Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

323,941 records were found.

Carta proveniente da Câmara Municipal do Porto, relativa a cedência de terrenos.
Peça desenhada : planta do r/c e 1º andar, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Montes.
Peça desenhada : planta do r/c, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Bom Retiro. Escala 1/50.
Peça desenhada : planta do r/c de uma habitação - cozinha e casa de banho, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Bom Retiro.
Peça desenhada : plantas do 1º andar - 2 quartos e escadaria, e r/c - cozinha, sala de banho, dispensa e escadaria, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Bom Retiro.
Mapa de reuniões do mês de Agosto.
Peça desenhada, zona de intervenção do Heroísmo, onde está representada toda a área do Heroísmo e respectivas áreas de intervenção. Escala 1/500.
Peça desenhada : planta de uma habitação do r/c, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria. Escala 1/20.
Peça desenhada : planta do r/c, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria. Escala 1/20.
Peça desenhada : planta da zona de intervenção do Heroísmo que contém memória descritiva, fotografias, planta de localização, planta do equipamento e planta geral.
Peça desenhada : planta da zona de intervenção do Heroísmo.
Peça desenhada : planta de localização, zona de intervenção do Heroísmo.
Auto de medição e correspondência da Associação de Moradores da Boavista.
Plano de despesa de obra da zona de intervenção de Poço de Baixo/Ovar, referente a 32 fogos.
Cabe à Câmara Municipal aprovar os projectos de construção ou de remodelação de habitações elaboradas pelas cooperativas de habitação económicas ou pelas associações de moradores. Os elementos constituintes dos projectos de construção são: As peças escritas (memória descritiva e justificativa, o caderno de encargos, as medições e orçamentos) e as peças desenhadas (implantação, alçados, perfis, pormenores). Estes elementos do projecto podem não corresponder a uma só fase mas abranger fases sucessivas. O projecto de construção também se denomina de projecto de execução.
Plano de despesa de obra da zona de intervenção da Cruz de Pau, relativo à 1ª e 2ª fases, na totalidade de 93 fogos, plano de trabalhos.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Previsão e fases de custos da zona de intervenção do Heroísmo, relatório da actividade a desenvolver pela Brigada Técnica de Leça da Palmeira, plano de actividades da Brigada Técnica de S. Mamede até 31 de Dezembro de 1975.
Autos de medições dos trabalhos da zona de intervenção da Boavista.
Plano de despesa de obra da zona de intervenção de Cortegaça, referente a uma única fase, com a totalidade de 27 fogos.
Planta de Declaração de Zona Degradada da zona de intervenção da Boavista. Escala 1/1000.
Plano de despesa de obra do Bairro do Leal, referente à 1ª e 2ª fases, com a totalidade de 49 fogos.
Peça desenhada : ante-projecto - 2ª fase de intervenção : plantas, corte e alçados, zona de intervenção da Boavista. Aditamento e ante-projecto.
Proposta de pagamento e faseamento dos trabalhos, enviada à comissão coordenadora do SAAL-Norte, pela Brigada Técnica da Bela-Vista.
Programação da operação da zona da Sé - de Dezembro de 1975 a Maio de 1976, correspondência, planta.
Planos de despesa de obras referente à zona de intervenção da Lapa. Mapa correspondente às fases e custos da operação.
Contém memória descritiva e justificativa, medições e orçamento.
Mapa de reuniões do mês de Novembro.
Mapas de planeamento.
Peça escrita da zona de intervenção da Boavista. Contém documentos diversos: fichas de família, propostas de estatutos para a A.M., regime jurídico, estatutos das Associação de Moradores das ilhas da Boavista. Circulares, comunicado, Diário das República, regulamento da biblioteca, propostas, peça desenhada (planta), informações, recortes de jornais, relatório, periódicos.
Contém peças desenhadas : plantas gerais, levantamentos e detalhes. Contém o caderno de encargos : condições técnicas especiais.
Peça desenhada : planta das escadas interiores e entrada de um edifício, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria.
Peça desenhada : planta das escadas interiores e entrada de um edifício, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Montes. Escala 1/20.
Peça desenhada : planta de várias habitações T1, T3, T2 e r/c, zona de intervenção do Heroísmo.
Peça desenhada : planta de várias habitações, 1 e 2º andares da Ilha Montes, e Ilha Zé Maria, zona de intervenção do Heroísmo.
Peça desenhada : planta de uma cozinha de uma habitação, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria. Escala 1/20.
Peça desenhada : planta de uma cozinha, perfis das escadas - r/c, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria.
Peça desenhada : cobertura e escadas de acesso às entradas de um andar, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria.
Peça desenhada : corte de uma habitação, zona de intervenção do Heroísmo.
Peça desenhada : planta de uma cozinha, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Zé Maria.
Peça desenhada : planta do r/c de uma habitação, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Bom Retiro.
Tabela de organização de moradores com a referência das operações concretizadas e ainda não concretizadas.
Planta da cidade do Porto com zonas de intervenção seleccionados segundo o Despacho Conjunto do Ministério da Administração Interna e Secretaria de Estado da Habitação e do Urbanismo. Escala 1/10.000.
Estudo prévio à construção da solução habitacional para a zona da Boavista. Inclui memória descritiva e justificativa e peças desenhadas : planta de trabalho, de apresentação, de unidade tipo, perfis, faseamento.
Planta da cidade do Porto com localização dos locais seleccionados para construção das zonas de intervenção SAAL - Norte. Escala 1/10.000.
Para se iniciar qualquer tipo de construção abrangida pelo processo SAAL era fundamental a organização do processo de Declaração de Utilidade Pública (DUP). Este processo destinava-se a formalizar a superfície necessária para a realização da operação de recuperação e/ou construção. Os documentos constituintes são: Uma memória descritiva e justificativa da operação onde se descreve a situação encontrada no terreno. A justificação das áreas necessárias. A planta de localização das zonas a expropriar que se destinava a localizar a operação em relação ao envolvente com indicação da freguesia, concelho e distrito. Uma planta cadastral que continha a indicação dos diversos talhões em que estava dividida a propriedade. Oo processos de DUP deviam ser entregues à Comissão Coordenadora do SAAL Norte, à Associação de Moradores, à Câmara Municipal e ao Fundo de Fomento da Habitação.
Planta do Porto onde estão identificados os locais seleccionados até ao final de 1974 para construçõ das zonas de intervenção SAAL-Norte. Escala 1/10.000.
Plano de Declaração de Utilidade Pública (aditamento), zona de intervenção da Boavista. Contém correspondência, planta projecto, memória descritiva e justificativa, esquema de ordenamento, declarações das fracções, planta de localização, planta do estado de conservação dos prédios, planta do nº de pisos, planta de ordenamento, planta cadastral, plano de DUP.
Fazem parte desta série – peças desenhadas – todo o tipo de desenhos que o arquitecto cria e que não fazem directamente parte dos projectos de arquitectura das habitações a construir, ou seja, que não apresentam associação a qualquer processo.
Planta de expropriações da zona da Bouça. Desenho nº5. Escala 1/1000.
Planta de Matosinhos com referência do Bairro da Cruz de Pau.
Peça desenhada : planta do r/c de um andar modelo, zona de intervenção do Heroísmo, Ilha Montes. Escala 1/20.
Peça desenhada da zona de intervenção da Bouça. Planta esquemática de uma pia de despejos e ligação à rede.
Peça desenhada da zona de intervenção da Bouça : pia de despejos e ligação à rede.
Peça desenhada da zona de intervenção da Bouça : pia de despejo - ligação à rede. Escala 1/100.
Conjuntos de documentos heterogéneos de carácter geral, insuficientemente relevantes para se incluirem nos processos anteriores.
Peça desenhada : planta de um andar modelo da Ilha Bom Retiro, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/20.
Peça desenhada : corte de uma casa da Ilha Bom Retiro, zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/20.
Peça desenhada onde estão representados os cálculos das áreas de todas as ilhas: Ilha Zé Maria, Ilha Perú, Ilha Montes, Ilha Moreira, Ilha Bom Retiro, zona de intervenção do Heroísmo.
Peça desenhada onde estão representados os cálculos das áreas de todas as ilhas. Estão representados os cálculos das áreas da Rua do Heroísmo, Ilha Moreira e Ilha Bom retiro.
Planta do Porto dividida nas respectivas zonas de intervenção identificadas por ordem numérica. Escala 1/10.000.
Planta geral da zona de intervenção do Heroismo. Desenho nº3. Escala 1/500.
Planta com as zonas de intervenção SAAL - Norte Porto. Escala 1/10.000.
Peça desenhada : planta de localização com as habitações numeradas, zona de intervenção do Heroísmo.
Planta de Declaração de Zona Degradada da zona de intervenção do Heroísmo. Escala 1/500.
Câmara de vista tipo D. Escala 1/20. Desenho nº102.
Peças desenhadas - Bouça - Tribunal de Menores, 2ª fase - pasta nº3. Contém manual, orçamento, projecto de electricidade, peças desenhadas.
Documentos oficiais emanados pela área funcional de planeamento e controlo do SAAL. As normas e serviço internas veiculavam directrizes com o intuito de modificar e orientar novas procedimentos dentro da instituição. Referiam-se a assuntos de caracter juridico-administrativo e dirigiam-se às Brigadas Técnicas e Associações de Moradores.
Peças desenhadas da zona de intervenção da Bouça - Tribunal de Menores, 2ª parte. Esquemas de infraestruturas, fundações, cobertura, posto de transformação, cortes, vigas, abastecimento de águas, rede de esgotos e águas fluviais, rede de abastecimento de águas.
SAALN - Porto - documentos diversos : nota de serviço, correspondência sobre actos relativos a medições.
Peça desenhada da zona de intervenção da Bouça. Pia de despejo - ligação à rede. Escala 1/100.
Peça desenhada : mapa da Região Norte - Ministério das Obras Públicas Fundo de Fomento da Habitação - Delegação Norte : representa os Distritos e respectivos Concelhos da Região Norte.
Peça desenhada : cálculos de betão armado das plantas ao nível do andar e da cobertura, da zona de intervenção da Bouça. Escalas 1/50 e 1/20.
A correspondência é constituida por um conjunto de documentos enviados e recebidos respeitantes a assuntos gerais. Estes documentos tinham um carácter essencialmente administrativo.
Auto de medição, zona de intervenção da Bouça. Contém correspondência, recibo.
Documento relativo à Associação de Moradores da Foz do Douro com dados relativos à identificação da operação, historial da organização de moradores. Tem em nota que esta operação não chegou a ter brigada.
Peça desenhada - mapa da Região Norte - SAALN.
Auto de medição, zona de intervenção da Bouça. Contém auto de medição, nota de serviço.
Peça desenhada : mapa da Região Norte de Portugal - Ministério das Obras Públicas Fundo de Fomento da Habitação. Escala 1/50.000.
Peças desenhadas, zona de intervenção da Bouça : alçado norte, corte, alçado planificado.
Cortes e planta de uma sargeta tipo. Escala 1/20.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Mapa da região Norte do país, onde estão representados todos os distritos do norte de Portugal. Escala 1/50.000.
São os documentos realizados pelos "medidores" (não pelos arquitectos). Os medidores consideram o projecto e a área e indicam os valores/quantidades de materiais e serviços que julgam necessários para a execução da obra. Estas medições eram divididas por artes - trolha, pedreiro, picheleiro, etc. Sobre estes documentos os empreiteiros propunham uma estimativa orçamental que seria confirmada ou alterada mais tarde após o próprio empreiteiro ter procedido às medições. Desta etapa surgem frequentes vezes alterações realizadas a lápis nos documentos indicando os preços correspondentes aos novos valores encontrados. Deste processo surge o orçamento definitivo e, por vezes, correcções feitas ao próprio projecto de construção.
Processo de Brigada Técnica, Associação de Moradores da Bouça. Contém medições, memória descritiva, mapa de quantidade.
Proposta de cedência de terrenos - Quinta do Seixas. Memória descritiva, peças desenhadas: localização, geral, plano director, planta projecto - unidade operacional, programa desenvolvimento da operação, utilização de solo edificado, utilização de solo não edificado, plano director (plano de pormenor), proposta de renovação.
As propostas a que se refere esta série eram elaboradas pelas Brigadas Técnicas e assinadas pelo arquitecto responsável pela zona de intervenção que lhe diz respeito. O conteúdo refere a memória descritiva com dados gerais da intervenção, caracterização do "estado actual" do terreno, proposta de renovação e peças desenhadas.
Boletim informativo da associação de moradores das Fontaínhas.
Os periódicos a que se refere esta série são os periódicos de bairro produzidos das diferentes zonas de intervenção do SAAL. Trata-se na maior parte dos casos, de edições artesanais com número limitadíssimo de exemplares. Estas publicações periódicas dão-nos a conhecer determinadas realidades vividas na época, tais como críticas ao sistema, reivindicações e sugestões bem como o estado e andamento das operações SAAL. Os recortes de imprensa, que obedecem a um propósito funcional de gerir informação, são extraídos de imprensa local e nacional.
Fazem parte desta série _ peças desenhadas _ todo o tipo de desenhos que o arquitecto cria e que não fazem directamente parte dos projectos de arquitectura das habitações a construir, ou seja, que não apresentam associação a qualquer processo.
Declaração de Utilidade Pública da zona de intervenção das Fontaínhas. Peças desenhadas: localização, DUP núcleo 1, geral da unidade operacional, plano director, geral do núcleo 1, topográficas, ocupação do solo, terrenos livres, tipologia habitacional, inquérito camarário às ilhas do Porto, nº de fogos, densidade de ocupação, cadastro, desenvolvimento da operação, planta projecto, planta de expropriações.
Correspondência recebida das brigadas.
Para se iniciar qualquer tipo de construção abrangida pelo processo SAAL era fundamental a organização do processo de Declaração de Utilidade Pública (DUP). Este processo destinava-se a formalizar a superfície necessária para a realização da operação de recuperação e/ou construção. Os documentos constituintes são: uma memória descritiva e justificativa da operação onde se descreve a situação encontrada no terreno, a justificação das áreas necessárias, a planta de localização das zonas a expropriar que se destinava a localizar a operação em relação ao envolvente com indicação da freguesia, concelho e distrito, uma planta cadastral que continha a indicação dos diversos talhões em que estava dividida a propriedade. Os DUP deviam ser entregues à Comissão Coordenadora do SAAL Norte, à Associação de Moradores, à Câmara Municipal e ao Fundo de Fomento da Habitação.
SAALN - Gondomar - correspondência relativa a autos de medição e subsídio concedido à Câmara Municipal de Gondomar para construção de 120 fogos.
Documentos diversos. Contém relatórios, facturas de honorários, recibos de pagamento, certidões.
Relatórios, facturas e recibos - zona de intervenção de S. Roque.
Documentos diversos da zona de intervenção da Senhora da Hora.