Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

43,875 records were found.

Os registos em geral contêm a data do casamento, a paróquia, concelho, diocese ou bispado, nome do pároco, nome completo e naturalidade dos nubentes, estado civil, idade, ocupação, nome do anterior cônjuge se for viúvo, nome e naturalidade dos pais, se for solteiro, e o nome, estado civil, ocupação e grau de parentesco das testemunhas. Podem ter em averbamento a dissolução do casamento por óbito do cônjuge, divórcio, nulidade de casamento católico, separação de pessoas e bens ou só de bens, de convenção antenupcial, etc..
Concelho de Santarém. Registo civil de casamentos. De acordo com o Regulamento do Registo Civil que faz parte do decreto de 28 de novembro de 1878, do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça/ Direção-geral do Registo Civil e Estatística/1.ª Repartição, Título VI - Do registo de casamentos os registos deviam conter os seguintes dados: lugar, hora, dia, mês e ano em que foi feito; nomes, apelidos, estado, profissão, naturalidade e residência das partes e das testemunhas; hora, dia mês, ano do casamento; designação do edifício público ou particular em que foi celebrado; serem, os contraentes, filhos legítimos, ilegítimos ou expostos; o seu estado civil anterior; nomes, apelidos e naturalidade dos pais e mães, avôs e avós dos contraentes, sendo conhecidos; havendo dispensa de idade a menção da apresentação do diploma dessa concessão; o mesmo para o diploma de consentimento, no caso de o contraente ser menor; se algum dos contraentes fosse viúvo, a menção do nome do cônjuge falecido e local de falecimento. Averbamentos: Sentença de anulação do casamento (data, juízo onde foi proferida e cartório onde correu o processo) À margem: N.º de ordem do registo, nomes dos contraentes, n.º de ordem dos documentos de que se fez menção. Originais.
Concelho de Santarém. Registo civil de óbitos De acordo com o Regulamento do Registo Civil que faz parte do decreto de 28 de novembro de 1878, do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça/ Direção-geral do Registo Civil e Estatística/1.ª Repartição, Título VII - Do registo de óbitos os registos deviam conter os seguintes dados: lugar, hora, dia, mês e ano em que foi feito; dia, hora e lugar do falecimento; nome, apelidos, idade, profissão, naturalidade e domicílio do falecido; nome, apelidos, profissão e domicílio dos pais e avós do falecido; nome do cônjuge se o falecido tivesse sido casado ou viúvo; causa da morte, sendo conhecida; se fez testamento e a menção da pessoa que ficou em posse dele. À margem: N.º de ordem do registo, nome do falecido, n.º de ordem dos documentos de que se fez menção. Originais.
Contém: registos de casamentos e duplicados e extratos de registos de nascimentos, casamentos, óbitos, perfilhações e legitimações, transcrições e índices decenais da Conservatória de Registo Civil de Abrantes.
De 1 de janeiro de 1911 até 15 Julho de 1912 os livros de registo de nascimentos são duplicados, a partir desta data passam a Extractos de registo de nascimentos. Segundo o Código de Registo Civil publicado no Diário-Governo nº41 de 20 de Fevereiro de 1911, no artigo nº 74, os duplicados deveriam de conter : hora, dia , mês, ano e lugar em que o registo é feito, nome do funcionário que assina, nome completo, estado, profissão e domicilio da pessoa que faz a declaração de nascimento, a hora, dia, mês, ano e lugar do nascimento, sexo do registando, nome ou nomes de familia que lhe ficam pertencendo, nome próprio que lhe foi posto, qualidade de filho legitimo ou ilegitimo, nome completo, idade, profissão, naturalidade, domicilio e residência do pai e da mãe, com indicação do lugar e data aproximada do casamento (tendo casado), nomes completos, naturalidades e ultimos domicilios das testemunhas (padrinhos), quaisquer outras declarações complementares que este código exija nos casos previstos. No Diário de Governo nº175 de 27 Julho de 1912, o seu artigo 14º, estipula que para qualquer espécie de registo haverá dois livros, num dos quais se lançará cronologicamente o extrato dos assentos escritos no livro de originais, mencionando nesse extrato os seguintes elementos: dia, mês, ano, freguesia, concelho, sexo, nome do registado, mencionar se filho legitimo ou ilegitimo, naturalidade dos individuos registados e de seus pais. Os livros incluiam também registos dos Postos de Registo Civil existentes nas Freguesias, os Postos de Registo Civil existentes no Concelho de Abrantes são: Aldeia do Mato, Alvega, Bemposta, Ferrarias, Martinchel, Mouriscas, Pego, Rio de Moinhos, Rossio ao Sul do Tejo, Ribeira do Carregar, S.Facundo, S.Miguel do Rio Torto, Souto, Tramagal. Em 1937, surge o Posto do Hospital do Salvador. Os registos destes Postos eram anexados, no final do ano, ao livro de registos da respectiva Conservatória existente na sede de Concelho, a sua numeração era alterada por forma a dar seguimento á numeração já existente no respectivo livro, as datas destes registos, não seguiam a continuidade das datas dos registos, já existentes. Os Postos de Registo Civil existentes no Concelho de Abrantes são: Aldeia do Mato, Alvega, Bemposta, Ferrarias, Martinchel, Mouriscas, Pego, Rio de Moinhos, Rossio ao Sul do Tejo, Ribeira do Carregar, S.Facundo, S.Miguel do Rio Torto, Souto, Tramagal. Em 1937, surge o Posto do Hospital do Salvador. Os postos são extintos definitivamente em 1995. Nos livros de Extractos de nascimentos, apartir de 1960, surgem com a denominação de "diversos", onde são registados os nados-mortos, os óbitos e os casamentos de estrangeiros.
Concelho de Santarém. Documentação constituída por registos de batismos, casamentos e óbitos
Concelho: Santarém. Registo civil de nascimentos. De acordo com o Regulamento do Registo Civil que faz parte do decreto de 28 de novembro de 1878, do Ministério dos Negócios Eclesiásticos e da Justiça/ Direção-geral do Registo Civil e Estatística/1.ª Repartição Título V - Do registo de nascimentos, os registos deviam conter os seguintes dados: lugar, hora, dia, mês e ano em que foi feito; hora, dia mês, ano e local do nascimento; sexo do recém-nascido; nome do recém-nascido; nomes, apelidos, profissão, naturalidade e domicílio dos pais, mães e avós e os das testemunhas; se era filho legítimo ou ilegítimo; sendo gémeos lavrar-se-ia um registo para cada um na ordem do seu nascimento; se tivesse um ou mais irmãos com o mesmo nome, o n.º de ordem na filiação. Averbamentos: legitimação por subsequente casamento dos pais ou reconhecimento por escritura pública, testamento ou qualquer outro ato solene. À margem: (filhos legítimos) n.º de ordem do registo, nome do recém-nascido, n.º de ordem dos documentos de que faz menção; (filhos ilegítimos) n.º de ordem do registo, nome do recém-nascido, n.º de ordem dos documentos de que faz menção; qualquer averbamento que na forma do art.º 38.º do referido decreto, tivesse de realizar-se. Originais.