Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

19,274 records were found.

Contém as séries: Registo da contribuição direta paroquial e Talões de contribuição voluntária para o Fundo de Assistência e Fins Sociais
Contém as séries: Registo de foros e rendas; Escrituras de aforamento; Cobrança de foros; Inventário de bens da Junta e Inventário de bens da Paróquia
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
A coleção é constituída por negativos de gelatina em vidro, negativos em película que retratam o concelho nas décadas de 1940 a 1960. Inclui, ainda, bilhetes-postais ilustrados representando outras localidades
A documentação é composta por fotografias em papel, que representam, na sua maioria, o concelho de Cascais
A coleção comporta documentos sobre a história de Cascais, compondo-se de apontamentos, recortes de imprensa, fotografias, bilhetes de transportes, programas de espetáculos e bilhetes-postais ilustrados, entre outras tipologias. Após reinstalação, a coleção encontra-se em tratamento, com vista à reconstituição da ordem original, sendo, por ora, constituída por todas as secções definidas pelo colecionador, algumas das quais não comportando documentos, que se apresentam alfabeticamente, tendo por base o "Índice da coleção de documentos e notícias diversas relativas à vila e concelho de Cascais organizada por Monsenhor Alfredo Elviro dos Santos, filho de Cascais e oferecida pelo mesmo ao Museu Biblioteca do Conde de Castro Guimarães em 30 de Setembro de 1931": Águas de Vale de Cavalos, Empresa das (Mç. 1); Associação Humanitária dos Bombeiros de Alcabideche (Mç. 2); Associação Humanitária Recreativa Cascaense (Mç. 3); Associação de Socorros Mútuos de Nossa Senhora da Assunção de Cascais (Mç. 4); Automóveis entre Monte Estoril, Cascais e Sintra (Mç. 5); Avenças dos taberneiros do concelho de Cascais no ano de 1839 (Mç. 6); Azulejos antigos do palácio do Conde da Guarda (Mç. 7); Baluarte Terrasse, Cascais (Mç. 8); Banhos da Poça (Mç. 9); Baptista, João Pedro de Sales (Mç. 117); Bazares de caridade (Mç. 10); Bendito de Nossa Senhora da Conceição (Mç. 12); Boca do Inferno (Mç. 11); Braga, Pedro Baptista Águedo de Sousa - Cónego (Mç. 124); Brasão e inscrições lapidares diversas (Mç. 13); Cabo, Nossa Senhora do - Loas (Mç. 58); Câmara Municipal de Cascais (Mç. 14); Caminho-de-ferro movido pela eletricidade (Mç. 16); Caminho-de-ferro movido pelo vapor (Mç. 15); Carmona, General - Presidente da República (Mç. 108); Casino da Praia, Cascais (Mç. 33); Casino de Carcavelos, Grande (Mç. 30); Casino de Cascais (Mç. 32); Casino Internacional do Monte Estoril (Mç. 31); Cemitérios (Mç. 17); Centro Escolar de Instrução Primária em Cascais (Mç. 21); Centro Escolar Republicano Almirante Reis (Mç. 22); Chalets (Mç. 18); Chaminés, Empresa de [...] do Concelho de Cascais (Mç. 19); Cidadela de Cascais (Mç. 34); Cinema da Praia, Cascais (Mç. 35); Circo Ivanof, Grande (Mç. 36); Chinquilho em Cascais (Mç. 20); Club da Praia, Cascais (Mç. 23); Club Recreativo Almeida Garrett, Cascais (Mç. 24); Colégios (Mç. 26); Companhia de Sapadores de Caminhos-de-ferro (Mç. 25); Corridas de cavalos (Mç. 27); Crimes de Cascais (Mç. 28); Cruzeiros de Cascais (Mç. 29); "Drag" ou "Ride Tiper" em Cascais (Mç. 37); Empresa Edificadora (Mç. 39); Escola Monumento D. Luís I (Mç. 40); Esplanada do Príncipe Real (Mç. 44); Estabelecimentos comerciais e industriais (Mç. 42); Estoris (Mç. 41); Excursão de Cascais a Santarém (Mç. 43); Exposições (Mç. 45); Expostos, Roda dos (Mç. 46); Fábrica de Lanifícios (Mç. 47); Faróis (Mç. 85); Festejos em Cascais - Chegada da Família Real (Mç. 48); Festejos marítimos (Mç. 49); Festividades religiosas (Mç. 50); Freguesias de Cascais (Mç. 51); Freitas, Domingos Serapião de (Mç. 113); Freitas, Feliciano Gabriel de - Dr. (Mçs. 109-110); Gomes, Lourenço Correia - Administrador do Concelho de Cascais (Mç. 122); Grupo Dramático e Sportivo de Cascais (Mç. 52); Grutas pré-históricas do Poço Velho em Cascais (Mç. 53); Hino de Cascais (Mç. 55); Hino de Nossa Senhora dos Anjos, que se venera na Igreja da Misericórdia de Cascais (Mç. 54); Hotéis e restaurantes (Mç. 56); Igrejas, capelas, ermidas, hospício (Mç. 38); Iluminação a gás e eletricidade em Cascais e no Monte Estoril (Mç. 57); Imagens existentes em Cascais, Santo António do Estoril, etc. (Mç. 58); Instituto de Assistência, Proteção e Defesa Social do Concelho de Cascais (Mç. 59); Instituto de Socorros a Náufragos, Real (Mç. 62); Irmandade de Santo António do Estoril, ereta na Igreja de Santo António do Estoril (Mç. 60); Irmandade do Santíssimo Sacramento da freguesia da Ressurreição de Cristo de Cascais (Mç. 61); Jaculatórias de Nossa Senhora por Joaquim Casimiro Júnior - Músicas (Mç. 66); Jardim de Cascais (Mç. 67); Jornais de Cascais (Mç. 68); Kermesse em Cascais (Mç. 69); Lawn-Tennis (Mç. 63); Liga Monárquica, Núcleo da (Mç. 64); Loas - Nossa Senhora do Cabo (Mç. 58); Locio, José António de - D. e Locio, Maria Porfíria de Freitas - D. (Mçs. 118-119); Loureiro, José Maria - Cónego (Mç. 121); Louvado (Mç. 65); Luís I, D. - Falecimento em Cascais (Mç. 107); Magalhães, Condes de (Mç. 112); Marinha, Terrenos da (Mç. 70); Marégrafo (Mç. 71); Marrocos em Cascais (Mç. 72); Matinas de Nossa Senhora da Conceição, que se cantavam em Cascais (Mç. 73); Médicos (Mç. 74); Meninas podres (Mç. 75); Mercado mensal (Mç. 76); Misericórdia de Cascais (Mç. 77); Missa a duo pelo cónego Pedro Baptista Águedo de Sousa Braga, filho de Cascais - Acompanhamento (Mç. 78 A); Monumentos e padrões (Mç. 78 B); Museu Biblioteca do Conde Manuel de Castro Guimarães (Mç. 79B); Música, Noções de música pelo Cónego Pedro Baptista Águedo de Sousa Braga (Mç. 79A); Náufragos em Cascais (Mç. 80); Novena de Nossa Senhora da Conceição, que se cantava em Cascais (Mç. 82); Novena de S. Sebastião, que se cantava na sua capela em Cascais (Mç. 81); Ordem Terceira da Penitência de Cascais, Venerável (Mç. 83); Padeiros, Greve de (Mç. 84); Passeio a Cascais - Regresso - Música (Mç. 86); Passeio Maria Pia (Mç. 87); Pescadores (Mç. 88); Porto de Abrigo em Cascais (Mç. 89); Praias de Cascais (Mç. 90); Regatas (Mç. 91); Regimento de Infantaria 19 (Mç. 92); República, Festas de aniversário da proclamação em Carcavelos (Mç. 93); Roquete, José Inácio - Cónego (Mç. 120); Ruínas romanas perto de Cascais (Mç. 94); Saneamento de Cascais (Mç. 95); Santos, Alfredo Elviro dos - Monsenhor (Mç. 111); Santos, Maria da Assunção Auta dos - D. (Mç. 126); Segurado, Margarida Apolónia Aguiar - D., esposa do notário de Cascais, Joaquim Teotónio Segurado (Mç. 125); Senhora do Cabo (Mç. 58); Silva, Francisco Joaquim da Costa e Ferreira, José Carlos Mardel (Mçs. 114-115); Sociedade Filarmónica da Vila de Cascais (Mç. 97); Sociedade Musical de Cascais (Mç. 96); Sociedade Recreativa Cascaense, Hino da (Mç. 98); Sport em Cascais, Prova de (Mç. 100); Sporting Club de Cascais (Mç. 99); Teatro Gil Vicente (Mç. 101); Telefone, Estação (Mç. 103); Telégrafo de tabuinhas (Mç. 102 B); Termas - Estabelecimento Termal Hidroterapêutico do Estoril (Mç. 102 A); Tesoureiro do concelho de Cascais - Caderno para se assentarem os rendimentos que receber no ano económico de 1844 a 1845 (Mç. 104); Touros e Touradas, Praça de (Nota: Roubado em 1945-12-08 - Mç. 105); Várias notícias de Cascais (Mç. 128); Viana, Manuel Vieira de Araújo - Comendador (Mç. 123); Vila Marocas, Leilão (Mç. 106); Viscondes da Luz (Mç. 127); Volante, Francisco - Padre, pároco de Cascais, insigne em recortar papel (Mç. 116)
A coleção é constituída por bilhetes-postais ilustrados que representam, fundamentalmente, o concelho de Cascais
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
A coleção é constituída por 12 documentos, nomeadamente cartografia representando Portugal continental, as regiões autónomas dos Açores e da Madeira e as antigas províncias ultramarinas, assim como a digitalização do Compromisso da Confraria de Nossa Senhora do Cabo
Parafraseando o colecionador, a coleção constitui «um acervo muito completo, cujo valor reside não só nas espécies em si, mas enquanto conjunto, que dificilmente será encontrado de outra maneira», fundamental para o estudo de Carcavelos e da vitivinicultura nos territórios da atual Região Demarcada de Carcavelos. A coleção é constituída por 11 secções: Vitivinicultura; Quintas Produtoras de Vinho (Quinta da Corriola; Quinta do Barão; Quinta Nova, Quinta de Santo António ou Quinta da Ordem; Quinta da Alagoa; Quinta da Torre da Aguilha; Quinta do Junqueiro; Quinta dos Lombos; Quinta do Lameiro; Quinta das Encostas; Quinta do Marquês de Pombal; Quinta de Rana; Quinta da Terrugem; Quinta dos Pesos; Quinta da Fonte da Aldeia; Quinta de S. Gonçalo; Quinta da Cartaxeira e Propriedades não identificadas); Famílias e Personalidades; Urbanismo; Serviços, Comércio e Indústria; Fortes e Assuntos Militares; Igreja e Religião; Saúde e Ação Social; Desporto e Lazer; Movimentos e Partidos Políticos e Junta de Freguesia de Carcavelos
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
A documentação é composta por correspondência, textos assinados pelo próprio, por outros e não assinados, apontamentos, trabalhos e testes, documentos ligados à docência, cartazes e livros editados. A documentação reflete a atividade do Sr. Pedro Melo e Alvim no domínio da sua atividade. O fundo é constituído por 3 secções: Vida pessoal; Vida profissional e académica e Textos e desenhos; e por 14 séries: Correspondência recebida e expedida (1924-1997); Documentos pessoais (1929-1997); Fotografias (1954-1990); Cartazes (1961-1989); Caricaturas (1950-1960); Apontamentos (1978-1987); Trabalhos e testes (1970-1986); Planos de estudos (1995-1997); Textos assinados (1948-1995); Recortes de textos publicados (1968-1990); Textos não assinados (1955-1989); Textos de outros autores (1959-1990); Obra editada (1970-1976) e Desenhos (1981-1987)
A coleção comporta documentos cartográficos originais ou copiados, que a Câmara Municipal de Cascais mandou produzir ou recolheu ao longo dos tempos. Entre os originais já processados arquivisticamente destaca-se a Carta Topográfica e Cadastral do Concelho de Cascais, a primeira a ser mandada produzir pelo município, em 1912-1916, e o Plano de Ubanização da Costa do Sol, de 1948. A coleção encontra-se em tratamento, não dispondo de quadro de classificação definitivo
O fundo é composto por 5 secções: Correspondência (1938-2007), Vida diplomática (1936-1986), Vida académica (1963-1988), Vida literária e Cultural (1930-2008) e Documentos pessoais e familiares (1949-2008); e por 27 séries: Copiador de correspondência expedida e correspondência recebida (1938-2007); Correspondência diplomática recebida (1947-1980); Copiador de correspondência diplomática expedida (1947-1985); Documentos administrativos e financeiros (1936-1979); Informações e relatórios políticos (1949-1986); Relatórios de serviço e monografias para progressão na carreira (1951-1958); Visitas e cerimónias oficiais (1964-1986); Discursos (1949-1987); Cartas patentes e diplomas (1948-1977); Documentos de apoio à atividade diplomática (1946-1984); Fotografias (1936-1988); Universidades e Institutos (1966-1985); Documentos de apoio à atividade docente (1970-1988); Documentos relativos a conferências, colóquios e encontros (1963-1980); Manuscritos e datiloscritos (1934-1999); Obra impressa (1938-2005); Documentos relativos a edições (1950-1987); Recortes e textos de imprensa (1930-2001); Folhetos e programas de atividades culturais (1956-2008); Biblioteca (1950-2003); Associações (1955-1987); Curriculum vitae (1964); Documentos de despesa (1949-1980); Documentos com carateres japoneses (1964-1971); Coleção de postais e autocolantes (1960-1978); Exposições evocativas e homenagens (1988-2008) e Trabalhos e apontamentos escolares dos filhos (1975-1981) e Fotobiografia (1918-2000)
O fundo é constituído por seis secções: Documentos pessoais; Correspondência; Manuscritos, datiloscritos e provas; Obra impressa; Recortes de imprensa e estudos sobre o autor e a obra; e Biblioteca; e por 21 séries: Fotografias (1916-1966); Vida académica (1927); Vida profissional (1931-1969); Vida literária (1930-1972); Correspondência recebida (1914-1974); Correspondência expedida (1912-1971); Correspondência recebida e expedida relativa ao Museu-Biblioteca Condes de Castro Guimarães (1946-1950); Correspondência recebida e expedida por familiares (1933-1993); Poesia (1925-1970); Prosa (1940-1982); Capas e desenhos (1930-1960); Apontamentos (1926-1980); Manuscritos de outros autores (1928); Edições literárias (1931-1986); Edições em antologias (1944-1981); Edições sobre biblioteconomia e museologia (1943-1975); Críticas e correspondência sobre o autor e a obra (1926-1975); Estudos sobre o autor e a obra (1971-1993); Recortes de imprensa sobre bibliotecas (1933-1983); Obras autografadas (1903-1980) e Outras obras (1833-1979)
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
A documentação é constituída por correspondência, escrituras, procurações, requerimentos e documentos de cariz contabilística. O fundo encontra-se em tratamento, não dispondo de quadro de classificação definitivo
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O fundo é constituído por cartas e alvarás relativos à família, treslados de crónicas, vidas de santos e compêndios, bem como notas sobre a história da Igreja em Portugal e temas religiosos. O fundo encontra-se em tratamento, não dispondo de quadro de classificação definitivo
Contém as séries: Registo de correspondência recebida; Registo de correspondência expedida; Correspondência recebida e expedida; Património cultural; Comissões de moradores; Associações, clubes, cooperativas e grupos; Cadernos reivindicativos; Elementos gerais da Freguesia; Registo de emolumentos; Registo de requerimentos e declarações; Editais de outras entidades; Registo de atestados; Registo de termos de identidade; Registo de enterramentos; Processos jurídicos; Incidente na Ribeira da Penha Longa; Censos; Inquéritos; Diplomas e certificado; Boletim da Junta; Homenagem aos professores da Freguesia; Relação das coletividades e grupos existentes na Freguesia; Fotografias e Iniciativas culturais e desportivas
Para além da documentação diretamente relacionada com os Marqueses de Cascais e Condes de Monsanto, existem subnúcleos relativos a outras casas, de algum modo ligados a esta, como as dos Marqueses de Nisa, Condes da Castanheira, Condes de Unhão e ainda a da Família Sousa e Melo. O fundo é relativamente homogéneo ao nível das tipologias, de entre as quais se evidenciam os títulos de propriedade (cartas de arrendamento, aforamento, emprazamento, escrituras de compra e venda e autos de medição e demarcação), relações de rendimentos, tombos, procurações, cartas de privilégio e correspondência diversa. No acervo pertencente aos Condes da Castanheira encontram-se, ainda, documentos de nomeação de juizes e oficiais. Com exceção da documentação dos Condes de Unhão, os restantes subnúcleos revelam-se de particular interesse para a história do Brasil. O fundo encontra-se em tratamento, não dispondo de quadro de classificação definitivo
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
Associações: Grupo Recreativo Murtalense (29 janeiro); Estudantina Recreativa de São Domingos de Rana (29 janeiro); Sporting Clube do Monte Estoril (29 janeiro); Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cascais (19 maio); Sociedade Musical União Paredense (25 maio); Associação de Beneficiência e Socorro "Amadeu Duarte" (10 outubro)
Contém as séries: Contas de gerência; Registo de caixa; Registo de conta corrente da receita; Registo de conta corrente da despesa; Registo da receita; Registo de documentos; Diário de receita; Mapas diários e mensais da despesa; Documentos da receita; Documentos da despesa; Documentos da receita e despesa; Guias de receita; Mapas auxiliares da receita; Resumo da despesa por classificação funcional; Mapas comparativos entre despesa orçada e paga; Registo de autorizações de pagamentos; Balancetes de tesouraria; Diários de tesouraria; Folhas de tesouraria; Conta da responsabilidade do tesoureiro; Ordens de pagamento; Mandados de pagamento; Documentos de cobrança; Receita de operações de tesouraria; Protocolo de cheques; Justificativos e movimentos bancários; Subsídios; Certidões de saldo e Orçamento da receita e da despesa
O arquivo da Junta de Freguesia de Cascais permaneceu até 2006 na sua posse. A documentação produzida entre 1782 e 2000 encontra-se depositada no AHMC ao abrigo do Programa de Recuperação de Arquivos e Documentos de Interesse Municipal (PRADIM), o qual consiste num acordo entre a Câmara Municipal de Cascais, através do seu Arquivo Histórico, e outras entidades públicas ou privadas cujos fundos documentais tenham interesse para o estudo da história ou cultura local, assumindo o AHMC a responsabilidade pelo seu tratamento e preservação. O acervo em depósito tem como utilização fundamental a consulta pública e a investigação.
Contém as séries: Mapas de assiduidade das alunas da Escola Feminina e Inventário do património da Escola-Cantina 1.º de Maio de 1922
A documentação reflete a atividade da Confraria de Nossa Senhora dos Prazeres e S. Pedro Gonçalves Telmo no domínio das funções definidas por alvará. O fundo é constituído por 3 documentos: Alvará (1682); Registo diário da despesa de Tomás Gomes na obra da igreja (1792) e Relação de irmãos e de resultados de eleições da Irmandade de S. Pedro Gonçalves (1845)
A documentação reflete a atividade da Confraria do Santíssimo Sacramento de S. Vicente de Alcabideche no domínio das funções definidas por compromisso. O fundo é constituído por 1 documento: Compromisso (1657-1744)
A documentação reflete a atividade da Venerável Ordem Terceira de S. Francisco da Vila de Cascais no domínio das funções definidas por compromisso e estatutos. O fundo é constituído por 4 secções: Constituição e Regulamentação da Ordem; Gestão Financeira; Património e Assistência; e por 42 séries: Ordenação, compromissos e estatutos (1693-1914); Atas de sessões (1853-1922); Correspondência recebida (1801-1911); Copiador de correspondência expedida (1887-1894); Editais (1892-1896); Relação de irmãos (1893); Registo de Irmãos (1728-1876); Diplomas de admissão (1790); Registo de irmãos que professam (1675-1876); Termos de eleições (1765-1886); Listas de contagem de votos em eleições (1837-1880); Registo de capelães e andadores (1694-1848); Registo de missas de capelas (1744-1894); Alvarás de quitação para cumprimento de legados pios (1818-1895); Relações de missas e formatura de procissão (1832-1872); Processos de pedidos de realização e procissões (1815-1827); Procuração, termos e mandado (1774-1878); Registo diário de receita e despesa (1746-1868); Registo anual de receita e despesa (1839-1920); Acórdãos do Tribunal Administrativo para aprovação de contas (1887-1911); Registo de importâncias entregues à Administração do Concelho (1888-1890); Registo de receita (1751-1906); Registo de cobrança de anuais (1794-1868); Registo de receita de capelas (1743-1861); Registo de cobranças de juros (1769-1897); Recibos de cobrança de juros (1889); Processos de empréstimo de capital (1759-1889); Registo de despesa (1751-1765); Documentos de despesa (1618-1883); Registo de ordens de pagamento (1842-1861); Ordens de pagamento (1842-1851); Orçamentos gerais (1869-1883); Relações de dívidas (1873-1889); Processos de dívidas (1677-1780); Registo de dívida em processo judicial (1782-1844); Inventário (1751-1862); Auto para emprazamento de capela (1671-1796); Escrituras (1664-1877); Sentenças cíveis (1749-1835); Termo de desistência (1619); Registo de irmãos pobres vestidos pela Ordem (1782-1896) e Processos para concessão de agasalhos (1830-1910). Comporta, ainda, Desenho picotado com motivo litúrgico (1900)
A documentação reflete a atividade da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário no domínio das funções definidas. O fundo é constituído por 1 documento: Registo de missas por alma dos irmãos (1715-1828)
A documentação reflete a atividade da Irmandade de Nossa Senhora da Assunção no domínio das funções definidas. O fundo é constituído por 3 documentos: Registo anual de receita e despesa (1840-1861), Orçamento de receita e despesa (1853) e Ordens de pagamento (1854)
A documentação reflete a atividade do Arciprestado de Cascais no domínio das funções definidas. O fundo é constituído por 2 documentos: Registo de testamentos (1779-1833)
Contém as séries: Registo de pedidos de habitação e Registo de habitações devolutas
Contém as séries: Recenseamento eleitoral e Processos de atos eleitorais
A documentação reflete a atividade da Sociedade Moagem de Carcavelos no domínio das funções definidas por alvará. O fundo é constituído por 4 séries: Correspondência recebida e expedida (1957-1980), Quotizações (1977-1981), Guias de remessa (1974-1983) e Projetos (1944-1977). Comporta, ainda, Formulários e Embalagens (1960)