Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for joão and 726,901 records were found.

Abana, João Francisco Saramago / Araújo, José Carlos Valente Oliveira
Retrato do Professor João Carlos Gomes da Costa.
Vista da Garagem Justino na Rua João Marques de Carvalho.
Capela localizada na cidade de São João da Madeira.
O Despertar, Domingo do Pentecostes, 2 de Junho de 1963, nº 43: - A Plenitude do es p í r i t o - mensagem episcopal - notas e comentários - Paulo Agostinho - Editorial - COMISSÃO INTERECLESIÁSTICA PORTUGUESA - 0 Pentecostes e a I G R E ] A - Saul de Sousa - Antologia devocional - Padre Manuel Bernardes, século XVII - Mensagem dos presidentes do conselho mundial de igrejas - Dedicação da igreja episcopal de Brasília - D. Luís Pereira - visita ao Brasil - A Renascença Portuguesa em Goa, há Quatro Séculos - Sermões de 5 minutos - Agostinho Arbiol - 2.a Convenção Portuguesa de Esforço Cristão - União das Escolas Dominicais do Norte de Portugal - Paróquia de S. Mateus Vila Franca de Xira - Paróquia de Cristo Remidor Alcácer-do-Sal - Catedral de S. Paulo - Literatura Económica - Paróquia de S. João Evangelista V. N. de Gaia
Menciona as irregularidades cometidas na fábrica de papel da Lousã, pelos irmãos João Baptista Ottone e José Maria Ottone, a chegada do primeiro à vila, a carta recebida de um sujeito da Lousã, a existência de material para fabricar e a falta de formas de papel, o empréstimo que os irmãos lhe deviam, a falta de pagamento aos trabalhadores. Refere, ainda, a sua estadia, de 28 anos, em Portugal e um rol de nomes de "homens de negócio", com quem o Marquês se poderia informar sobre a sua pessoa: João Baptista Clerici, João Baptista Santas, João Baptista e Tomás Noce, João Baptista Cambiajo, Felix Morasso, Lazaro Mongiardino, Ulivieri e Medici ; a sua antiga pertença à "Casa Manzoni" e a aspiração de se ocupar com o governo da referida fábrica. Cita, ainda, João Neto Arnaut e o Doutor José de Macedo, próximo dos irmãos Ottone.
(Alcains, Seminário de São José) - Agradecimento pelos donativos destinados ao Seminário de São José - Alcains. Inclui uma pagela recordando o jubileu sacerdotal do padre João José Alves de Moura (1898-1948).
(Lisboa) - Solicitação da protecção de António Lino Neto, a favor do filho do remetente, João Henrique Ulrich, aluno do primeiro ano do curso deal de Engenharia no Instituto Superior Técnico.
«Folha do Domingo. Órgão da diocese do Algarve» (ano XXXXIV, n.º 2233, p. 1 e p. 8) - Informação sobre a vida e obra de D. João Evangelista de Lima Vidal.
(Ponte da Barca) Condolências pela morte do primo de Guilherme Braga da Cruz e considerações acerca da desistência do seu cargo em Vila Verde. Timbre: "José João Baptista de Lemos. Conservador dos Registos Civil e Predial. Ponte da Barca".
(Ponte da Barca) Manifestação da vontade de ser transferido para Famalicão. Contém, em anexo, cópia do acórdão do processo de inspeção às Conservatórias. Timbre: "José João Baptista de Lemos. Conservador dos Registos Civil e Predial".
[s.l.] Agradecimento pela oferta dos estudos "A posse de ano e dia no direito hispânico medieval" e "O direito de superfície no direito romano". Timbre: "João de Barros Morais Cabral. Juiz Desembargador".
(Vagos) Referência à exoneração de funções de presidente da Câmara Municipal de Vagos proposta pelo governador. Timbre: "João Augusto dos Santos Simões (Rocha). Presidente da Câmara Municipal de Vagos".
(Vagos) Informação acerca dos possíveis cargos para os quais poderá ser nomeado após a exoneração de funções de presidente da Câmara Municipal de Vagos. Timbre: "João Augusto dos Santos Simões (Rocha). Presidente da Câmara Municipal de Vagos".
(Braga) Informa que já possui os elementos sobre o padre [José Maria Baptista] Felgueiras e que espera notícias da trasladação do padre Olavo Teixeira. Timbre: "João Eulálio Peixoto de Almeida. Advogado".
(Braga) Congratulação pela nomeação de José Alves de Oliveira para notário em Vieira do Minho e agradecimento pela oferta da "Exposição enviada pelo Senado Universitário de Coimbra ao Senado Universitário de Lisboa". Timbre: "João Mota de Campos. Advogado".
(Braga) Comunica que na reunião dos antigos alunos do Liceu de Braga foi aplaudido o facto de Guilherme Braga da Cruz ser agora reitor da Universidade de Coimbra. Timbre: "João Eulálio Peixoto de Almeida. Advogado".
(Moçâmedes) Agradecimento pela oferta da separata "Universidade de Coimbra: Ano Lectivo de 1961-1962: Relatório lido pelo Reitor da Universidade na abertura solene das aulas, em 16 de Outubro de 1962". Timbre: "Manuel João Tenreiro Carneiro. Advogado".
[s.l.] Envio do resumo da sua comunicação no III Colóquio Nacional do Trabalho, da Organização Corporativa e da Previdência Social. Timbre: "João Ruiz de Almeida. Doutor em Direito pela Universidade de Coimbra. Professor na Faculdade de Economia".
(Vila Nova de Famalicão) Pedido de intervenção para que a Conservatória do Registo Predial de Vila Nova de Famalicão seja elevada a 1ª classe. Timbre: "José João Baptista de Lemos. Conservador do Registo Predial".
(Porto) Pedido de intervenção junto de João Alcides de Almeida, diretor-geral dos Serviços Judiciários, para se manter a trabalhar no Porto. Timbre: "Tribunal Judicial da Comarca do Porto. 2º Juízo Correccional. Gabinete do Juiz. Particular".
(Lisboa) Pedido de elucidação em relação um ponto da Lei Eleitoral, a fim de esclarecer o seu irmão, corregedor em Faro. Timbre: "João de Castro Mendes. Doutor em Direito".
(Lisboa) Agradecimento pela oferta dos trabalhos "Elogio do Dr. João de Almeida" e "Relatório da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra respeitante ao ano de 1971". Timbre: "Universidade de Lisboa. Faculdade de Direito".
(Lisboa) Agradecimento pela oferta das obras "O direito subsidiário na história do direito português" e "A Revista de Legislação e de Jurisprudência: Esboço da sua história". Timbre: "João de Matos Parreira. Advogado".
Livro de registo da despesa com seis capelas intituladas do Coro, instituídas pelo prior João Antunes Monteiro e administradas pela Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de São Nicolau, que principiou em 10 de agosto de 1758.
Livro das contas correntes (devem/hão de haver) das capelas do coro instituídas pelo prior João Antunes Monteiro e administradas pela Mesa Administrativa da Irmandade do Santíssimo Sacramento de São Nicolau.
Livro de "Registo do provimento das capelas nas 6 capelas instituídas pelo prior João Antunes Monteiro" e administradas pela Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de São Nicolau de Lisboa.
Livro de registo dos recibos dos capelães cantores providos nas capelas instituídas pelo prior João Antunes Monteiro, administradas pela Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de São Nicolau de Lisboa.
Transcrição de carta do coronel João Varela Gomes para Adelino Mário Varzim da Silva Miranda, fornecendo, após solicitação, testemunhos de sua esposa, Maria Eugénia Varela Gomes, acerca da relação com Abel Varzim.
Certidões anuais dos capelães, confirmando a celebração das missas e as quantias recebidas da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja da Encarnação, como administradora da Capela instituída por João Rebelo de Campos e sua mulher D. Antónia Francisca de Mendonça e as certidões do cumprimento das obrigações das Capelas, emitidas pelo Provedor dos Órfãos e Capelas. Testadores: João Rebelo de Campos e sua esposa, D. Antónia Francisca de Mendonça. Capelão: Padre António Gomes; Padre Vicente Almeida; outros.
Plano de melhoramentos de João de Almeida para o Porto de S. Vicente. Contém peças desenhadas a cor, e marions. 6 peças desenhadas ;
Exemplar do jornal "O Século" e uma fotografia que documentam a cerimónia de doutoramento "honoris-causa" do presidente da República do Brasil, João Café Filho, pela Universidade de Coimbra.
Sentença cível de condenação de preceito a favor da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Igreja de São Nicolau e contra João Soares de trinta e três réis de rendas de casas.
Sentença cível a favor do prior e beneficiados da Colegiada de São Nicolau contra João Pinheiro da Silva, por dívida de dízimos à paroquial Igreja de São Nicolau relativos aos rendimentos de uma propriedade.
Escritura de venda, quitação e obrigação a João de Puga e Vasconcelos, cavaleiro da Ordem de Cristo, de umas casas situadas na Pichelaria que eram foreiras à Igreja de São Nicolau.
Instrumento de venda, quitação, reconhecimento de foreiro e obrigação estabelecido entre Ana Adelaide de Almeida Barbosa e João Carlos Coelho da Silva referente a um prédio rústico localizado nas "Furnas" sito na freguesia de São Sebastião da Pedreira.
Resposta de Manuel Teixeira Pombeiro, prior de São Nicolau, à petição apresentada por Maria João, casada com Francisco Duarte e sua filha Márcia Menor Domingues Francisco Duarte, casada com Simão Duarte e seus dois filhos, Manuel e Domingues.
O Despertar, 4.° Domingo do Advento, 23 d e Dezembro de 1 9 6 2, nº 41: - MENSAGEM EPISCOPAL - ADVENTO - Editorial - A IG R EJA P O R T U G U ES A N A B A L A N Ç A D O S C O N C ÍL IO S - a p r o p ó s i t o do C o n c í l i o V a t i c a n o I I - Rev. Dr. Octacílio M. da Costa - Uma atitude que fez despertar o mundo - CAUSAS DAS DIVISÕES ENTRE OS CRISTÃOS - EFEITOS DAS DIVISÕES - DIRECTRIZ DO MOVIMENTO ECUMÉNICO - ECUMENISMO NA COMUNHÃO ROMANA - A Igreja episcopal Brasileira - Meditação sobre o silêncio divino - David Freire - Estandarte Cristão - Notícias de Portugal: Convites e o Bispo da Igreja Lusitana, Confirmações, Recepção da Igreja Lusitana no Conselho Mundial das Igrejas, Paróquia da Catedral de S. Paulo, Escotes Dominicais, Recepção da Igreja Lusitana no Conselho Mundial das Igrejas , Paróquia de Cristo Remidor-Álcácer do Sal, Paróquia do Salvador do Mundo (Prado — V . N . de G aia), Paróquia de S. João Evangelista
O Despertar, Pentecostes 1964, nº 47_ - de que Espírito Somos - D. Luís Pereira - ACERCA DO PENTECOSTES - saul Sousa - 0 Director do Despertar - Antologia devocional - Eduardo Moreira - Mensagem dos Presidentes do Conselho Ecuménico das Igrejas - Rededicação do templo da Paróquia do Bom Pastor - D. Daniel de Pina Cabral - Conferência histórica velho-católica - Mensagem do Conselho Ecuménico - Leigos e Clericalismo - Sermões de 5 minutos - Agostinho Arbiol - Visita do nosso Bispo a Inglaterra - Prontuário Evangélico - Revista «Tonicum» - União Portuguesa de Esforço Cristão - P aróquia de S. Paulo Lisboa Dr. Maurice Ray - Retiro Espiritual - Paróquia de S. João Evangelista - Missão de Viana do Castelo - Escola Bíblica - Paróquia do Salvador do M u n d o Predo — V. IN. de Geia Instituição de Leitor Leigo - P a r ó q u ia d s B o m P a s to r - P a r ó q u ia d o R e d e n to r - P a róq uia de S. Padre Lisboa Homenagem ao Rev Cónego Josué Ferreira de Sousa - Paróquia do Espirito Santo - Paróquia de Cristo Remidor - Paróquia de S. Mateus - FRI8LÍRGO — Bíblia comum pare Protestantes e Católicos em Tanganice - Em Rio Grande Reuniu-ss o Concilio da Diocese Meridional - Biografia tio Arcebispo Gregg
Contém cartões de [D. João da Silva Campos Neves, 1889-1980], bispo titular de Vatarba [entre 1931 e 1948] e bispo de Lamego [entre 1948 e 1971], remetidos de locais não identificados para António Lino Neto. Predominam os pedidos diversos e as mensagens de agradecimento.
Contém três cartas do padre João M. da Silva Faia, remetidas de Abrantes e Aveiro para António Lino Neto, com pedidos de apoio e recomendações de terceiros. Sublinha-se também uma mensagem de agradecimento, relativa à acção do destinatário na reivindicação da autonomia eclesiástica de Castelo Branco.
João Joaquim da Costa e Almeida aderiu à Igreja Lusitana em Novembro de 1879, abjurara a Igreja Católica Romana em 1870 onde era presbítero e foi o fundador e ministro da Congregação da Santíssima Trindade. Faleceu a 4 de Novembro de 1897.
De João Teixeira sabe-se que nasceu em Lisboa, talvez no início do último quartel do século XVI, e que morreu em data que se poderá situar pouco depois de 1652. Esta personalidade, que também é conhecida por João Teixeira Albernaz I, para assim o diferenciar do seu neto homónimo. Aprendeu a arte da cartografia com o seu pai, tendo recebido a 29 de Outubro de 1602 a carta de ofício de mestre em fazer «cartas de marear, astrolábios, agulhas e balestilhas » e a partir de 1605 trabalhou no Armazém de Guiné e Índia, onde exerceu actividade até ao fim da vida.
O Mosteiro de São João Baptista de Tarouca era masculino e pertencia à Ordem de Cister. Foi, provavelmente, o primeiro estabelecimento cisterciense em Portugal. Inicialmente, designado por São João de "Vellaria", já existiria em 1110, como cenóbio beneditino. As primeiras referências documentais que atestam a sua existência datam de 1140 e 1144, comprovando, a primeira, a observância dos costumes beneditinos na abadia e, a segunda, a observância dos costumes cistercienses. Reformado, pois, entre 1140 e 1144, pelos cistercienses de Claraval, o Mosteiro foi trasladado para um lugar mais próximo das margens do rio Varosa, e fundado como "ex-novo" o cenóbio de São João de Tarouca. A primeira pedra foi lançada a 30 de Junho de 1152 e a igreja foi consagrada a 18 de Junho de 1169. Isento da jurisdição episcopal desde 1163, o Mosteiro de São João Baptista de Tarouca fundou a abadia de Santa Maria de Ermelo e filiou as de Santa Maria de Fiães e de São Pedro das Águias. Para além destas o Mosteiro apresentava os abades de Santa Maria ou de Nossa Senhora da Natividade de Lalim (apresentação alternada dos Mosteiros de Salzedas e de Tarouca) e de São Pedro de Samodães, os curatos de Almofala em Castro Daire, de Santo Amaro de Alvite e de Mondim da Beira (apresentação alternada de Tarouca e de Salzedas), a reitoria de São João de Tarouca, e ainda os padroados das igrejas de Figueiró da Granja e de Martinhais. Em 1160, D. Afonso Henriques entregou o povo de Alvite ao Mosteiro de Tarouca, sendo a posse confirmada, em 1163, pelo Papa Alexandre III, e coutou ao Mosteiro a vila de Oliveira, ficando o padroado da igreja a pertencer ao Mosteiro. No século XIII, a abadia de Santa Maria de Aguiar, tornada portuguesa na sequência de uma rectificação de fronteira foi, também, confiada ao Mosteiro de Tarouca. Em 1320, segundo o Catálogo das igrejas, mosteiros e comendas do Reino, São João de Tarouca, um dos mosteiros do bispado de Lamego com maiores rendimentos, foi taxado em 3500 libras. Em 1436, a 30 de Abril, foram confirmados, por D. Manuel I, os privilégios do Mosteiro de Tarouca. Como todos os outros mosteiros masculinos cistercienses, Tarouca foi administrado por abades comendatários. Em 1494, o comendatário Álvaro de Freitas, que então recebeu o cenóbio, restabeleceu o temporal e fez restituir as propriedades ao Mosteiro, conseguindo reequilibrar a sua situação financeira. A ordem disciplinar da comunidade permaneceu sem alterações e manteve-se o estado de vida desregrada. Em 1496, a 13 de Maio, por carta de D. Manuel I, foram confirmados os privilégios outorgados pelos reis antecessores ao mosteiro de Tarouca. Em 1511, a 15 de Janeiro, foram feitas inquirições sobre os foros e oitavos que os moradores de Mondim e Salzedas pagavam ao Mosteiro de Tarouca. Em 1516, a 2 de Janeiro, por um conhecimento régio dirigido aos juízes e homens bons da vila de Sande, sobre a mercê do ofício de tabelião público e judicial concedida a Gomes Esteves, criado do abade do mosteiro de Tarouca, foi considerada a informação do abade do Mosteiro de Tarouca, segundo a qual, o Mosteiro possuía a referida vila e tinha o direito de apresentar tabelião, desde o reinado de D. Dinis. Em 1533, o abade de Claraval iniciou a reforma de Tarouca. Em 1536, o infante D. Afonso, irmão de D. João III, e comendatário de Alcobaça, confiou-a a dois cisterciences do Mosteiro de "Piedra" em Aragão, que também tinham de visitar os mosteiros do reino. Em 1543, por carta de 12 de Dezembro, D. Gaspar de Carvalho pediu a D. João III, que desse os Mosteiros de Seiça e de São João de Tarouca a frei Pedro de Aguiar. Nesse ano, D. João III, alegando a impossibilidade de restabelecer a observância em Tarouca, obteve do papa Paulo III a sua supressão juntamente com a dos Mosteiros de Santa Maria de Salzedas e de Santa Maria de Seiça. Os rendimentos e propriedades do Mosteiro foram entregues às ordens militares de Avis e de Cristo. Em 1556, por carta de 6 de Julho, os vereadores da vila de Mondim, feudo do Mosteiro de Tarouca, desde a Idade Média, e da vila de Sever, informaram o rei sobre o prejuízo causado aos povos vizinhos de Tarouca, por falta de administração de sacramentos, em consequência da anexação do Mosteiro de São João de Tarouca ao Convento de Tomar, pois no Mosteiro permanecia apenas um sacerdote. Por carta de 9 de Julho do mesmo ano, a Câmara de Lamego dava a conhecer o estado de escândalo que afectava a população, em resultado da extinção dos Mosteiros de Santa Maria de Salzedas e de São João de Tarouca. Em 1557, por carta de 3 Abril, o comendador-mor D. Afonso, foi informado o rei que frei Jerónimo de Aguilar tinha solicitado em Roma a união dos mosteiros de Santa Maria de Seiça, Santa Maria de Salzedas e São João de Tarouca. Com a morte de D. João III em 1557, e pela bula "Hodie a nobis emanarunt littere" do papa Pio IV, dada em Roma, a 22 de Janeiro de 1560, foram anuladas as bulas que extinguiam os Mosteiros de Seiça e de São João de Tarouca e aplicavam as suas rendas ao Mosteiro de Nossa Senhora da Luz, da Ordem de Cristo, e ao Colégio de Coimbra. A bula confirmava a separação de alguns bens do Mosteiro de Tarouca a favor da Ordem de Cristo, restituía ao abade de Tarouca a sua dignidade anterior, passando a ser eleitos em capítulo provincial. Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo. Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.
Poesia de Carlos Amaro, João de Barros, João de Deus Ramos, João Lúcio, Ladislau Patrício, Vicente Arnoso. Inclui dedicatória dirigida a António Lino Neto pelos autores Vicente Arnoso e Ladislau Patrício.
Contém as séries: Processo de classificação do Cantinho de S. João Batista e Mapas de localização
(São João da Pesqueira) Pedido de intervenção para ser transferido para a comarca de Tavira. Timbre: "Tribunal Judicial de São João da Pesqueira. Gabinete do Juiz. Particular".
Citação a João Rodrigues (1771-11-27) e uma citação a João Rodrigues e a Gonçalo José para despejo das casas de S. Pedro Mártir (1774-10-29).