Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for benavente and 1,018 records were found.

Autos de colação e confirmação onde consta carta patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de Manuel José de Moura Faria Barreto, freire professo da Ordem de Avis, para benefício curado da igreja matriz da vila de Benavente Benefício que vagou por falecimento do último possuidor, Domingos de Carvalho Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta traslado de carta-patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de José Joaquim de Sousa, freire professo da Ordem de S. Bento de Avis, para benefício curado da igreja de St.º Estevão da vila de Benavente. Benefício que vagou por falecimento do último possuidor, António de Sousa Lima de Azevedo. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente do Principe Regente, D. João, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Manuel do Cenáculo Vilas-Boas, de Camilo José de Oliveira, freire professo da Ordem de Avis, para beneficio curado da igreja matriz da vila de Benavente. Beneficio que vagou por promoção do último possuidor, Francisco Simões Xavier Pedrosa. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta provisão do Arcebispo de Évora, D. Manuel do Cenáculo Vilas-Boas, a favor de Camilo José de Oliveira, freire professo da Ordem de Avis, para beneficio curado da igreja de St.º Estevão da Ribeira do Canha do termo da vila de Benavente. Beneficio que vagou por promoção do último possuidor, Agostinho António Ribeiro. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente do Principe Regente, D. João, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Manuel do Cenáculo Vilas-Boas, de Agostinho António Monteiro, presbítero professo da Ordem de Avis, para benefício curado da igreja matriz da vila de Benavente Benefcio que vagou por óbito do último possuidor, Manuel Xavier da Silva. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente do Principe Regente, D. João, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Manuel do Cenáculo Vilas-Boas, José Moreira Rodrigo de Carvalho, freire conventual da Ordem de S. Bento de Avis, para beneficio curado da igreja matriz da vila de Benavente. Beneficio que vagou por óbito do último possuidor, Joaquim Homem de Magalhães Pereira. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de Francisco Pereira Homem Carvalhais Besteiro, freire professo da Ordem de S. Bento de Avis, para capela curada de S. Brás da Barrosa do termo de Benavente. benefício que vagou por promoção do último possuidor, Matias Alvares Varela. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta provisão de D. Eugénia Ataíde Noronha Silveira e Sousa , Marquesa de Nisa, como administradora e senhora do Morgado da Foz de Benavente, a favor de Eugénio António Morato, presbítero do hábito de S. Pedro, para capelão da capela da Ermida de S. Sebastião, pertencente ao mesmo Morgado. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de João Ferreira Valente de Andrade, freire professo da Ordem de Avis , para benefício curado da igreja de St.º Estevão da Ribeira de Canha do termo da vila de Benavente. Beneficio que vagou por falecimento do último possuidor, José Marques Coelho Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de José da Silva Ribeiro, freire professo da Ordem de S. Bento de Avis, para benefício curado da igreja de St.º Estevão da Ribeira de Canha do termo de Benavente. Benefício que vagou por promoção do último possuidor, João Inácio de Figueiredo. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de Manuel Xavier da Silva, freire professo da Ordem de S. Bento de Avis, para benefício curado da igreja matriz da vila de Benavente. Benefício que vagou por promoção do último possuidor, João Ferreira Valente de Andrade Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente da Rainha D. Maria, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Joaquim Xavier Botelho de Lima, de João Inácio de Figueiredo, presbítero do hábito de S. Pedro, para benefício curado da igreja de St.º Estevão da Ribeira de Canha do termo de Benavente. Benefício que vagou por falecimento do último possuidor, António José de Lima e Azevedo. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação, onde consta carta de mercê da Rainha D. Maria II , dirigida ao vigário capitular do Arcebispado de Évora, nomeando o presbítero Francisco António Rodrigues, para priorado da igreja de N. Sr.ª da Graça da vila de Benavente Benefício que vagou por óbito do último possuidor, Diogo Cláudio da Silva Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação, onde consta carta de mercê do rei D. Luis, informando o arcebispo de Évora, D. José António da Mata Silva, nomeando o presbítero José da Costa Pinto, para priorado da igreja de Nossa Senhora da Graça da vila de Benavente. Beneficio que vagou por óbito do último possuidor, Francisco António Rodrigues Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação, onde consta traslado de carta de mercê do rei D. Luis, informando o arcebispo de Évora, D. José António Pereira Bilhano, da nomeação do presbítero José Quaresma de Paula Almeida Vidal, para priorado da igreja paroquial de N. Sr.ª da Graça de Benavente da diocese de Évora. Beneficio que vagou por desistência do último detentor, Daniel Saraiva da Guerra. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Nome do esposo: Guilherme José Afonso de Carvalho Naturalidade: São Brissos (Montemor-o-Novo) Idade: 40 anos Filiação: Jacinto José, natural de São Brissos (Montemor-o-Novo) e Beatriz Rosa, natural de São Tiago do Escoural (Montemor-o-Novo) Profissão: Empregado da Iluminação Nome da esposa: Maria Isabel Naturalidade: Évora (Sé) Idade: 27 anos Filiação: João Alberto, natural de Évora (ignora-se a freguesia) e Rita Guilhermina, natural de Benavente Profissão: Doméstica
Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de batismo dos nubentes, o mandado de perguntas para diligências matrimoniais, a inquirição de testemunhas a favor dos nubentes e o termo de conclusão do processo. Naturalidade do nubente: São João Baptista de Coruche Naturalidade da nubente: Coruche Morada da nubente: Benavente
Naturalidade do nubente: Santo Estêvão da Ribeira de Canha, concelho de Benavente Estado civil do nubente: viúvo de Maria Alves Naturalidade da nubente: Lavre, concelho de Montemor-o-Novo Estado civil da nubente: viúva de Serafim José Morada dos nubentes: Coruche Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de óbito do cônjuges dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Naturalidade do nubente: Aveiras de Cima, concelho de Azambuja Morada do nubente: Aveiras de Cima, concelho de Azambuja Naturalidade da nubente: Salvaterra de Magos Morada da nubente: Benavente Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de batismo dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Contém, entre outros documentos, o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, o Breve Apostólico de dispensa matrimonial do 2º grau de consanguinidade, apresentado no Arcebispado de Évora, por parte dos impetrantes Bernardo Ferreira e Adelina da Conceição, moradores em Benavente, os artigos justificativos das premissas do breve alcançado, o rol das testemunhas para justificação das premissas exigidas no mesmo, a inquirição das testemunhas, a árvore genealógica do tronco comum dos nubentes e o despacho deferindo a celebração do casamento.
Naturalidade do nubente: Samora Correia (Nossa Senhora da Oliveira), concelho de Benavente Naturalidade da nubente: Fajãzinha ou Fajã Grande, concelho das Lajes das Flores (Açores) Morada dos nubentes: Fronteira (Matriz) Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, a certidão de batismo do nubente e o certificado do nascimento da nubente e o termo de conclusão do processo.
Naturalidade do nubente: Reveles (Abrunheira), concelho de Montemor-o-Velho Naturalidade da nubente: Torre de Vale de Todos, concelho de Ansião Morada dos nubentes: Benavente Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de batismo dos nubentes, a comissão e mandado para se proceder a perguntas para diligências matrimoniais, a inquirição de testemunhas a favor dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Naturalidade do nubente: Coruche (Matriz) Naturalidade da nubente: Benavente (matriz) Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de batismo dos nubentes, a comissão e mandado para se proceder a perguntas para diligências matrimoniais, a inquirição de testemunhas a favor dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Naturalidade do nubente: São Julião de Badim, concelho de Monção Naturalidade da nubente: Benavente Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de batismo dos nubentes, a comissão e mandado para se proceder a perguntas para diligências matrimoniais, a inquirição de testemunhas a favor dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Referência ao plano concebido por Guilherme Luís António de Valleré, visando o propósito de tornar navegável a Ribeira do Sorraia desde a sua entrada no Tejo, abaixo de Benavente, até junto a Monforte, assim como unir a navegação do Tejo com o Guadiana através daquela mesma Ribeira. Propósito manifestado pelo Ministro José de Seabra da Silva de fazer comunicar o Tejo com o Sado, e este com o Guadiana. Contém referências datadas do século XVIII.
Traslado de uma verba sobre o couto de Mouraz, passada por mandado de D. Sebastião, a pedido de D. Jorge de Ataíde, bispo de Viseu, que se queixava de que, por falecimento do seu antecessor, D. Gonçalo Pinheiro, se tinham perdido muitos títulos.- O Rei o mandou pelo Doutor António de Castilho, desembargador da Casa da Suplicação e guarda-mor da Torre do Tombo.- Nt.: Cristóvão de Benavente.- Assinatura: Ant.o de Castilho.
Morada: vila de Benavente. Cônjuge: Teresa Josefa de Jesus. Falecido em: 14 de outubro de 1778. Inventariante: cônjuge. Herdeiros: a viúva e o filho Henrique, Eusébio de Oliveira e Rosa Caetana de Viterbo filhos do primeiro casamento. Bens: móveis, roupa, peças de estanho, de cobre e de arame e bens de raiz. Dívidas ativas e passivas. Contém três apensos. O inventariado foi casado em primeiras núpcias com Maria Caetana. O processo correu pelo Juízo dos Órfãos da cidade de Lisboa, repartição do Bairro Alto, cartório do escrivão Caetano Botelho de Gouveia.
Esta caixa contém: - Livro de receita e despesa e contas correntes. 1766. 1 liv. Refere localidades como Silveiras, Baxardos, Murteira, a Capela de São Bartolomeu de Benavente, a obra do guarda damas, o Sr. D. João, entre outros. - "Termo de juramentos que diferentes pessoas, por seus procuradores, prestaram à Junta Provisional do Governo Supremo do Reino." 1820. 1 doc. Tem um apontamento com a seginte informação: "Ministério do Reino mç. 358. - Recibo da contribuição de registo por título oneroso passado a António Maria Dias Pereira Chaves. 1887. 1 doc. -"Cópia das doações régias que tem o Mosteiro de Paço de Sousa". Séc. XVII?. 1 doc.
Contém os documentos: 1, 5 e 6 - Relatório acerca da salvaguarda e proteção do património histórico-artístico da província de Cabo Verde. 2 e 4 - Anexo I do relatório a Cabo Verde do Diretor Geral de economia engenheiro Rui de Araújo Ribeiro e parecer do arquiteto Luis Benavente. 3 - Carta para o ministro do ultramar acerca de papéis velhos, antigas pedras, venerandas imagens, alfaias do culto e outras coisas da província de Cabo Verde. 7 - Parecer acerca da carta para o ministro do inspetor superior da Administração Ultramarina, Dr. Fernando Pereira Bastos sobre a província de Cabo Verde.
Natural de Alvaiázere, familiar do Santo Ofício, capitão­mor de Alvaiázere, filho de Rodrigo Pacheco Pimentel, natural de Alvaiázere, onde foi capitão-mor, e de Sua mulher D. Mariana de Macedo Baracho, natural de Aldeia Galega do Ribatejo; neto paterno de Agostinho Pacheco Pimentel, natural da freguesia de Maçãs do Caminho, capitão-mor de Alvaiázere, e de sua mulher Ana Maria de Esquível, natural de Tancos, que foi em tenra idade para Alvaiázere, onde seu tio Manuel Delgado era capitão-mor; neto materno de Álvaro Martins Frade e de sua mulher Catarina de Macedo Baracho, naturais de Benavente.
Natural da freguesia das Mercês, Lisboa, filho de Luís Manuel de Oliveira, natural da freguesia do Alecrim, Lisboa, e de sua mulher D. Maria Josefa de Azevedo, natural da freguesia das Mercês; neto paterno de Francisco de Oliveira Leitão, natural da freguesia do Sacramento, Lisboa, e de sua mulher D. Juliana Ângela de Barros, natural da freguesia da Ajuda, Lisboa; neto materno de João de Campos de Andrada, natural da freguesia do Sacramento, e de sua mulher D. Margarida Freire de Andrade, natural de Benavente.
Natural da freguesia de São João Baptista, Coruche, morador no termo de Benavente, juiz das coutadas de Samora Correia, Belmonte e Pinheiro, filho de Pedro Gomes, natural da freguesia de Santa Justa, termo de Erra, e de sua mulher Margarida Nunes, natural de Santa Ana do Mato, termo de Coruche; neto paterno de Manuel Gomes e de sua mulher Maria Nunes, naturais de Santa Justa, termo de Erra; neto materno de Diogo Nunes, natural de Santo António, Couço, e de sua mulher Leonor Dias, natural de Santa Ana do Mato.
Natural da freguesia das Mercês, Lisboa, irmão de Manuel de Sampaio e Pina, cavaleiro da Ordem de Cristo, filhos de Inácio José de Sampaio, natural da freguesia de São Nicolau, Lisboa, cavaleiro da Ordem de Cristo e de sua mulher D. Filipa Teresa de Noronha, batizado na Sé do Porto; neto paterno de Inácio Ribeiro de Sampaio, natural da freguesia da Conceição Nova, Lisboa, e de sua mulher D. Margarida Josefa Freire, natural de Benavente; neto materno do desembargador Brás de Pina Moniz, natural da freguesia de São João da Praça, Lisboa, cavaleiro da Ordem de Cristo e de sua mulher D. Antónia Micaela de Almada, natural de Carnide.
Natural da freguesia de Santa Catarina do Monte Sinai, Lisboa, filho de António José de Miranda, natural de Santa Maria, Airães, concelho de Felgueiras, e de sua mulher D. Catarina Inácia de Proença, natural de Benavente; neto paterno de Manuel Machado de Miranda e de sua mulher Maria Ribeiro, naturais de Santa Maria de Airães; neto materno de Manuel Gomes de Azevedo, natural da freguesia de Santo Adrião, junto a São Pedro de Rates, termo de Barcelos, e de sua mulher D. Catarina Josefa de Proença, natural do Cartaxo.
Natural de Santiago do Cacém e morador em Setúbal, bacharel, filho do capitão Manuel dos Santos Duarte, natural de São Brás da Barrosa, termo de Benavente, almoxarife e juiz da Coutada Real do Paúl de Pera, termo de Alcácer, e de sua mulher Bernarda Teresa Freire de Reboredo, natural de Setúbal; neto paterno de Manuel Rodrigues, natural da Barrosa, e de Luzia Pinto, natural de São Torcato, Coruche; neto materno do capitão Luís Lopo da Silva e de sua mulher Francisca Teresa Viçoso Rouboa, naturais de Setúbal.
Natural da freguesia de Santa Engrácia, Lisboa, almoxarife proprietário da Mesa Mestral da Ordem de Avis da vila de Benavente, filho de Francisco da Rocha de Brito e de sua mulher D. Maria Ângela de Sousa Chichorro, naturais da freguesia de Santa Engrácia; neto paterno de Pedro Ferreira da Rocha, natural de Monção, e de sua mulher D. Luísa de Brito do Amaral, natural da freguesia de Santa Engrácia; neto materno do Dr. Manuel da Silveira do Prado, natural da freguesia de São João, Abrantes, e de sua mulher D. Catarina de Sousa, natural da freguesia de Santa Engrácia.
Menciona a vinda de carrinhos da Extremadura e das carretas do Juíz de Fora de Benavente, que traziam gado, as de Luís Guedes, o Conde da Ericeira, um Cabo de Coruche, a vinda de carruagens à vila para distribuir mantimentos, a pretensão de um sobrinho seu, que se opunha ao Almoxarifado dos Ferros, de alcançar o patrocínio do Marquês para a nomeação do cargo. A última carta refere, ainda, que com esta iria um "memorial". A Relação diz respeito aos mantimentos que Crispim Mascarenhas de Figueiredo, Desembargador, remeteu ao Alentejo a 14 de Maio de 1711.
O habilitando tinha sido Juiz de Fora em Benavente, Ouvidor da Comarca de Avis e Corregedor da cidade de Évora. Tinha-se habilitado a ordens menores no ano de 1637 e recebido referenda para receber as mesmas, mas não as quis receber. Consta em apenso o processo de habilitação a ordens menores do ano de 1637. O habilitando fora casado com D. Antónia Lobo. Consta uma sentença apostólica de dispensa de bigamia e irregularidades do habilitando, data de 1673. Contém deferimento para receber prima tonsura e ordens menores.
Constam inquirições "de genere" que se fizeram na vila de Viana do Alentejo, naturalidade dos avós paternos do habilitando, Domingos Nunes e Maria Lopes, na freguesia de Nossa Senhora de Machede, naturalidade da mãe do habilitando, na vila de Benavente, naturalidade do avô materno, Manuel Vinagre, e na cidade de Évora, naturalidade da avó materna, Antónia Rodrigues; e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram na cidade de Évora, por secretas e comissões do Dr. José Borges de Barros, do Dr. Paulo Álvares da Costa, e de Frei José de Jesus Maria, provisores das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora.
Constam: inquirições "de genere" que se fizeram na freguesia de São Tiago de Rio de Moinhos, naturalidade dos avós paternos, Francisco Rodrigues e Guiomar Rodrigues, e da avó materna, Rosa Maria, e na vila da Covilhã, naturalidade do avô materno, Caetano Cardoso, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Benavente, no Redondo, em Borba e em Évora, por requisitórias, secretas e comissões de Frei Jerónimo de São José e do Dr. Francisco Martins Palma, provisores das justificações "de genere" do Arcebispado de Évora; Certidões de baptismo dos avós paternos e da avó materna; Carta de prima tonsura e ordens menores.
Constam inquirições "de genere" que se fizeram em Montemor-o-Novo, naturalidade do avô paterno, João Francisco de Andrade, em Benavente, naturalidade da avó paterna, Brites Dionísia de Vila Lobos e Vasconcelos, e em Évora, naturalidade dos avós maternos, Diogo de Gongra de Tovar (foi escrivão dos orfãos) e Maria Cid Missial, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Montemor-o-Novo e na cidade de Évora, por secretas e comissões de Frei Jerónimo de São José, provisor das justificações "de genere" do Arcebispado de Évora.
Constam inquirições "de genere" que se fizeram em Montemor-o-Novo, naturalidade do avô paterno, João Freire de Andrade (capitão mor e mestre de campo), na vila de Benavente, naturalidade da avó paterna, Brites Dionísia de Vila Lobos e Vasconcelos, e em Évora, naturalidade dos avós maternos, Diogo de Gongra de Tovar e Maria Cid Missial, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Montemor-o-Novo e em Évora, por secretas e comissões de Frei Jerónimo de São José, provisor das justificações "de genere" do Arcebispado de Évora. Contém as certidões de baptismo do habilitando, dos seus pais e dos avós maternos e paternos.
Constam: inquirições "de genere" que se fizeram em Montemor-o-Novo, naturalidade do pai do habilitando, dos avós paternos, João Rodrigues de Oliveira e Margarida da Rosa, e da avó materna, Antónia Ribeiro Lamego, na vila de Benavente, naturalidade da mãe do habilitando, e na freguesia de São Vicente do Paúl, termo de Santarém, naturalidade do avô materno, Manuel Serrão; certidões de baptismo do habilitando, dos pais e dos avós paternos e maternos; e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Montemor-o-Novo, por mandados, secretas e comissões de Frei Jerónimo de São José, provisor das justificações de genere" do Arcebispado de Évora.
Consta a requisitória emanada do Patriarcado de Lisboa para se proceder a diligências "de genere" do habilitando por parte da mãe, natural da freguesia de Nossa Senhora da Graça de Benavente, Arcebispado de Évora (possui as inquirições "de genere" solicitadas na requisitória). O pai do habilitando era natural da freguesia de Santa Engrácia da cidade de Lisboa. Neto paterno do capitão Alexandre da Cruz da Silva, natural da freguesia de São Nicolau da cidade de Lisboa, e de Maria da Assunção natural da freguesia de Santo Estêvão da mesma cidade. Neto materno de João Álvares natural de Benfica, termo de Lisboa, e de Maria Lourença natural de Samora Correia.
O habilitando era congregado na Congregação do Oratório da cidade de Lisboa e residia no Convento do Espírito Santo da mesma cidade. O pai era natural da vila de Coruche e a mãe natural da vila de Benavente. Neto paterno de Francisco da Silva, natural da vila de Coruche, e de Luísa Boleto, natuiral da vila de Mora. Neto materno de Francisco Lopes Alborrinha, natural de Salva terra de Magos, e de Tomásia Joaquina, natural da vila de Mora. Constam as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e da avó materna. Não consta que foi examinado e aprovado para auferir ordens menores no Arcebispado de Évora.
Proveniência: Bispado da Bahia (Brasil) Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do avô materno dos justificantes, para se ordenar de ordens menores. Naturalidade dos justificantes: Vera Cruz de Itaparica (Bahia) Filiação: Manuel Teixeira Dias, capitão, e Francisca Xavier de Almeida Naturalidade do pai: Nossa Senhora da Victória, Bispado do Porto Naturalidade da mãe: Vera Cruz de Itaparica (Bahia) Avós paternos: Domingos Dias e Leonor Teixeira Naturais: Santa Maria de Gouveia e Sequeirós, concelho de Baião, Bispado do Porto Avós maternos: José Gomes e Maria de Almeida Naturalidade do avô materno: Benavente Naturalidade da avó materna: São Bartolomeu de Maragojipe
Proveniência: Arcebispado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó materna do habilitando, para se ordenar de ordens menores e sacras. Naturalidade do habilitando: Castanheira do Ribatejo Filiação: Vicente Correia de Bastos e Francisca Maria de Brito Avós maternos: Manuel de Barros e Maria de Brito Naturalidade da avó materna: Santo Estevão da Ribeira de Canha (Benavente) ou Nossa Senhora de Orada (Avis) Filiação: pais incógnitos (uma testemunha referiu que a mesma era filha de Frei Miguel da Cruz e de uma ama do mesmo padre)
Proveniência: Arcebispado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó paterna do habilitando, para se ordenar de ordens menores e sacras. Naturalidade do habilitando: freguesia de Santo Estevão, Lisboa Filiação: Francisco Gomes e Catarina Teresa de Melo Naturalidade do pai: freguesia de Nossa Senhora dos Olivais, Lisboa Naturalidade da mãe: freguesia de Santo Estevão, Lisboa Avós paternos: Pedro da Silva e Isabel de Melo Naturalidade do avô paterno: Arcebispado de Braga Naturalidade da avó paterna: freguesia de Nossa Senhora da Graça de Benavente
Proveniência: Arcebispado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó paterna dos habilitandos, para se ordenarem de ordens menores e sacras. Naturalidade dos habilitandos: Santarém, freguesia de São João Evangelista de Alfange Filiação: João Baptista Furtado, capitão, e Maria Machado Naturalidade do pai: Santarém, freguesia de São Julião Naturalidade da mãe: Santarém, freguesia de São João Evangelista de Alfange Avós paternos: Domingos da Silva e Úrsula Correia Naturalidade do avô paterno: Monte Real, Bispado de Leiria Naturalidade da avó paterna: Benavente, freguesia de Nossa Senhora da Graça
Proveniência: Arcebispado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó paterna do habilitando, para se ordenar de ordens menores e sacras. Naturalidade do habilitando: Lisboa, freguesia do Salvador Filiação: Manuel de Sousa Neves e Páscoa Maria Caetana Naturalidade do pai: Alcácer do Sal, freguesia de Santiago Naturalidade da mãe: Lisboa, freguesia do Salvador Avós paternos: Manuel de Sousa Gouveia e Teresa Maria Quintano Naturalidade do avô paterno: Açores, Ilha de São Miguel Naturalidade da avó paterna: Benavente, freguesia de Santo Estevão
Proveniência: Arcebispado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó paterna dos habilitandos, para se ordenarem de ordens menores e sacras. Naturalidade dos habilitandos: Lisboa, freguesia do Salvador Filiação: Manuel de Sousa Neves e Páscoa Maria Caetana Naturalidade do pai: Alcácer do Sal, freguesia de Santiago Naturalidade da mãe: Lisboa, freguesia do Salvador Avós paternos: Manuel de Sousa Gouveia e Teresa Maria Quintano Naturalidade do avô paterno: Açores, Ilha de Ponta Delgada (também refere Ilha de São Miguel) Naturalidade da avó paterna: Benavente, freguesia de Santo Estevão
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó materna do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Naturalidade do habilitando: Setúbal, freguesia de São Sebastião Filiação: Francisco Pereira de Azevedo e Inácia Jacinta Maurícia Moniz Naturalidade do pai: Setúbal, freguesia de São Sebastião Naturalidade da mãe: Setúbal, freguesia de São Julião Avós maternos: João Moniz de Carvalho e Simoa Teresa de Faro Naturalidade do avô materno: Goa, freguesia de Nossa Senhora do Rosário Naturalidade da avó materna: Benavente, freguesia de Nossa Senhora da Graça Filiação da avó materna: Bernardo de França e Maria de Matos
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do avô paterno dos habilitandos, para serem promovidos a ordens menores e sacras. Naturalidade dos habilitandos: Sobral, termo da cidade de Lisboa Filiação: José Ferreira e Helena Maria dos Rios Naturalidade do pai: Lisboa, freguesia de Santa Justa Naturalidade da mãe: Torres Vedras, freguesia de Dois Portos Avós paternos: Francisco Ferreira e Catarina Maria Naturalidade do avô paterno: Benavente, freguesia de Nossa Senhora da Graça Naturalidade da avó paterna: Lisboa, freguesia de Santa Justa Filiação do avô paterno: Domingos Fernandes e Maria Gonçalves
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do avô paterno do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Salvaterra de Magos Filiação: António de Carvalho de Santiago e Micaela Maria Naturalidade do pai: Salvaterra de Magos Naturalidade da mãe: Santarém, freguesia de Santa Iria Avós paternos: Manuel de Carvalho, guarda do Paul de Magos, meirinho do infantado e criado do rei D. Pedro, e Apolónia de Santiago Naturalidade do avô paterno: Benavente, freguesia de Nossa Senhora da Graça Naturalidade da avó paterna: Santarém, freguesia de Valada (Cartaxo)
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da avó paterna do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Alenquer, freguesia de São Pedro Filiação: Manuel Marques e Maria Madalena Naturalidade do pai: Alenquer, freguesia dos Cadafais Naturalidade da mãe: Alenquer, freguesia de São Tiago Avós paternos: Manuel Marques e Margarida Ramos Naturalidade do avô paterno: Alenquer, freguesia dos Cadafais Naturalidade da avó paterna: Benavente, freguesia de São Brás da Barrosa Filiação da avó paterna: Maria de Freitas
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do pai do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Lisboa Filiação: Manuel Luís de Almeida e Castro e Maria Vitória Moreira Naturalidade do pai: Benavente, freguesia de São Brás da Barrosa Naturalidade da mãe: Patriarcado de Lisboa Avós paternos: Manuel Luís de Castro e Catarina de Almeida Naturais: Bispado de Coimbra Avós maternos: Manuel Moreira e Genoveva Antónia Naturalidade do avô materno: Bispado de Leiria Naturalidade da avó materna: Lisboa
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte da mãe e avó paterna do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Lisboa, freguesia de Santa Isabel Filiação: Estevão Cordeiro Pais, sargento-mor da Comarca de Santarém, e Antónia Jacinta Rosa Naturalidade do pai: Samora Correia Naturalidade da mãe: Alcácer do Sal, freguesia de São Tiago Avós paternos: Matias Cordeiro Pais e Leonor Gomes Naturalidade da avó paterna: Benavente, freguesia de São Brás Avós maternos: Mateus da Costa e Maria de Loures
Autos de colação e confirmação em que consta carta-patente do Rei D. João, para informação e apresentação ao Deão, dignidades e mais cónegos da sede vacante da Sé de Évora, de Manuel Matos, professo da Ordem de S. Bento de Avis, para capela curada de St.º Estevão da Ribeira da Canha no termo da vila de Benavente. Benefício deixado vago por troca e permuta que fez o último possuidor Frei Miguel da Cruz. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação, em que consta carta-patente recebida do Rei D. João, para apresentação ao deão, dignidades e cónegos do cabido, em sede vacante, do Arcebispado de Évora, de André Lopes de Andrade, frei professo da Ordem de S. Bento de Avis, para capela curada da Igreja de S. Brás da Barrosa, anexa à igreja matriz da vila de Benavente. Benefício que vagou por permuta que fez , António Franco Pais Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação, em que consta carta-patente recebida do Rei D. João, para apresentação ao deão, dignidades e cónegos do cabido, em sede vacante, do Arcebispado de Évora, de António Franco Pais, frei professo da Ordem de S. Bento de Avis, para capela curada da Igreja de S. Brás da Barrosa, anexa à matriz da vila de Benavente. Benefício que vagou por permuta que fez o Pe. André Gomes de Andrade Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação, em que consta carta-patente recebida do Rei D. João, para apresentação ao deão, dignidades e cónegos do cabido, em sede vacante, do Arcebispado de Évora, de António vaz de Abreu, frei professo da Ordem de S. Bento de Avis, para beneficio curado na igreja de Santo Estevão da Ribeira de Canha , do termo da vila de Benavente Benefício que vagou por promoção de Basílio de Figueiredo Andrade Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de diligência de um Breve Apostólico feitos por comissão, a requerimento de Reverendo Pároco da freguesia de São Brás da Barrosa, termo a vila de Benavente, Frei Francisco Pereira Homem Carvalhais Besteiro, professo da Ordem Militar de São Bento de Avis. Contém: a comissão apostólica passada por Dom Jacinto Carlos da Silveira, Bispo do Maranhão, Vigário Capitular do Cabido Episcopal em Sede Vacante, para o impetrante provar as premissas do breve que alcançara do Núncio Apostólico, que lhe concedera dispensa para não residir na sua igreja pelo tempo de um ano por se encontrar em mau estado de conservação; o sumário de testemunhas para justificar as premissas do breve.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente recebida do Rei D. José, para apresentação ao Deão, dignidades e cónegos do cabido, em sede vacante, da cidade e Arcebispado de Évora, de Lourenço Caldeira de Abreu, frei professo da Ordem de S. Bento de Avis, para futura sucessão de beneficio curado da Igreja de Matriz da vila de Benavente. Beneficio que vagou por falecimento do último beneficiado, Pe. António da Silva de Oliveira. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente do Rei D. João VI, para apresentação ao Arcebispo de Évora, D. Patricio da Silva, de José Honorato Leal de Morais, bacharel formado em direito canónico pela Universidade de Coimbra, para priorado da igreja de N. Sr.ª da Graça da vila de Benavente pertencente à Ordem de S. Bento de Avis. Beneficio que vagou por promoção do último possuidor, José Moreira Rodrigo de Carvalho. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Autos de colação e confirmação onde consta carta-patente do Principe Regente, D. João, para apresentação ao Deão, Dignidades e cónegos, sede vacante, da cidade de Évora, de António José Curado, presbítero do hábito de S. Pedro e freire da Ordem de Avis, para beneficio curado da Igreja de St.º Estevão da Ribeira do Canha do termo da vila de Benavente. Beneficio que vagou por promoção do último possuidor, Camilo José de Oliveira. Neste processo existem também outros documentos inerentes à confirmação desta nomeação.
Naturalidade do nubente: Samora Correia, concelho de Benavente Estado civil da nubente: viúva de Valentim Vicente, falecido em São Cristóvão, concelho de Montemor-o-Novo Morada dos nubentes: Alcácer do Sal (São Tiago) Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, a certidão de batismo do nubente, a certidão de óbito do cônjuge da nubente, a comissão e mandado para se proceder a perguntas para diligências matrimoniais, a inquirição de testemunhas a favor dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Naturalidade do nubente: Ervideira, concelho de Figueiró dos Vinhos Naturalidade da nubente: Campelo (Funtão Fundeiro), concelho de Figueiró dos Vinhos Morada dos nubentes: Samora Correia, concelho de Benavente Contém o requerimento dos nubentes pedindo licença para contraírem matrimónio, a declaração dos párocos sobre proclamas, impedimentos e examinação dos nubentes na doutrina cristã, as certidões de batismo dos nubentes, a comissão e mandado para se proceder a perguntas para diligências matrimoniais, a inquirição de testemunhas a favor dos nubentes e o termo de conclusão do processo.
Escritura de Partilhas amigáveis feita na Vila de Ílhavo, que entre si fizeram os herdeiros dos bens que ficaram do falecido Joaquim Marques de Alcofa, a viúva Maria de Jesus Benavente e seus filhos, genro e nora, Antónia Benavente e marido Jerónimo da Cruz, residentes no lugar das Quintãs, freguesia de Ílhavo; João Marques de Alcofa e mulher Maria Marques da Cruz, residentes no lugar das Quintãs, freguesia de Oliveirinha, todos lavradores. De todos os bens do casal, formaram duas meações de valores perfeitamente iguais, sendo uma para a viúva Maria de Jesus Benavente, e a outra subdividida em dois quinhões de valores iguais, os quais constituíram a legítima paterna dos filhos herdeiros. À viúva em pagamento da sua meação, ficou com metade do prédio das casas e aído lavradio, do lado norte onde vivia, e o lado norte do corredor da casa ao comprido da rua ao pátio, cuja porta ficou a pertencer à meação do sul, constituído por um assento de casas e aído lavradio com árvores de fruto e eira, sita no lugar das Quintãs de Ílhavo, que partia de norte com João Fernandes Lisboa, do sul e poente com viúva de Manuel Silvestre Fragoso, do nascente com rua pública e com largo da Praça da Palha. A água do poço ficara para todos os herdeiros, a outra metade do prédio das casas e aído, do lado sul ficou a pertencer aos dois filhos. A terra lavradia, conhecida pela “Terra Grande”, sita na Chousa do Fidalgo, limite da freguesia de Ílhavo que partia do norte com Manuel Augusto Afonso, do sul com Amândio da Rocha Ribeiro, do nascente com José Pousa, todos do Bonsussesso, e do poente com caminho público, ficou metade do lado sul para a viúva e do lado norte para os filhos, sendo a quarta parte do norte para Antónia e a do sul para João. O terreno de mato, sita no Cardal, limite de Salgueiro, que partia do norte com Manuel do Agostinho, do sul com José Amorim, do nascente com Luiza Taça e do poente com o mesmo Manuel do Agostinho, todos de Salgueiro, e terra lavradia conhecida pela “Terra Pequena”, no mesmo sitio da Chousa do Fidalgo que partia do norte com José Coelho do sul com João Velho, do nascente com caminho de consortes e do poente com João Valas da Légua, foi igualmente dividida em partes iguais para os herdeiros. Foram testemunhas, Manuel Ferreira da Cunha, solteiro farmacêutico; Egídio Cândido da Silva, casado, alfaiate; Manuel Procópio de Carvalho, casado, distribuidor postal; José Maria Cândido da Silva, casado, sapateiro, e Sebastião António da Silva, casado, escrivão de Paz de Ílhavo, todos residentes na Vila de Ílhavo.
As siglas abaixo foram utilizadas para nomear electronicamente os DVDs onde estão gravados os documentos digitalizados dos processos dos empréstimos às câmaras municipais: ABR - Abrantes ADF - Alfândega da Fé AGB - Aguiar da Beira AGU - Águeda ALA - Alandroal ALB - Albergaria-a-Velha ALBU - Albufeira ALCB - Alcobaça ALCC - Alcochete ALCN - Alcanena ALCS - Alcácer do Sal ALCT - Alcoutim ALE - Alenquer ALI - Alijó ALJ - Aljezur ALJU - Aljustrel ALMA - Almada ALME - Almeida ALMR - Almeirim ALMV - Almodovar ALPI - Alpiarça ALPO - Alportel ALT - Alter do Chão ALVI - Alvito ALVZ - Alvaiázere AMA - Amares AMAR - Amarante ANA - Anadia ANG - Angra do Heroísmo ANS - Ansião ARC - Arcos de Valdevez ARG - Arganil ARM - Armamar ARO - Arouca ARR - Arruda dos Vinhos ARRC - Arronches ARRL - Arraiolos AVE - Aveiro AVI - Avis AZA - Azambuja BAI - Baião BARC - Barcelos BARRC - Barrancos BARRR - Barreiro BAT - Batalha BEJ - Beja BEL - Belmonte BEN - Benavente BOM - Bombarral BOR - Borba BOT - Boticas BRA - Braga BRÇ - Bragança CAB - Cabeceiras de Basto CAD - Cadaval CAL(A) - Calheta (Açores) CAL(M) - Calheta (Madeira) CALD - Caldas da Rainha CAM - Câmara de Lobos CAMI - Caminha CAMP - Campo Maior CAN - Cantanhede CAR - Carregal do Sal CART - Cartaxo CAS - Cascais CASD - Castro Daire CASM - Castro Marim CASP - Castelo de Paiva CAST - Castanheira de Pêra CASV - Castelo de Vide CASVE - Castro Verde CBR - Castelo Branco CDA - Carrazeda de Ansiães CDB - Celorico da Beira CEL - Celorico de Basto CHA - Chamusca CHAV - Chaves CIN - Cinfães CMB - Coimbra CON - Constância COND - Condeixa-a-Nova COR - Coruche CORV - Corvo COV - Covilhã CRA - Crato CUB - Cuba ELV - Elvas ESP - Espinho ESPO - Esposende EST - Estarreja ESTR - Estremoz EVO - Évora FAF - Fafe FAR - Faro FCR - Figueira de Castelo Rodrigo FDA - Fornos de Algodres FDZ - Ferreira do Zêzere FEC - Freixo de Espada à Cinta FEI - Feira FEL - Felgueiras FER - Ferreira do Alentejo FIG - Figueira da Foz FIGV - Figueiró dos Vinhos FRO - Fronteira FUN - Funchal FUND - Fundão GAV - Gavião GOI - Góis GOL - Golegã GON - Gondomar GOU - Gouveia GRA - Grândola GUA - Guarda GUI - Guimarães HOR - Horta IAN - Idanha-a-Nova ILH - Ílhavo LAGAC - Lagoa (S. Miguel, Açores) LAGAL- Lagoa (Algarve) LAM - Lamego LEI - Leiria LJF - Lages das Flores LJP - Lages do Pico LGS - Lagos LIS - Lisboa LOU - Loulé LOU - Lousã LOUD - Lousada LOUR - Loures LRH - Lourinhã MAÇ - Mação MAC - Machico MACC - Macieira de Cambra MAD - Madalena MAF - Mafra MAI - Maia MAN - Mangualde MANT - Manteigas MAR - Marinha Grande MARV - Marvão MAT - Matosinhos MCN - Marco de Canaveses MCV - Macedo de Cavaleiros MDB - Mondim de Basto MDC - Miranda do Corvo MDD - Miranda do Douro MEA - Mealhada MED - Mêda MEL - Melgaço MER - Mértola MES - Mesão Frio MIC - Miranda do Corvo MIR - Mira MIRD - Mirandela MOG - Mogadouro MOI - Moimenta da Beira MOIT - Moita MON - Monção MON - Montijo MONC - Monchique MONF - Monforte MONN - Montemor-o-Novo MOR - Mora MORT - Mortágua MOU - Moura MOUR - Mourão MOV - Montemor-o-Velho MTG - Montalegre MUR - Murça MURT - Murtosa NAZ - Nazaré NEL - Nelas NIS - Nisa NOR - Nordeste OBI - Óbidos ODE - Odemira OEI - Oeiras OHO - Oliveira do Hospital OLA - Oliveira de Azeméis OLB - Oliveira do Bairro OLE - Oleiros OLF - Oliveira de Frades OLH - Olhão OUR - Ourique OVA - Ovar PAÇ - Paços de Ferreira PAC - Paredes de Coura PAL - Palmela PAN - Proença-a-Nova PAR - Paredes PDC - Penalva do Castelo PDS - Ponta do Sol PED - Pedrógão Grande PEF - Penafiel PEL - Penela PEN - Penacova PEN - Peniche PIN - Pinhel PMO - Porto Moniz PND - Penedono PNM - Penamacor POB - Pombal POI - Poiares POM - Porto de Mós PON - Ponte de Sor POR - Portalegre POV - Povoação PRE - Peso da Régua PRT - Portel PSE - Pampilhosa da Serra PST - Porto Santo PTB - Ponte da Barca PTD - Ponta Delgada PTL - Ponte de Lima PTM - Portimão PTO - Porto PVL - Póvoa de Lanhoso PVV - Póvoa de Varzim RDP - Ribeira de Pena RED - Redondo REG - Reguengos de Monsaraz RES - Resende RIB - Ribeira Brava RIG - Ribeira Grande RMA - Rio Maior SAB - Sabrosa SAN - Santana SAR - Sardoal SAT - Sátão SBU - Sabugal SCA - Santiago do Cacém SCD - Santa Comba Dão SCF - Santa Cruz das Flores SCG - Santa Cruz da Graciosa SCR - Santa Cruz SDM - Salvaterra de Magos SEI - Seia SER - Serpa SES - Sesimbra SET - Setúbal SEV - Sever do Vouga SEX - Seixal SIL - Silves SIN - Sines SJM - São João da Madeira SJP - São João da Pesqueira SMA - Sobral de Monte Agraço SMF - Santa Maria da Feira SMP - Santa Marta de Penaguião SNT - Sintra SOU - Sousel SPS - São Pedro do Sul SRE - Soure SRN - Sernancelhe SRP - São Roque do Pico SRT - Sertã STC - Santiago do Cacém STI - Santo Tirso STR - Santarém SVI - São Vicente TAB - Tabuaço TAR - Tarouca TAV - Tavira TBA - Tábua TDB - Terras do Bouro TDM - Torre de Moncorvo TNV - Torres Vedras TOM - Tomar TON - Tondela TRA - Trancoso TVD - Torres Novas VAG - Vagos VAL - Valongo VCA - Vale de Cambra VDA - Viana do Alentejo VDB - Vila do Bispo VDC - Vila do Conde VDR - Vila de Rei VEL - Velas VFC - Vila Franca do Campo VFC - Vila Nova de Foz Côa VFL - Vila Flor VFX - Vila Franca de Xira VIC - Viana do Castelo VID - Vidigueira VIE - Vieira do Minho VIM - Vimioso VIN - Vinhais VIS - Viseu VLÇ - Valença VLP - Valpaços VLR - Vila Real VLV - Vila Viçosa VNB - Vila Nova da Barquinha VNC - Vila Nova de Cerveira VNF - Vila Nova de Famalicão VNG - Vila Nova de Gaia VNO - Vila Nova de Ourém VNP - Vila Nova de Paiva VNPO - Vila Nova de Poiares VOU - Vouzela VPA - Vila Pouca de Aguiar VPO - Vila do Porto VPV - Vila Praia da Vitória VRS - Vila Real de Santo António VVE - Vila Verde VVR - Vila Velha de Ródão
Maço constituído por pedidos de provisão para autorização de: confirmação de cartas de doação; continuação de obra sob caução de opere demoliendo; cartas de insinuação de doação; celebração de contratos de aforamento de baldios às Câmaras de Alhos Vedros e de Almada; celebração de contratos de aforamento de courela de vinha de morgado; administração de bens de ausentes; curadoria de familiar demente; tutela de sobrinho, irmãos; manutenção do capelão da Misericórdia de Grândola a pedido dos irmãos e provedor da dita Misericórdia; penalização de lavradores por entrada de gado na vila da Moita; eleições dos marítimos da Casa do Corpo Santo da vila de Setúbal; suspensão de inventário de bens; venda de farinhas em Setúbal; pagamento de esmola, a pedido da religiosa de S. Francisco da vila de Alcochete e Aldeia Galega; fazenda coimeira; eleições na Irmandade de S. José da Igreja de Stª Maria da Graça da vila de Setúbal; manutenção de assento de loja na feira da vila de Benavente.
Concelho de Benavente. Registo civil de óbitos De acordo com o Regulamento do Registo Civil que faz parte do decreto de 28 de novembro de 1878, do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça/ Direção-geral do Registo Civil e Estatística/1.ª Repartição, Título VII - Do registo de óbitos os registos deviam conter os seguintes dados: lugar, hora, dia, mês e ano em que foi feito; dia, hora e lugar do falecimento; nome, apelidos, idade, profissão, naturalidade e domicílio do falecido; nome, apelidos, profissão e domicílio dos pais e avós do falecido; nome do cônjuge se o falecido tivesse sido casado ou viúvo; causa da morte, sendo conhecida; se fez testamento e a menção da pessoa que ficou em posse dele. À margem: N.º de ordem do registo, nome do falecido, n.º de ordem dos documentos de que se fez menção. Originais.
Concelho de Benavente. Registo civil de óbitos De acordo com o Regulamento do Registo Civil que faz parte do decreto de 28 de novembro de 1878, do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça/ Direção-geral do Registo Civil e Estatística/1.ª Repartição, Título VII - Do registo de óbitos os registos deviam conter os seguintes dados: lugar, hora, dia, mês e ano em que foi feito; dia, hora e lugar do falecimento; nome, apelidos, idade, profissão, naturalidade e domicílio do falecido; nome, apelidos, profissão e domicílio dos pais e avós do falecido; nome do cônjuge se o falecido tivesse sido casado ou viúvo; causa da morte, sendo conhecida; se fez testamento e a menção da pessoa que ficou em posse dele. À margem: N.º de ordem do registo, nome do falecido, n.º de ordem dos documentos de que se fez menção. Duplicados.
A pesquisa feita conduziu ao seguinte: "[...] primeiramente se achou o foral novo por el rei D. Manuel do qual se não deu o treslado aos suplicantes porquanto a maior parte dos capítulos dele se remetem ao foral da vila d' Alvito e o foral da vila d' Alvito nos ditos capítulos se remete ao foral de Beja o qual se não achou. E porquanto na substância dos direitos é o mesmo o foral velho que foi dado por el rei D. Dinis à dita vila de Oriola, foi pedido por parte dos suplicantes ao Guarda Mor da Torre do Tombo que lhe fizesse dar o treslado do dito foral velho [...] e se achou no livro primeiro da leitura do dito Rei às folhas 61 [...]. Foral datado de Beja, 2 de março de 1282. Era escrivão da Torre do Tombo, Cristóvão de Benavente, mestre em Artes.
Foi 1º conde de Aveiras D. João da Silva Telo e Meneses, senhor de Vagos, alcaide-mor de Lagos, capitão-general do Algarve, dos Conselhos de Estado e da Guerra, comendador das Ordens de Cristo e de Santiago, governador de Mazagão e vice-rei da Índia. O título foi-lhe concedido de juro e herdade. O 2º conde de Aveiras, D. Luís da Silva Telo de Meneses, foi regedor das Justiças e presidente da Mesa da Consciência e Ordens (nomeação em 16 de Setembro de 1669). D. João da Silva Telo e Meneses, 3º conde de Aveiras, foi presidente do Senado da Câmara de Lisboa, regedor da Casa da Suplicação e pertenceu aos Conselhos de Estado e da Guerra. Ao 6º Conde de Aveiras, D. Francisco da Silva Telo e Meneses (1723-1808) foi concedido o título de Marquês de Vagos. O 1º Marquês de Vagos foi governador de Évora, encarregado do governo das Armas da Corte e Província da Estremadura, no impedimento do Duque de Lafões, conselheiro da Guerra, mordomo-mor da princesa D. Maria Francisca Benedita, grã-cruz da Ordem de Cristo. Foi 2º Marquês de Vagos e 7º Conde de Aveiras D. Nuno da Silva Telo e Meneses (1745-1813), gentil-homem da câmara de D. Maria I, no Brasil, governador das Armas da Corte e Província do Rio de Janeiro, membro do Supremo Conselho de Justiça Militar, deputado da Junta dos Três Estados, grã-cruz das Ordens de Cristo, Torre e Espada e Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. Os Marqueses de Vagos e Condes de Aveiras incorporaram as Casas de Valadares e de Povolide: a casa de Povolide foi reunida à de Valadares pelo casamento de D. Maria Helena da Cunha, irmã do 4º e último Conde de Povolide (D. Luís José da Cunha Grã de Ataíde e Melo que faleceu sem geração, em 1833) com D. Pedro António de Noronha, 8º Conde de Valadares, gentil-homem da rainha D. Maria, chefe de divisão da Armada Real, comendador da Ordem de Cristo; o 5º Marquês de Vagos e 11º Conde de Aveiras, D. José da Silva Telo e Meneses Corte-Real (1838-1907), neto dos 8os Condes de Valadares, herdou as Casas dos Condes de Povolide e de Valadares. É actual representante das Casas de Aveiras (15ª), Vagos (8ª), Valadares (10ª) e Povolide (6ª) D. Maria Mafalda da Silva de Noronha Wagner.
Natural da freguesia de São Nicolau, Santarém, fidalgo cavaleiro da Casa Real, filho de Luís Manuel de Oliveira, natural da freguesia do Alecrim, Lisboa, fidalgo cavaleiro da Casa Real, cavaleiro da Ordem de Cristo, e de sua mulher D. Maria Josefa de Azevedo, natural da freguesia das Mercês, Lisboa; neto paterno de Francisco de Oliveira Leitão, natural da freguesia do Sacramento, Lisboa, cavaleiro da Ordem de Cristo, e de sua mulher D. Juliana Ângela de Barros, natural da freguesia da Ajuda, Lisboa; neto materno de João de Campos de Andrade, natural da freguesia do Sacramento, Lisboa, fidalgo cavaleiro da Casa Real, cavaleiro da Ordem de Cristo, e de sua mulher D. Margarida Freire de Andrade, natural de Benavente.
Natural da freguesia de São Sebastião, Setúbal, clérigo (irmão de José de Horta de Figueiredo Moniz, fidalgo cavaleiro da Casa Real, familiar do Santo Ofício), filhos de Francisco Pereira de Azevedo e Horta, natural da freguesia de São Sebastião, Setúbal, e de sua mulher D. Inácia Jacinta Maurícia de Brito Moniz, natural da freguesia de São Julião, Setúbal; neto paterno de José da Horta de Carvalho, natural da freguesia de São Julião, fidalgo cavaleiro da Casa Real, comendador da Ordem de Santiago, cavaleiro da Ordem de Cristo, e de sua mulher D. Violante Lourença Pereira, natural da freguesia de São Sebastião; neto materno de João Moniz de Carvalho, natural de Goa, familiar do Santo Ofício, e de sua mulher D. Simoa Teresa de Faro, natural de Benavente.
Refere, entre outras cidades, vilas e lugares: Santarém, São João da Ribeira, Torres Novas, Torres Vedras, Pombal, Golegã, Almeirim, Alcoentre, Vila Verde, Lourinhã, Sintra, Colares, Alverca, Cascais, Mafra, Almada, Cadaval, Tomar, Ponte de Sor, Mação, Pedrogão Grande, Pampilhosa, Abrantes, Mação, Penela, Álvaro, Régua, Ourém, Sertã, Vila Nova de Cardigos, Évora, Estremoz, Montemor, Redondo, Aguiar, Beja, Moura, Serpa, Portel, Ficalho, Coruche, Alandroal, Benavente, Portalegre, Niza, Crato, Castelo de Vide, Palmela, Alcabideche, Alcácer do Sal, Grândola, Setúbal, Sesimbra, Azeitão, Barreiro, Mértola, Ourique, Lagos, Tavira, Sagres, Loulé, Castro Marim, Algezur, Alvor, Vila Nova de Portimão, Silves, Leiria, Alcobaça, Pombal, Peniche, Santa Eulália, Viseu, Guarda, Santa Comba Dão, Oliveira do Hospital, Coimbra, Buarcos, Tentúgal. As relações compiladas neste obra foram feitas por ordem de Filipe III de Portugal, dada por carta de 20 de dezembro de 1639, consoante consta no fólio 95 da mesma obra.
Avis, Benavente, Cabeção, Montargil, Figueira, Galveias, Cabeço de Vide, Veiros, Coruche, Herdade da Torrejana de Baixo. João Vaz Serrano, padre António Dias da Paz, Manuel Martins Varela, António Varela, Gaspar Martins, José Martins, Manuel Godinho de Carvalho, André Rodrigues, Diogo de Perada Leitão, Felix da Costa, Manuel da Mota, Domingos Rodrigues, Josefa Mendes, Bento Rodrigues Leitão, D. Francisco Caetano, padre António Carneiro Souto Maior, frei Pedro Álvares Garrido, frei Manuel Homem Coutinho, frei António Leite Pita, frei Nicolau Tolentino, frei Manuel Gameiro, frei Manuel Galvão da Fonseca, António Gomes Ribeiro, Manuel Gonçalves, José Rodrigues Carrapiço, Escolástica da Pereira, Bento Soeiro, Helena mendes, Manuel de Lemos de Torneio, Bartolomeu Madeira, Maria de Fontes, João Marques, Catarina Ferreira. Testamento e autos de aprovação e abertura.
O habilitando estudou na Universidade de Coimbra e era viúvo de Maria Barreta, com quem esteve casado 20 anos, e de quem teve cinco filhos. Consta a carta de colação, confirmação e permuta de benefícios que receberam o cónego Diogo Soares meio prebentado na Santa Sé de Évora e o padre Francisco Fernandes beneficiado de um benefício simples na Igreja de Nossa Senhora da Graça, matriz da vila de Benavente, data de 1604. Consta a petição do padre Francisco Fernandes cónego meio prebentado na Santa Sé de Évora, e do Álvaro de Ferreira Magro beneficiado de um benefício simples na Igreja de São João Baptista de Coruche, para poderem fazer permuta ditos benefícios. Contém o processo de património.
Constam inquirições “de genere” que se fizeram na vila de Borba, na vila de Redondo, na vila de Estremoz, e inquirições de “vita et moribus” que se fizeram na vila de Borba e na cidade de Évora, a favor do habilitando, por comissões do Dr. José Borges de Barros e do Dr. Manuel Álvares Cidade, provisores das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fez a si mesmo o habilitando e as diligências de visita e avaliação do mesmo, o edital de património afixado na Igreja Matriz de Borba; Breve Apostólico de extra têmpora, do Papa Clemente XI, para todas as ordens de evangelho e missa (em pergaminho); Carta de adito para a Igreja Matriz da vila de Benavente.
Constam inquirições “de genere” que se fizeram na cidade e Bispado de Coimbra e na vila de Estremoz, e inquirições de “vita et moribus” que se fizeram na vila de Benavente e na cidade de Évora, a favor do habilitando, por requisitórias e comissões do Dr. Manuel Álvares Cidade, provisor das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora. O habilitando ficou impedido de se habilitar por ter fama de cristão novo por parte da avó paterna, Maria Ribeiro. O habilitando no ano de 1741 requereu que se juntassem ao processo documentos comprovativos e revogatórios do impedimento. Entre eles consta a árvore genealógica da ascêndencia de sua avó paterna e de seu primo, Manuel Ribeiro de Campos, habilitado de ordens menores, bem como a carta de ordens do mesmo. Foi deferido que o habilitando podia continuar as diligências para se ordenar das ordens requeridas.
Constam os autos para compatriota do Arcebispado de Évora, a favor do habilitando. Constam inquirições “de genere” que se fizeram no Patriarcado de Lisboa Ocidental, no Patriarcado de Lisboa Oriental, na vila de Benavente, e inquirições de “vita et moribus” que se fizeram na cidade de Évora, a favor do habilitando, por requisitórias e comissões do Dr. Manuel Álvares Cidade, provisor das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fez Luís Leitão da Fonseca ao habilitando, as diligências de visita e avaliação do património e o edital do mesmo afixado na Igreja de Matriz da vila de Coruche; Breve de extra têmpora, do Papa Inocêncio XIII, a favor do habilitando, para ordens sacras (em pergaminho).
Constam inquirições "de genere" que se fizeram na vila de Coruche e na vila de Benavente, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram na vila de Coruche e na cidade de Évora, por comissões do Dr. Manuel Álvares Cidade e do Dr. José Cardoso Gião, provisores das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de doação para ordens sacras que fizeram António Rodrigues Condelo e sua mulher Maria da Silva Araújo, as diligências de visita e avaliação do património e o edital do mesmo afixado na Igreja de Matriz da vila de Coruche; Breve de interstícios, do Papa Clemente XII, para ordens de evangelho e de missa.
Elvas, Quinta do Torrão, Chafariz de Gil Vaz, Quinta de Santo António, Quinta do Cubo, Calçadinha, Benavente, sítio do Farinhão. Ordem de Malta, Ordem de Cristo, Ordem de S. Tiago da Espada, Ordem de Avis, Comenda da Alcáçova, Comenda do Torrão, Comenda de Juromenha, Francisco António Chichorro, Francisco de Paula de Siqueira, João da Silva, Diogo Francisco de Mesquita, Maria Inácia Teixeira, Ezequiel do Espírito Santo da Costa Teixeira, João Miguel Francisco de Assis, Simão de Sousa de Siqueira, Joaquim José da Cruz, António Joaquim da Assunção, Águeda Anatalícia, Maria Coleta, João Lobo de Castro, Teresa do Carmo, Águeda do Carmo, Maria da Encarnação, Isabel Cordeiro, Florência Cordeiro, Maria de Santa Ana, Teresa Maria Falarda, José Pedro Lobo, João Nunes, Manuel Pereira, Tiago Miguel, Júlio Miguel, Domingos António, Manuel Vicente de Siqueira, frei Francisco de Santa Rita de Siqueira. Treslado do original datado de 18 de setembro de 1827.
Constam inquirições "de genere" que se fizeram na vila de Coruche, naturalidade do avô paterno, Teotónio Perdigão Sotto Maior, e da avó materna, Helena da Costa Bandeira, na cidade de Lisboa, naturalidade da avó paterna, Guiomar Maria de Bettencourt, e na vila de Benavente, naturalidade dao avô materno, Lino de Azevedo e Tovar, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Alcáçovas e na cidade de Évora, por requisitória, secretas e comissões de Frei José de Jesus Maria e do Dr. Manuel Álvares Cidade, provisores das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora. Apesar do Acordão da Relação Eclesiástica deliberar que o habilitando possuia os requisitos para ordens menores, só consta que foi examinado e aprovado para prima tonsura. O pai do habilitando era superintendente do tabaco na Província do Alentejo.
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do avô paterno do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Contém as inquirições “de genere” e a certidão do baptismo do avô paterno. Naturalidade do habilitando: Santarém, freguesia de Nossa Senhora da Expectação de Valada (Cartaxo) Filiação: António da Silva Lavareda e Bárbara do Espírito Santo Naturais: Santarém, freguesia de Nossa Senhora da Expectação de Valada (Cartaxo) Avós paternos: Luís da Silva Lavareda e Júlia Rodrigues Naturalidade do avô paterno: Benavente Naturalidade da avó paterna: Santarém, freguesia de Nossa Senhora da Expectação de Valada (Cartaxo) Avós maternos: Manuel Henriques e Francisca Gomes Naturais: Santarém, freguesia de Nossa Senhora da Expectação de Valada (Cartaxo)
Inventariado(a): Joana Rita Morada: Sousel Testamento: sem testamento Data do óbito: 19-05-1915 Inventariante e cabeça de casal: João Luís de Oliveira, viúvo da inventariada Morada: Sousel Filhos: Maria Joana de Oliveira, de 33 anos, casada com Joaquim Benavente Mariana de Oliveira, de 31 anos, casada com António Grilo António de Oliveira, de 28 anos, casado com Ilídia Canelas Lucinda de Oliveira, já falecida, casada que foi com Apariço Jonas (ou Aparício Jonas) Netos da invenariada, filhos da falecida Lucinda de Oliveira: Mariano de Oliveira Jonas, de 5 anos Contém, entre outros documentos, a certidão de óbito da inventariada, o inventário de descrição e avaliação dos bens e o mapa de partilha dos mesmos.
Os mapas apresentam a seguinte informação: Número do Distrito Administrativo; Comarca Judiciária; Divisão Militar; Freguesia; Concelho, Bispado; Denominação das aldeias, casas e mais povoações compreendidas no Distrito da freguesia; Número de fogos em cada povoação; Número de Almas em todas a freguesia; Menores até 7 anos; Número de nascimentos de um e outro sexo; casamentos; mortos. Estes documentos estão sempre assinados pelo Pároco e pelo Regedor. Apresenta os seguintes Concelhos e Freguesias: - Abrantes: freguesias de São João Baptista, São Vicente, Aboboreira, Aldeia do Mato, Alvega, Bemposta, Martinchel, Panascoso, Pego, Rio de Moinhos, São Miguel do Rio Torto, Rossio, Souto, Tramagal. - Alcanede: freguesias de Alcobertas, Fráguas, Tremês. - Aldeia da Cruz: freguesias de Aldeia da Cruz, Seiça, Fátima, Formigais, Freixianda, Olival, Ourém, Rio de Couros, Sabacheira. - Almeirim: freguesias de Almeirim, Benfica, Raposa. - Barquinha: freguesias de Atalaia, Paio de Pele, Tancos. - Benavente: freguesias de Benavente, Barrosa, Santo Estêvão, Samora Correia. - Cartaxo: freguesias de Cartaxo, Ereira e Lapa, Pontével, Valada, Vale da Pinta. - Chamusca: freguesias de Chamusca, Pinheiro Grande. - Constância: freguesias de Constância, Santa Margarida da Coutada, Montalvo. - Ferreira do Zêzere: freguesias de Águas Belas, Alviobeira, Areias, Beco, Pias. - Golegã: freguesia de Golegã. - Montargil: freguesia de Montargil. - Mação: freguesia de Envendos. - Pernes: freguesias de Pernes, Arneiro das Milhariças, Casével, Louriceira, Malhou, Paúl, Vaqueiros. - Rio Maior: freguesia de Rio Maior. - Salvaterra [de Magos]: freguesia de São Paulo. - Santarém: freguesias de Salvador, Marvila, São Martinho, Alcáçova, Milagre, São Julião, São Lourenço, Santa Iria, São Mateus, São Tiago Santa Cruz, São João do Alfanje, São Nicolau, Almoster e Vale, Pombalinho, Póvoa dos Galegos, Romeira, São Facundo, Vale, Vale de Figueira, Várzea. - Sardoal: freguesia de Sardoal. - Tomar: freguesias de Tomar, Madalena, Olalhas, Paialvo, Serra. - Torres Novas: freguesias de São Pedro, São Tiago, S. Salvador, Santa Maria, Olaia, Paço, Parceiros, Ribeira Branca, Zibreira. - Ulme: freguesias de Ulme, Vale de Cavalos.
Jornal Gazeta do Tejo referente ao mês de agosto de 1994 Contém os seguintes artigos: - Cabeça das Mós: Comissão de melhoramentos tem novos corpos diretivos; - Sardoal Feira do Livro 94 breve balanço; - Festas em Valhascos; - S. Miguel do Rio Torto - Junta de Freguesia promoveu passeio para reformados; - Em Monte Galego - Alvega Rancho Folclórico "Verde Pinho" 12 anos a cantar e a dançar; - Notícias de Constância: 9º Festival Nacional de Folclore - Malpique/94; Fundada nova Associação no concelho Os Quatro Cantos do Cisne; - V Feira Mostra de Mouriscas voltou com a força de quem quer ficar; - Pequeno ensaio sobre a história do Gavião e seu termo; - Em Abrantes de 9 a 12 de setembro - Expo' 94; - Poeta Popular de Penhascoso - Cremildo Tomás editou Livro de Poesia; - Festival do Folclore em Ortiga; - No Clube Desportivo "Os Patos" - Ana Catarina Bento Ramos dirigente e técnica de Andebol; - Iniciativa: Subida do nosso Tejo com embarcações de recreio; - Futebol volta de novo; - José Neves Sócio fundador, jogador e treinador analisa a crise do Grupo Desportivo do Pego; - Colecionismo: Rio Maior X Encontro de Colecionadores; Assoc.Filatélia Alentejo Algarvelança livro "Na Descoberta da Filatelia"; VI Encontro Nacional de Colecionadores em Benavente; - Vila de Rei - Lenda da Bicha Pintada; - Licenciamento de obras vai ser mais fácil; - Rossio ao Sul do Tejo: Sociedade de Instrução Musical Rossiense; Pela marginal; As nossas ruas;Toponímia; Mototurismo, Padre Luiz Ribeiro Catarino; Desenvolvimento comercial; - Vida por Vida, divulgação e promoção de atividades dos Bombeiros de Constância; - Fersant' 94 de 21 a 25 de setembro.
Conjunto de desenhos de brasões de armas de municípios, desenhados e coloridos, constando no verso, a descrição do brasão e por vezes uma breve notícia da sua origem. Abrantes, Açores, Albufeira, Alcácer do Sal, Alcanede, Alenquer, Aljubarrota, Almada, Almeida, Alter do Chão, Alverca, Ansiães, Arcos de Valdevez, Arganil, Arouca, Arronches, Arrifana de Sousa, Arruda, Aveiro, Azambuja, Barcelos, Barquinha, Belém, Benavente, Benguela, Beringel, Braga, Bragança, Cabeço de Vide, Caldas da Rainha, Calheta, Caminha, Cartaxo, Castanheira, Castelo Branco, Castelo Rodrigo, Castelo de Vide, Castro Marim, Celorico, Chamusca, Chaves, Coimbra, Colares, Coruche, Covilhã, Crato, Ericeira, Faro, Ferreira, Figueiró dos Vinhos, Freixo de Espada-à-Cinta, Garvão, Golegã, Gouveia, Guarda, Guimarães, Horta, Idanha-a-Nova, Juromenha, Lagos, Lamego, Leiria, Linhares, Lisboa, Loulé, Machico, Marialva, Marvão, Melo, Mértola, Miranda, Moçambique, Monção, Monsanto, Montemor-o-Velho, Moura, Mourão, Óbidos, Olivais, Olivença, Ourém, Ourique, Ovar, Palmela, Panóias, Pedrógão, Penafiel, Penamacor, Penela, Peniche, Pinhel, Ponte de Lima, Porto, Sabugal, Santarém, São Martinho dos Galegos, São Paulo, Seia, Serpa, Setúbal, Sintra, Sortelha, Soure, Tavira, Tomar, Tondela, Torre de Moncorvo, Torres Novas, Torres Vedras, Trancoso, Valença, Viana do Alentejo, Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Flor, Vila Franca de Xira, Vila Nova de Cerveira, Vila Real e Viseu.
Inclui: - Ofício do conde de Subserra ao conde de Barbacena remetendo todos os papéis que tinha em seu poder sobre as coutadas. 1825-03-16 - "Regimento das coutadas de Salvaterra e suas demarcações, e da pena que haverão os que caçarem perdizes, lebres, coelhos ou montearem porcos, veados, ou qualquer outra, ou não cumprirem, e guardarem, e fizerem o contrário do que nele se contém nos tempos defesos". 1675. 1 doc. (21 f.) - "Consulta da Junta da Reforma dos Forais, sobre as providências tendentes a combinar a existência das coutadas com o Bem Público". 1824-10-11. - Minuta do "Alvará com força de lei por que o rei conformando-se com o que lhe foi ponderado pela junta criada por decreto de 5 de junho deste ano, é servido extinguir todas as coutadas particulares que estiverem abertas, pelo que respeita ao uso da caça e da pesca, e também, com algumas excepções, todas as reais coutadas abertas, pelo que toca ao uso da caça, e dar outras diversas providências relativas à conservação das matas que não estão debaixo da dependência da Repartição da Marinha". 1824-12-20 - Apontamento sobre o estado das coutadas e matas de Muge, Benavente, Samora Correia. - Ofício do marquês Monteiro-mor ao conde de Subserra sobre o estado da Montaria-mor. 1824-04-10
Nesta série, as datas descritivas podem abranger o largo limite de tempo de 1886 a 1916. Nas caixas originais em que Jorge de Almeida Lima acondicionava os negativos e inscrevia as identificações dos respetivos conteúdos, é frequente, todavia, que entre os anos de 1905 e 1916 ele forneça datas tópicas a referir as Caldas da Rainha, onde então residiu de forma esporádica ou permanente – mas tais datações são fornecidas, surpreendentemente, inclusive para imagens capturadas em outras localidades que de facto não pertenciam ao concelho. Nestes casos, o campo "Datas descritivas" conterá a data tópica integral, fazendo-se todavia um alerta, no campo "Âmbito e conteúdo", para o facto de que Caldas da Rainha era o local de residência do fotógrafo, mas não o da captura da imagem. Nos documentos fotográficos podem encontrar-se os seguintes conteúdos, entre outros: Relativamente a tipos humanos e profissionais: Cavaleiros; jovens mulheres; lavadeiras; mendigo. Relativamente a indumentária: Elegantemente vestidas e de chapéu. Relativamente ao património natural e paisagístico: Mondego; praia. Relativamente a meios de transporte: Aeroplano; barcos; bote; carroças; campo de aviação; charrete; navio; patacho. Relativamente a pecuária: Bois; mercado de Santa Susana (concelho das Caldas da Rainha). Relativamente a localidades: Coimbra; São Martinho do Porto; Setúbal. Relativamente a sismos: Benavente e Samora Correia (casa arruinada; casas arruinadas; armazém arruinado; igreja arruinada; rescaldo de bens móveis danificados; tenda instalada numa rua; pessoas refugiadas; terramoto; terramoto de 1909; tremor de terra).
Jorge Abraham de Almeida Lima nasceu a 22 de abril de 1853 na Quinta do Lameiro, na paróquia de São Domingos de Benfica, em Lisboa. Era filho de José Joaquim de Almeida Lima e de Georgina Henriqueta Oom Wheelhouse. Passou parte da infância na Quinta da Palmeira, no Seixal, sendo educado por precetoras inglesas. Em 1874 requereu a nacionalidade brasileira, ficando assim isento do serviço militar. Apesar de se desconhecer exatamente quando e por influência de quem se iniciou na fotografia, Jorge de Almeida Lima tem produção datada desde 1886 e tornou-se sócio da Academia Portuguesa de Amadores Fotográficos em 1887. Foi na qualidade de amador que se dedicou à fotografia, uma vez que a sua principal atividade era a gestão das propriedades e sua exploração agrícola e dos bens de família que detinha. A 10 de abril de 1877 casou-se com Maria do Carmo Campos de Andrada, de quem teve uma filha, Maria Georgina (1878). Em 1890 recebe o título de Comendador da Ordem Militar de Cristo, e, em 1892, o de Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa. Participou em múltiplas exposições, entre as quais a Exposição Fotográfica do Ateneu Comercial do Porto (1893), a Exposição Nacional de Fotografias de Amadores, inaugurada, a 31 de dezembro de 1899, no Salão Portugal da Sociedade de Geografia, a Exposição de Fotografia Direta das Cores em Portugal, promovida pela Sociedade Portuguesa de Fotografia (junho de 1913) e a Exposição Nacional de Fotografia (1916). Colaborou, através de algumas reportagens, nas publicações periódicas "Ilustração Portuguesa" e "Brasil-Portugal". Fez parte da primeira direção da Sociedade Portuguesa de Fotografia, fundada em 1907. No decurso das suas atividades, usou também o nome simplificado de "Jorge Lima", como aliás consta de vários títulos que deu às suas fotografias. Faleceu a 6 de dezembro de 1934, aos 81 anos.
Natural da freguesia do Sacramento, Lisboa, bacharel, juiz de fora em Benavente e Salvaterra de Magos (irmão de Joaquim da Costa Carneiro e Sá, cavaleiro da Ordem de Cristo, familiar do Santo Ofício), filhos de João da Costa Carneiro, natural da freguesia de Santa Cristina de Malta, concelho da Maia, termo da cidade do Porto, cavaleiro da Ordem de Cristo, escrivão proprietário da mesa grande da alfândega de Lisboa, e de sua mulher D. Antónia Maria Rosa da Conceição, natural da freguesia do Sacramento; neto paterno de Joaquim da Costa de Sá, natural da freguesia de São Salvador, Macieira, comarca do Porto, e de sua mulher Maria Carneiro, natural da freguesia de Santa Cristina de Malta (viveram muitos anos na quinta de Nossa Senhora da Paz, no lugar da Ribeira Ruiva, junto a Torres Novas, para onde os levou seu tio o desembargador António Carneiro Barbosa, casado com D. Quitéria Maria de Vasconcelos e Sousa); neto materno de Domingos de Araújo, natural da freguesia de Santa Marinha, Chorense, comarca de Viana, e de sua mulher Natália Correia, natural da freguesia de São João, Tomar.
Fl. 70: 30-9-1807. Aos Juízes de Fora de Almada, Moita, Aldeia Galega, Vila Franca de Xira e Alhandra para procederem ao recrutamento de marinheiros de profissão que se encontram refugiados nestes lugares, vindos da capital do Reino, bem como em conventos e casas particulares, com vista a não se envolverem na guerra iminente; Fl. 196: 29-9-1809. Aos Juízes de Fora de Aldeia Galega, Moita e Vila Franca de Xira para atenderem às requisições de barcos do Juiz do Crime do Bairro da Riveiro da cidade de Lisboa, necessário ao transporte dos Exércitos Portugues e Britânico; Fl. 202v: 10-11-1809. Ao Juiz de Fora de Almada, Juiz Ordinário do Sobral de Monte Agraço e Juízes de Fora de Torres Vedras, Povos e Castanheira para satisfazerem com a maior brevidade e exactidão as requisições do Delegado Comissário Geral das Tropas de S.M.B. Thomaz Duumore para se prontificarem as faxinas e paliçadas necessárias para as fortificações mandadas construir pelo Lord Wellington; Fl. 273: 15-3-1811. Aos juízes de Fora de Castanheira, Vila Franca de Xira, Azambuja, Aldeia Galega, Benavente, Chamusca, Coruche e Abrantes informando que o Desembargador Jacinto Pais de Mendonça deslocar-se-á às terras localizadas a Sul do Tejo, a fim de promover a salubridade destas e as sementeiras que são próprias da estação.
Inventariado(a): Rosalina de Jesus Dias Morada: Monte do Papa Tremoço, freguesia de São Bento do Ameixial, concelho de Estremoz Testamento: com testamento Data do óbito: 05-04-1916 Inventariante e cabeça de casal: Malaquias José de Oliveira, viúvo da inventariada, usufrutuário vitalício Morada: Monte do Papa Tremoço, freguesia de São Bento do Ameixial Herdeiros sobrinhos da inventariada, filhos de Lucinda Augusta Dias e de António João da Cruz: 1- Guilherme António Dias, casado com Lúcia Maria Murteira, moradores em Sousel; 2- Cipriano António da Cruz Dias, casado com Francisca Umbelina, moradores no Monte do Coelho, freguesia de Santo Estevão, concelho de Estremoz; 3- Deodato João da Cruz Dias, casado com Joaquina Rita Cunha, moradores em Sousel; 4- Maria Lúcia Dias, maior, solteira, moradora no Monte do Benavente em Sousel. Herdeiros sobrinhos da inventariada, filhos de José Gaspar Dias e de Genoveva Maria Abrantes: 1- António Gaspar Dias, de 12 anos, morador em Sousel; 2- Lucinda Maria Dias, de 10 anos, moradora em Sousel. Contém, entre outros documentos, a certidão de óbito da inventariada, a cópia do testamento da inventariada, o inventário de descrição e avaliação dos bens e o mapa de partilha dos mesmos.
Contém cartas de Duarte do Amaral, engenheiro e ex-secretário do Presidente do Conselho, a informar sobre os seguintes assuntos: pretende sair do cargo de Fiscal do Governo da Rádio Renascença; acerca da prisão do seu irmão Gaspar Pinto de Carvalho Freitas do Amaral pela PIDE; o ambiente político que existe no Norte (Porto, entre outros); a possibilidade de abrir "concurso para professor da cadeira de “Betão Armado” recentemente criada no Instituto Superior Técnico"; a mudança do Dr. Daniel Barbosa da casa do Estoril para o Porto. Inclui o cartão de visita do Ministro das Obras Públicas, José Frederico Ulrich. Integra cartas do autor, referentes à visita efetuada ao Paço dos Duques de Bragança e Guimarães, e "das más condições de habitabilidade para os Príncipes, e o estado das Obras", bem como a compra das casas do Largo do Carmo, junto dos Paços ainda não se concretizou, e sobre a conversa com o arquiteto Benavente a fim de demolir e arranjar o terreno, entre outros. Compreende documentação relativa à "Sacor", cujo presidente da Comissão, Duarte do Amaral, refere o projeto da construção de um bairro, a verba, o "Programa de alargamento e melhoria das instalações industriais da Sacor", entre outros. Contém duas fotografias da medalha da "Sacor", realizadas pelo eng. Duarte do Amaral, Dr. Botto de Carvalho e do pintor António Lino. O escultor M. Norte modelou. A gravação dos cunhos e a cunhagem são feitas na Casa da Moeda". A saber: "em fundo de tubagem de uma refinaria, uma pira com fogo sagrado do petróleo, sobre um touro alado, símbolo de espírito e de potência" - com elementos de inspiração persa, que se acredita ter sido "conhecido" primeiro o petróleo; no verso: a medalha apresenta o fundo com o nome da Sociedade e data, as quinas das armas portuguesas (significa que a sociedade está ao serviço do País)", entre outros.
Contém 6 processos de financiamento, no âmbito do Programa no Domínio das Ciências da Educação, aos seguintes projectos: Projecto "Aplicação ao Ensino Médico do Método de Aprendizagem por Análise de Problemas" (PCED/DCI/22/91), proposto e executado pela Faculdade de Ciências Médicas. Investigador responsável: António Bensabat Rendas; Projecto "Desenvolvimento Curricular em Ensino Experimental de Física Assistido por Computador - Propostas Metodológicas" (PCED/DCI/19/91), proposto e executado pela Sociedade Portuguesa de Física e com a participação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, da Escola Secundária Eça de Queirós, da Escola Secundária Professor Herculano de Carvalho da Escola Secundária da Cidade Universitária. Investigador responsável: António Moreira Gonçalves; Projecto "Análise das Necessidades de Formação dos Professores de Línguas Estrangeiras em Exercício no Segundo Ciclo do Ensino Básico no Distrito de Leiria" (PCED/DCI/28/91), proposto e executado pelo Instituto Politécnico de Leiria e com a participação das Escolas Preparatórias do Distrito de Leiria e das Escolas C+S do Distrito de Leiria. Investigador responsável: Maria das Dores Escada Cruz; Projecto "Mudança e Inovação em Educação: Contextos e Dinâmicas; Espaços, Situações e Protagonistas" (PCED/IEC/33/91), proposto e executado pelo Departamento de Educação da Faculdade de Ciências de Lisboa e com a participação da Fundação Calouste Gulbenkian e do Instituto de Inovação Educacional. Investigador responsável: Ana Benavente Nuno; Projecto "Educação Multicultural" (PCED/IEC/34/91), proposto e executado pela Universidade Aberta e com a participação da Direcção-Geral de Extensão Educativa. Investigador responsável: Maria Beatriz Rocha Trindade; Projecto "Estudo Comparativo do Papel da Escola no Desenvolvimento Pessoal e Social" (PCED/IEC/36/91), proposto e executado pela Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Investigador responsável: Bártolo Paiva Campos.