Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for lisboa and 87,566 records were found.

Crime/Acusação: bigamia Naturalidade: Lisboa Morada: Vila Real, do Sabará, Brasil Estado civil: casado Cônjugue: Joana Maria Data da prisão: 20/08/1781
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
A Ponte 25 de Abril (anteriormente conhecida como Ponte Salazar) é uma ponte suspensa rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal.
Requerimento nº 0826. 1988: Requerimento de transferência de propriedade do velocípede com motor auxiliar n.º 1 - CTC - 26 - 08 em nome do requerente: Carlos Gonçalo de Matos Lisboa.
Varino à vela em frente a Lisboa. Varino do Tejo é um barco de carga que é um híbrido entre os botes do Tejo e as canoas de tábuas de tipo mesopotâmico da ria de Aveiro, em particular do mercantel. Os modelos recentes distinguem-se das canoas de tábuas por terem a popa de painel, uma proa menos esbelta, cobertos de proa e popa, e armação com vela de pendão muito alteada. A sua área de difusão é o rio Tejo de Abrantes para jusante. As suas dimensões são 19,50 x 5,40m. A propulsão é por vela de pendão. A cidade de Lisboa é a capital portuguesa, sendo também a maior e mais importante cidade de Portugal.
Varino à vela em frente a Lisboa. Varino do Tejo é um barco de carga que é um híbrido entre os botes do Tejo e as canoas de tábuas de tipo mesopotâmico da ria de Aveiro, em particular do mercantel. Os modelos recentes distinguem-se das canoas de tábuas por terem a popa de painel, uma proa menos esbelta, cobertos de proa e popa, e armação com vela de pendão muito alteada. A sua área de difusão é o rio Tejo de Abrantes para jusante. As suas dimensões são 19,50 x 5,40m. A propulsão é por vela de pendão. A cidade de Lisboa é a capital portuguesa, sendo também a maior e mais importante cidade de Portugal.
O Estádio Nacional do Jamor, Estádio Nacional ou apenas Estádio do Jamor é o Estádio Nacional de Portugal localizado no vale do rio Jamor, em Oeiras em Lisboa. Inaugurado a 10 de junho de 1944, o Estádio Nacional foi uma criação do Estado Novo, que procurava com este novo recinto não só a promoção da prática do desporto, mas também a criação de um espaço para manifestações públicas inspiradas nos princípios políticos vigentes.
O Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro de Lisboa era masculino e pertencia à Ordem de Cister. Em 1586, a 14 de Agosto, por carta de D. Filipe I foi concedida licença para os monges de São Bernardo fundarem o Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro em Lisboa. Tendo o mesmo sido fundado em 1591, cujo lançamento da primeira pedra seria feito a 8 de Abril do referido ano. Em 1750, a 10 de Agosto, com o grande incêndio do Hospital de Todos-os-Santos, foram transferidos todos os seus pacientes para o Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro, tendo sido mais tarde transferidos para o colégio de Santo Antão. Enquanto este convento servia de hospital os frades encontravam-se alojados no palácio dos arcebispos de Lisboa, contíguo à Sé, mais conhecido por Pátio da Sé. Em 1755, com o terramoto o mosteiro foi bastante atingido, perdendo toda a abobada da igreja, ficando apenas de pé as paredes e quase toda a frontaria. Quando o mosteiro foi reparado os monges cistercienses voltaram a habitá-lo, até 1814, ano em que foi por eles abandonado para no edifício se instalar o hospício ou colégio dos Meninos Órfãos da Mouraria e da Casa Pia.
O Convento pertencia à Ordem de São Bernardo, estava situado no 4.º Bairro de Lisboa. Foi extinto em 16 de Abril de 1909, por morte da última religiosa professa, D. Carolina Augusta de Castro e Silva. Em 28 de Maio de 1909, o administrador do concelho Lucas Duarte, o escrivão da Fazenda, Rafael da Paz Furtado, e oficial de diligências João Rodrigues de Melo, deslocaram-se a casa de D. Maria Emídia da Silva Barbosa, na freguesia de Odivelas, sobrinha da religiosa falecida, na qual residia desde a extinção do Convento de Odivelas, a 14 de Janeiro de 1887, a fim de tomarem posse dos bens do Convento da Nazaré, nomeadamente títulos, livros e mais documentos. Do espólio, destaca-se uma carta régia de 16 de Agosto de 1776, da doação de um terreno no sítio de Palhais, em Setúbal, ao Mosteiro de Nossa Senhora da Nazaré, carta régia de 19 de Setembro de 1769, da doação do colégio e cerca em Setúbal, que foi dos Regulares da Companhia de Jesus. Contém inventários de descrição e avaliação de bens imóveis (rústicos e urbanos) e dos bens móveis, foros, prazos, mapas de dívidas activas e passivas, bens e rendimentos, despesa (1856). Inclui a minuta e o inventário do Convento de religiosas da Nazaré (1859). Em 30 de Setembro de 1859, no âmbito da inventariação dos bens, o desembargador João de Deus Antunes Pinto, Joaquim António Gonçalves, escrivão da Fazenda, compareceram no Convento de São Dionísio de Odivelas. Foram recebidos por D. Carolina Augusta de Castro e Silva, freira professa da Ordem de São Bernardo, administradora da Nazaré, na parte interior da grade. A religiosa professou em 1831, quando tinha 16 anos de idade, no Mosteiro de Nossa Senhora da Nazaré do Mocambo, em Lisboa, ali também professaram D. Anacleta Justa do Carmo Semedo, e D. Maria Matilde dos Anjos. A primeira, residia com ela no Convento de Odivelas, e a segunda residia no Convento de São Bernardo de Portalegre. Em virtude do estado de ruína em que se encontrava o edifício da Nazaré, foram mandadas transferir para o Convento das Trinas de Mocambo, e dali, a seu pedido, foram incorporadas no Real Convento de Odivelas, na condição expressa de administrarem as suas rendas, e de não se confundirem os bens de cada convento. Reúne processos de avaliação de foros, de prédios urbanos, entre outros. A documentação menciona bens nos concelhos de Lisboa, Belém, Setúbal, Mafra, entre outros.
Carta de venda de de duas marinhas de sal em Frielas feita por Esteve Anes Cabreiro a Afonso Eanes Nogueira, do conselho do rei e alcaide-mor de Lisboa, 7 de Janeiro de 1412 (documento datado da era de César de 145); Carta de aforamento de duas marinhas de sal em Frielas feita por Afonso Eanes Nogueira, do conselho do rei e alcaide-mor de Lisboa, a Esteves Anes, 7 de Janeiro de 1412 (documento datado da era de César de 1450, feito em Lisboa, no adro da igreja de São Lourenço); Carta de venda de de todos os bens e heranças que tinha em Murganhal, termo de Sintra feita por Esteves Anes Faleiro a Afonso Eanes Nogueira , do conselho do rei e alcaide mor de Lisboa, e a Joana Vasques, sua mulher, 8 de Fevereiro de 1412 (documento datado da era de César de 1450); Carta de venda de umas casas, alpendres e courelas de terra, na Abrunheira termo de Sintra feita por Afonso Eanes, morador em Ranholas, a Afonso Eanes Nogueira , do conselho do rei e alcaide-mor de Lisboa, e a Joana Vasques, sua mulher, 24 de maio de 1412 (documento datado da era de César de 1450); Carta de compra de Afonso Eanes Nogueira aos padres de Penha Longa de todos os bens que possuiam em Ranholas, termo de Sintra, 1414 (documento datado da era de César de 1452); Carta de venda de umas casas na Judiaria Velha, na rua que vai para a ourivesaria, sobre os banhos frios dos judeus feita por João Álvares a Afonso Eanes Nogueira , do conselho do rei e alcaide-mor de Lisboa, e a Joana Vasques, sua mulher, 9 de Março de 1414 (documento datado da era de César de 1452); Auto de posse das casas na Judiaria Velha na rua que vai para a Ourivesaria, que é sobre os banhos frios dos judeus, 10 de Março de 1414 (documento datado da era de César de 1452, assinado em Lisboa, na Judiaria Velha); Carta de venda de de umas casas na rua dos Fornos e de outra ao Poço do Chão feita por António de (Gravago?), mercador, a Afonso Eanes Nogueira, do conselho do rei e alcaide mor de Lisboa, 14 de Maio de 1414 (documento datado da era de César de 1452, feito em Lisboa); Carta de aforamento de umas casas na rua dos Fornos e de outra ao Poço do Chão feita por António de (Gravago?), mercador, a Afonso Eanes Nogueira, do conselho do rei e alcaide mor de Lisboa, 14 de Maio de 1414 (documento datado da era de César de 1452, feito em Lisboa); Instrumento de posse de de umas casas na rua dos Fornos e de outra ao Poço do Chão feita por Afonso Eanes Nogueira, 21 de Maio de 1414 (documento datado da era de César de 1452).
Contém parecer do Vogal 2ª Subsecção da 6ª Secção da Junta Nacional da Educação, Augusto Vieira da Silva, sobre a descoberta de galeria sita por baixo e ao longo do muro norte do Convento de Jesus em Lisboa, no qual informa da necessidade de dar conhecimento do achado à Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais e à Câmara Municipal de Lisboa.
Estatuto social: cristão-novo Idade: 21 anos Crime/Acusação: judaísmo Cargos, funções, actividades: mercador Naturalidade: Lisboa Morada: Lisboa Pai: Fernaõ Martins Serreno Mãe: Mariana Ferreira Estado civil: solteiro Data da prisão: 18/03/1683 Sentença: auto-da-fé de 26/11/1684. Abjuração em forma, cárcere e hábito penitencial perpétuos sem remissão, degredo por cinco anos para o Brasil.
A Quinta das Laranjeiras é agora o atual Jardim Zoológico de Lisboa.
Conta corrente de ligação com a agência em Lisboa (movimento de valores em escudos, e em £).
Permissão aos pescadores de Setúbal para venderem peixe em Lisboa. Contém referências datadas do século XVIII.
Plantas da Cidade de Lisboa. Apontamentos sobre tratamento e destino dos esgotos. Estudo belga sobre o tratamento das àguas de esgotos da cidade de Lisboa. Saneamento da Costa do Sol. Manuscrito da obra "Esgotos de Lisboa". Relatório sobre estudo da rede de esgotos da cidade de Lisboa de 1923.
Nome do barco: "Calder" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "London" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Cadiz" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Bastos & Cª.
Nome do barco: "Lisbon" Agentes em Lisboa: E. Pinto Bastos & Cª.
Nome do barco: "Cadiz" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Malaga" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "London" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Malaga" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Navio: London. Nação: Inglesa. Agente em Lisboa: E. Pinto Basto & Co. Assina o agente.
Nome do barco: "Malaga" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Gibraltar" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Malaga" Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Fitz Clarence" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Bastos & Cª.
Nome do barco: "Lisbon" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Co.
Nome do barco: "Malaga" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Bastos & Cª.
Nome do barco: "Aurora" Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Malaga" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Galícia" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: Gibraltar Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Bastos & Cª.
EMPRAZAMENTO DE HORTAS COM CASAS NO TERMO DE LISBOA, NO VALE DE XABREGAS
AFORAMENTO DE CASAS NA JUDIARIA DE LISBOA, NA RUA DO CHANCUDO
Sindicância à C.M. de Cascais; expropriações; regulamento de concursos da C.M. de Lisboa; Imprensa Nacional; etc.
As fotografias 002361 a 002365 foram tiradas numa ida a Lisboa com passagem por Coimbra.
As fotografias 002361 a 002365 foram tiradas numa ida a Lisboa com passagem por Coimbra.
Testamento que faz Maria Angelina Nunes Lisboa, casada, doméstica do Lugar e freguesia de Anadia
Coplas de "Revista dos estudantes de medicina de Lisboa". Exemplar sem indicação de autoria ou edição.
Livro de registo de operações em moeda estrangeira com a agência de Lisboa da JA.
Efeitos do tufão de 1 de Dezembro de 1807, em Lisboa.
População de Lisboa e de Portugal nos séculos XVI a XVII.
Notas, por vezes em cópia, de remessa de produtos para Lisboa, para a casa da Moeda.
Nome do barco: "Galicia"; Bandeira: Inglesa; Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Gibraltar" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Cadiz" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "Lisbon" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.
Nome do barco: "London" Bandeira: Inglesa Agentes em Lisboa: E. Pinto Basto & Cª.