graça; bairros de Alvalade e Avenidas Novas; avenida de Roma; planta da baixa; planta do Campo Mártires da Pátria; plantas parciais da cidade; nevoeiro e carroças em Lisboa; paragem de autocarro derrubada; simbolos da cidade.
O Estádio Nacional do Jamor, Estádio Nacional ou apenas Estádio do Jamor é o Estádio Nacional de Portugal localizado no vale do rio Jamor, em Oeiras em Lisboa. Inaugurado a 10 de junho de 1944, o Estádio Nacional foi uma criação do Estado Novo, que procurava com este novo recinto não só a promoção da prática do desporto, mas também a criação de um espaço para manifestações públicas inspiradas nos princípios políticos vigentes.
O Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro de Lisboa era masculino e pertencia à Ordem de Cister. Em 1586, a 14 de Agosto, por carta de D. Filipe I foi concedida licença para os monges de São Bernardo fundarem o Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro em Lisboa. Tendo o mesmo sido fundado em 1591, cujo lançamento da primeira pedra seria feito a 8 de Abril do referido ano. Em 1750, a 10 de Agosto, com o grande incêndio do Hospital de Todos-os-Santos, foram transferidos todos os seus pacientes para o Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro, tendo sido mais tarde transferidos para o colégio de Santo Antão. Enquanto este convento servia de hospital os frades encontravam-se alojados no palácio dos arcebispos de Lisboa, contíguo à Sé, mais conhecido por Pátio da Sé. Em 1755, com o terramoto o mosteiro foi bastante atingido, perdendo toda a abobada da igreja, ficando apenas de pé as paredes e quase toda a frontaria. Quando o mosteiro foi reparado os monges cistercienses voltaram a habitá-lo, até 1814, ano em que foi por eles abandonado para no edifício se instalar o hospício ou colégio dos Meninos Órfãos da Mouraria e da Casa Pia.
Contém parecer do Vogal 2ª Subsecção da 6ª Secção da Junta Nacional da Educação, Augusto Vieira da Silva, sobre a descoberta de galeria sita por baixo e ao longo do muro norte do Convento de Jesus em Lisboa, no qual informa da necessidade de dar conhecimento do achado à Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais e à Câmara Municipal de Lisboa.
Plantas da Cidade de Lisboa. Apontamentos sobre tratamento e destino dos esgotos. Estudo belga sobre o tratamento das àguas de esgotos da cidade de Lisboa. Saneamento da Costa do Sol. Manuscrito da obra "Esgotos de Lisboa". Relatório sobre estudo da rede de esgotos da cidade de Lisboa de 1923.
Notas, por vezes em cópia, de remessa de produtos para Lisboa, para a casa da Moeda.
Série 108ª, números 1-6. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 108ª, números 7-12. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 109ª, números 1-6. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 110ª, números 1-12. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 111ª, números 1-12. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 112ª, números 1-12. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 114ª, números 1-12. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 106ª, números 7-12. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 101ª, números 1-6. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.
Série 105ª, números 1-6. Edição da Sociedade de Geografia de Lisboa.