Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

324,036 records were found.

Peça desenhada da zona de intervenção de S. Roque. Planta da Tv. do Pinheiro Grande, núcleo nº33 - 1ºs andares. Escala 1/100.
Dossier de intervenção técnica da zona do Heroísmo. Contém folhas informativas, circulares, relatórios, periódicos, programa de actividades, correspondência, peças desenhadas, acta, despacho, proposta, parecer, norma de serviço interna, folhas de parcelas, convocatória, matrizes e recortes de jornais.
Contém factura mensal de honorários, circulares, comunicados, informações SAAL Norte Nº1.
Peça escrita da zona de intervenção do Heroísmo. Contém estudos/apontamentos, correspondência, propostas, circulares, tabela de calendarização de tempo e custos das obras, fichas de pedido de distribuição de fogos, comunicados, matriz, folha informativa.
Conjuntos de documentos heterogéneos de carácter geral, insuficientemente relevantes para se incluirem nos processos anteriores.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Programa de concurso - 1ª fase : orçamento do custo do material, zona de intervenção Chaves de Oliveira.
Estes processos resultam de um concurso público para adjudicação de determinada obra de construção do processo SAAL, continham os seguintes elementos: As condições jurídicas, explicitando entre outros o objecto da empreitada o prazo e o preço base; as condições especiais, referenciando o tipo de obras a executar descriminando inclusivamente as obras a executar; a memória descritiva e justificativa e peças desenhadas.
Peça desenhada : implantação, zona de intervenção de Chaves de Oliveira. Escala 1/2000.
Auto de medição, zona de intervenção de Chaves de Oliveira. Contém autos de medição, notas de serviço, recibos.
Conjuntos de documentos heterogéneos de carácter geral, insuficientemente relevantes para se incluirem nos processos anteriores.
Cabe à Câmara Municipal aprovar os projectos de construção ou de remodelação de habitações elaboradas pelas cooperativas de habitação económicas ou pelas associações de moradores. Os elementos constituintes dos projectos de construção são: as peças escritas (memória descritiva e justificativa, o caderno de encargos, as medições e orçamentos) e as peças desenhadas (implantação, alçados, perfis, pormenores). Estes elementos do projecto podem não corresponder a uma só fase mas abranger fases sucessivas. O projecto de construção também se denomina de projecto de execução.
Documento que identifica a operação da zona de intervenção de Justino Teixeira com historial da organização de moradores e cronologia da operação.
Autos de medições dos trabalhos da zona de intervenção de Chaves de Oliveira.
Auto de medição, zona de intervenção de Chaves de Oliveira. Contém correspondência, recibo.
Inquérito e análise relâmpago sobre o Fundo de Fomento da Habitação realizado por um grupo de trabalhadores a 6 de Outubro de 1974.
Peça escrita da zona de intervenção do Heroísmo. Contém fichas de levantamento de cada associado.
Caderno de encargos, mediçoes, orçamentos, peças desenhadas: corte, alçado, pormenores betão, caixilharia.
Série constituida por fichas tipo de inquérito dirigidas ao agregado familiar. Incidiam em cada bairro ou ilha objecto de intervenção do SAAL. Estes inquéritos faziam parte de um processo obrigatório feito pelas brigadas técnicas. Podia integrar-se nos DUO. A análise destes inquéritos reflectem as condições socio-económicas das familias alvo.
Peça desenhada da Tv. do Pinheiro Grande, núcleo 33. Alçados.
Peça desenhada da zona de intervenção de S. Roque. Alçado da Tv. do Pinheiro Grande.
Peça desenhada da zona de intervenção de S. Roque/Porto. Tv. do Pinheiro Grande, núcleo 33 - planta de coberturas. Escala 1/100.
Peça desenhada da zona de intervenção de S. Roque/Porto. Alçado da Tv. do Pinheiro Grande - sudeste.
Peça desenhada da zona de intervenção de S. Roque/Porto. Planta das habitações : Rua do Pinheiro Grande, núcleo 33. Escala 1/100.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Peça desenhada : operação Póvoa/Porto, perfis do terreno, projecto nº1, desenho nº3. Escala 1/200.
Documentos diversos da zona de intervenção técnica da Boavista. Contém comunicado, 2 negativos e 1 prova de contacto, revista de arquitectura.
Contém lista de peças desenhadas, esboço, tabelas de despesas, peças desenhadas, notas de serviço da contabilidade orçamental, circulares, proposta de constituição de equipa, pareceres, propostas, norma de serviço interna, comunicados, facturas de honorários, tabela de remuneração.
Dossier de intervenção técnica da zona de intervenção da Boavista - anteprojecto do conjunto habitacional da Rua Augusto Gil. Contém memória descritiva e justificativa, estudos/esboços em papel vegetal, minuta de rótulos, projecto de execução - betão armado - cálculos, mapa de acabamento, plantas, fichas de agregado familiar.
Dossier de intervenção técnica da zona da Boavista. Contém facturas de honorários, recibos, correspondência, recorte de jornal (tabela salarial da função pública).
Planta de localização, planta topográfica, alçado, planta parcial e corte, corte pela caixa de escada, planta r/c, colunas, instruções de uso comum. Escalas 1/50 e 1/100.
Peça desenhada : planta geral onde estão assinalados os seguintes dados: número de habitantes/fogo, estado de conservação do edifício, ocupação do terreno (indústria, logradouros privados e equipamento escolar), zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Conjuntos de documentos heterogéneos de carácter geral, insuficientemente relevantes para se incluirem nos processos anteriores.
Peça desenhada : levantamento de uma habitação na Rua António Carneiro nº61 a 65, planta do r/c, 1º e 2º andares, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/200.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Peça desenhada : planta onde estão localizadas todas a áreas de intervenção, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Peça desenhada : planta onde estão assinalados alguns equipamentos: educativos, indústria e comércio, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Contém periódicos, relatórios, recortes de imprensa, integração do SAAL na Câmara Municipal do Porto, processo de expropriação da zona da Lapa.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : planta cadastral onde está assinalada a área de expropriação, proprietários residentes não incluidos na operação e aquisição ao direito de ocupação do espaço aéreo. Escala 1/500.
Peça escrita da zona de intervenção da Boavista, referente à coordenação geral. Contém recortes de jornais, propostas, convocatórias, despacho, correspondencia, circular, relatório, moção, telegramas, manuscritos, peças desenhadas.
Peça desenhada : declaração de zona degradada, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Contém correspondência, circulares, informações, despachos, actas, relatórios, programa de colaboração com o SAAL e cooperativas de habitação, pareceres, propostas, fichas de planeamento, aditamento ao processo de declaração de utilidade pública, plano de actividades, peças desenhadas.
Peça desenhada : planta de localização, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Peça desenhada : planta onde estão assinaladas todas as zonas de intervenção. Escala 1/500.
Peça desenhada : cálculos de betão armado, zona de intervenção da Sé/Porto. Escala 1/20.
Peça desenhada : cálculos de betão armado, zona de intervenção da Sé/Porto. Escala 1/20.
Peça desenhada : cálculos de betão armado, zona de intervenção da Sé. Escalas 1/100 e 1/20.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : planta de projecto/processo de Declaração de Utilidade Pública - limite de expropriação, proprietários residentes não incluídos na operação, aquisição do direito de ocupação do espaço aéreo, zona habitacional a recuperar, zona de expansão habitacional, equipamento colectivo, unidade industrial integrada na operação e unidade industrial sujeita a condicionamento. Escala 1/500.
Auto de medição, zona de intervenção da Sé. Contém correspondência.
Fazem parte desta série _ peças desenhadas _ todo o tipo de desenhos que o arquitecto cria e que não fazem directamente parte dos projectos de arquitectura das habitações a construir, ou seja, que não apresentam associação a qualquer processo.
Peça desenhada : 1ª fase de construção - abastecimento de águas e saneamento - implantação, zona de intervenção da Póvoa/Porto. Escala 1/500.
Peça desenhada : cálculos de betão armado, zona de intervenção da Sé/Porto. Escala 1/20.
Peça desenhada : cálculos de betão armado, zona de intervenção da Sé/Porto. Escala 1/20.
Peça desenhada : cálculos de betão armado, zona de intervenção da Sé/Porto. Escala 1/20.
São os documentos realizados pelos "medidores" (não pelos arquitectos). Os medidores consideram o projecto e a área e indicam os valores/quantidades de materiais e serviços que julgam necessários para a execução da obra. Estas medições eram divididas por artes - trolha, pedreiro, picheleiro, etc. Sobre estes documentos os empreiteiros propunham uma estimativa orçamental que seria confirmada ou alterada mais tarde após o próprio empreiteiro ter procedido às medições. Desta etapa surgem frequentes vezes alterações realizadas a lápis nos documentos indicando os preços correspondentes aos novos valores encontrados. Deste processo surge o orçamento definitivo e, por vezes, correcções feitas ao próprio projecto de construção.
Auto de medição, zona de intervenção do Carvalhido. Contém auto de medição, notas de serviço.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Auto de medição, zona de intervenção dos Combatentes.
Autos de medições dos trabalhos da zona de intervenção dos Combatentes.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : perfis 1 e 2 de algumas fases da Ilha Zé Maria, Ilha Montes e Ilha Bom Retiro. Ante-projecto geral. Desenho nº 4. Escala 1/200.
Peça desenhada - ante-projecto geral : planta de faseamento: limite das fases de construção, espaço livre, fogos não incluídos, ocupação do espaço aéreo, unidade industrial integrada na operação e equipamento colectivo. Desenho nº3. Escala 1/200.
Peça desenhada : levantamento habitacional, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Bom Retiro. Escala 1/200.
Peça desenhada - ante-projecto geral : planta de tipos da zona de intervenção do Heroísmo, onde estão assinalados os seguintes pontos: fogos novos, fogos a recuperar, fogos não incluídos na operação, sala comum, quarto, cozinha e quarto de banho. Desenho nº2. Escala 1/200.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : levantamento da Ilha Zé Maria. Escala 1/200.
Peça desenhada : ante-projecto geral, perspectiva da zona de intervenção do Heroísmo. Desenho nº1. Escala 1/500.
Pormenores de construção : plantas.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : levantamento da Ilha Montes. Planta do 1º andar e r/c, corte transversal. Escala 1/200.
Betão armado : plantas - junta de dilatação, estrutura fundações e r/chão, andares e tectos, vigas, pormenores. Zona de intervenção do Carvalhido, 1º sector, 1ª fase - entidade: Câmara Municipal do Porto.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : levantamento da Ilha Perú. Alçado, corte, planta 1º e 2º andares. Escala 1/200.
Medições e orçamentos - Associação de Moradores do Carvalhido.
Peça desenhada : levantamento da zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/200.
Cabe à Câmara Municipal aprovar os projectos de construção ou de remodelação de habitações elaboradas pelas cooperativas de habitação económicas ou pelas associações de moradores. Os elementos constituintes dos projectos de construção são: as peças escritas (memória descritiva e justificativa, o caderno de encargos, as medições e orçamentos) e as peças desenhadas (implantação, alçados, perfis, pormenores). Estes elementos do projecto podem não corresponder a uma só fase mas abranger fases sucessivas. O projecto de construção também se denomina de projecto de execução.
Peça desenhada da zona de intervenção do Heroísmo : levantamento da Ilha Moreira. Corte, planta do 1º andar. Escala 1/200.
Fazem parte desta série _ peças desenhadas _ todo o tipo de desenhos que o arquitecto cria e que não fazem directamente parte dos projectos de arquitectura das habitações a construir, ou seja, que não apresentam associação a qualquer processo.
Planta dos terrenos a expropriar ou a ceder pela Câmara Municipal do Porto. Desenho nº4. Escala 1/1000.
Documentação relativa à Associação de Moradores da Sé. Contém um documento identificador da operação com o historial da organização de moradores e cronologia da operação, Diário da República, correspondência do Fundo de Fomento da Habitação ao responsável da brigada técnica, extracto bancário.
Plano de expropriações de Declaração de Zona Degradada da zona de intervenção da Sé. Escala 1/500.
Peça desenhada : apoio à construção - muros de suporte e betão ciclópico, zona de intervenção da Sé/Porto. Escala 1/20.
Planta de projecto referente ao aditamento do plano de expropriações da brigada SAAL - Sé. Planta nº11 A. Projecto nº4. Escala 1/1000.
Planta projecto referente ao plano de expropriações zona II da brigada SAAL - Sé. Desenho nº10. Escala 1/500.
Registos de acórdãos proferidos no âmbito de recursos interpostos para tribunal.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo do Porto.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Planta da zona de intervenção de Poço de Baixo/Ovar com informações, entre outras, acerca das zonas degradadas, zona da operação, equipamento urbano e eixo urbano principal. Planta nº10. Escala 1/5000.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Planta com proposta de ocupação : talhoamento referente ao Bairro do Poço de Baixo/Ovar. Planta nº8. Escala 1/500.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Planta com proposta de ocupação referente ao Bairro do Poço de Baixo/Ovar. Planta nº5. Escala 1/500.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.
Planta de expropriações relativo à zona de intervenção de Poço de Baixo/Ovar. Planta nº4. Escala 1/500.
Planta cadastral do Bairro do Poço de Baixo/Ovar com nome dos proprietários. Planta nº3. Escala 1/5000.
Registo dos acordãos do Tribunal Administrativo.