Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for braga and 16,077 records were found.

Projetos de Braga.
O Mosteiro do Salvador de Braga era feminino, pertencia à Ordem de São Bento e estava sob jurisdição diocesana. Em 1592, foi fundado por iniciativa do arcebispo de Braga D. Agostinho de Castro, que nesse ano comprou casas na cidade, com o intuito de para aí transferir as monjas beneditinas do Mosteiro do Salvador de Vitorinho das Donas. Em 1602, foi habitado pelas monjas do Mosteiro do Salvador de Vitorinho das Donas que resistiram e tiveram de ser transferidas à força. Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo. Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional. Depois de 1893, o Mosteiro foi extinto, à data em que ainda viviam três monjas.
Consequências do terramoto de 1755 em Braga. Edificação da catedral de Braga sobre as ruínas de templo pagão. Recorte de jornal, datado de 1886, com notícias acerca das manifestações em Braga, contra a desanexação - Braga e Guimarães.
Vista panorâmica de Braga tirada do Bom Jesus.
Braga, vista da Praça da República e das arcadas
Visita do Ministro das Obras Públicas, Eng. Arantes e Oliveira à Igreja dos Congregados, em Braga.
Comemoração, em Braga, do 40º aniversário da Revolução Nacional com a presença do Presidente da República, Américo Tomás, do Ministro das Obras Públicas, Eng. Arantes e Oliveira, o arcebispo de Braga D. Francisco Maria da Silva, e o presidente da Câmara de Braga, Viriato José Amaral Nunes entre outras personalidades. Te Deum na Sé de Braga; inauguração da rodovia para o Bom Jesus do Monte.
São Tiago de Guilhofrei, Ruivães, Vermoim, Cavalhães, Braga, São Barolomeu da Esperança, Eira Vedra, Vieira, São Vieira do Penso
O cabido é um órgão consultivo encarregue de promover na igreja Catedral um culto mais solene e órgão de administração eclesiástica diocesana, que é erecto, inovado ou suprimido pela Santa Sé. As suas funções repartiam-se por: cantar diariamente no coro, a missa e as horas canónicas, desenvolver e apoiar uma escola de ensino em vários níveis, administrar os bens capitulares, assistir ao bispo quando celebra de pontifical, dar parecer ou consentimento em muitos actos da administração diocesana, substituir o bispo quando a Sé está vaga. Em 1071, foi restaurada e promovida a Arquidiocese metropolitana de Braga Em 1072, o Cabido da Sé de Braga foi criado pelo bispo D. Pedro. Em 1165, o arcebispo D. João Peculiar confirmou os estatutos do cabido, composto por 40 cónegos, no máximo. Em 1545, 23 de Março, perdeu território jurisdicional com o estabelecimento da Diocese de Miranda. Em 1600, o arcebispo D. frei Agostinho de Jesus procedeu à reforma dos estatutos do cabido, que vigoraram até 1949.
Visita do Ministro das Obras Públicas, Eng. Arantes e Oliveira a obras em construção no distrito de Braga. Visita ao Farol da Boa Nova em Leça da Palmeira.
Caldelas, São João de Rei, Salamonde, Braga, Lugar do Pico, São João de Brito, Santa Eulália de Crespos, Santa Maria do Bouro
Fachada da Casa dos Crivos, em Braga. Exemplar únicodo tipo de casas peculiares da cidade do séc. XVI As portas e janelas estão cobertas por gelosias, que representam a tradição monástica da cidade.
Visita do Presidente do Conselho, Almirante Américo Tomás e do Ministro das Obras Públicas, Eng. Arantes e Oliveira à Santa Casa da Misericórdia e Hospital de S. Marcos em Braga.
Braga é uma cidade portuguesa, capital de distrito, situa-se no Noroeste da Península Ibérica, precisamente entre o Rio Douro e o Rio Minho. Pertencendo a duas bacias hidrográficas, a bacia hidrográfica do rio Cávado a Norte e a bacia hidrográfica do rio Ave a Sul.
Projetos de Palmeira - Braga.
O Convento de Santa Teresa de Jesus de Braga era feminino, e pertencia à Ordem dos Carmelitas Descalços. Em 1742, foi fundado, tendo tido origem num recolhimento feminino, de Terceiras Regulares de votos simples. Em 1767, mediante autorização do arcebispo de Braga, passou à observância das leis das Carmelitas Descalças. Em 1834, no âmbito da "Reforma geral eclesiástica" empreendida pelo Ministro e Secretário de Estado, Joaquim António de Aguiar, executada pela Comissão da Reforma Geral do Clero (1833-1837), pelo Decreto de 30 de Maio, foram extintos todos os conventos, mosteiros, colégios, hospícios e casas de religiosos de todas as ordens religiosas, ficando as de religiosas, sujeitas aos respectivos bispos, até à morte da última freira, data do encerramento definitivo. Os bens foram incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional. Em 1902, o convento foi encerrado após o falecimento da última freira.
Miguel da Costa Braga foi chefe de gabinete do General Gomes da Costa, deputado à Assembleia Nacional e director do "Diário da Manhã".
BARTOSH, António Manuel Braga
ASSEMBLEIA, André Jorge Braga