Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

249 records were found.

Documentação relacionada com a gestão do Laboratório/Departamento de Biologia Celular do Instituto Gulbenkian de Ciência, nomeadamente no que diz respeito a atos de cooperação institucional com o Brasil, estabelecidos ao abrigo de um convénio assinado em 1987, com o Instituto de Biofísica da Universidade de São Paulo. Este convénio, de que David Ferreira foi signatário na sua qualidade de diretor do Departamento de Biologia Celular, aconteceu na sequência de um «Acordo de Cooperação científica e técnica entre Portugal e o Brasil», assinado em 5 de maio de 1986, por ocasião da visita do presidente da república brasileira, José Sarney, a Portugal. A documentação inclui, para além de correspondência, diversas minutas de protocolos, originais e cópias, programas de ação conjunta, regulamentos (onde se encontra um exemplar da «Lei Orgânica nº5.918 de 18 de outubro de 1960» que institui a FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Da mesma época data o «Protocolo de colaboração entre a Fundação Calouste Gulbenkian e o Estado Português na área científica da biotecnologia» (1986) de que se conserva uma cópia. Este protocolo permitiu estreitar as relações institucionais e científicas do IGC com centros de investigação públicos e enquadrou a criação de uma nova entidade que foi o CTQB - Centro de Tecnologia Química e Biológica. Outro projeto de que susbsistem traços foi o de um protocolo de cooperação entre o IGC ou o Serviço de Ciência da FCG e a Universidade Rockefeller, igualmente reportado ao ano de 1987. Contém, igualmente, documentação avulsa e uma lista de contatos globais de laboratórios, universidades, sociedades científicas e unidades de investigação, nacionais e estrangeiras, na área das biociências, bem como um conjunto de documentos relacionados com Nicolau van Uden, cientista e colaborador do IGC, falecido em 1991. Alguns documentos anteriores relacionam-se com diversos assuntos como o recrutamento de recursos humanos (processo de Macieira Coelho, 1966), a aquisição de utensílios técnicos para o Laboratório de Biologia Celular (1987), a organização de um «Curso de Verão de iniciação à investigação científica» (1981), ou a realização da «IIIrd International School of Electron Microscopy» pelo IGC, entre 14 e 21 de abril de 1973, evento no qual David Ferreira e outros colaboradores do LBC participaram. Relativo a esta «International School» conserva-se o programa das sessões, bem como o discurso de boas vindas a W. Bernhard proferido por David Ferreira. Subsiste, também, um conjunto de cartas de António Coimbra a David Ferreira, bem como convites dirigidos a cientistas nacionais e estrangeiros como Pierre Favard, E. Wisse ou Arvid Maunsbach, entre outros.
Inclui documentação associada às atividades de gestão académica, no âmbito dos órgãos de governação da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, reflete as funções dos conselhos pedagógicos bem como das coordenações pedagógicas, como sejam a atribuição de cargas horárias, os programas de estudos ou as revisões curriculares. São, igualmente, refletidas as atividades dos Conselhos Diretivos e dos Conselhos Científicos relativas, entre outras, ao estabelecimento de racios na contratação de docentes, a par de outros assuntos intrínsecos à gestão interna da Faculdade de Medicina de Lisboa. Encontramos, assim, correspondência, informações internas, circulares, convocatórias, normas e inquéritos, relatórios, bem como programas de estudos (de bioquímica fisiologia, bioquímica celular, neuroanatomia), listas de projetos, de centros de investigação e de pessoal docente e investigador. Conserva-se, também, alguma documentação relativa ao GAPIC, Gabinete de Apoio à Investigação Científica da FML, criado em 1996, como «estrutura de apoio aos Conselhos científico e diretivo da FML» que David Ferreira coordenou. Ao GAPIC reporta-se alguma correspondência de 2005, bem como o livro de resumos dos trabalhos apresentados ao «Vº workshop Educação pela Ciência», em 2002, o qual visou a divulgação de projetos de alunos da mesma FML. A documentação inclui, ainda, referências ao «Vº Encontro da Faculdade de Medicina de Lisboa», no âmbito do qual se celebraram o 86º aniversário da Faculdade e, simultaneamente, o 172º ano da fundação da Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, em 1997. Entre a documentação encontram-se os convites dirigidos a David Ferreira, bem como o programa das celebrações para o que se estabeleceu uma comissão de honra cujo presidente honorário foi Jaime Celestino da Costa. Outra documentação inclui uma lista de projetos aprovados pela Comissão de Ética do Hospital de Santa Maria/FML, bem como outros documentos respeitantes ao funcionamento do CEBIP, Centro de Estudos de Biologia e Patologia Molecular. A criação deste Centro, em 1991, ao abrigo do Programa Ciência, permitiu ao Instituto de Histologia e Embriologia (IHE) redimensionar laboratórios, instalações e equipas, movimento que a documentação acompanha e elucida, pela década de 90 adentro. Assim, para além de uma resenha de atividades deste Instituto, são contemplados os processos de financiamento plurianual atribuídos pela JNICT/FCT (relatórios de avaliação trienal, inquéritos e visitas de avaliadores ao Centro). É igualmente possível acompanhar a atividade do Grupo de Biologia Celular e Molecular, constituído a partir do mesmo CEBIP, em 1993, com investigadores como Maria do Carmo Fonseca, José Eduardo Tavares de Castro, António Cidadão, Leonor Parreira ou Carlos Plancha. A documentação avulsa incide ainda sobre um processo de equivalência de Maria de Lurdes Afonso Lopes e um abaixo-assinado sobre Francisco Filipe Rocha da Silva, cardiologista que fora fundador do INEM. Acumulada para o período de 1985 a 2002, com ênfase nos anos 90, esta coleção permite acompanhar a missão do IHE na sua vertente de ensino médico laboratorial, nomeadamente no ensino das cadeiras de Biologia Celular e Molecular e de Histologia e Embriologia da licenciatura em Medicina. De resto, o ensino médico é aqui refletido, também, numa pequena coleção documental que inclui legislação de 1911 e de 1945, separatas de João Lobo Antunes e outros documentos enviados por David Albertini da Tufts University (Massachussetts, EUA) sobre o mesmo assunto.
Contém conjuntos documentais relacionados com a produção científica de José Francisco David Ferreira. Inclui, maioritariamente, versões provisórias e versões finais da sua produção científica, provas fotográficas (microfotografias) utilizadas para a ilustração dos artigos, correspondência com as editoras responsáveis pela publicação, recortes de publicações de artigos científicos e vários manuscritos. Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes artigos, temas ou projetos: 1) «Matriz extracelular»; 2) «Androgen - Dependent Changes in nuclear Ultrastructure. A stereological study on rat ventral prostate and seminal vesicle» ; «Estudo imunológico e ultrastrutural do tecido intersticial da próstata ventral do rato» ; « Estudo estereológico das alterações nucleares induzidas pela testosterona no epitélio uterino do rato»; 3) «A method for TEM visualization of the extracellular matriz 3-D organization in tissues»; 4) «A matriz extracelular do útero de rato imaturo. Estudo citoquímico, ultrastrutural e imuno-histoquímico»; «A organização macro molecular da zona pelucida dos oocitos de mamíferos e suas modificações após fecundação»; 5) «Filamentous cross-bridges link intermediate filaments to the nuclear pore complexes»; 6) «Immunocytochemical study of tissue distribution and hormonal control of chondroitin -, dermatan - and keratan sulfates from rodent uterus».
Documentação relacionada com a participação de David Ferreira em foruns de ciência e tecnologia, nomeadamente em conferências e congressos realizados por organizações de ciência internacionais. Encontra-se, por exemplo, um convite para integrar o Royaumont Center for a Science of Man, dirigido a David Ferreira e assinado por Jacques Monod, com data de 1973. Do mesmo modo, conserva-se um pequeno conjunto de documentos relativo à ECBO, European Cell Biology Organisation, fundada em 1969, em Amesterdão. David Ferreira foi membro desta organização desde 1971, tendo sido convidado a apresentar a sua candidatura às eleições para os corpos dirigentes, em 1974. Documentação dos anos 2000, reporta-se por seu turno, ao período em que David Ferreira foi representante designado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, junto do European Medical Research Council, órgão da European Science Foundation. Inclui os seguintes intercâmbios ou instituições internacionais: «I Congreso de la Federaciòn Iberoamericana de Biología Celular e Molecular», «IV Reunion Nacional de la Sociedade Española de Histoquímica» ou a «Fundaciòn Valenciana de Estudios Avanzados». Igualmente ilustrados são os intercâmbios com universidades brasileiras, as viagens de estudo, leituras, palestras ou conferências proferidas pelo produtor e das quais se conservam programas e certificados. Neste conjunto, encontra-se o Diploma de Doutor Honoris Causa atribuído a David Ferreira pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, em 1983, bem como o «Certificado de Membro da Associação Panamericana de Anatomia», de 1978, para além de um conjunto relacionado com a participação de David Ferreira na «Conferência Internacional de Educação Médica», organizada no Rio de Janeiro entre 25 e 28 de outubro de 2000 (incluindo correspondência, diploma, cartaz e programas). Entre outros eventos internacionais com participação de David Ferreira, estão referenciados o «XIII Federative International Congress of Anatomy» (1989), a «32ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência» (1987), o «V Congresso Brasileiro de Biologia Celular» (1986), o «V Simpósio Internacional de Ciências Morfológicas» (1982), o «Premier Congrès Européen de Biologie Cellulaire» (1982), o «I Congresso Internacional de Veterinária de Língua Portuguesa» e o «II Encontro Juvenil de Biologia» (1978). Registados são também o «I Curso pós-graduado de Endocrinologia Clínica» (Lisboa, FCG, 1977), o «VI Curso Básico de Ultraestrutura Celular e Introduccion a la Microscopia Electrónica Biológica» (Madrid, 1976), ou a nomeação de David Ferreira como «Membro correspondente a título individual» da «Federação Mundial dos Trabalhadores Científicos» (1972). Mais eventos respeitam a apresentações públicas no âmbito das atividades da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa, da qual David Ferreira fez parte, como a atribuição dos Prémios Pfizer (1980, 1982, 1988), a «XIII Reunião Anual da Sociedade Portuguesa de Microscopia Electrónica» (1978), as «Jornadas Luso-Catalãs de Medicina da Reprodução» (1983), o «Simpósio Internacional de Reprodução Animal» e «1º Congresso Português de Andrologia» (1982). Encontram-se ainda diversas convocatórias para reuniões da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa (eleição de «sócio titular», em 1960), Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais («sócio efetivo», em 1958), Sociedade Portuguesa de Ciências Veterinárias (excertos da «Revista de Ciências Veterinárias»), Sociedade Portuguesa de Biologia, Sociedade Anatómica Portuguesa (XVIII Reunião, 1958). A participação de David Ferreira no «I Salão Fotográfico do Auto-Club Médico Português», realizado em 1956, encontra-se igualmente documentada. Nesta ocasião, o produtor foi distinguido com uma Menção honrosa atribuída à microfotografia «Ergastoplasma da célula pancreática». Entre a documentação mais antiga, destacam-se os convites e programas relacionados com o Colóquio sobre Patologia Hepática organizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, em 1961, no qual David Ferreira apresentou «Ultraestrutura da Célula Hepática», com o «Dia do Estudante» de 1962 e com um «1º Salão de Fotografia Científica» organizado em 1972 pela Sociedade Portuguesa de Microscopia Electrónica, no âmbito da «VII Reunião Anual da SPME», no IGC. Conserva-se por fim o texto de uma alocução proferida por David Ferreira intitulada «A academia das Ciências nas vésperas do seu 4º Jubileu (1779-1979)» e um conjunto de documentação mais recente (anos 90 e 2000) relacionada com eventos de iniciativa diversa (Centro Português de Fundações, convite para integrar o Conselho Consultivo e encontro «Fundações Portuguesas: Tradição e futuro», 2003; Rádio Paris Lisboa, palestra sobre «clonagem humana», 1998; mesa-redonda da Universidade Lusófona por ocasião da VI Semana sociológica, «Terceiro milénio - fim da biologia», 1999; «III Encontro de clínica geral - medicina familiar da zona centro», 1993; ciclo de conferências na Universidade do Algarve sobre «Biotecnologia e saúde», 1999; intervenção de David Ferreira sobre «clonagem humana» na Feira do Livro de Lisboa ou sobre «Manipulação genética. Situação presente, perspectivas futuras», ambas em 1997, novamente sobre «Clonagem humana» em 2002 e «Problemas e dilemas da medicina contemporânea», em 2006, na «Tertúlia do Marquês»).
Contém conjuntos documentais relacionados com cursos universitários e de especialização, promovidos e/ou lecionados por José Francisco David Ferreira (entre outros), no Instituto Gulbenkian de Ciência e na Faculdade de Medicina de Lisboa. Inclui, maioritariamente, programas e calendários das sessões, fichas de apresentação e objetivos do curso, listas de participantes, exposição ou sumário dos conteúdos, fichas de inscrição de participantes e listas de admitidos, enunciados de provas e pautas de classificação, bibliografias recomendadas, artigos científicos e apontamentos manuscritos. No entanto, em alguns casos também foi reunida correspondência. Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes cursos: 1) «Exame de avaliação de capacidade de acesso ao ensino superior» (FML, 1983); 2) «Curso Immunocytochemistry» (IGC, 1984); 3) «Estudos avançados de Oeiras 1984» (IGC, 1984); «Técnicas modernas em Biologia e Biotecnologia» (IGC, 1987); 4) «Cadeira de Histologia e Embriologia» (FML, 1988 - 1989); 5) «Curso de Mestrado em Biotecnologia» (IGC, 1989); 6) «3º Curso avançado de bioquímica patológica - Ateroesclerose» (FML, 4-6 de outubro de 1989), brochura com resumos e programa; 7) «Cadeira de Histologia e Embriologia» (FML, 1992-1997); inclui provas e enunciados de exames, pautas de classificação e listagens de alunos.
Inclui documentação relativa às atividades da Sociedade Portuguesa de Microscopia Eletrónica, SPME. Fundada em 1966, a partir da Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais da qual se autonomizou, a SPME foi renomeada Sociedade Portuguesa de Microscopia Eletrónica e Biologia Celular em 1990, e desde 2005, Sociedade Portuguesa de Microscopia. Teve sede no Instituto Gulbenkian de Ciência, em Oeiras, e no Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar, no Porto. A documentação acompanha a atividade desta sociedade científica, entre 1979 (receção a Charles Leblond) e 2002, com particular destaque para a organização da 2ª Reunião das Sociedades espanhola e portuguesa de Microscopia Eletrónica, IBEREM, realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, entre 14 e 16 de dezembro de 1988 (o primeiro havia sido em Ronda, Málaga, em 1984). Tendo coincidido com a última presidência exercida por David Ferreira à frente da direção da SPME, este encontro apresentou contributos de cientistas de diversas áreas com interesses convergentes na microscopia eletrónica, biologia celular e suas ramificações (humana, animal, vegetal), microestrutura de materiais, minerais ou de síntese. Finalmente, teve ainda um simpósio subordinado ao tema «A microscopia electrónica ao serviço da arte» dedicado às aplicações da microscopia eletrónica no restauro de monumentos de pedra. Encontram-se na presente unidade de instalação, anotações manuscritas, convites, correspondência, nomeadamente da International Federation of Societies for Electron Microscopy, regulamentos e normas, atas e relatórios de exercícios e contas, circulares, programas de atividades, listagens de sócios e de corpos dirigentes, livros de resumos, bem como um exemplar do «Discurso do Secretário de Estado da Ciência e Tecnologia», na época José Pedro Sucena Paiva, pronunciado na sessão inaugural do IBEREM. Inclui também informação sobre a organização de reuniões anuais da SPME, nomeadamente brochuras, programas e resumos das comunicações apresentadas nas edições de 1980 (na Faculdade de Medicina do Porto, esta foi também a ocasião para a «1ª Reunião de Morfologistas Portugueses» e para a «29ª reunião da Sociedade Anatómica Portuguesa»), de 1990, 1993, 1994, 1995 e 1997, bem como ainda sobre a 4ª edição do Programa Ciência Viva, em 1999, sobre a participação portuguesa no Congresso franco-ibérico de Microscopia (Barcelona, 2001) e sobre o 1º Congresso Luso-Brasileiro de Morfologia funcional, organizado em Goiânia, em 2000. A presente unidade de instalação inclui também uma capilha com documentação relativa à Sociedade Portuguesa de Biologia (SPB), de que David Ferreira foi sócio efetivo. Essa documentação inclui um exemplar dos Estatutos de 1945, bem como propostas de atividades, correspondência e boletins informativos, no período compreendido entre 1980 e 1983, que respeita à presidência do Conselho de Direção desta sociedade que coube igualmente a David Ferreira. A SPB foi formalmente criada em 1922, por iniciativa de Mark Athias, tendo reunido importantes nomes da investigação portuguesa como Aníbal Bettencourt, Sílvio Rebelo Alves, Arsénio Cordeiro, Luís Ernani Dias Amado, Augusto Celestino da Costa, Abel Salazar, Aurélio Quintanilha entre outros. A SPB foi filiada - como a SPME - na mais antiga Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais, fundada em 1907.
Documentação relacionada com a administração do Instituto Gulbenkian de Ciência, nomeadamente com os processos de reorganização de que este foi sendo alvo ao longo das décadas de 80 e 90. Com efeito, remonta a 1978 a constituição de uma primeira Comissão Consultiva de Avaliação (CCA), com o encargo de avaliar o IGC, presidida por Augusto Forti e constituída por Corino de Andrade, José Encarnação, Sam Nilsson (relator), Vernon Ruttan, Franco Ferrarotti e Manuel Rocha. Pouco depois, em 1981, foi nomeada uma nova Comissão «ad hoc» pelo Conselho de Administração da FCG, encarregue de propor novos modelos de gestão para o Instituto. Esta última Comissão foi presidida por Charles P. Whittingham e integrou os seguintes elementos: Horácio Menano, vice-presidente, Luís Archer, J. Vasconcelos Costa, F. Estácio, J. Lourenço, M. Pereira, Nicolau van Uden e David Ferreira, vogais. Em 1986, foi apresentado um novo projeto desta vez visando a transformação do IGC em fundação autónoma, independente administrativa e financeiramente da casa-mãe, a FCG. Já antes, em 1984, fora proposta a passagem daquele orgão a instituto universitário privado «dedicado à biologia e biotecnologia», um prolongamento do que haviam sido os «Estudos Avançados de Oeiras». A documentação relativa a este projeto inclui correspondência de - entre outros - José de Azeredo Perdigão, Joel Serrão, João de Deus Pinheiro, ao tempo, ministro da educação, Augusto Forti. Do ponto de vista interno, a reforma do IGC consubstanciou-se na reorganização dos modelos de funcionamento e direção, tendo como finalidades a «optimização de infra-estruturas», a «consolidação ou melhoria da actividade científica», numa conjuntura de racionalização de recursos dentro da própria FCG, agravada pelas grandes inundações de 1983. No período em apreço, formaram-se novas instâncias internas (Conselho Científico do IGC, Comissão de Promoções do Pessoal Científico, Comissão Consultiva de Avaliação, Comissão de Estágios e Comissão de Pessoal). Outras propostas foram avançadas relativas à gestão das bibliotecas bem como ao redimensionamento das infraestruturas (serviços de computação, oficinas), a criação de um consórcio para a fundação de um Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica (IBET) envolvendo o IGC e um centro do INIC, o INIAER - Instituto Nacional de Investigação Agrária e Extensão Rural e, mais tarde, relacionadas com a criação de um «Gulbenkian Institute for Immunology», segundo uma proposta de António Coutinho. A unidade de instalação contém, pois, documentação relevante para o enquadramento das diversas tendências que atravessaram a administração do IGC, incluindo recortes de imprensa, relatórios, atas e extratos de atas dos Conselhos de Administração da FCG, regulamentos e organogramas, informações internas, projetos, ante-projetos, plantas e correspondência. Conserva-se também uma cópia da «Review of the advisory Commitee (CCA) of the Gulbenkian Institute of Science» (1980) que inclui entre os seus anexos, o relatório «Forti/Nilsson» produzido por esta dupla de avaliadores estrangeiros. Entre a documentação mais recente (1998), encontra-se um pequeno conjunto de documentos relacionados com o convite que Victor de Sá Machado - presidente do CA da Fundação -, dirigira a David Ferreira para integrar a Comissão Consultiva nacional do IGC.
Contém cadernos de apontamentos manuscritos reunidos por José Francisco David Ferreira na sua qualidade de professor do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Lisboa. David Ferreira foi responsável pela lecionação das disciplinas de Biologia Celular, Histologia, Embriologia, bem como de unidades temáticas especializadas que se encontram refletidas em cada caderno. Formando sínteses detalhadas de conteúdos programáticos de lições ou, nalguns casos, de conferências públicas, cada tópico é enriquecido com citações e referências bibliográficas fundamentais, desenhos, diagramas, esquemas e listas de diapositivos: «Aparelho reprodutor masculino»; «Biologia Celular»; «Placenta»; «Rim» («Conferência ESMV»); «Célula de Sertoli»; «Biologia Celular do cristalino (Conferência Instituto Gama Pinto)» [maço 1]; «Tecido conjuntivo - Matrix»; «Biologia Celular [Morfologia]»; «Histologia»; «Aparelho reprodutor masculino [Tecido intersticial do testículo]».
Conjunto documental reunido por José Francisco David Ferreira enquanto diretor do Departamento de Biologia Celular e membro da direção do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC). A coleção cobre o período de 1972 a 1993 e acompanha a rede de sociabilidades profissionais do produtor. Entre os assuntos abordados, predominam os que se relacionam com intercâmbios e visitas de cientistas estrangeiros a convite do IGC (mas também da Faculdade de Medicina); intercâmbios de ideias e experiências laboratoriais; colocações de bolseiros; convites diversos, assentes em numerosa correspondência trocada entre o produtor e personalidades como Luiz Carlos Lobo, Eduardo de Robertis, Wilhelm Bernhard, Israel Bonomo, J. Anthony Morris, Gerson Cotta-Pereira, Alex Novikoff, Benjamin Fernandez, Franciszek Kaczmarski, Morris J. Karnovsky, Arvid Maunsbach, Björn Afzelius, Keith Porter, Alan McDermott, Etienne de Harven, Alberto Ralha, António Coimbra, Xavier Morato, Jan de Mey, Marc Moeremans, Ian Varndell, Eni Peinado Viñolo, Martine Perrot-Applanat, Evrik Afrikian, David Albertini, Alberto Ribeiro, Clara Pinto Correia, Sílvio de Almeida Toledo Filho, Luiz Carlos Gomes Simões, Alberto Candeias, Thomas Schuster, Britaldo Rodrigues, Pedro Pinto da Silva, Margaretha Lindroth, Manuela Martins Green, Rolf Kinne, entre outros. Uma parte desta correspondência relaciona-se, assim, com os movimentos de investigadores e universitários estrangeiros, a vinda a Portugal para proferir lições, seminários ou cursilhos especializados no âmbito dos «Estudos Avançados de Oeiras» ou das formações pós-graduadas do IGC. Outra parte relaciona-se com os convites - endereçados ao próprio David Ferreira - para participar em conferências ou seminários, ou para o desempenho de funções como a de Conselheiro Científico do INIC. Frequentes são também as cartas de aceitação e agradecimento por parte de estagiários do IGC, alunos de mestrados ou doutoramentos, as propostas de investigação conjunta ou de outras colaborações (por exemplo, em publicações ou em juris, como o convite para integrar um «banco de avaliadores» da «Comision Interministerial de ciencia y tecnologia» de Espanha, dirigido a David Ferreira). As rotas desenhadas são particularmente intensas com o Brasil mas passam igualmente por outros países como Espanha, França, Inglaterra, Alemanha, Suécia, Finlândia e EUA, envolvendo algumas prestigiadas instituições de investigação como o INSERM de Paris, a Academia Médica de Cracóvia, a Escola Médica de Harvard, bem como as universidades Federal do Rio de Janeiro (curso co-orientado por David Ferreira, em 1983), de Londres, Estocolmo, Lund (Suécia), Turku (Finlândia), Berna, Berlim, Tottori (Yonago, Japão), Tel-Aviv, Mainz, Madrid, Sevilha, Califórnia ou Buenos Aires. São igualmente documentadas algumas viagens de David Ferreira, bem como as relações profissionais ou semi-profissionais que foi mantendo com os seus pares, colegas ou antigos bolseiros que passaram pelo Centro de Biologia, com particular incidência nos anos 70 e 80. Muitos desses contatos realizaram-se ao abrigo de projetos específicos como o da «Fertilização in vitro» (Hospital de Santa Maria, Maternidade Alfredo da Costa), ou de atividades promovidas por entidades externas como o Clube de Biologia e Geologia de São Mamede/Casa de Cultura da Juventude de Portalegre (palestra «O núcleo e a membrana nuclear» no quadro da «Exposição sobre hereditariedade em Portalegre»), a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto ou a Sociedade Portuguesa de Ciências Naturais. Encontra-se, por último, uma carta dirigida a David Ferreira, por L. M. Tocantins, datada de 1962.
Coleção de artigos e separatas maioritariamente constituída por cópias impressas de textos de circulação corrente em páginas eletrónicas e/ou jornais e enciclopédias digitais, versando sobre temas de história das ciências e, mais especificamente, sobre história das ciências biomédicas em Portugal. Conservam-se com menor frequência, versões originais das publicações (separatas) e anotações manuscritas, como é o caso da compilação de dados biográficos sobre figuras centrais da história da Faculdade de Medicina de Lisboa como Augusto Celestino da Costa. Outras personalidades sobre as quais David Ferreira colecionou informações relacionam-se com o seu próprio campo de estudos, as ciências biomédicas, a histologia, a biologia celular e molecular, como é o caso de Santiago Ramon y Cajal. Alguns artigos conservados resultaram de investigações em que David Ferreira foi autor ou coautor, p.e., «A escola de Investigação de histofisiologia de Augusto Celestino da Costa (1911-1956)», texto apresentado ao «1º Congresso Luso-Brasileiro de História da Ciência e da Técnica» (Évora e Aveiro, 2000), ou ainda as diversas intervenções apresentadas ao simpósio organizado no âmbito do Centenário do nascimento do mesmo Celestino da Costa, em 1984. A efeméride foi celebrada com uma sessão solene na aula magna da Faculdade de Medicina de Lisboa, com depoimentos de personalidades como Xavier Morato, Orlando Ribeiro ou Jaime Celestino da Costa, tendo o conjunto das intervenções sido reunido e publicado no tomo CXLIX do Jornal da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa, em 1985. A documentação inclui correspondência, formulários, programas de conferências e convites. Na ocasião, o Instituto de Histologia e Embriologia promoveu também a realização de um ciclo de conferências sobre biologia celular e embriologia (com Lucinda Mata, M. Marques Gomes, A. Geraldes, S. Gulbenkian, M. Xavier Morato, M. C. Fonseca, M. Nascimento Ferreira, H. Gil Ferreira e M. C. Magalhães), e ainda um «Curso de Estereologia». A par desta documentação subsistem os convites para integrarem a Comissão de Honra do mesmo Centenário, endereçados a Pedro Almeida Lima, António Castro Caldas, Armando Ducla Soares, Frederico Madeira, João Miller Guerra, José Toscano Rico, Jorge Silva Horta, João Cândido de Oliveira, Henrique Barahona Fernandes, Jacinto Bettencourt, José de Azeredo Perdigão, Juvenal Esteves. Conserva-se, por fim, uma prova de autor do texto «Um exemplo que nos vem do passado...» redigido pelo próprio David Ferreira para ser publicado como editorial do número 5 da revista «Medicina - Ciências Médicas e Humanismo» (Jan.-Fev. 1984). Entre as separatas originais intercaladas na documentação, encontra-se a «Oração inaugural» ao «Congresso de história da actividade científica portuguesa», proferida por Aureliano de Mira Fernandes em 1940, o «Discurso» de Azevedo Neves «pronunciado na sessão solene de abertura do ano lectivo de 1917-1918» na Universidade de Lisboa, e «Considerações sobre o ensino da Faculdade de Medicina de Lisboa» de Celestino da Costa («Lisboa Médica», 1925). Ainda de Celestino da Costa, «História de uma experiência», manuscrito (fotocopiado) contendo um plano de edição e um currículo detalhado. Textos diversos sobre a «geração de 1911», sobre o «Instituto de Investigação Scientífica Bento da Rocha Cabral» (Estatutos), sobre a Universidade de Coimbra e o processo de sindicância de 1919 (separata «A minha resposta» de António de Oliveira Salazar), completam o conjunto documental.
A documentação reflete a atividade de José Francisco David Ferreira enquanto co-organizador ou participante de reuniões científicas, conferências, seminários, simpósios e outros eventos associados à apresentação pública de temas de investigação biomédica. A maior parte da documentação respeita a eventos organizados pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FML), como o «3º Encontro Nacional de Investigação em Saúde», realizado pelo GAPIC, Gabinete de Apoio à Investigação Científica da mesma faculdade, em 1991, ou organizados por outras unidades de investigação da Universidade de Lisboa, como o «Workshop O estado actual da bioética», organizado em 1996, pelo Centro Interdisciplinar Ciência Tecnologia e Sociedade (CICTSUL). A documentação inclui programas, regulamentos e correspondência, recortes de imprensa e cartazes. São igualmente conservados documentos de simpósios e conferências com organização do IHE/CEBIP, ou eventos internacionais que contaram com a presença de David Ferreira ou de investigadores associados a este ou ao IHE/CEBIP. A documentação relativa à atividade da FMUL constitui o conjunto mais abundante, tendo sido por isso repartida em maços segundo arrumação cronológica. O maço 1 inclui a documentação produzida de 1997 a 1998, relativa ao «1º Simpósio Celestino da Costa em Biologia do Desenvolvimento», organizado pelo IHE/CEBIP, e a diversas conferências sobre Biologia Molecular, Embriologia e Morfologia da FML (ao qual acresce uma capilha suplementar com as apresentações realizadas por David Ferreira na mesma ocasião), às «3as Jornadas de Biologia do Desenvolvimento» da Universidade Lusófona, ambas em 1998. Informações sobre o «13th Annual Meeting of the European Society of Human Reproduction and Embryology» (Edimburgo, 22-25 de junho de 1997), são igualmente conservadas. O maço 2 inclui documentos sobre eventos realizados entre 1994 e 1996, na FML, no IGC, na Universidade do Minho, entre outras instituições, tais como o simpósio «Electron Microscopy in cell biology» organizado por ocasião do 25º aniversário do departamento de Biologia Celular do Instituto de Anatomia da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, com a presença de David Ferreira. Outros materiais dizem respeito às «Conferências do Convento - Estudos Gerais da Arrábida», uma das quais promovida pela Fundação Oriente e subordinada ao tema «O projecto do genoma humano» (9-11 de setembro de 1996) e outra relacionada com um «Encontro Anual de Prospectiva» (também em 1996), promovido pelo Ministro da Ciência e da Tecnologia, José Mariano Gago. O maço 3 inclui documentos idênticos sobre seminários e conferências organizadas entre 1990 e 1993, maioritariamente na FMUL, como o simpósio «O doente e o médico» (12-13 de julho de 1993), «2º simpósio Pedagogia Universidade - Ensino e Investigação, metodologia e problemas», organizado pela UTL na FCG (11-13 de dezembro de 1991), «Simpósio «Fotobiologia cutânea», na Aula Magna da FML, Hospital de Santa Maria (11 de julho de 1992). Eventos externos incluem um «3º Encontro de Clínica Geral» (Leiria, 11-13 de novembro de 1993), tendo tido a participação de David Ferreira, ou a «Reunião do Sul da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia» (Évora, 29-30 de maio de 1993), com participação de A. Cidadão. Em 1995, a «European Research Conference - Molecular biology of RNA» (Mont Sainte-Odile, 13-17 de setembro), «European Developmental Biology Organization» (Toulouse, 9-13 de julho), «2º Simpósio Internacional de Malpighi» (Roma, 14-16 de setembro), com participação de A.Cidadão e de David Ferreira, na ocasião, também convidado a integrar o Comité Científico para a indicação dos melhores posters, «30as Jornadas Luso-espanholas de Genética», Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (21-23 de setembro). Em 1994, «14º Congresso Federal Internacional de Anatomia/76º Congresso da Association des Anatomistes», realizado na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (24-30 de julho), «Confocal and nearfield microscopy - Technical exhibition» (Munique, 25-28 de abril), «RNA Processing Meeting», Universidade de Wisconsin-Madison (24 a 29 de maio), finalmente, «7º Congresso Nacional de Educação Médica», FMUP (9-11 de março de 1994). Conserva-se ainda documentação mais antiga relativa às «4ªs Jornadas Luso-Espanholas de Genética», organizadas pelo Centro de Biologia do Instituto Gulbenkian de Ciência, entre 9 e 11 de outubro de 1967, com o fim de «consolidar a cooperação» entre geneticistas ibéricos e suas instituições. David Ferreira participou nestas 4ªs jornadas proferindo uma palestra na sessão inaugural cujo texto se conserva.
Coleção de cadernos de apontamentos manuscritos reunidos por David Ferreira na sua qualidade de professor do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Lisboa. David Ferreira foi responsável pela lecionação das disciplinas de Biologia Celular, Histologia, Embriologia, bem como de unidades temáticas especializadas que se encontram refletidas em cada caderno. Formando sínteses detalhadas de conteúdos programáticos de lições ou, nalguns casos, de conferências públicas, cada tópico é enriquecido com citações e referências bibliográficas fundamentais, desenhos, diagramas, esquemas e listas de diapositivos: «Biologia Celular»; «Biologia Celular [junctional complex]»; «Tecidos epiteliais - Diferenciações»; «Tecidos conjuntivos» (maço 1); «Tecido nervoso - Formação S.N.»; «Aparelho digestivo»; «Glândulas endócrinas»; «Aparelho respiratório»; «Aparelho circulatório».
Documentação acumulada no âmbito das atividades académicas não docentes que Francisco David Ferreira desempenhou, como sejam a orientação de teses de doutoramento, a presidência de colégios de júris ou a participação em júris de concursos de agregação ou para obtenção de graus académicos, a emissão de pareceres sobre projetos de investigação apresentados à Faculdade de Medicina de Lisboa, a avaliação curricular de candidatos. A presente unidade contém documentos datados de 1974 a 1999 relacionados com projetos de dissertações na área das ciências biomédicas. Inclui correspondência interna, nomeadamente convocatórias e requerimentos, bem como currículos, separatas, propostas de dissertação, relatórios pedagógicos, projetos de agregação dos seguintes autores: Lucinda Mata, Luís Filipe de Menezes Falcão, Mamede de Carvalho, José Manuel Ferro, Maria Isabel de Sousa Rocha, Maria Margarida Barreira Lucas, Ivo da Piedade Álvares Furtado, Nuno Felix da Costa, Armando Brito de Sá, Evangelista Casimiro Rocha, David Fernando da Rocha Pereira Coutinho, Maria José Lopes Amaro, A.J. Almeida Ricardo, Maria Manuela Gil Guerreiro e Ofélia M. Carvalho, Maria do Carmo Fonseca, Lígia A. Pinto, Maria de Lurdes Vital Moreira Quimado (sic), Pedro Gonçalves Pinto da Silva (cujo processo inclui um conjunto de separatas publicadas em periódicos estrangeiros), José Guilherme de Brito Cortez Pimentel (plano de tese) e Fernando Augusto Coelho Rosa (relatório pedagógico com o título «Ensino-aprendizagem da pediatria», apresentado como prova pública de habilitação ao título de professor agregado de pediatria da Faculdade de Medicina de Lisboa, em 1998). Finalmente, também se inclui na presente unidade de instalação uma listagem de pessoal da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (docente, não docente, técnico e administrativo), para o ano letivo de 1998-1999. A documentação mais antiga ilustra a progressão na carreira académica de David Ferreira, bem como outras circunstâncias escolares e extra-escolares da vida deste cientista, como pedidos de equiparação a bolseiro, atribuição de tarefas de coordenação de disciplinas, nomeações como professor extraordinário da Faculdade de Medicina (1975), admissão a concurso para professor catedrático (1980), e nomeação definitiva nesse lugar em 1982 (com efeitos desde 1979). Entre outros documentos, conserva-se uma "memória" contendo «Propostas relativas à regência da cadeira de biologia médica», datada de 1974.
Contém cadernos de apontamentos manuscritos reunidos por José Francisco David Ferreira na sua qualidade de professor do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Lisboa. David Ferreira foi responsável pela lecionação das disciplinas de Biologia Celular, Histologia, Embriologia, bem como de unidades temáticas especializadas que se encontram refletidas em cada caderno. Formando sínteses detalhadas de conteúdos programáticos de lições ou, nalguns casos, de conferências públicas, cada tópico é enriquecido com citações e referências bibliográficas fundamentais, desenhos, diagramas, esquemas e listas de diapositivos: «Fígado e pâncreas»; «Aparelho reprodutor masculino»; «Citoesqueleto»; «Fixação - Análise comparativa dos fixadores - M.E.» (maço 1); «Relações célula - matriz extracelular»; «Tecido Muscular»; «Cell diameter measurements»; [Aulas - «Organização macromolecular» etc.]; «Vários» [Morfologia].
Contém um conjunto de documentos relacionados com provas de dissertação de doutoramento apresentadas à Faculdade de Medicina, à Universidade de Lisboa ou a outras universidades, dos seguintes autores: Maria de Lourdes Gomes Pereira (inclui CV, relatório de disciplina, correspondência e anotações manuscritas; David Ferreira foi orientador desta candidata a doutoramento pela Universidade de Aveiro), Artur Perez Águas (com relatório pedagógico, sumário de lição proposta para o concurso de habilitação ao título de professor agregado de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, da Universidade do Porto, subordinada ao tema «Anatomia dos linfáticos do pulmão», bem como dois exemplares do currículo), Fausto José da Conceição Alexandre Pinto (com um exemplar de relatório pedagógico apresentado a concurso de habilitação ao título de professor agregado da Faculdade de Medicina de Lisboa, autografado e dedicado a David Ferreira, currículo e lição de síntese), Mário Manuel da Silva Leite Sousa (programa da disciplina de «Biologia Celular» apresentado ao Laboratório de Biologia Celular do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto, no âmbito de um concurso para professor associado), Isaura Ferreira Tavares (resumo e dissertação de candidatura ao grau de doutor apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, num exemplar autografado e dedicado a David Ferreira). A restante documentação consiste em convocatórias ou textos preparatórios de arguições ou defesas em provas de doutoramentos de Maria da Conceição Magalhães, Lucinda Mata, João Manuel de Vasconcelos e Costa, Isabel Maria Pereira do Amaral. Neste último conjunto, preserva-se informação sobre a constituição do júri da prova de concurso para o cargo de professor extraordinário da Faculdade de Medicina, apresentada por David Ferreira, em 1978.
Documentação relacionada com a gestão da Faculdade de Medicina de Lisboa (FML): predominam pareceres e relatórios, correspondência, inquéritos, projetos e programas, com destaque para o plano de reforma e ampliação do biotério da FML, entre 1994 e 1998, com a gestão de aspetos práticos (projetos de obras, orçamentos, propostas) e outros de ordem imaterial (ética, normativa, deontológica) implicados na modernização de instalações e de procedimentos (transposição de diretivas europeias sobre experimentação animal). A reestruturação do biotério aconteceu ao abrigo do Programa CIENCIA e envolveu, para além da FML, a Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa. Encontramos ainda correspondência avulsa entre diversas faculdades da Universidade de Lisboa, bem como entre esta e outras entidades exteriores, p.e., a respeito do estabelecimento de protocolos ou da criação de novas unidades como o «Instituto de Matemática» ou formações pós-graduadas na área da Medicina (Mestrados em Medicina Legal ou em Medicina Desportiva). Um importante sub-conjunto de documentos respeita à revisão do ensino da Genética na FML. Comporta relatórios, programas de estudos, cópias de publicações nacionais e estrangeiras, informações sobre a realização de um «X Simpósio Bioética e Vulnerabilidades» organizado pelo Centro de Bioética da FML (2003), com uma conferência de Albert Schweitzer, uma separata conjunta de Xavier Morato, Teixeira Pinto, Fernandes Baptista e Frias de Sá sobre «Estudos de Citogenética realizados no IHE da Faculdade de Medicina de Lisboa de 1961 a 1968», uma cópia dos Estatutos da Sociedade Portuguesa de Genética Humana e, por fim, um artigo da autoria de David Ferreira intitulado «Problemas relativos ao ensino da genética na Faculdade de Medicina de Lisboa». Outro processo documentado dá conta de um pedido de José Carro Otero, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Santiago de Compostela, para estudar a coleção de embriologia do IHE. Ainda no âmbito da cooperação internacional, conservam-se documentos relativos a um projeto conjunto com financiamento europeu, entre as Universidades de Nimega e Leiden e a FML (1990-1991), e a um «Programa de Cooperação Científica e Tecnologica» ao abrigo da Comissão Mixta Franco-Portuguesa. Reportada ao ano de 1967, é a documentação produzida por uma Comissão encarregue de apresentar uma «proposta de revisão dos planos de estudos de Medicina», na forma de um Parecer enviado a Xavier Morato. A Comissão fora constituída pelos seguintes elementos: J. Cândido de Oliveira (relator), P. Almeida Lima, A. Ducla Soares, J. Celestino da Costa e J.P. Miller Guerra. A presente unidade de instalação abrange ainda outros assuntos de gestão da universidade de Lisboa (avaliações internas, constituição de juris, convites), entre os quais, um projeto de cooperação entre o IHE e o Instituto Gulbenkian de Ciência (1997, 1998), com correspondência entre David Ferreira, António Coutinho, Maria do Carmo Fonseca; revisão das carreiras dos profissionais da Escola Superior de Belas-Artes, entretanto (1992) integrada na Universidade de Lisboa como Faculdade de Belas Artes. Inclui, igualmente, alguma informação sobre cursos e apresentações na Faculdade de Medicina («Tempo, rítmos e saúde», 1998, «Filosofia da medicina», 1997), com textos da autoria de David Ferreira.
Documentação relativa à administração do Laboratório de Biologia Celular (LBC) do Centro de Biologia (CB) do Instituto Gulbenkian de Ciência, entre 1964 e 1990. A maior parte consiste em correspondência - cartas, pareceres, informações internas que ilustram os relacionamentos que o produtor foi estabelecendo com diversas personalidades, no âmbito das funções de gestão do LBC e de promoção de intercâmbios de cientistas, ao abrigo - entre outros - dos cursos de pós-graduação ou «Estudos Avançados de Oeiras». Entre os correspondentes de David Ferreira encontra-se John Anthony Morris que foi, nos anos 70, diretor do departamento de virologia do National Cancer Institute (National Institute of Health, Bethesda, Maryland, EUA), especialista em micropatologia das infeções por vírus lentos (scrapie e outras encefalopatias). Alguma documentação reporta-se à exploração de possibilidades de cooperação entre o LBC o NCI, bem com à estadia de J.A.Morris no laboratório português programada para 1968, no seguimento de outras que o cientista efetuara em 1966 e em 1974. Parte da correspondência reunida incide sobre aspetos técnicos da investigação laboratorial em microscopia eletrónica, em virologia e em micropatologia. Em foco, do mesmo modo, a circulação e o intercâmbio de amostras de culturas entre laboratórios, a realização de eventos como o «Workshop - Symposium on “Slow, latent and temperate vírus infections”» organizado pelo NIH, em Dezembro de 1964, de que subsistem algumas informações. Outro conjunto documental reúne a correspondência trocada entre David Ferreira e Gerson Cotta-Pereira da UEG, Universidade do Estado da Guanabara (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), e outros cientistas brasileiros. Reporta-se à estadia de Cotta-Pereira no LBC, entre maio de 1972 e maio de 1973. O conjunto incide sobre o intercâmbio de informações científicas, técnicas e administrativas. Outros assuntos respeitam ao «Programa de Intercâmbio» do Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro com o IGC, ao abrigo do qual se deslocaram a Portugal dois cientistas brasileiros, Eduardo Penna Franca e Roberto Alcântara Gomes, em 1974. Conserva-se igualmente uma versão não datada do artigo científico «Estrutura e função dos componentes fibrosos da matriz intercelular», de Cotta-Pereira e outra documentação relacionada com o «II Congreso ibero-americano de histoquímica y citoquímica/III Congreso Iberoamericano de biologia celular/VI Congreso latino-americano de microscopia eletrónica» que se realizou em Maracaibo, Venezuela, entre 2 e 8 de dezembro de 1984. Dos anos 80, salienta-se a informação relativa ao «NATO Advanced Research Workshop on Plant response to stress - Functional Analysis in Mediterranean Regions», organizado em Sesimbra, no Hotel do Mar, entre 13 e 19 de outubro de 1985 (convite e programa). Finalmente, encontram-se convites endereçados a diversas personalidades (Arvid Maunsbach, Bjorn Afzelius, Jacek Godula, Luís Tamarit, Alberto Ribeiro, Lucinda Mata, entre outros), ou ao próprio David Ferreira, que em março de 1985 foi convidado a visitar a Universidade de Cracóvia, por ocasião da Conferência de Microscopia Eletrónica organizada nesta cidade polaca, aí apresentando em conferência «Cytoskeleton and extracellular matrix organization». Também se encontra documentada a estadia de David Ferreira no Brasil, em 1987, a convite da Fundação Oswaldo Cruz. Encontram-se ainda informações sobre o «Second European Congress on cell biology», organizado em Budapeste, entre 6 e 11 de julho de 1986, sobre o Programa de Intercâmbio de Jovens Cientistas Portugal/Brasil, finalmente, sobre os cursos de «Introdução à imunocitoquímica» e «Morfologia e métodos estereológicos», realizados por Maria do Carmo Fonseca e António Cidadão, ao abrigo do convénio de cooperação entre a Universidade de São Paulo e o IGC, de 1986.
Contém conjuntos documentais relacionados com a produção científica de José Francisco David Ferreira. Inclui, maioritariamente, versões provisórias e versões finais de artigos científicos, provas fotográficas (microfotografias) utilizadas para a ilustração dos mesmos trabalhos, correspondência com as editoras responsáveis pela publicação e com investigadores associados (p.e., Martine Perrot-Applanat, investigadora de que se conservam igualmente algumas separatas publicadas com David Ferreira). Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes artigos, temas ou projetos: 1) «Gap junction-ribosone association after autolysis»; 2) «Interstitial cells»; 3) «Association between intermediate sized filaments and mitochondria in rat leydig cells»; 4) «Immunocytochemical localization of progesterone - binding protein (PBP) in guinea-pig placentual tissue»; 5) «Structure and function of the testis interstitial cell membrane» (título de projeto). 6) «Immumocytochemical Localization of Corticosteroid-Binding Globulin (CBG) in Guinea Pig Hepatocytes»; Este conjunto documental inclui também documentos relacionados com a preparação das comunicações apresentadas na 12ª Reunião da Sociedade Portuguesa de Microscopia Eletrónica e da 3ª Reunião da Sociedade Brasileira de Microscopia Eletrónica. A documentação mais antiga que se conserva respeita aos anos de 1958 a 1962. Reúne sobretudo correspondência de teor científico e técnico trocada entre David Ferreira e diversas personalidades portuguesas e estrangeiras, incluindo pedidos de intercâmbio de publicações, separatas e materiais fotográficos, congratulações, pareceres e comentários que permitem avaliar a boa receção dos trabalhos de investigação em torno de temas específicos - por exemplo, da estrutura e função fagocitária das plaquetas sanguíneas -, desenvolvidos por David Ferreira. Algumas cartas dizem ainda respeito às possibilidades de colocação de recursos humanos em laboratórios e centros de investigação estrangeiros que David Ferreira avaliara após o seu regresso do Institut de Recherches sur le cancer, em Villejuif.
Documentação relacionada com a administração da Faculdade de Medicina de Lisboa, refletindo diferentes níveis de atividade inerentes aos departamentos escolares e aos órgãos da mesma Faculdade, no período compreendido entre os anos 90 e 2000. Os documentos ilustram vários acontecimentos académicos, protocolares e extra-académicos nos quais David Ferreira participou ou foi promotor: ciclo de conferências «Estudos Gerais Livres - Manuel Viegas Guerreiro» (2001); ciclo «DNA 50» (2003), na Fundação Calouste Gulbenkian; congresso «O nosso genoma» (2001). Conservam-se igualmente cópias de discursos e intervenções de David Ferreira, bem como documentos relativos a outras iniciativas da FML como o «Lisbon Meeting - Mobility through clinical education and research in the mandatory training period», organizado pelo Departamento de Educação Médica da mesma Faculdade, em 1994. A correspondência de teor administrativo reporta-se ao exercício de funções diretivas e/ou de coordenação em conselhos pedagógicos ou órgãos como o GAPIC - Gabinete de Apoio à Investigação Científica -, ou ainda com funções de representação em organismos internacionais como o Comité Permanente das Ciências Médicas na European Science Foundation (1998), ou a European Biomedical Research Association (1994-1997), ou ainda visitas de estudo (p.e., ao CNRS, Centre National de la recherche Scientifique, em 1985). Nomeações para a constituição de júris de provas de agregação, convites no âmbito do «8º workshop "Educação pela Ciência"», organizado pelo GAPIC, em 2005, também são refletidos na documentação. Igualmente relacionada com o GAPIC é a documentação de divulgação do «6º workshop de "Educação pela Ciência» na sua edição de 2003, a que se associam materiais de divulgação e alguns projetos de alunos. De 1998 subsiste o «termo de posse» de David Ferreira como vice-reitor da Universidade de Lisboa, a que se segue no ano seguinte, ano da sua jubilação, um requerimento para manutenção no exercício de funções. Uma homenagem ao professor António Coimbra pelo IHE da Universidade do Porto, também em 1998 (comunicação «António Coimbra - Um percurso exemplar» publicada no suplemento do volume 13 de "Arquivos de Medicina", FMUP 1999), um projeto de «Criação de uma Comissão Coordenadora da Investigação Científica», bem como o texto «O professor doutor J.A. Esperança Pina (um apontamento)», não datados, completam o conjunto de documentos conservados. A U.I. inclui uma coleção de currículos e listas bibliográficas bem como correspondência de/para David Ferreira na qualidade de vice-reitor bem como outros documentos sobre a «auto-avaliação da Universidade de Lisboa», sobre a criação de uma «Fundação Internacional Racionalista» (onde se inclui um texto de Manfred Buhr, «A coragem para a razão»), ou a criação de novos órgãos como um «Instituto Nacional de Investigação Biomédica», avançado numa proposta de Fernando Lopes da Silva, datada de 2001.
Documentação relativa a eventos de âmbito protocolar ou cultural, exposições e outras cerimónias públicas universitárias e científicas. Inclui, p.e., doutoramentos honoris causa e propostas que os fundamentam, prémios criados e atribuídos a diversas personalidades, incluindo o próprio produtor. O Prémio Pfizer/Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa atribuído a David Ferreira, em 1981, pelo trabalho «Análise estereológica da dinâmica dos poros nucleares na próstata do rato» (com Maria do Carmo Fonseca), é documentado num processo que inclui diversas versões enviadas para publicação no Journal of Ultraestructure Research, bem como outros artigos científicos como «Computer analysis of pore patterns on prostate nuclei isolated from rats under different hormonal conditions» (1982). As atividades da Fundação Pulido Valente (FPV) entre 1995 e 2005 são também documentadas: estatutos, exposição bibliográfica «Pulido Valente e o seu tempo»; Prémios Professor Francisco Pulido Valente para o melhor aluno da disciplina de clínica médica (várias edições); o convite endereçado a David Ferreira para integrar o Conselho Consultivo desta Fundação, em 1998. Menciona-se ainda o Prémio Serono da Fundación Salud 2000, atribuído em Lisboa. Outros documentos conservados são um discurso de Gerson Cotta-Pereira em homenagem a José Francisco Soares Cardoso Pessoa, antigo diretor do INIA falecido em 1989; informação da criação de uma Comissão Promotora de homenagem a José Ribeiro dos Santos que fora diretor do Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian, sobre o Prémio Gulbenkian de Ciência e Tecnologia subordinado ao tema das Ciências da Natureza; a atribuição do Prémio Boa Esperança/JNICT 1995 bem como de um Prémio Jacinto de Magalhães de Genética Médica, a Luísa Vieira. Reúne-se ainda documentação sobre a exposição «Viagem pela medicina com as pinturas de Veloso Salgado», realizada em 1999, na Faculdade de Ciências Médicas, sobre a cerimónia de jubilação do professor Fernando Pádua em 1997, ilustrada com convites, programas, brochuras e um currículo, bem assim, a proposta de concessão de doutoramento Honoris Causa a Carleton Gajdusek (Prémio Nobel 1976), em 1990, completada com documentação relativa a outras figuras da ciência como José Sala-Trepat ou Rita Levi-Montalcini (Prémio Nobel 1986), conferencista convidada pela Faculdade de Medicina de Lisboa - a par de Gajdusek - no âmbito de «Diálogo com o futuro», programa de conferências sobre neurociências. Ainda na presente unidade inclui-se a documentação relativa à cerimónia de jubilação de David Ferreira, em 1 de julho de 1999. A cerimónia na Aula Magna da Faculdade de Medicina de Lisboa, contemplou uma sessão solene presidida por Eduardo Marçal Grilo, na qual participaram vários colegas e professores da Faculdade de Medicina de Lisboa, alunos e amigos. Inclui cartões de felicitações enviados por personalidades como José Mariano Gago, Sobrinho Simões ou Machado Caetano, bem como os textos dos dicursos proferidos por Gerson Cotta-Pereira e pelo próprio David Ferreira, recortes de imprensa e fotografias. Em 2001, David Ferreira foi homenageado na FML, pela passagem dos cinquenta anos de licenciatura, numa cerimónia realizada por ocasião da abertura do Ano Académico 2001-2002. Sobre esta iniciativa conserva-se também alguma documentação.
Coleção de artigos, listas e resumos da autoria ou coautoria de David Ferreira, produzidos no âmbito de investigações conduzidas ou no Instituto Gulbenkian de Ciência ou no Instituto de Histologia e Embriologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. São, em muitos casos, artigos redigidos em colaboração com investigadores que trabalharam sob a orientação de David Ferreira ou colaboradores próximos deste último, como sucede com Leonor Parreira com o artigo «A medicina e a nova biologia», do qual se conserva uma prova. Conserva-se do mesmo modo uma "coleção de autor" formada por um conjunto de separatas enviadas para diversas publicações nacionais e internacionais por David Ferreira em associação com investigadores do IGC e/ou do IHE, p.e., António Cidadão, Lucinda Mata, Maria do Carmo Fonseca, Sérgio Gulbenkian, Alberto Ribeiro, M. H. Ferronha, Carlos Plancha, Sólvieg Thorsteinsdóttir, Gerson Cotta-Pereira, Isabel Abreu e Fernando Guerra Rodrigo. Subsistem entre outras «Alguns conceitos fundamentais de ultraestrutura celular» (1969), «A contribuição da FCG para o desenvolvimento da investigação bio-médica em Portugal» (1986) e «A dor na criança e no jovem» (nd.). Na presente coleção, conserva-se uma separata de 1958, «Observation au microscope electronique des granules intranucléaires dans les cellules de l'épiderme des rats nouveau-nés», publicada nos «Comptes-rendus des séances de la Société de Biologie», bem como um processo relacionado com a edição dos «Livros de Biologia Celular e Molecular» organizada pelo ICBAS - Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, à qual David Ferreira deu colaboração, entre 1992 e 1998. Destaca-se ainda um conjunto relacionado com o tema da didática da comunicação científica que inclui separatas, normas, material gráfico e fotográfico. Por último, inclui-se alguma documentação esparsa: dois textos, prováveis discursos públicos (não assinados e não datados), um dos quais dedicado a François Jacob, cientista francês que fora distinguido com o Prémio Nobel da Medicina em 1965 e outro sobre Artur Torres Pereira, professor da Faculdade de Medicina e antigo presidente da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa (com prova e cópia do artigo «Artur Torres Pereira - Um caso raro de dedicação ao serviço público»); resumo de tese de Clarissa Jane Cook (2001); uma lista manuscrita das publicações de David Ferreira; programa (cópia) de palestras no âmbito de «Pedra filosofal - Rómulo de Carvalho/António Gedeão», exposição organizada pelo Museu de Ciência da Universidade de Lisboa, em 2001, um cartão manuscrito do próprio Rómulo de Carvalho, com data de 1977. Um último conjunto relaciona-se com Luís Ernani Dias Amado e com uma homenagem que lhe foi prestada em 1981, conservando-se igualmente uma cópia de um discurso proferido por David Ferreira nos «Encontros luso-espanhóis de Oncologia».
Inclui dois conjuntos documentais distintos relacionados com a atividade de José Francisco David Ferreira, enquanto administrador da Universidade de Lisboa e da Fundação homónima. Um primeiro conjunto é, pois, constituído por diversos documentos relativos ao ICCTI - Instituto de Cooperação Científica e Tecnológica Internacional, e às funções de «delegado nacional do Programa Quality of life - subgrupo Biomedicine and Health», bem como de representante na «Task force on biological resource Centers»/Grupo de Trabalho sobre Biotecnologia do Comité de Política Científica e Tecnológica da OCDE, finalmente, de delegado nacional ao European Medical Research Council, funções para que David Ferreira foi designado na sua qualidade de vice-reitor da Universidade de Lisboa. Inclui-se correspondência (do ICCTI para David Ferreira mas também do OCT - Observatório das Ciências e das Tecnologias), informações sobre reuniões, boletins itinerários, cartões de embarque e programas de trabalho, bem como um relatório sobre a evolução da Universidade de Lisboa (c.1997) e algumas informações estatísticas sobre a frequência e o aproveitamento dos alunos da Faculdade de Medicina da mesma Universidade, para os anos de 1987-1988. O segundo conjunto documental é constituído por relatórios de gestão do Instituto de Medicina Molecular (IMM) e pelos programas de estudos da disciplina de Biologia Molecular da Célula do Instituto de Biologia Molecular (sic) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.
Contém documentos relacionados com a gestão do Instituto de Histologia e Embriologia da Faculdade de Medicina de Lisboa, nomeadamente correspondência e outros relacionados com a organização de eventos como «A biologia hoje e no futuro - Seminário Gulbenkian Biologia e Complexidade», subordinado ao tema «Desenvolvimento embrionário e biologia celular», entre 16 e 18 de maio de 1994. Contém igualmente informação relacionada com o «2nd International Malpighi Symposium», realizado em Roma, entre 14 e 16 de setembro de 1995, no qual David Ferreira participou, um convite de Pietro Motta - cientista e organizador dos simpósios italianos - para colaborar numa edição de homenagem ao anatomista italiano Marcello Malpighi. Outra informação trocada com universidades estrangeiras (Brasil, Espanha), a respeito de organização curricular do ensino médico inclui-se também nesta unidade de instalação, a par de dois volumosos processos, um dos quais relativo a um contrato de financiamento concedido ao CEBIP, por via do Programa CIENCIA (JNICT). Este último inclui uma cópia do contrato e uma «descrição sumária das instalações e equipamentos disponíveis» das sete unidades de investigação integradas no referido Centro (biologia celular e molecular, bioquímica celular, genética bacteriana, farmacologia molecular, patologia molecular, imunologia celular, biologia e patologia cutâneas), relatórios de progresso, recibos, tabelas de recursos humanos, listas de publicações, formulários, declarações e correspondência. A Fundação da Universidade de Lisboa foi a entidade executora deste projeto. A presente unidade de instalação inclui, ainda, documentação relativa a um contrato entre a Comissão das Comunidades Europeias, o European Molecular Biology Laboratory e as universidades de Oxford, Cantabria e Lisboa, para acolhimento de um investigador estrangeiro, Peter Jordan, ao abrigo de uma bolsa de pós-doutoramento. Por fim, contém um pequeno conjunto documental relativo à avaliação das candidaturas a bolsas do Programa Praxis XXI (David Ferreira fez parte do painel de avaliadores para o grupo das Ciências da Saúde, no período em apreço). Outras informações consistem em propostas internas relativas a diversos estagiários no IHE, de que se conservam os de Dominique Vautier, Helena Sofia Campos Pereira, Hélia Neves, Ana Sofia Quina, Benedita Barros.
Contém correspondência datada de 1955 a 1990, que corresponde ao período em que David Ferreira exerceu funções como investigador e assistente do Instituto de Histologia e Embriologia, antes de prosseguir como bolseiro do Instituto de Alta Cultura e depois da FCG, nos EUA. Inclui, portanto, alguma informação relativa ao início da carreira do produtor antes ainda da sua ligação ao futuro IGC, abrangendo o período em que estagiou no Institut de Recherche sur le Cancer Gustave Roussy, em Villejuif, Paris. Entre a documentação mais antiga, destaca-se uma carta de Charles Oberling a Augusto Celestino da Costa, com data de abril de 1955, dando conta da aceitação de David Ferreira como estagiário naquele Instituto francês. A documentação prolonga-se depois num ciclo longo de atividades relacionadas com a gestão e a produção de ciência no Laboratório de Biologia Celular do Centro de Biologia do IGC, que se encerra nos anos 90. A maior parte da documentação (cartas, pareceres, informações internas) ilustra os contatos tidos com as mais diversas personalidades (José de Azeredo Perdigão, Francisco de Paula Leite Pinto, Horácio Menano, António Coimbra, Nicolau van Uden, Arsélio Pato de Carvalho, Vitorino Nemésio...) no âmbito das funções de administração e direção do Laboratório de Biologia Celular do IGC. Entre outros assuntos, são referidos convénios entre o IGC e instituições nacionais e estrangeiras (por exemplo, com o Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil), a aquisição de equipamentos e produtos laboratoriais, os cursos de iniciação à investigação científica, de «Biologia para jovens», de pós-graduação em «ultraestrutura celular», a receção de investigadores e/ou bolseiros estrangeiros, os convites para intercâmbios científicos e a discussão pontual de problemáticas de natureza científica e técnica como a criofratura. Com certa frequência, o produtor reuniu coleções epistolares por destinatário. Na presente unidade de instalação, tal acontece com o conjunto de correspondência de e/ou para Pedro Pinto da Silva, engenheiro português especialista em criofratura ou «freeze etching», ativo no Salk Institute da Califórnia, na década de 70.
Documentação relacionada com as atividades de representação exercidas por David Ferreira no seio do Conselho Nacional de Educação (CNE) e do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV). Enquanto vice-presidente da FEPASC e na qualidade de membro da direção da Sociedade Portuguesa de Microscopia Eletrónica, David Ferreira foi representante delegado daquela federação no Conselho Nacional de Educação, entre 1992 e 1994. A documentação reunida respeita pois aos atos e atividades do Conselho que David Ferreira acompanhou durante esse período, incluindo correspondência, atas e relatórios, pareceres e projetos de pareceres, planos de atividades bem como listagens nominais, materiais de divulgação de seminários. Inclui ainda propostas de projetos de legislação, nomeadamente um projeto sobre «avaliação e acompanhamento das instituições de ensino superior» que visou instituir um «sistema de avaliação da qualidade científica e pedagógica das instituições de ensino superior», bem como outros assuntos como a criação de uma «Fundação das universidades portuguesas», «Democratização e qualidade de ensino», «Estatuto do ensino superior particular e cooperativo», «Programa de desenvolvimento educativo para Portugal», «Educação ambiental», «Educação pré-escolar», «Avaliação dos alunos do ensino secundário», entre outros a que o CNE foi chamado a dar parecer no período considerado. A documentação foi separada em dois maços, o primeiro, com documentos de 1992 e 1993, o segundo reunindo documentos de 1993 e 1994. Um terceiro maço incorpora documentação relacionada com a ética e com a organização institucional da investigação em neurociências e em ciências da saúde, no contexto da criação do Programa Ciência, incluindo correspondência de David Ferreira, Fernando Lopes da Silva e Manuel Sobrinho Simões, do IPATIMUP. A atividade do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV) é documentada para o período de 1996 a 2001. Inclui a mesma tipologia de documentação: atas e relatórios, pareceres e projetos de pareceres, deliberações, convites, correspondência e recortes de imprensa sobre os temas relacionados com a área de atuação deste Conselho formalmente criado em 1990 e que, no período em apreço, foi presidido por Luís Archer. Os assuntos dizem respeito a «utilização terapêutica de produtos biológicos de origem humana e de biotecnologia», «identidade genética», «salvaguarda da dignidade humana», «interrupção voluntária da gravidez». A documentação inclui a cópia do Despacho (nº 75/96) da Presidência do Conselho de Ministros que designa os membros constituintes do CNECV para o referido período, bem como a documentação relacionada com a organização do seminário «Poderes e limites da genética», realizado em Lisboa, nos dias 17 e 18 de novembro de 1997, no qual David Ferreira participou na qualidade de membro do mesmo Conselho. Um convite para a apresentação pública do «Parecer Conjunto CNADS-CES sobre organismos geneticamente modificados» de 2001, conserva-se também nesta unidade de instalação.
A documentação preservada relaciona-se com as atividades que Celestino da Costa desempenhou ao longo da vida: investigador, professor, gestor público de ciência. O acervo inclui, maioritariamente, provas de autor de artigos científicos, correspondência trocada entre Celestino da Costa e outras personalidades das ciências e da cultura portuguesas, recortes de imprensa, e outros numerosos escritos de caráter profissional como relatórios, pareceres, atas da Junta de Educação Nacional ou do Instituto para a Alta Cultura. Entre a documentação, encontram-se ainda alguns escritos esparsos do filho de Augusto Celestino da Costa, Jaime Augusto Croner Celestino da Costa (1915-2010) que fora aluno do pai, médico como ele e, desde 1941, assistente da Faculdade de Medicina de Lisboa; mais tarde foi chefe de serviço do Hospital de Santa Maria.
Coleção documental relacionada com a produção científica de José Francisco David Ferreira ou com temas que constituíram áreas de investigação do produtor ou de colaboradores próximos. Inclui-se aqui a matriz do artigo «Adult rat cardiomyocytes re-express neural cell adhesion molecule (N-CAM) on their surface after chemical sympathectomy», resultado de uma investigação conjunta do Departamento de Biologia Celular do IGC e do Department of Histochemistry da Royal Postgraduate Medical School (RPMS) de Londres, envolvendo os seguintes investigadores: M. J. Santos, S. Gulbenkian e David Ferreira, pelo IGC, J. Wharton, L. Gordon e J. Polak pela RPMS. O artigo destinou-se a ser publicado na revista «Brain research», em 1990. O processo inclui material fotográfico bem como uma carta de Giorgio Gabella, editor associado de outra publicação especializada, o «Journal of the Autonomic Nervous System» dirigida a Sérgio Gulbenkian informando-o da aceitação para publicação de um artigo sobre «Peptide-containing innervation of guinea pig coronary arteries». A presente unidade de instalação conserva, igualmente, uma coleção de documentação sobre a técnica da centrifugação celular, organizada pelo próprio David Ferreira. Esta inclui cópias de separatas científicas de autores portugueses e estrangeiros bem como um programa de estudos sobre «Fraccionamento e separação de componentes celulares», apresentado por Artur Geraldes no Curso de Ultraestrutura Celular realizado no âmbito do Estudos Avançados de Oeiras, em 1970. Reúnem-se, por fim, papéis relativos a dois projetos de investigação em que David Ferreira participou como co-autor ou como supervisor, no Instituto Gulbenkian de Ciência. São eles, «Interacções nucleo-citoplasmáticas em células androgeno-dependentes», «cultura de células de próstata ventral de rato», «Morphometry of nuclear organization in rat ventral prostate cells» e «Androgen dependent nuclear proteins in rat ventral prostate», de Maria do Carmo Fonseca (inclui separatas, planos de trabalho manuscritos e datilografados), e «Reevaluation of fibronectin-collagen interactions in tissues», investigação de que resultou uma publicação conjunta de António Cidadão, Solveig Thorsteinsdottir e David Ferreira no «Journal of Histochemistry and Cytochemistry», em 1987. Ainda de A. Cidadão, conserva-se o artigo «EM cytochemistry and relationships of the nuclear bodies from rat epithelial cells...» (1986). «Estudo da cicatrização da pele humana» e «Relações epitelio-conjuntivas da pele da codorniz durante o desenvolvimento embrionário» são dois projetos relacionados com o cientista brasileiro Gerson Cotta-Pereira igualmente conservados. Relacionado com um trabalho de Carlos Plancha enviado para publicação no jornal internacional «Differentiation» e sujeito a revisão por pares, conserva-se intitulado «Cytokeratin filaments present in golden hamster oocytes and early embryos» (1989). Dos anos 80, subsiste um exemplar datilografado e autografado de «História da história da educação em Portugal», da autoria de Rui Grácio, e dos anos 60 e 70, correspondência de Pedro Eurico Lisboa para David Ferreira a propósito de investigações em «Ultraestrutura da cirrose hepática dos cães». Dois cadernos de apontamentos (datados de 1955 e 1974), com notas manuscritas sobre experiências laboratoriais, bem como um «Prefácio» (não datado) sobre imagiologia, observação e evolução científica, completam o leque da documentação conservada.
Documentação relacionada com um mestrado em Biologia Molecular Humana, criado em 7 de maio de 1996 (data de publicação do despacho reitoral em Diário da República), por associação entre as Faculdades de Farmácia e de Medicina da Universidade de Lisboa e as Faculdades de Ciência e Tecnologia e de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa. Essa associação aconteceu no contexto do Programa Ciência que visou, entre outras, redimensionar as unidades de investigação científica e universitária e fomentar a cooperação entre estas. O ciclo de estudos do mestrado em Biologia Molecular Humana foi posto em prática no ano letivo de 1996/1997, mediante concurso de admissão de alunos. Na presente unidade de instalação, conservam-se brochuras de apresentação, planos de estudos, sinopses, correspondência e outros documentos administrativos relacionados com a montagem do mestrado, incluindo-se cópias (em papel e em disquete 3,5") do protocolo assinado entre a Universidade de Lisboa e a Universidade Nova, bem como listas de candidatos admitidos e excluídos, recursos hierárquicos, versões do despacho reitoral conjunto, calendários, projetos de mestrado, pareceres e declarações, currículos e pautas de classificação, formulários de avaliação. À época coordenador do Centro de Biologia e Patologia Molecular (CEBIP), diretor do Instituto de Histologia e Embriologia, David Ferreira encontrava-se do mesmo modo na direção do GAPIC, Gabinete de Apoio à Investigação Científica, tendo sido nomeado membro da Comissão Científica do mestrado em Biologia Molecular Humana pelo Presidente do Conselho Científico da Faculdade de Medicina de Lisboa, pelo que teve um papel de relevo na gestão deste novo ciclo de estudos. A comissão científica eleita para a gestão do mestrado em Biologia Molecular Humana teve a seguinte composição: pela Universidade Nova de Lisboa, Luís Archer (presidente da referida Comissão), Leonor Osório e J. Rueff; pela Universidade de Lisboa, J. Moniz Pereira e David Ferreira que integrou ainda o corpo docente deste curso que começou a ser preparado em 1991. Do mesmo período e ainda no contexto de intervenção do Programa Ciência, data a informação relativa a protocolos de cooperação entre instituições e aos projetos de criação de novas unidades de investigação. São referidos o Centro de Neurociências de Lisboa bem como o «Protocolo entre as instituições que participam no Centro de Neurociências de Lisboa para efeitos de candidatura ao Programa Ciência» (FML, INIC/Centro de estudos Egas Moniz, Faculdade de Ciências de Lisboa, Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, IGC e Hospital de Santa Maria), o Instituto de Investigação Biomédica da Universidade de Lisboa, a Rede de Cooperação Científica em Ciências Biomédicas, o Centro de Investigação de Genética Molecular Humana, o «Center of Molecular Biology and Pathology». Por fim, entre a documentação mais antiga, inclui-se um exemplar dos estatutos da AIDUL - Associação para a Investigação e Desenvolvimento da Universidade de Lisboa, bem como um desdobrável e uma brochura contendo a «escritura e estatutos» de um GAPTEC, Gabinete de Apoio da Universidade Técnica de Lisboa, criado em 1983.
Coleção de artigos científicos reunida por David Ferreira, na qual se encontram provas manuscritas e/ou datilografadas resultantes de pesquisas realizadas entre os anos 60 e 80, entre as quais «Osmium deposition in the Sertoli Cells», estudo ao microscópio eletrónico realizado em parceria com Karin David Ferreira, no Instituto Gulbenkian de Ciência. Para além de transcrições manuscritas de autores estrangeiros sobre o mesmo assunto («Sertoli Cells»), a presente UI conserva igualmente uma coleção de Editoriais e outros artigos que David Ferreira publicou na revista «Medicina», entre 1980 e 1994, sobre os mais diversos assuntos relacionados com o ensino médico, com a investigação científica ou com a Faculdade de Medicina de Lisboa. Relativamente aos trabalhos científicos, são documentados: - «Herpes-like virus isolated from neonatal e fetal dogs», projeto conjunto desenvolvido por Sarah Stewart, Elizabeth Lovelace, John Landon, Neal Stock e David Ferreira, com microfotografias (positivos e negativos), anotações manuscritas diversas, separatas e uma prova de autor impressa pela revista «Science»; - «Ovário - Junções», por Maria Helena Ferronha, projeto do qual apenas se conservam provas microfotográficas avulsas e montadas sobre cartolina, bem como «Nuclear channel system in the theca cells of the hamster ovary» - «Estudo em microscopia óptica e electrónica da inervação do sistema de condução do coração» (manuscrito não assinado, ilustrado); - «Fecundação artificial. Reflexões sobre o progresso científico e tecnológico», por David Ferreira (provas revistas e anotadas do artigo publicado no nº 45 de Vértice, dezembro de 1991); - «A cytochemical study of rat cervical sympathetic ganglia neurons. Nematosomes and coiled bodies», artigo não assinado. Subsistem igualmente referências a projetos de investigação dos quais apenas se conservam folhas avulsas, por exemplo, um projeto de Telma Zorn que fora bolseira no IGC, intitulado «Organization of intermediate filaments...»; «Análise funcional do corpo espiralado...», resumo de projeto de Maria Fátima Alves de Almeida; «Análise imunocitoquímica da distribuição de neuropéptidos na cápsula articular...» (não assinado) por fim, à margem destes processos, encontra-se documentado um caso de colaboração clínica entre o Hospital Dona Estefânia e o Laboratório de Biologia Celular do IGC.
Documentação relativa a reuniões científicas nacionais e internacionais nas quais José Francisco David Ferreira participou ou teve algum tipo de contribuição, realizadas entre 1960 e 1997. Nesta unidade conserva-se documentação relacionado com o IIIº, IVº e Vº Encontros da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), organizados em 1995, 1996 e 1997, incluindo correspondência, brochuras, listagens diversas, relatórios. Estes encontros tiveram periodicidade anual e destinaram-se a marcar solenemente o arranque dos anos letivos, na FMUL. Também de 1997, data um programa avulso relativo à «1ª Euroconferência sobre dinâmica celular» («1st Euroconference on cell dynamics»), realizada em Creta, entre 1 e 4 de Novembro e na qual Maria do Carmo Fonseca, então assistente de David Ferreira no Instituto de Histologia e Embriologia, apresentou uma comunicação subordinada ao tema do «transporte de mRNA». Inclui também um conjunto documental relativo ao Simpósio «Cytokines and the imune response», organizado pelo CEBIP, Centro de Biologia e Patologia Molecular, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, a 2 de abril de 1993. Esse conjunto inclui correspondência, sinopses, catálogo e notas manuscritas. Outra documentação respeita ao «1º Workshop europeu sobre endocrinologia molecular e celular do testículo» («1st European Workshop on Molecular and Cellular Endocrinology of the testis»), realizado em Geilo, Noruega, entre 8 e 11 de abril de 1980, com a participação de David Ferreira e Karin David Ferreira. Inclui, também, a comunicação científica apresentada, bem como o programa dos trabalhos e um anúncio. Da conferência «The cell biology of the testis», realizada na Academia das Ciências de Nova Iorque, conserva-se o programa. De 1984, são conservados dois formulários com os resumos das comunicações levadas ao VI th International Symposium on Morphological Sciences (Lisboa, 23-28 de julho), respetivamente por Sérgio Gulbenkian («Actin localization in the rat ventral prostate...»), e a dupla David Ferreira/António Cidadão («Estrogen induced changes in cytoskeletal...»). Com data de 1991, conserva-se igualmente o formulário com o resumo da conferência proferida por David Ferreira, no VIIº Congresso Luso-Brasileiro de Anatomia (Porto, 22-25 de julho), intitulada «Estrutura, relações e significado funcional dos filamentos intermédios». Dos mesmos David Ferreira e António Cidadão conserva-se ainda o formulário com o resumo da comunicação («Extracellular matrix interactions»), apresentada ao «XIV Federative International Congress of Anatomy/76e Congrès de l'Association des Anatomistes», que se realizou em Lisboa entre 24 e 30 de julho de 1994. Da década de 60 estão documentados dois eventos. De 1964, a «XIª Conferência Internacional de Biologia Celular» («XIth International Conference on Cell Biology»), realizada na Brown University, em Providence, Rhode Island, EUA, entre 30 de agosto e 5 de setembro, subsiste o programa anotado por David Ferreira que assistiu ao evento, na época ainda residente nos EUA. Finalmente, subsiste documentação sobre a «Conferência Regional Europeia sobre Microscopia Eletrónica» («European Regional Conference on Electron Microscopy»), realizada pela IFEMS, International Federation of Electron Microscopy Societies e pela Nederlandse Vereniging voor Electronenmicroscopie, Sociedade Holandesa de Microscopia Eletrónica, em Delft e Haia, entre 28 de agosto e 3 de setembro de 1960, com a participação de David Ferreira que apresentou uma comunicação subordinada ao título «Démonstration sur le pouvoir phagocytaire des plaquettes sanguines chez le lapin».
Contém conjuntos documentais relacionados com a produção científica de José Francisco David Ferreira. Inclui, maioritariamente, versões provisórias e versões finais da sua produção científica, provas fotográficas (microfotografias) utilizadas para a ilustração dos artigos, correspondência com as editoras responsáveis pela publicação, normas editoriais, recortes de publicações, vários manuscritos. Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes artigos, temas ou projetos: 1) «O citosesqueleto: composição, organização e significado funcional» (capítulo da autoria de David Ferreira para o «Livro de Biologia Celular»; 2) «The extracellular matrix of the rooster's comb mucoide layer: ultrastructural and immunoctytochemical study of an in situ hyaluronan matrix»; 3) «Alterations in the Sertolli cell junctions after ductuli efferents» ; relacionada com este projeto/estudo, encontra-se também alguma produção científica da autoria de J. F. Soares Pessoa, nomeadamente um caderno contendo sequências de microfotografias montadas e legendadas, bem como outros artigos manuscritos e provas de autor sobre o mesmo tema; 4) «Some observations in the liver cells of mice infected with a mouse hepatitis virus» ; «Endoplasmic reticulum changes following infection with a mouse hepatitis virus»; 5) «Relações célula-vírus. Perspetiva de um morfologista» ; «A anatomia dos vírus e das relações célula-vírus» ; «A anatomia dos vírus» ; relacionada com o tema «vírus» encontra-se, também, documentação relacionada com a «Conferência no Rio de Janeiro - 25ª aniversário do Instituto de Biofísica» e com a «Sessão de Homenagem ao Professor Ivo Soares» (Conferência da Sociedade Portuguesa de Medicina Veterinária)»; 6) «The extracellular matrix three-dimensional organization» ; « Interacções entre filamentos intermédios e matriz nuclear» ; «Citoesqueleto e matriz extracelular».
Contém um processo relacionado com a atividade científica e docente de Maria do Carmo Salazar Velez Roque da Fonseca, na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, entre 1977 e 1998. A documentação inclui correspondência, formulários e pareceres, currículos, listas bibliográficas, bem como outros documentos relativos à carreira da mesma investigadora, nomeadamente a sua confirmação como professora auxiliar de nomeação definitiva da FML. Subsistem, igualmente, informações sobre a prova de doutoramento que Maria do Carmo Fonseca prestou em janeiro de 1988 e na qual David Ferreira foi orientador. Outras informações posteriores relacionam-se com a aprovação desta investigadora como professora catedrática da área de anatomia e biologia celular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, em 1998. A documentação inclui os manuscritos que suportaram as orações proferidas por David Ferreira. Outra documentação conservada relaciona-se ainda com provas de doutoramento dos seguintes candidatos: Rui Victorino (de que subsistem diversas separatas), Lígia Pinto, Vasco de Jesus Maria e Ana Cristina Espada de Sousa.
Contém conjuntos documentais relacionados com cursos de especialização e universitários, promovidos e/ou lecionados por José Francisco David Ferreira (entre outros), no Instituto Gulbenkian de Ciência e na Faculdade de Medicina de Lisboa. Inclui, maioritariamente, programas e calendários das sessões, fichas de apresentação e objetivos do curso, listas de participantes, exposição ou sumário dos conteúdos e documentos orientadores para sessões práticas em laboratório, bibliografias recomendadas, artigos científicos, apontamentos manuscritos e testes. No entanto, em alguns casos foi reunida mais documentação, como por exemplo, correspondência e material gráfico. Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes cursos: 1) «Planeamento familiar: Curso básico de planeamento familiar» (FML, 1976); 2) «Curso de promoção de preparadores de Anatomia Patológica» (FML, 1977); 3) «Curso de pós-graduação: Engenharia Biológica»; (IGC, 1978-1980); 4) «Curso de Mestrado em Biotecnologia - Ultraestrutura Celular» (FML, 1982). 5) «Semiologia renal» (FML, 1978) 6) «Pneumologia» (FML, 1984)
Documentação relativa à gestão do Instituto de Histologia e Embriologia (IHE) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, no contexto da aquisição de bens e serviços, equipamentos técnicos e realização de obras de beneficiação dos espaços e laboratórios afetos ao mesmo IHE. A documentação inclui correspondência, pareceres, orçamentos e propostas de orçamentos, pedidos de vistoria às instalações, plantas, ilustrando diversos aspetos da gestão de um laboratório universitário, como por exemplo, a instalação de um novo microscópio «JEOL», adquirido com financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian. Parte da documentação relaciona-se ainda com o CEBIP - Centro de Biologia e Patologia Molecular que foi dirigido por David Ferreira -, com o financiamento deste centro através do Programa CIENCIA (1991), refletindo ainda a adesão do Centro de Genética e Biologia Molecular da Universidade de Lisboa no mesmo CEBIP (2001). Nessa medida, conserva-se numerosa correspondência trocada entre David Ferreira e o coordenador do secretariado técnico do Programa CIENCIA, vice-presidente da JNICT, Henrique Diz, respeitante à candidatura apresentada no âmbito de uma Rede de Cooperação Científica em Ciências Biomédicas, cuja cópia do protocolo se conserva. Esta rede teve, por fim, o rescalonamento e a partilha de recursos materiais e humanos por várias unidades de investigação na área biomédica, tendo em vista potenciar o financiamento do ciência, de acordo com orientações internacionais. Outra documentação integrada nesta Unidade diz respeito a Rui Artur Gomes (CV), a vários projetos de investigação e formulários (concurso «Sapiens Proj.»).
Documentos relacionados com cursos universitários e de especialização promovidos e/ou lecionados por José Francisco David Ferreira (entre outros), no Instituto Gulbenkian de Ciência e na Faculdade de Medicina de Lisboa e também, nalguns casos, no estrangeiro, p.e., cursos pós-graduados na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Inclui, maioritariamente, programas e calendários das sessões, fichas de apresentação e objetivos do curso, listas de participantes, exposição ou sumário dos conteúdos, bibliografias recomendadas, artigos científicos, apontamentos manuscritos e testes. Em alguns casos foi reunida mais documentação, p.e., umas «normas de funcionamento dos cursos para graduados - 1973-1974». Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes cursos: 1) «Curso de actualização para professores de Biologia (Ensino pré-universitário)»; «Curso de actualização e aperfeiçoamento para professores de Ciências da Natureza» (IGC, 1971); 2) «Cursos para graduados: Curso de actualização e revisão em Histologia e Embriologia; Curso de especialização em Histologia e Embriologia; Cursos de aperfeiçoamento em sectores de Histologia e Embriologia; Curso de Mestrado.» (UFRJ, 1973-1974) 3) «Curso de Histologia e Embriologia» (FML, 1975-1976). Entre a documentação existente, encontram-se, igualmente, relatórios sobre a reforma do ensino médico («Ciclo básico de licenciatura em medicina», «Regulamentos do Instituto de Histologia e Embriologia da Faculdade de Medicina de Lisboa» ou «Proposta... A faculdade de medicina de Lisboa lutará por um ensino ao serviço do povo»), reportando-se à época pós-revolucionária de 1974-1975, correspondência de 1987 sobre o «plano de reequipamento do IHE», bem como outras recomendações sobre a realização do «III Curso de embriologia especial, organogénese do corpo humano», em 1990.
Coleção de cadernos contendo apontamentos e notas manuscritas de David Ferreira. Cada caderno foi etiquetado de acordo com uma organização temática, abordando assuntos relacionados com a vida profissional, académica e científica do produtor: (1) «A. Celestino da Costa (1884-1956). Advento da Ciência moderna. Histologia»; David Ferreira fora aluno e assistente de Augusto Celestino da Costa, pelo que reuniu grandes quantidades de informações sobre a atividade científica, pedagógica e filosófica de Celestino da Costa. David Ferreira iniciara a preparação de uma biografia sobre o mesmo cientista português. (2) «Biologia molecular. Genética. Biotecnologia. Ageing. OGM. Cronologia»; (3) «Internet - Computadores etc. Impressora»; (4) «Clonagem»; (5) «Vária. Concurso anatomia UNL. Reuniões. Histórica, notas» (sic); (6) «Microscopia - Vária. Ciência. Neurociência (a razão). Damásio - Spinoza»; (7) «5º Programa quadro de I&DT da União Europeia (1998-2002); (8) «Geração/Reprodução. Filosofia-Religião-Ciência»; (9) «Reitoria da Universidade de Lisboa. Para além do registo de dados (p.e., de técnicas), movimentos e acontecimentos diversos nos quais David Ferreira participou (p.e., reuniões da Reitoria da Universidade de Lisboa quando a partir de 1998 foi nomeado vice-reitor), os cadernos deixam expressas algumas ideias pessoais relativamente aos temas abordados e permitem aferir os interesses de David Ferreira nos últimos anos da sua carreira como professor universitário e investigador. Nalguns casos, encontram-se encartados no seu interior outros papéis manuscritos, recortes de jornal e desdobráveis.
Contém conjuntos documentais relacionados com cursos de especialização, promovidos e/ou lecionados por José Francisco David Ferreira (entre outros), na Faculdade de Medicina de Lisboa, ou em representação do Instituto Gulbenkian de Ciência e da Sociedade Portuguesa de Microscopia Electrónica, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Universidade de Luanda e na Universidade de S. Paulo. Inclui, maioritariamente, programas e calendários das sessões, fichas de apresentação e objetivos do curso, listas de participantes e curriculum vitae destes, exposição ou sumário dos conteúdos, bibliografias recomendadas, artigos científicos e apontamentos manuscritos. No entanto, em alguns casos foi reunida mais documentação, como por exemplo, correspondência e material gráfico. Estes conjuntos documentais dizem respeito aos seguintes cursos: 1) «Curso de ultrastrutura celular» (UFRJ, 1972); 2) «Curso de ultrastrutura celular» (UFRJ, 1973); «3ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Microscopia Electrónica» (Academia Brasileira de Ciências do Rio de Janeiro, 1973»); 3) «Curso de ultrastrutura celular - Iniciação em microscopia electrónica aplicada às ciências biológicas» (Universidade de Luanda, 1973); 4) «Curso de ultrastrutura celular - Programa»; «Intensive International Course - Nucleoskeleton and nucleo-cytoplasmic transport» (IGC, 1989); «Técnicas básicas de microscopia electrónica de transmissão» (UFRJ, 1986); 5) «Curso de morfometria e métodos estereológicos» (Universidade de S.Paulo, 1987); 6) «Aparelho reprodutor masculino» (FML, 1980), incluindo apontamentos manuscritos, programas das disicplinas de «Introdução à histofisiologia da reprodução», e versões anotadas dos seguintes artigos da autoria de David Ferreira e/ou próximos colaboradores do IGC: «A ultraestrutura da lâmina própria do tubo seminíparo...» de A. Peixoto de Meneses, «Absorção e transporte de peroxidase exógena pelas células do tubo seminíparo...» e «Transporte de peroxidase exógena pelas células do tubo seminíparo do rato» de David Ferreira e J. Soares Pessoa, «Ultraestrutura do testículo», de David Ferreira. Inclui ainda uma lista bibliográfica (em espanhol), e diversos apontamentos que estruturam comunicações em congressos sobre endocrinologia e reprodução humana e animal, como sucedeu em 1978 com o «Iº Encontro Internacional de Endocrinologia» ou o «Iº Simposium Internacional de Reprodução animal», organizado na FCG em 1982; materiais reutilizados no contexto de aulas expositivas. 7) «Curso básico de planeamento familiar/Estrutura e função das células de Sertoli» (sl., sd., sa.) que inclui um programa de estudos manuscrito de 23 páginas, um sumário da lição datilografado, um conjunto de materiais gráficos a preto ou colorizados a lápis com esquemas de células, bem como um lote de 18 microfotografias com aspetos do testículo do rato. 8) Coletânea de documentos relacionados com a reforma do ensino de genética no currículo da licenciatura em medicina. A referida coletânea inclui pareceres, relatórios, separatas, calendários letivos e diversa correspondência trocada entre docentes da FML referindo a constituição de uma «Comissão Instaladora da Genética», em 1985.
Contém documentação organizada por assuntos ou temas que constituiram matéria de apresentações públicas de David Ferreira, no contexto de conferências ou palestras pública. Organizadas entre 1984 e 2009, estas apresentações foram promovidas pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (por exemplo, pelo GAPIC, conferência «A medicina como vocação», realizada em novembro de 2005) ou por instituições externas, como a Sociedade Portuguesa de Microscopia Eletrónica, a Universidade do Minho ou Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica (conferência «Problemas e dilemas da medicina contemporânea» proferida no âmbito do mestrado em Educação Médica), subordinadas ainda a problemáticas da investigação científica como a «clonagem» ou a «fertilização in vitro», bem como a aspetos da organização social e institucional da ciência. Para cada um desses temas, o produtor reuniu informações diversas e aparentadas: correspondência, separatas ou artigos impressos, programas e brochuras, coleções de imagens impressas em acetatos. Na presente unidade de instalação, encontram-se ainda diversas informações acerca do 7º, 8º e 12º «Workshop Educação pela Ciência» (FML; GAPIC), na forma de brochuras, programas, artigos de jornais e revistas, entre as quais, o número 2 da «Revista da Faculdade de Medicina de Lisboa», publicado em fevereiro/março de 2005. Outra documentação respeita à organização da conferência «A contribuição da FCG para o desenvolvimento da microscopia eletrónica em Portugal», proferida por David Ferreira em 2006, na Universidade do Minho. Este conjunto documental é completado por uma coletânea de apontamentos manuscritos sobre mecenato, recortes de imprensa e outros documentos sobre a atividade de diversas fundações portuguesas, entre as quais a FCG que, entre 2006 e 2007, celebrou o seu Cinquentenário (onde se inclui informações sobre os «Foruns Gulbenkian em saúde»). Entre outros materiais compilados, sem relação direta com os anteriores, subsiste uma brochura de 1956 com o programa preliminar da «First European Regional Conference on electron microscopy», organizada em Estocolmo pelo Karolinska Institutet, bem como informações comerciais da RCA - Radio Corporation of America -, na publicação «Scientific Instruments News» (nd., c. 1955), bem como uma cópia impressa de «Vibroacustic disease: biological effects of infrasound and low-frequency noise explained by mechanotransduction cellular signalling», artigo da autoria de Mariana Alves Pereira e Nuno Castelo Branco publicado na revista «Science Direct», em 2007. Finalmente, conservam-se separatas e cópias impressas de artigos relacionadas com a governação das academias e sociedades científicas.
Contém documentos relativos à apresentação e/ou preparação de lições e conferências públicas, por José Francisco David Ferreira. As coleções encontram-se organizadas por assuntos e incluem anotações ou provas de autor manuscritas, separatas (do próprio David Ferreira: «Fecundação artificial. Reflexões sobre o progresso científico e tecnológico», publicado na revista «Medicina» ou «Advento e consolidação da investigação bio-médica em Portugal - Contribuição da escola de histologia de Lisboa», e ainda de outros autores como Luís Archer ou Manuel Valente Alves), artigos impressos (recortes de jornais genéricos, versões de artigos da Wikipédia, por exemplo), programas de conferências, alguma correspondência. Neste conjunto, encontramos refletidos os seguintes assuntos: «fertilização in vitro» e «procriação medicamente assistida», «ética e integridade científica» («ethics and scientific integrity» seminário coordenado por João Lobo Antunes, no âmbito do Programa Gulbenkian de Formação Médica Avançada, em 2009). Documentação sobre Louis Pasteur (reunida no âmbito do ciclo «Um autor, uma obra» promovido pela Cooperativa de Estudos e Documentação SARL, em 1974) ou sobre o doutoramento honoris causa de Fernando Nobre (2002), de que David Ferreira foi padrinho, refletem os diversos interesses e planos de atividade em que este último se movimentou e teve participação ativa, relacionados com a prática e o ensino médicos, com a universidade e outras instituições científicas. Ainda relacionada com a temática do ensino médico, é a coleção de artigos publicados por José Pinto Correia - que foi presidente do Conselho Científico da FML -, na imprensa genérica ou especializada entre 1958 e 1984 que David Ferreira conservou. O denominador comum desta coleção foi uma vez mais o ensino médico e, em concreto, um «Debate sobre ensino pré-graduado na Faculdade de Medicina de Lisboa», organizado em 20 de dezembro de 1984.
Contém documentação organizada por assuntos ou temas que constituiram matéria de apresentações públicas de David Ferreira, no contexto de conferências, palestras ou lições. Algumas dessas coletâneas formam conjuntos de informações textuais e visuais (existindo muitos materiais gráficos em certos casos), preparados pelo produtor; por exemplo, de «A matéria do espírito - a anatomia da alma», palestra proferida num ciclo intitulado «Tertúlia do Marquês», organizado em Oeiras, em março de 2005, subsiste um conjunto formado por versões (manuscrita e impressa) das alocuções, bem como por uma coleção de acetatos preparados para serem projetados. Outros documentos conservados incidem sobre as seguintes palestras ou conferências: «Ciência versus tecnologia - Os sonhos e os pesadelos da razão» (proferida em abril de 2005 no MNAA no quadro da exposição «Passagens. 100 peças para o Museu de Medicina da FML); «Ciência Ética e Sociedade - Debates e controvérsias na Europa e na América» (conferência de encerramento do «Curso Pós-graduado de Actualização em Ciência, Tecnologia e Comunicação», organizada pelo ICS, em julho de 2005); «Responsabilidades dos cientistas como professores e educadores» (conferência proferida no âmbito de um curso organizado no IGC, em 2009). A documentação mais antiga reporta-se a uma conferência datada de 1992 intitulada «Responsabilidades éticas dos profissionais da ciência». Foi proferida por David Ferreira no âmbito do colóquio «Comunidade científica e poder», organizado pela FEPASC e pela revista «CTS - Ciência Tecnologia e Sociedade», na FCG, entre 21 e 22 de maio. A documentação reunida inclui diversas cópias da comunicação de David Ferreira, listas bibliográficas, cópias do programa das conferências, uma compilação com os resumos das comunicações apresentadas, cópias de separatas estrangeiras sobre o tema da «ética científica» ou da «ética nas práticas científicas», bem como informações do «Mouvement Universel de la Responsabilité Scientifique», diversas cópias impressas de artigos pesquisados na internet e alguma correspondência.
Documentação relativa à atividade da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa (SCML) e à sua afiliada Academia Portuguesa de Medicina (APM), entre os anos 90 e 2005. Inclui atas e relatórios, estatutos e regulamentos, listas nominais, propostas e formulários, currículos e correspondência sobre, entre outros assuntos, a organização de um ciclo de reuniões científicas, «Medicina e Sociedade», que decorreu entre outubro de 1997 e janeiro de 1998. Outros documentos respeitam ao «1º Congresso das Ciências Médicas», realizado entre 9 e 11 de fevereiro de 1994, em Belém, à eleição de juris para os Prémios Pfizer - criados em 1956, em parceria com os Laboratórios Pfizer, para distinguir trabalhos nas áreas da investigação biomédica em Portugal -, bem como à eleição de «académicos de número» da Academia Portuguesa de Medicina. Conserva-se ainda documentação relacionada com a organização da Assembleia Geral da «Fédération des Académies Nationales de Médecine et des institutions similaires en Europe», realizada em Lisboa a 19 e 20 de abril de 1996, bem como sobre a realização, em maio e outubro de 1997, do 1º e 2º Fórum da Sociedade das Ciências Médicas, com os seus respetivos programas. Com data posterior, existe uma convocatória para a «37ª Sessão Académica» de Junho de 2004. A Academia Portuguesa de Medicina foi fundada em 1988 pela Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, tendo como propósitos «dignificar a medicina portuguesa» e alargar o âmbito geográfico de atuação da Sociedade a todo o território nacional, também no contexto de uma internacionalização e uma adequação formal entre a velha Sociedade de Ciências Médicas, fundada em 1822, e outras instituições congéneres europeias. Os estatutos previam que fosse esta Academia dirigida por um presidente coadjuvado por um secretário-geral por mandatos de dois anos e constituída por 50 membros efetivos - médicos escolhidos por apreciação curricular - o que justifica a existência de currículos entre a documentação acumulada. Foi impulsionador da Academia Portuguesa de Medicina e seu primeiro presidente eleito em 1991, João Ribeiro da Silva, médico que foi igualmente presidente da SCML. David Ferreira foi membro efetivo da APM desde 15 de dezembro de 1992. Ainda de âmbito associativo, conserva-se documentação relativa à constituição da APODIM, Associação Portuguesa para o Desenvolvimento e Investigação da Microbiologia bem como de outras associações: ADEIM - Associação para o Desenvolvimento do Ensino e Investigação da Microbiologia, CEMIHA - Centro Multidisciplinar de Estudos das Imunodeficiências Humanas e Animais, Associação Juvenil de Ciência. Outra documentação avulsa ilustra diversos eventos cívicos, científicos e culturais: a organização do «Fórum Ciência», «Por uma cultura científica em Portugal», na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto entre 18 e 19 de outubro de 2004, a comemoração do «Dia do Estudante» de 24 de março de 2002, na qual se celebrou o 40º aniversário da crise académica de 1962, e por fim, as comemorações do Cinquentenário do MUD Juvenil, em 1996, em cujos papéis se incluem uma ilustração de João Abel Manta e uma cópia do «Manifesto dos Estudantes ao Povo Português», redigido por associações filiadas no MUD Juvenil a par do desdobrável da conferência «Ciência e Cidadania - Homenagem aos universitários expulsos em 47», na FCG, em 1997.
Documentação relacionada com a participação direta ou indireta de David Ferreira em reuniões científicas organizadas por diversas instituições nacionais e internacionais: - «1º Simpósio Serono-Lepori em Endocrinologia» subordinado ao tema «A função do testículo humano». Este simpósio foi organizado pelo Departamento de Endocrinologia (DE), do Hospital de Santa Maria, e decorreu na Fundação Calouste Gulbenkian entre 4 e 5 de junho de 1976. David Ferreira apresentou uma comunicação na 1ª sessão, cujo texto «A ultraestrutura do testículo» se conserva, bem como quatro provas positivas de microfotografia. David Ferreira presidiu ainda a uma 2ª sessão, neste mesmo simpósio. - Colóquio «Novas tecnologias e direitos dos cidadãos», organizado pelo Grupo Parlamentar do Partido Socialista (GPPS). A presente unidade de instalação inclui também o convite que António Guterres endereçou a David Ferreira para participação neste colóquio. Esta reunião obedeceu a duas temáticas distintas: «informática e direitos dos cidadãos» e «genética e direitos humanos». Para além do convite, há uma compilação de documentos relativos aos temas em debate, como um projeto de lei. O colóquio realizou-se em 28 de junho de 1989. Relativamente ao simpósio «Biociências - Perspectivas para os anos 2000», realizado na Universidade de Coimbra, entre 12 e 13 de dezembro de 1990, inclui correspondência, resumos das comunicações, programas e resumos dos paineis, listas de publicações e notas manuscritas de David Ferreira. Este simpósio foi promovido pelo Serviço de Ciência da Fundação Calouste Gulbenkian e pela SPBQ - Sociedade Portuguesa de Bioquímica, tendo tido como coordenador da Comissão Organizadora, Arsélio Pato de Carvalho. Esta Comissão integrou os seguintes cientistas: João Caraça, F. Carvalho Guerra, N. Van Uden, A. Xavier, Maria de Sousa e J. Magiolly Novais. David Ferreira participou num painel em representação do Laboratório de Biologia Celular do Instituto Gulbenkian de Ciência. Ainda na presente unidade de instalação, encontra-se documentação sobre o «Primeiro Encontro Nacional de Bolseiros», realizado em 13 de Abril de 1992, nas instalações do Instituto Nacional de Investigação das Pescas, subordinado ao tema do estatuto do bolseiro de investigação científica. A documentação inclui programas e propostas de regulamentos, legislação (cópias), listas nominais, correspondência e brochura. A organização deste encontro ficou a dever-se à iniciativa da FEPASC, tendo David Ferreira participado numa sessão presidida por Mário Ruivo, na qual se discutiu «o papel dos bolseiros nas instituições de acolhimento e nos projetos de investigação». Outro evento documentado é o «14º ICEM - International Congress on Electron Microscopy», realizado em Cancun, no México, entre 31 de agosto e 4 de setembro de 1998. O simpósio temático que contou com David Ferreira como presidente/chairman, era subpordinado ao tema «Microscopy of receptors, adesion molecules and cell surface antigens». Entre a documentação inclui-se a correspondência trocada entre David Ferreira e outros cientistas estrangeiros, planilhas relativas aos diversos simpósios, listas nominais.
A documentação acompanha a atividade do produtor no seio da Faculdade de Medicina de Lisboa, cobrindo predominantemente a segunda metade dos anos 70 e a década de 80, com alguns prolongamentos para a década de 90. Numerosos documentos relacionam-se com a vida académica no período a seguir à revolução de 1974, nomeadamente com uma coleção de «Folhas Informativas» do Instituto de Histologia e Embriologia, cobrindo o período de outubro de 1974 a dezembro de 1976 (nº 1 a 45). Da mesma conjuntura, embora um pouco posterior (1977), data um projeto de reestruturação do Instituto de Histologia e Embriologia (IHE), apresentado por um grupo de trabalho de que David Ferreira fez parte. Neste conjunto, subsiste intercalado um «inventário dos microscópios do piso 3» que permite identificar alguns equipamentos então existentes no Laboratório de Biologia Celular, seus fabricantes e estado de funcionamento. A documentação evidencia também a criação de um «Clube de Biologia Celular» (1979) que reuniu os docentes e assistentes estagiários do IHE, com o fim da promoção e divulgação dos estudos daquela especialidade. Subsistem a ata de fundação, bem como o conjunto das atas de reuniões realizadas entre 1979 e 1980, a par dos programas e temas apresentados nas sessões do Clube com artigos científicos de António Cidadão («A bolsa ovárica do criceto dourado», ilustrado), João Augusto Ferreira e do próprio David Ferreira. Outros documentos relacionam-se com a «I Reunião Anual do Instituto de Histologia e Embriologia da Faculdade de Medicina de Lisboa», realizada em 6 de janeiro de 1981 e cujo programa dá conta de um conjunto de palestras apresentadas por M. C. Fonseca, João Augusto Ferreira (folha manuscrita com ilustrações), Luísa Martins, A. Mayer da Silva, A. Cidadão, M. Teresa Lopes, J. C. Mirones e Carlos Plancha. Conservam-se igualmente vários enunciados de exercícios práticos e um exemplar de um «Debate sobre o ensino», produzido no quadro de uma reunião de assistentes da Faculdade de Medicina, em 17 de maio de 1985. Abundam ainda informações - na forma de convites públicos e ou cartazes - sobre a realização de conferências especializadas com o patrocínio do IHE. São referidas as presenças na Faculdade de Medicina de Lisboa, de conferencistas nacionais e estrangeiros, em certos casos, personalidades com as quais David Ferreira manteve contatos profissionais regulares ao longo dos anos: Bjorn Afzelius, Arvid Maunsbach, Elisabeth Skriver, Vanderley de Sousa, Gerson Cotta-Pereira, Hugo Gil Ferreira, Martine Perrot-Applanat, Luís Archer, Alan McDernott, Constantino Sotelo, Lima de Faria, J. Miller Guerra, M. Nascimento Ferreira, Xavier Morato, José Tavares de Castro, Leonor Parreira, Maria do Carmo Fonseca, Ângelo Cardoso, Ana Pombo, N. Simionescu, Inês Nolasco, Bo Van Deurs, Lucinda Mata, Daniel Schmitt, W. Rombauts. Dos anos 80 datam ainda informações sobre os seguintes cursos «teórico-práticos» organizados na FML: «Citogenética em medicina» (1986), «Alterações cromossomicas em oncologia» e «Imunocitoquímica em medicina» (1988), «Embriologia humana» (1989), este último, no âmbito de um «Encontro de neurologistas e cardiologistas com a Embriologia» que trouxe a Lisboa novamente Gerson Cotta-Pereira. Da mesma época, referência ao seminário «Portugal e as relações internacionais» organizado pela MEDEC - Missão de estudos para o desenvolvimento e cooperação. Dos anos 90 conservam-se materiais gráficos: novo emblema e logotipo do IHE e da Faculdade de Medicina (impressos a cores e a preto e branco). Por último, algumas informações avulsas sobre os «Encontros da Arrábida» sobre «História das Ciências Naturais e da Saúde» realizados entre 17 e 17 de julho de 2004. Entre a documentação mais antiga, conserva-se ainda informação sobre algumas conferências em que David Ferreira participou na qualidade de professor da Faculdade de Medicina, como sucedeu em 1985, com «Biologia Ciência do Futuro», conferência realizada em Fátima, ou o «Iº Simpósio Internacional de reprodução Animal», realizado na Fundação Calouste Gulbenkian em 1982, entre outros.
Contém um conjunto de manuscritos autógrafos, organizado por José Francisco David Ferreira, versando sobre assuntos diversos de epistemologia e pedagogia das ciências, história das ciências, história da medicina e/ou do ensino médico em Portugal. Uma parte dessa coleção é constituída por discursos ou apresentações públicas proferidas pelo produtor em diferentes contextos de sociabilidades académicas e científicas, como por exemplo, arguências em doutoramentos, apresentações de prémios e outras distinções, sessões solenes de abertura de reuniões científicas especializadas, conferências ou congressos, eventos realizados na Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa, na Faculdade de Medicina de Lisboa, no Centro de Biologia do IGC, ou noutras organizações nacionais e estrangeiras. São mencionados, entre outros: Leonor Parreira, António Cidadão, Maria Clara Pinto Correia, António Coimbra, Helena Ferronha, Sérgio Gulbenkian. Uma segunda capilha reúne os textos das intervenções públicas proferidas por ocasião da conferência internacional «A Ciência em Portugal» realizada em Bruxelas, em 1991, no âmbito do festival Europália. Recorde-se que Portugal fora o país convidado e José Mariano Gago designado coordenador geral do programa científico dessa mostra europeia de cultura e artes. Assim, conservam-se os discursos do Presidente da República Mário Soares, do Ministro do Planeamento e da Administração do Território, Luís Valente de Oliveira, do Comissário Geral à Europália'91, Rui Vilar e, por fim, do próprio Mariano Gago. Nas restantes capilhas conserva-se documentação que ilustra a atividade da Sociedade Portuguesa de Educação Médica (Secção da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa), nomeadamente no que respeita à realização de uma «IIª Reunião», em 28 de janeiro de 1991, que contou com uma preleção de David Ferreira («Formação pre-universitária e rendimento escolar nas cadeiras de bioquímica e biologia celular»), bem como informação anterior relacionada com o «IVº Congresso Nacional de Educação Médica», promovido pela Reitoria da Universidade de Lisboa, sob a presidência de Maria de Lourdes Levy, entre 9 e 11 de janeiro de 1987. Nessa ocasião, David Ferreira apresentou duas comunicações sobre os temas «Genética» e «O ensino das ciências morfológicas». A coleção de documentação inclui ainda uma exposição escrita que Jaime Celestino da Costa dirigiu à Comissão Organizadora deste congresso, na qual disserta sobre diversos aspetos da educação médica na Faculdade de Medicina de Lisboa. Também sobre o tema da educação médica, a presente unidade de instalação conserva o artigo de opinião que David Ferreira publicou no nº 3 do boletim «Informação» do INIAER - Instituto Nacional de Investigação Agrária e de Extensão Rural, em 1985, subordinado ao tema «Não há ensino universitário sem investigação científica». Um último conjunto documental diz respeito ao «IIIº Encontro da Faculdade de Medicina de Lisboa», organizado em 1995, e no qual David Ferreira participou na qualidade de diretor do GAPIC.
Contém documentação relativa à atividade de David Ferreira enquanto membro e vice-presidente da Comissão Diretiva da Federação Portuguesa das Associações e Sociedades Científicas (FEPASC), entidade fundada em 20 de março de 1991 com o fim de agremiar e colocar em diálogo as diversas sociedades científicas nacionais com existência efetiva naquela data. A referida documentação inclui exemplares dos Estatutos, relatórios e planos de atividades, resumos de receitas e despesas, atas de reuniões, listas de associados, recortes de imprensa, notas manuscritas, exemplares do nº 0 do «Boletim Informativo» e do nº 1 do «Jornal da FEPASC», desdobráveis e folhetos, correspondência e pareceres. A documentação inclui um exemplar do relatório produzido no seguimento do «1º Encontro Nacional das Associações e Sociedades Científicas», realizado em Lisboa, na Academia das Ciências e no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), nos dias 16 e 17 de julho de 1989, do qual saiu a criação da referida FEPASC bem como um primeiro projeto de Estatutos. Nesse «1º Encontro» estiveram reunidas 48 associações e sociedades científicas. Na sua qualidade de diretor do Departamento de Biologia Celular do Instituto Gulbenkian de Ciência, David Ferreira foi apontado em 1991 como representante da Sociedade Portuguesa de Microscopia Eletrónica e Biologia Celular na FEPASC, tendo sido ainda por designação desta que, em conjunto com Maria Eugénia Fronteira e Silva, desempenhou funções como representante da FEPASC no Conselho Nacional de Educação. A documentação conservada aponta para mais informação relevante para o estudo evolutivo das bases sociais e do associativismo em ciências, em Portugal, no último quartel de novecentos, em particular após 1986 e até aos anos 2000. Inclui ainda documentação relevante acerca do ciclo de conferências «Comunidade Científica e Poder», organizado com o patrocínio da UNESCO em 21 e 22 de maio de 1992, na Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), reunindo um conjunto de comunicações apresentadas na mesma ocasião, entre as quais a comunicação de David Ferreira, intitulada «Responsabilidades éticas dos profissionais de ciência». A unidade de instalação inclui ainda informação sobre a realização do «1º Ciclo de conferências - Ciência, Sociedade e Cultura» co-organizado pela FEPASC e pelo Centro Nacional de Cultura, em março-abril de 1994, sobre o colóquio «Ciência e Democracia», na FCG, em 8 e 9 de junho de 1995, finalmente, sobre o colóquio «Ciência, cultura científica e participação pública», realizado também na FCG, em novembro de 1997. Contém também alguns documentos sobre outras organizações com as quais a FEPASC se relacionou, como o Conselho Económico e Social (CES), a Associação Juvenil de Ciência, a Comissão Nacional da UNESCO e outros projetos no âmbito do cinquentenário do Centro Nacional de Cultura, celebrado em 1995 com uma edição comemorativa, na qual David Ferreira foi colaborador, e o ciclo de «mesas redondas», «50 anos de ciência em Portugal», organizado em outubro de 1995. A unidade contém, por fim, informação sobre o processo de eleição dos representantes da FEPASC no CNE, em 1999, agrupando currículos de candidatos apontados pelas diversas associações de cientistas.
Documentação relacionada com diversos congressos internacionais em que José Francisco David Ferreira participou, entre as décadas de 60 e 90. Compila informação relevante sobre as seguintes reuniões científicas: «Simpósio especial sobre Estrutura e função celulares», realizado na Universidade de Estocolmo, entre 19-20 de dezembro de 1985. Este simpósio fora dedicado a Bjorn Afzelius, investigador sueco e professor da Universidade de Estocolmo, por ocasião do seu 60º aniversário. documentação relativa a este simpósio inclui correspondência, programas, sinopses e resumos de comunicações, bem como catálogos. Inclui, também, documentação respeitante ao «Encontro especial da FEBS», «Federation of European Biochemical Societies», da qual fez parte a Sociedade Portuguesa de Bioquímica. A preparação desse encontro é aqui refletida, nomeadamente, pela associação do Instituto Gulbenkian de Ciência. Este congresso realizou-se entre 21-26 de abril de 1985, em Albufeira. Contém, também, documentos mais antigos sobre o «Meeting of the Electron Microscope Society of America», organizado pela Universidade de Waterloo, Ontario, Canadá, o «32º Congresso anual da Electron Microscopy Society of America»/«32 th annual meeting of the EMSA», realizado em Detroit, Michigan, entre 13-16 de outubro de 1964. Por fim, subsiste documentação sobre o «VII th ICEM», «International Congress on Electron Microscopy», realizado entre 30 de agosto e 5 de setembro de 1970, bem como o «1st International Congress on Cell Biology», realizado em Boston, MA, entre 5-10 de setembro de 1976, no qual David Ferreira participou como membro do Comité Organizador. Documentação sobre o «IIIrd Balkan Congress on Electron Microscopy», realizado em Atenas. de 18 a 22 de setembro de 1989, com uma apresentação científica de David Ferreira intitulada «Three dimensional visualization of filamentous structures», completam o conjunto de informações disponibilizadas em programas, correspondência, brochuras, catálogos e roteiros, tabelas e listas de participações. Conserva-se ainda alguma documentação sobre o «3rd European Congress on Cell Biology», realizado em Florença, entre 2 e 7 de setembro de 1990.
Inclui documentação relacionada com a fase inicial da carreira de José Francisco David Ferreira, abrangendo o período da sua formação como investigador bolseiro e assistente na Faculdade de Medicina de Lisboa, entre 1953 e 1960. Conserva numerosas cartas de/para David Ferreira, nas quais predomina a correspondência trocada entre Xavier Morato e o produtor. Manuel João Xavier Morato (1906-1989) foi professor da Faculdade de Medicina, diretor do Instituto de Histologia e Embriologia, entre 1966 e 1972. Foi, portanto, mentor e colega de David Ferreira, desde os anos 50, tendo acompanhado a carreira inicial do produtor na FML. Aposentado compulsivamente, em 1974, no rescaldo da mudança de regime político, Xavier Morato manteve correspondência frequente quer com David Ferreira, quer com alguns membros da direção da FML, da qual se conservam diversos exemplares na presente unidade de instalação. Neste conjunto, embora com menor frequência, emergem igualmente outros remetentes ou destinatários como Augusto Celestino da Costa, na época diretor do Centro de Estudos Endocrinológicos e Embriológicos do Instituto de Alta Cultura, W. Bernhard, chefe do laboratório, Gustave Roussy de Villejuif, Pierre Hourcade (que fora diretor do Institut Français au Portugal), Francisco Gentil, António Manuel Baptista (este último com um interessante relatório de visita efetuada a Paris e Eindhoven tendo em vista a seleção e aquisição de microscópios eletrónicos para a Faculdade de Medicina de Lisboa). A correspondência versa sobretudo sobre aspetos da atividade do então bolseiro David Ferreira, sobre o curso dos trabalhos e acontecimentos à volta da sua estadia em Villejuif, no Institut de Recherches sur le Cancer, sobre a aquisição de materiais de laboratório e microscópios, sobre formulários técnicos, entre outros, com raras referências a aspetos da vida privada. Para além das cartas encontram-se relatórios, cartões e telegramas interpolados, bem como duas separatas de «A Medicina Contemporânea», contendo dois artigos coevos de David Ferreira, «A aplicação da microscopia electrónica em biologia» (1958), e «A ultraestructura do condrioma e da zona de Golgi» (1956). Também de 1956 data a informação recebida para a «First European Regional Conference on Electron Microscopy» realizada em Estocolmo, entre 17 e 20 de setembro e à qual David Ferreira assistiu. Subsistem, igualmente, coletâneas de recortes de jornais constituídas pelo produtor em torno de assuntos diversos da vida científica, académica e social, nomeadamente sobre um ciclo de palestras organizado, em 1974, pela Cooperativa de Estudos e Documentação SARL, e no qual David Ferreira participou com uma conferência sobre Pasteur. Entre a documentação mais antiga encontra-se uma «Ordem de serviço» com louvor, assinada por Xavier Morato, dando seguimento ao pedido de demissão apresentado por David Ferreira à FML, onde se graduara e exercera funções como assistente, desde 1955. A referida «Ordem» remonta a 1962, ano em que - como bolseiro do IGC - David Ferreira partiu para os EUA, para trabalhar no «National Cancer Institute», em Bethesda, Maryland. Do mesmo período, conservam-se, igualmente, os «Diplomas de funções públicas» outorgados ao produtor na qualidade de «Segundo assistente», em 1955 e 1957, de «Assistente», em 1960, bem assim diversas cartas e relatórios efetuados na condição de bolseiro do Instituto de Alta Cultura, entre 1953 e 1959, a par de outra documentação ilustrativa do seu percurso pessoal e profissional, nos anos 60 e 70, evidenciando o percurso de David Ferreira no IGC.
Inclui verbetes impressos com o «Perfil biográfico dos professores catedráticos da Faculdade de Medicina de Lisboa 1911-2005», reunida por José Francisco David Ferreira. Relaciona-se com um projeto de recolha e divulgação das personalidades ligadas à vida daquele estabelecimento de ensino superior, realizado por uma equipa de investigadores da biblioteca da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), sob a coordenação de J. Martins e Silva, Victor Oliveira e Luís da Silveira Botelho. A presente unidade de instalação inclui as «Fichas completas» e as «Fichas incompletas», num dos maços. Um outro maço de documentação diz respeito aos textos, impressos a partir da Wikipédia, relacionados com o projeto da página «Memória da Universidade», desenvolvido no âmbito das celebrações do Centenário da Universidade de Lisboa, em 2011. Conservam-se cópias impressas de um artigo sobre «História da Utilização da imagem fotográfica na medicina», da autoria de João José Clode, originalmente publicado no blogue da Associação Portuguesa de Photographia (sic), bem como um conjunto de biografias de médicos e cientistas portugueses ou ativos em Portugal, publicadas nas páginas eletrónicas do Centro Virtual Camões, da Universidade do Porto, na Wikipédia, na «De Rerum Natura», na Triplov, na «Vidas Lusófonas», entre outros. Subsistem também, intercaladas, algumas cópias de separatas e de outras publicações, como por exemplo, o «Anuário da Universidade de Lisboa», e documentos relativos à figura de António Sérgio, na qual se inclui uma carta de António Nóvoa a David Ferreira.
Documentação relacionada com as funções de gestão académica desempenhadas por José Francisco David Ferreira na Faculdade de Medicina de Lisboa, ao longo de quatro décadas, nomeadamente ao nível do recrutamento de recursos humanos especializados para a referida faculdade e para o Instituto de Histologia e Embriologia. A documentação inclui correspondência, relatórios e pareceres, minutas de contratos, listas e mapas de pessoal, propostas internas de contratação de monitores, assistentes estagiários e outro pessoal técnico, currículos e relatórios. Permite caracterizar a evolução dos modelos de gestão administrativa e pedagógica desde a época subsequente à revolução de 25 de abril de 1974 ao início dos anos 2000. Encontra-se também documentação relativa a colaborações da Faculdade de Medicina de Lisboa com outras instituições congéneres nacionais, salientando-se a cooperação com a Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto que sofrera um incêndio em 1975, com graves danos para as suas coleções de preparações histológicas animais. Da mesma época, regista-se a informação da conversão do Instituto de Histologia e Embriologia em «Centro de Estudos» no âmbito da revisão das atividades do Instituto de Alta Cultura, ainda antes da sua extinção, e da reestruturação do hospital-faculdade de Lisboa. Neste período, evidencia-se o desempenho de António Augusto da Cunha Machado Teixeira Pinto na qualidade de presidente da Direção Colegial da Faculdade de Medicina eleita em 1974, bem como de regente da Cadeira de Histologia e Embriologia. A presente unidade de instalação contém, ainda, diversos processos relativos à contratação de pessoal técnico auxiliar para o Instituto de Histologia e Embriologia, organizados pelo produtor de forma diacrónica, entre os anos 70 e 90. No mesmo contexto, inscreve-se o processo relativo a Gerson Cotta-Pereira, cientista brasileiro convidado para lecionar Embriologia em vários cursos da Faculdade de Medicina de Lisboa, entre outros, ao abrigo de um programa «Gulbenkian professorships in science and technology» através do qual foi igualmente possível, em 2002, recrutar Maria Marone como investigadora e professora visitante no CEBIP. Outra documentação conservada respeita à revisão da legislação reguladora da realização de provas e da obtenção de graus académicos, discutida em 1989.
O Arquivo de José Francisco David Ferreira é constituído por tipologias documentais e suportes bastante diversificados que ilustram a diversidade de funções e atividades desempenhadas pelo seu produtor, quer como investigador na área das ciências biomédicas - em particular, no campo da microscopia eletrónica -, quer como professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, quer ainda como dirigente académico e associativo, historiador da medicina e biógrafo. Para além de acompanhar a diversidade de funções desempenhadas pelo produtor, o acervo doado incorpora simultaneamente registos documentais heterogéneos, textuais e visuais-gráficos, originais e cópias, autógrafos, datilografados e impressos.
Prova datilografada de «Nouvelles recherches sur l'histogénèse et la cytogénèse du cortex surrénal», comunicação levada por Celestino da Costa ao «Vº Congresso da Federação Internacional dos Anatomistas», realizado em Londres, entre 25 e 28 de julho de 1950.
Prova datilografada da comunicação «La notion de métaneurogonie», publicada por Celestino da Costa no volume 41 (nº 83-87) dos «Compte-Rendus de l'Association des Anatomistes», em 1954.
Conjunto de imagens médico-anatómicas constituído por microfotografias avulsas bem como por diagramas e esquemas de tecidos e órgãos internos, da autoria provável de Celestino da Costa ou colaboradores próximos. Em regra, os desenhos - a tinta da china e lápis sobre papel - não se encontram datados nem identificados (alguns incluem todavia indicações de secções e cortes). As fotografias, por seu turno, todas a preto e branco, foram impressas em diferentes formatos. Subsistem várias tiragens do mesmo corte ou secção de tecido ou órgão, algumas das quais contendo legenda manuscrita. No conjunto, estes trabalhos constituem documentos impressivos acerca das técnicas imagiológicas que se tornaram poderosas auxiliares da investigação biomédica, histológica, anatómica ou morfológica, na época moderna e contemporânea, refletindo igualmente as competências gráficas e fotográficas requeridas e apreciadas por investigadores. Celestino da Costa foi um hábil desenhador, reproduzindo e representando visualmente fragmentos anatómicos, órgãos ou cortes de tecidos. No capítulo da fotografia médica, chegou mesmo a publicar um título sobre «Microfotografia» nas «Memórias da Academia das Ciências de Lisboa», em 1940.
Discurso proferido por Celestino da Costa, na qualidade de presidente da Sociedade Anatómica Portuguesa (SAP), por ocasião da sessão solene de abertura dos trabalhos conjuntos desta Sociedade e da Sociedade Anatómica Luso-Hispano-Americana, em Coimbra, no ano de 1946. Neste importante discurso, Celestino da Costa aborda a génese das referidas Sociedades Anatómicas, situando-as em relação às suas congéneres internacionais. Fornece ainda numerosos detalhes para a história da SAP e dos seus congressos, referindo-se ainda à criação de uma Comissão promotora de que fizera parte como Secretário Geral. A SAP reuniu-se pela primeira vez em abril de 1933, no âmbito da XXVIII Reunião da «Association des Anatomistes», realizada em Lisboa. Celestino da Costa fora designado presidente da SAP, em 1945, por proposta de Hernani Monteiro, segundo presidente da mesma Sociedade. A prova que se conserva datilografada e com anotações manuscritas foi publicada em 1947, no tomo XXIV do «Arquivo de Anatomia e Antropologia». Conserva-se na mesma capilha intercalada uma comunicação interna do Instituto de Histologia e Embriologia, com data de 1945, relativa a um ciclo de conferências promovido por este instituto da Faculdade de Medicina de Lisboa.
Programa de estudos da disciplina de Histologia e Embriologia produzido por Augusto Celestino da Costa em data incerta, porém, posterior às reformas do ensino médico de 1911 e 1918, ambas citadas pelo autor. O programa de quatro páginas refere-se à condição de certas disciplinas e matérias no conjunto da formação médica universitária e inclui algumas considerações sobre as referidas reformas.
Contém anotações manuscritas reunidas por José Francisco David Ferreira, relativas a lições, palestras e conferências proferidas no quadro de seminários, cursos ou encontros especializados em ciências biomédicas. Os apontamentos referidos serviram de base a apresentações públicas (como é exemplo, a comunicação que David Ferreira proferiu num colóquio sobre «Ética ambiental», organizado na Faculdade de Letras, em 2001), mas foram igualmente um instrumento para a fixação de ideias ou de informações sobre determinados assuntos ou personalidades como as notas que compilou sobre a figura de José Manuel Pinto Correia, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e seu colega (conservando-se uma cópia de «O professor José Manuel Pinto Coelho - Um exemplo a não esquecer», discurso proferido por David Ferreira na abertura do ano académico 2001/2002, na Faculdade de Medicina de Lisboa. Entre os temas abordados por David Ferreira, encontram-se na presente unidade de instalação alguns que se relacionam com a história das ciências («Albertus Muganus of Cologne») e da educação médica, com a «comunicação em ciência», a «História da embriologia», as relações entre «Ciência e Sociedade», a «clonagem», a microscopia eletrónica, «as bases estruturais da racionalidade», «morte e eutanásia». De entre a documentação conservada destacam-se, ainda, dois manuscritos, um primeiro, rascunho de uma carta endereçada a Maria de Lurdes Rodrigues, então ministra da educação, o segundo, um esboço de memórias de David Ferreira redigidas em inglês, bem como uma coleção de «Current Comments» (periódico do Institute for Scientific Information), assinados por Eugene Garfield, e diversos verbetes enciclopédicos sobre temas de biologia.
Coletânea com duas sínteses de separatas de autores estrangeiros traduzidas para português e uma sinopse da técnica de Winckler «para conservação de peças de museu». As duas sínteses descrevem técnicas enunciadas em artigos científicos da autoria de J. G. Everson Pearce («The cytochemical demonstration of gonadotropin Hormone», 1949) e de G. Gomori («Observations with differential stains on human islets of Langerhans», 1941).
Manuscrito de Celestino da Costa, não datado, sobre «A medula suprarrenal e os seus problemas». O documento organizado por tópicos poderá ter constituído um plano sinóptico de edição sobre o tema ou, eventualmente, servido de suporte a aulas expositivas.
Documento composto por dois registos diferenciados: uma lista bibliográfica ordenada de duas páginas datilografadas com referências de Celestino da Costa e outros autores (como Dias Amado, Geraldes Barba, entre outros), uma lista de figuras redigida em francês relacionada com um artigo sobre a tiroide. A bibliografia contém em cabeçalho a menção «Tomo XIII», podendo portanto relacionar-se com uma secção final de livro ou manual de Celestino da Costa.
Carta de Celestino da Costa dirigido ao presidente da Câmara Municipal de Lisboa. transmitindo-lhe o reconhecimento formal do Grupo dos Amigos de Lisboa pelo trabalho realizado nas celebrações do «Oitavo centenário da conquista de Lisboa aos Mouros» em 1947. Celestino da Costa fora presidente da «Junta Directiva» daquela agremiação de Amigos e, nessa qualidade, fora nomeado vogal da Comissão Municipal constituída para as referidas comemorações. A carta é redigida após o encerramento das cerimónias públicas que haviam sido inauguradas em maio daquele ano, tendo envolvido um grande número de entidades num programa que incluiu exposições, feiras e desfiles, culminando com um cortejo solene, em 25 de outubro. O presidente da edilidade fora nessa época o tenente-coronel Álvaro Salvação Barreto, substituído temporariamente por Luís Pastor de Macedo, também ele membro do Grupo de Amigos de Lisboa.
Recortes de imprensa dando notícia da viagem de Augusto Celestino da Costa ao Brasil, em 1950, para realizar um curso e ocupar-se da regência da disciplina de Histologia e Embriologia, na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). Da mesma época datam outras informações relativas a seminários e conferências no Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Sociedade Brasileira de Cancerologia. Recorde-se que a Universidade de São Paulo concedera a Celestino da Costa o título de doutor Honoris Causa, em 1951, pouco depois dos serviços prestados nas universidades brasileiras. Um dos recortes de imprensa aqui conservado reporta-se à eleição do cientista português como «membro correspondente estrangeiro» da Academia Nacional de Medicina de Paris, nomeação que ocorreu em 13 de março de 1951, tendo Celestino da Costa exercido esse cargo até à data do seu falecimento em 27 de março de 1956. Os periódicos não se encontram identificados, sendo a data inicial de 1950 atribuída por inferência estabelecida de acordo com a publicação de «Dois meses no Brasil», separata com o nº 9 de «O Médico» na qual Celestino da Costa relata as viagens científicas efetuadas neste país: «(...) Parti no dia 5 de agosto num "Constellation" da Panair, chegando ao Rio após uma viagem normal, sem história, no dia seguinte, 24 horas ainda não decorridas. E logo desde a chegada me vi rodeado de atenções e de amizade».
Carta de Carlos Chagas Filho, médico e cientista brasileiro, a Jaime Celestino da Costa, filho de Augusto Celestino da Costa e, como este último, professor na Faculdade de Medicina de Lisboa. A carta é datada de 1957 e refere-se à «expressiva homenagem que foi prestada à memória do seu ilustre pai».
Artigo de 16 páginas datilografadas no qual Celestino da Costa evoca a evolução histórica da Endocrinologia, nomeadamente, o desenvolvimento que a disciplina sofreu a partir do conhecimento da estrutura e da função das secreções internas, das glândulas supra-renais, da "descoberta" das hormonas e da constituição da adrenalina, desde o último quartel do século XIX, até à primeira metade do século XX, com o isolamento da insulina, em 1922, a constituição do colesterol, em 1935, a síntese de diversos esteróides, nos anos 40 deste último século. Não estando determinado o destino final deste artigo (provável conferência internacional de medicina), a datação foi inferida a partir da história das descobertas endocrinológicas retraçadas no próprio texto.
Documento de sete páginas datilografadas provavelmente tendo suportado alguma apresentação ou petição pública de Celestino da Costa, no âmbito das suas funções no Instituto para a Alta Cultura enquanto presidente. Fornece uma visão retrospetiva e comparada das relações culturais luso-francesas, nomeadamente no capítulo do ensino das línguas. O documento incide ainda sobre os intercâmbios universitários, referindo-se à criação da «Cátedra Camões» pelo Centre Universitaire Méditerranéen em Nice, em 1938.
Recensão crítica, em francês, de um trabalho de investigação não identificado. Provável relatório de avaliação científica efetuada por Celestino da Costa sobre um estudo relativo à endocrinologia das secreções cortico-supra-renais e suas funções. O texto de 3 páginas revistas e anotadas não se encontra datado.
Discurso pronunciado por Celestino da Costa por ocasião da inauguração da Cátedra «Camões» de Língua e Cultura Portuguesas no Centre Universitaire Méditérranéen, Instituto Universitário Francês, em abril de 1938. Ao tempo, este Centro encontrava-se associado à Universidade de Aix-Marseille. Na sua qualidade de presidente do Instituto para a Alta Cultura, Celestino da Costa foi o representante oficial de Portugal na cerimónia.
Texto de uma alocução proferida por Celestino da Costa por ocasião da sua estadia no Brasil, versa essencialmente sobre os laços históricos, linguísticos, culturais entre Portugal e o Brasil. O discurso terá sido lido no contexto das celebrações do Dia de Portugal e de Camões.
Documentos relacionados com a regulamentação da investigação científica no seio do Instituto para a Alta Cultura (IAC). O primeiro desses documentos consiste num relatório ou preâmbulo de duas páginas que acompanharia o projeto de novo regulamento para a subsecção da investigação científica do IAC. O segundo documento consiste numa prova revista e anotada de um regulamento proposto para a referida subsecção de investigação científica, no qual se estabelecem os «centros de estudos» especializados, «universitários e nacionais», bem como as «normas do recrutamento, nomeação e promoções dos funcionários dos centros nacionais», procedendo à «reorganização da secretaria do IAC». Nenhum dos documentos é datado, no entanto, a sua elaboração há-de situar-se entre o relatório «O problema da investigação científica em Portugal», redigido por Celestino da Costa e publicado em 1939, e o afastamento deste cientista da presidência do Instituto para a Alta Cultura, em 1942.
Breve artigo de Celestino da Costa sobre o Brasil. São quatro páginas datilografadas e anotadas a lápis sobre herança portuguesa em diversas cidades brasileiras, incidindo em particular sobre Ouro Preto. Este texto deu origem a uma publicação intitulada «Ouro preto. A vila rica do século XVIII», no nº 61 da revista «Lisbon Courier/Le courier de Lisbonne - Revista transatlântica de turismo aéreo», em 1951.
Ofício de Celestino da Costa, com data de 27 de julho de 1945, endereçado ao «Meu ilustre ministro e prezado amigo». O documento não refere expressamente o nome do destinatário, que se presume ter sido José Caeiro da Mata - ministro da educação entre 1944 e 1947. Relevante para a história da investigação científica em Portugal, reflete a proposta de criação de um «Instituto de investigações biológicas-médicas» ou «Instituto Nacional de Investigações Biológicas» a partir do núcleo do «Centro de Estudos de Histologia e Fisiologia do IAC» (CEHF, Instituto para a Alta Cultura), em anexo. Com efeito, Celestino da Costa inclui neste anexo um plano de estatutos do novo organismo, explicitando o seu perfil em 12 pontos: multidisciplinar no espírito e na letra do seu criador, seria este organismo constituído por diversos laboratórios especializados e embora associado - como o antecessor CEHF -, à Faculdade de Medicina de Lisboa, deveria ter jurisdição nacional, independente do ensino universitário, permitindo, no entanto, «a intervenção das várias faculdades e escolas interessadas».
Conjunto formado por dois documentos distintos: um trabalho da autoria de Pedro Roberto da Silva Chaves (1887-1951), intitulado «Algumas observações sobre a evolução da célula hepática do ouriço cacheiro», prova datilografada de 17 páginas anexa ao processo individual de candidatura ao lugar de «1º Assistente» do Instituto de Histologia e Embriologia (IHE), a que concorrera em 1919. O segundo documento conservado consiste, justamente, no «Relatório sobre os documentos do candidato Pedro Roberto da Silva Chaves», ou melhor, numa versão datilografa, anotada e corrida do relatório de avaliação assinado por Celestino da Costa na sua qualidade de relator, à data de 29 de novembro de 1919. P. Roberto Chaves foi próximo colaborador de Celestino da Costa, assistente no IHE e professor na Faculdade de Medicina de Lisboa. Com Celestino da Costa deu à estampa diversas obras, entre as quais um «Manual de Técnica Histológica» (1921), um «Manual de Histologia» (1938), mais tarde ampliado num «Tratado Elementar de Anatomia Microscópica» que teve uma edição castelhana em 1953. Em depoimento póstumo, Celestino da Costa diria de P. R. Chaves: «foi o meu braço direito, o auxiliar directo em que inteiramente se confiava (...), magnífico desenhador de preparações microscópicas» (ver: «Na inauguração do retrato do professor Pedro Roberto Chaves, no Instituto de Histologia e Embriologia da Faculdade de Medicina de Lisboa em 11 de junho de 1952», sepª de «O Médico», nº 55, 1952).
Conjunto de documentos constituído por carta e prova de autor sobre o rim (rene em italiano). O artigo, com cabeçalho e sinopse em italiano mas redigido em francês, é uma síntese sobre a morfologia e a função do rim com 20 páginas datilografadas profusamente anotadas, apresentando mesmo excertos colados. Quanto à carta, apresenta a data de 16 de janeiro de 1955. É endereçada por Celestino da Costa a Mario Boni, médico e ao tempo diretor da clínica ortopédica e traumatologia da Universidade de Pavia, coordenador da «Enciclopedia Medica Italiana». Nela, Celestino da Costa explicita diversos aspetos que guiaram a elaboração deste artigo - e de outro idêntico sobre as glândulas supra-renais -, para publicação na mesma «Enciclopedia» italiana.
Prova do artigo «Relações da hipófise e do hipotálamo», redigido por Celestino da Costa em 1953. O artigo de 27 páginas é acompanhado por um resumo em espanhol, bibliografia e lista de figuras, bem como por duas cartas dirigidas ao secretário da Sociedad Española de Endocrinologia. Estas peças enquadram o envio do referido artigo para publicação na «Revista Ibérica de Endocrinologia» em 1954.
Documento composto por uma comunicação científica sobre o «Testículo endócrino», em 12 páginas datilografadas e por um capítulo com o mesmo título (numerado como XVIIº), redigido em castelhano. Os documentos não se encontram assinados nem datados. O texto da comunicação científica corresponde a um artigo publicado sob o mesmo título, em 1954, no nº 4 dos «Arquivos Brasileiros de Endocrinologia», relacionando-se com uma das várias palestras que Celestino da Costa realizou em instituições brasileiras de ciências, na primeira metade da década de 50, bem como com o tema da reprodução sexual que investigou ao longo dos anos. O segundo documento - igualmente intitulado «Testículo endócrino» - é constituído por 11 páginas datilografadas e numeradas. Trata-se de uma prova em castelhano, sem data, que poderá ser um dos capítulos da edição espanhola do «Tratado Elementar de Anatomia Microscópica», publicado em 1953.
O presente conjunto documental inclui uma folha datilografada intitulada «Le rôle des glandes surrénales dans la défense de l'organisme», sinopse de uma comunicação apresentada por Celestino da Costa, Rodolfo Iriarte Peixoto e João Roberto Vasconcelos Frazão, ao Colóquio «Les mécanismes de défense de l'organisme» realizado em Bordéus, entre 22 e 24 de outubro de 1954. Uma segunda folha datilografada constitui o programa de conferências proferidas na mesma ocasião. Completam este conjunto diversas anotações manuscritas sobre temáticas relacionadas com a sobrevivência dos organismos vivos, bem como um resumo de duas páginas (com nota de publicação na forma de agradecimento), intitulado «Le rôle de la glande surrénale dans les mécanismes de défense de l'organisme», ou seja, apresentando uma variante na designação do texto. O presente conjunto doumental integra ainda um artigo de 27 páginas (ao qual falta a página primeira), relacionado com as funções endócrinas das supra-renais, constituindo em princípio uma prova revista e anotada por Celestino da Costa da mesma comunicação.
Redigido para os «Anais da Academia Brasileira de Ciências» - instituição de que Celestino da Costa foi membro -, por ocasião do 25º aniversário da sua «publicação ininterrupta», o artigo «Plasticidade morfo-fisiológica dos tecidos neurais» acabou por ser publicado em 1954. Para além da prova datilografada e anotada de onze páginas, o conjunto documental inclui uma lista das legendas e conserva ainda uma parte da correspondência trocada entre Celestino da Costa e os seus confrades da Academia Brasileira de Ciências, a propósito da referida edição.
Texto de conferência proferida por Celestino da Costa no Instituto Bento da Rocha Cabral, em 1954, passa em revista a terminologia biomédica sobre secreções hormonais. Foi publicado sob o nº 27 de «Actualidades Biológicas», no mesmo ano.
Anúncio do calendário das «Lições sobre histofisiologia das glândulas endócrinas» pelo professor Augusto Celestino da Costa, na Faculdade de Medicina de Lisboa, em 27 de janeiro de 1941.
Artigo de Celestino da Costa originalmente apresentado ao «Simpósio Europeu sobre Cortisona e Cortex Suprarrenal» («European Symposium on Cortisone and the Suprarenal Cortex»), realizado em Milão, entre 31 de agosto e 2 de setembro de 1953. O artigo foi publicado em 1954. A prova anotada inclui uma lista com legendas de imagens e resumos de comunicação em inglês e em francês.
Conjunto documental constituído por uma carta de Celestino da Costa a Antoine Beau, anatomista francês, professor na Faculdade de Medicina de Nancy e secretário geral da Association des Anatomistes, e uma sinopse de uma página (documento incompleto) sobre «L'embryologie du sympathique et de ses dérivés - Les origines». A carta enquadra o envio do artigo para publicação no «Compte-Rendu de l'Association des Anatomistes» (nº 88-B), em 1956.
Prova de autor datilografada, com 11 páginas, contendo um discurso preparado por Augusto Celestino da Costa sobre a figura de Santiago Ramón y Cajal, histologista espanhol que fora galardoado com o prémio Nobel da Fisiologia em 1906 pelo seu trabalho em torno do sistema nervoso e das células neuronais. O presente documento - com data provável de 1952, ano do centenário do nascimento de Cajal - reporta-se à conferência que Celestino da Costa apresentou à Academia Brasileira de Ciências, no Rio de Janeiro, em 23 de setembro daquele ano, no âmbito da mesma efeméride. Inclui correções e comentários manuscritos acrescentados às margens ou entre linhas. Celestino da Costa evoca alguns episódios que o conduziram ao conhecimento de Cajal, logo em 1906, por ocasião da visita que este último fizera à Escola Médico-Cirúrgica de Lisboa, para participar no XVº Congresso Internacional de Medicina, em 19-26 de abril desse ano.
Discurso proferido por Celestino da Costa na «Academia de Ciencias Exactas Físicas e Naturales» de Madrid, por ocasião do centenário desta Instituição espanhola. O documento datilografado de 22 páginas, preparado em português ainda provavelmente durante o ano de 1949, foi publicado em castelhano no tomo 11º de «Actas, Discursos y Conferencias del I Centenario de la Academia» em 1950. O texto inclui uma breve história das ideias em Biologia, nomeadamente, sobre a evolução da teoria celular e o papel de Cajal na aplicação desta teoria à Neurologia e ao conhecimento do neurónio.
Contém documentação organizada por assuntos ou temas que constituiram matéria de apresentações públicas ou lições proferidas por David Ferreira ao longo da sua carreira de professor e investigador da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa («relações célula - virus» ou «a anatomia dos virus», «aparelho de Golgi», «Histofisiologia do rim» etc.). A presente coleção inclui, pois, cadernos de apontamentos manuscritos sobre temas de investigação biomédica, biologia celular e molecular bem como numerosas provas de autor sobre os mesmos assuntos as quais constituiram, nalguns casos, o suporte textual de palestras e/ou disssertações públicas em instituições de ciências que não a FML, como a que David Ferreira proferiu sobre «Plaquetas sanguíneas - Estrutura e funções», na Sociedade Portuguesa de Medicina Veterinária, em 1977, ou outras ainda pronunciadas em universidades estrangeiras, caso das brasileiras Escola Paulista de Medicina e Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, que David Ferreira visitou em 1971. Temas como o «Islão» (com um extenso conjunto de manuscritos organizados tendo em vista uma publicação), a «morte», a «eutanásia» ou os «cuidados paliativos» fazem também parte do leque de interesses de David Ferreira e manifestados nestas compilações para além das temáticas de índole biomédica já sinalizadas.
Processo formado por documentação autobiográfica de Augusto Celestino da Costa: uma biografia concisa com os principais temas e resultados das investigações que realizou, redigida em francês (4 páginas datilografadas), datada de 1947; uma lista de «Publicações sobre questões de ensino e de investigação científica» (lista numerada de 4 páginas); resenha de artigos especializados que Celestino da Costa publicou até 1946; e, por fim, umas «Notas Biográficas» (6 páginas datilografadas e anotadas), não datadas, anteriores a 1926.
Conjunto documental composto por duas versões de um mesmo «Relatório», um datilografado de 19 páginas e outro de 12 páginas incompleto, relativo às «atribuições do Instituto para a Alta Cultura» (IAC), organismo que em 1936 se autonomizara da Junta de Educação Nacional extinta nesse mesmo ano. Celestino da Costa fora designado primeiro presidente do Instituto para a Alta Cultura e este «Relatório», provavelmente redigido em finais de 1939 ou em 1940, passa em revista a constituição de uma política pública de promoção e financiamento da atividade científica em Portugal, tratando ainda do problema do enquadramento normativo dessa atividade, como dos fins e propósitos da atribuição de bolsas de estudo (no país e no estrangeiro), tendo em vista a formação avançada de cientistas e intelectuais «a tempo inteiro» (de acordo com o «full time system» que vira aplicar-se noutros países e que defendeu). Outro aspeto abordado é o das relações culturais internacionais que o país devia de promover também como corolário de uma política de civilização que além da ciência tinha como braços a cultura e a língua, todos em conjunto visando a inscrição de Portugal no concerto das nações. O texto refere-se ao quadro de «transformação da Junta de Educação Nacional (criada em 1929) no novo IAC, passando em revista os modelos europeus e norte-americano de apoio às atividades de investigação científica e ensino universitário e recordando a ação que fora a da JEN em Portugal. O «Relatório» apoia-se, pois, nesses exemplos internacionais, culminando com a apresentação sumária do «caso» francês de criação do CNRS - Centre National de la Recherche Scientifique -, em 1939. A restante documentação conservada neste conjunto corresponde justamente a documentos (incompletos e/ou truncados) dos decretos que reorganizaram o CNRS e que Celestino da Costa analisou e ilustrou no seu próprio «Relatório». Completam este conjunto o «Estatuto de Investigação Científica», interessante documento de 16 páginas (não datado), no qual são enunciadas distintamente as competências dos centros e institutos universitários e as dos centros nacionais de investigação científica, estes últimos, organismos autónomos «consagrados à investigação científica sem dependência de qualquer licenciatura ou faculdade, embora possam estar associados a uma Universidade». Finalmente, um documento solto (incompleto) enumera as «funções que incumbem ao IAC».
Conjunto de documentação relacionada com a estadia que Celestino da Costa efetuou no Brasil em 1950, como professor convidado da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e de outras instituições brasileiras de ciências, entre as quais o Instituto de Biofísica da Universidade Federal do Rio de Janeiro. O conjunto inclui programas da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, currículos do Instituto Oswaldo Cruz, bem como uma convocatória do «Colégio Anatômico Brasileiro», em cuja ordem de trabalhos se inclui a realização de uma «saudação ao membro correspondente Prof. Celestino da Costa pelo titular Roberto Armando».
Discurso de quatro páginas datilografadas proferido por Celestino da Costa, na sua qualidade de presidente da SCML - Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa -, por ocasião do cinquentenário da morte de Pasteur, conforme é referido em nota de rodapé: «Alocução presidencial proferida na sessão extraordinária da Comemoração do Cinquentenário da morte de Pasteur, em 29 de abril de 1947». O mesmo discurso foi publicado como separata do Jornal da SCML no mesmo ano.
Conjunto documental constituído por uma prova de 8 páginas da separata «Synapses neuro-glandulaires et médiateurs chimiques», primeiramente levada por Celestino da Costa a um Simpósio Internacional realizado em Montevideu, Uruguai, entre 6 e 12 de outubro de 1952. Inclui bibliografia e legenda de figuras, sendo acompanhada por uma carta dirigida a Clemente Estable, que fora discípulo de Ramón y Cajal, nesta época diretor do «Instituto de Investigación de Ciencias Biológicas» de Montevideu. Na referida carta, Celestino da Costa relata aspetos interessantes da sua vida pessoal e científica no ano de 1953: as duas operações às cataratas, «coroadas de exito», a que fora submetido, bem como as inúmeras viagens que realizou em missões científicas diversas. Os detalhes testemunham uma personalidade diligente e cosmopolita, bem relacionada nas redes internacionais de ciência.
Programa e convites relativos à «IIª Reunião Luso-Espanhola de Endocrinologia», realizada em Lisboa entre 7 e 9 de novembro de 1955, bem como à «abertura solene do ano lectivo de 1955/1956» promovida pela Sociedade Portuguesa de Hidrologia Médica, em 8 de novembro de 1955. A «Reunião Luso-Espanhola de Endocrinologia» resultou de organização conjunta das Sociedades Espanhola e Portuguesa de Endocrinologia, tendo decorrido nas instalações da Faculdade de Medicina de Lisboa. Celestino da Costa foi membro da Comissão Organizadora deste encontro internacional com Iriarte Peixoto, Eurico Pais, Vasconcelos Frazão, Mário Fernandez, Luiz Botelho e Godinho de Oliveira.
Conjunto documental constituído por duas versões de um texto sobre «Les signes histologiques de la fonction de la médullaire surrénale» que Celestino da Costa publicou em 1956 no volume 42 dos «Comptes-Rendus de l'Association des Anatomistes».
Documento de 10 páginas datilografadas sobre a «Histofisiologia das glândulas endócrinas». O texto poderá ter constituído o capítulo de um livro que Celestino da Costa teria redigido por volta de 1942 ou a passagem a escrito de lições sobre o mesmo tema.
Coleção de documentos relativos a Endocrinologia, em particular, ao estudo da estrutura e da função do pâncreas. A coleção reúne, provavelmente, secções distintas de dois ou mais escritos de épocas diferentes, embora relacionáveis pelo assunto: um texto sobre o «Pâncreas endócrino» que poderá associar-se (em parte) com o capítulo do mesmo nome publicado numa versão espanhola do Manuel de Histologia e Endocrinologia e um texto sobre «Acção da insulina sobre o organismo», aparentemente intercalado.
Prova de autor de «Nouvelles recherches sur les corpuscules sphéroïdes des cellules médulo-surrénales chez le cobaye», passa em revista uma investigação sobre as glândulas supra-renais da cobaia que Celestino da Costa iniciara em 1908 e, segundo o próprio referia, retomara com maior interesse nos anos 50. O presente artigo foi enviado para publicação nos «Comptes rendus des séances de la Société de biologie et de ses filiales». Contém uma lista bibliográfica.
Documento composto por prova datilografada e anotada da comunicação «Différenciation embryonnaire des tissus neuraux», apresentada por Celestino da Costa no colóquio internacional em homenagem a Santiago Ramón y Cajal - organizado em Madrid por ocasião do centenário do nascimento deste cientista -, em 1952. O texto foi mais tarde publicado como separata no volume 45-47 de «Trabajos del Instituto Cajal de Investigaciones Biológicas», em 1954 e é ao processo desta publicação que a restante documentação se refere, nomeadamente através de uma carta dirigida a Fernando de Castro, professor e histologista do Instituto Cajal, na qual Celestino da Costa dá conta do envio do artigo acima referido bem como de ilustrações (não conservadas). Em anexo, seguem a lista das legendas, referências bibliográficas e resumos em francês e em inglês.
Contém apontamentos manuscritos organizados por assuntos, relacionando-se sobretudo com as atividades letivas e de conferencista que José Freancisco David Ferreira exerceu na qualidade de investigador, professor catedrático e depois vice-reitor da Universidade de Lisboa. Lições em cursos (por exemplo, manuscritos que suportaram as sessões de introdução no «Curso de Histologia e Embriologia» ou as aulas sobre reprodução humana e biologia celular, entre 1978 e 1987), palestras ou conferências públicas (como «As novas tecnologias da reprodução - Factos e consequências», na Universidade do Algarve, em maio de 1999), e outras intervenções que David Ferreira protagonizou encontram-se entre os documentos conservados (ainda, como exemplo, «Organismos geneticamente modificados» ou «Ciências básicas e medicina do nosso tempo», palestra proferida na Sociedade de Ciências Médicas; abertura da sessão «Estado da arte - avanços na área da biologia molecular e celular» pronunciada no Curso de Pós-Gradução «Genética, Genoma e Genómica: da clínica à saúde pública» pela Escola Nacional de Saúde Pública em parceria com a Sociedade Portuguesa de Genética Humana, em 2005). Conservam-se igualmente várias notas dispersas sobre medicina, história do ensino médico, história da ciência («Obra de Bacon», «Cronologia médica»), incluindo mais raramente recortes de jornais sobre assuntos de atualidade científica, médica ou social da época. Neste grupo, inclui-se um conjunto de memorabilia (cartões de visita, bilhete de teatro, anotações avulsas) relacionada com uma viagem que David Ferreira efetuou ao Brasil, já na qualidade de vice-reitor da Universidade de Lisboa, para participar na «Conferência Internacional sobre Educação Médica». Esta viagem realizou-se em outubro de 2000. Nessa ocasião, David Ferreira foi recebido na Academia Nacional de Medicina de Rio de Janeiro, tendo proferido um discurso, cujo texto igualmente se preservou. À margem destas coletâneas, conserva-se um conjunto de fotografias relativas à prova pública de agregação de Maria Clara Pinto Correia, apresentada à Universidade de Lisboa, em 2004, perante um júri presidido por David Ferreira, bem como outro material informativo sobre o GAPIC e o IMM.
Resumo de duas páginas de uma comunicação sobre as «Relações genéticas entre as gónadas e a glândula cortico-supra-renal», apresentada por Celestino da Costa ao nº 3 da «Acta Physiológica Latino-Americana», em 1953.
Relatório assinado por Celestino da Costa na sua qualidade de membro do júri e relator das provas de dissertação para obtenção do grau de doutoramento, apresentadas por Sérgio Marques de Carvalho à Faculdade de Medicina de Lisboa. O relatório de seis páginas é datado de 24 outubro de 1953 e, entre outros, permite obter algumas informações sobre as técnicas de microscopia utilizadas pelo doutorando, bem como sobre alguns equipamentos utilizados na época.
Comunicação sobre Santiago Ramon y Cajal proferida por Celestino da Costa, na Faculdade de Medicina de Lisboa, em dezembro de 1952. A comunicação realizou-se no quadro das comemorações do centenário do nascimento do médico e investigador espanhol celebradas em diversas instituições científicas internacionais. Celestino da Costa refere-se a estas manifestações nessa «sessão especial organizada pela Faculdade de Medicina de Lisboa».
Discurso de três páginas, não assinado e não datado, proferido por ocasião da atribuição do grau de doutor Honoris Causa a Augusto Celestino da Costa, pela Faculdade de Medicina de Montpellier. O documento expõe, numa perspetiva sintética, a obra de Celestino da Costa em prol da investigação biomédica, referindo o facto do cientista português ter sido distinguido com o grau de comendador da Legião de Honra de França e ter sido aclamado no congresso dos anatomistas (Congrès des Anatomistes), realizado em Clermont-Ferrand, em 6-9 de abril de 1952, factos que permitem datar o documento como posterior a este último ano.
Prova de autor com 4 páginas datilografadas sobre «O dicroísmo das células cortico-supra-renais», foi publicada no «Compte-rendu de l'Association des Anatomistes», no seguimento da sua 40ª Assembleia, ocorrida em Bordéus, entre março e abril de 1953.