Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

324,135 records were found.

Memória descritiva, planta-alçados (recuperação), planta de implantação.
Processo da Associação de Moradores da Lapa. Contém notas de serviço, correspondência, escritura entre o Fundo de Fomento da Habitação e a Associação de Moradores da Lapa para o contrato de empréstimo, credencial, escritura de concessão de empréstimo.
Nota de serviço, correspondência, escritura de concessão de empréstimo (minuta).
Os periódicos a que se refere esta série são os periódicos de bairro produzidos das diferentes zonas de intervenção do SAAL. Trata-se na maior parte dos casos, de edições artesanais com número limitadíssimo de exemplares. Estas publicações periódicas dão-nos a conhecer determinadas realidades vividas na época, tais como críticas ao sistema, reivindicações e sugestões bem como o estado e andamento das operações SAAL. Os recortes de imprensa, que obedecem a um propósito funcional de gerir informação, são extraídos de imprensa local e nacional.
Nota de serviço, correspondência, escritura de concessão de empréstimo (minuta).
Nota de serviço, correspondência, escritura de concessão de empréstimo (minuta).
Nota de serviço, correspondência, escritura de concessão de empréstimo (minuta).
Os periódicos a que se refere esta série são os periódicos de bairro produzidos das diferentes zonas de intervenção do SAAL. Trata-se na maior parte dos casos, de edições artesanais com número limitadíssimo de exemplares. Estas publicações periódicas dão-nos a conhecer determinadas realidades vividas na época, tais como críticas ao sistema, reivindicações e sugestões bem como o estado e andamento das operações SAAL. Os recortes de imprensa, que obedecem a um propósito funcional de gerir informação, são extraídos de imprensa local e nacional.
Nota de serviço, correspondência, escritura de concessão de empréstimo (minuta).
Jornal da associação de moradores de Miragaia.
Pagamentos a brigadas e empréstimos a moradores, zona de intervenção de Ovar. Folhas de pagamentos, recorte de jornal, correspondência, cópia de escritura de compra e venda, nota de serviço, minuta/escritura de concessão de empréstimo.
Jornal da associação de moradores de Miragaia.
Jornal da associação de moradores de Miragaia, nº4.
Os relatórios eram feitos mensalmente e referiam os trabalhos desenvolvidos pelas Brigadas Técnicas e as suas relações com as Organizações de Moradores, o programa de actividades a desenvolver e as necessidades dos serviços ou pessoal. Relatava a experiência da Brigada em questão podendo-se, desta maneira, avaliar o processo em curso e daí retirar as respectivas ilações.
Documentação relativa à zona do Largo da Lada/Ribeira Barredo.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Parecer sobre os relatórios da brigada técnica de Espinho, relativamente ao processamento das facturas.
Auto de medição de trabalhos da zona de intervenção de Tirares.
Parecer sobre os relatórios da brigada técnica de Vila Nova de Gaia, relativamente ao processamento das facturas.
Notas de serviço, autos de medição, da zona de intervenção de Tirares.
Parecer sobre os relatórios das brigadas da zona do Seixo, S. Mamede, Angeiras, Leça da Palmeira e Cruz de Pau, relativamente ao processamento das facturas.
Parecer sobre os relatórios das brigadas da zona 3, 4 e 11A, relativamente ao processamento das facturas.
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores de Chaves de Oliveira.
Parecer sobre os relatórios das brigadas da zona 9 e 10, relativamente ao processamento das facturas.
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores do bairro da Maceda
Parecer sobre os relatórios das brigadas da zona 8, relativamente ao processamento das facturas.
Processo de pedido de empréstimo relativo à Associação de Moradores de Maceda.
Acta - plenário
Auto de medição de trabalhos da zona do Seixo.
Acta
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
As actas eram produzidas nas reuniões de coordenação geral e eram compostas por uma síntese explanatória do resultado de uma reunião de carácter essencialmente jurídico.
Autos de medição, zona de intervenção de Contumil.
Relatórios da zona de intervenção de Francos.
Autos de medições dos trabalhos da zona de intervenção de Contumil.
Os relatórios eram feitos mensalmente e referiam os trabalhos desenvolvidos pelas Brigadas Técnicas e as suas relações com as Organização de Moradores, o programa de actividades a desenvolver e as necessidades de serviços ou pessoal. Relatava a experiência da Brigada em questão podendo-se, desta maneira, avaliar o processo em curso e daí retirar as respectivas ilações.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Orçamentos da Associação de Moradores de S. Victor.
Programa do concurso, condições jurídicas e administrativas, condições técnicas especiais, projecto geral, projecto de águas e esgotos, projecto de instalações eléctricas.
Documento confidencial, ie, ao qual o cliente/dono da obra tem acesso, refere a estimativa orçamental para a execuçao da obra proposta pelo arquitecto. Este documento é comparado com as medições já orçamentadas pelo empreiteiro permitindo assim aferir da justeza dos preços deste último.
Programa de concurso, condições jurídicas administrativas, caderno de encargos, projecto geral de medições e orçamentos, projecto de água e esgotos, peças desenhadas: movimentos da terra/implantação/toscos.
Após o pedido de intervenção e as primeiras sessões de esclarecimento e após a constituição de uma Comissão de Moradores provisória, procedia-se à elaboração do DUO que constava na caracterização superficiáriam social e infraestrutural da zona de intervenção. este documento incluia inquéritos sociais por vezes elaborados por alunos da ESBAP - Escola Superior de Belas Artes do Porto. A identificação do local da intervenção, planta de localização, planta geral com aglomerado em questão e material gráfico (fotografias etc.), indicação dos proprietários do núcleo e características gerais do aglomerado e infra-estruturas existentes.
Planta de conjunto existente, planta conjunto-proposta, estado actual da zona, construções propostas, faseamento, fotografias da zona.
Hoje em dia também designado por "projecto prévio". Aprovado o processo de Declaração de Utilidade Pública pelo Secretário do SAAL Norte e depois de marcada uma reunião com a Comissão ou Associação de Moradores e a Brigada Técnica era estabelecido um prazo para a elaboração do anteprojecto que se destinava a ser entregue na respectiva Câmara Municipal para aferição e aprovação. Continha os seguintes documentos: peças desenhadas e outros elementos gráficos que explicitem a planimetria e altimetria das diferentes partes componentes da obra e fixem com rigor o seu dimensionamento, onde deveria ser mostrada a viabilidade de realização de todos as infra-estruturas urbanísticas. Peças escritas que descrevem e justificam as soluções adoptadas. Descrição dos sistemas e dos processos de construção previstos para a execução da obra e das características técnicas e funcionais dos materiais, elementos de construção e equipamento e estimativa do custo da obra.
Cabe à Câmara Municipal aprovar os projectos de construção ou de remodelação de habitações elaboradas pelas cooperativas de habitação económicas ou pelas associações de moradores. Os elementos constituintes dos projectos de construção são: as peças escritas (memória descritiva e justificativa, o caderno de encargos, as medições e orçamentos) e as peças desenhadas (implantação, alçados, perfis, pormenores). Estes elementos do projecto podem não corresponder a uma só fase mas abranger fases sucessivas. O projecto de construção também se denomina de projecto de execução.
Processo de concessão de empréstimo para várias zonas entre elas Chaves de Oliveira, Maceda, travessa da Prelada, Esmoriz/Cortegaça. Contém orçamentos para construção de fogos, escrituras para concessão de empréstimos.
Fazem parte desta série – peças desenhadas – todo o tipo de desenhos que o arquitecto cria e que não fazem directamente parte dos projectos de arquitectura das habitações a construir, ou seja, que não apresentam associação a qualquer processo.
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores de Cortegaça.
Peça desenhada : plantas 3º e 4º pisos, bloco 1, 2ª fase, zona de intervenção de Massarelos. Escala 1/100.
Processo constituido por minutas de concessão de empréstimos, informações sobre empréstimos concedidos às associações de moradores. Notas sobre a 2ª sessão do Conselho Nacional do SAAL, proposta do grupo de trabalho de financiamento, tabela para cálculo de amortização anual.
Planta de localização, planta de aglomerado em questão, planta de arruamentos, logradouros, terrenos, material gráfico, fotografias, planta rede de transportes, planta de abastecimento e saneamento, planta de rede eléctrica, plano de urbanização, equipamento, conclusão (convocatória).
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores da Lapa.
Peça desenhada : planta de interior T1 e T3 A, zona de intervenção de Massarelos. Escala 1/50.
Pareceres sobre os relatórios das brigadas das zonas Miragaia e Sé, relativamente ao processamento das facturas.
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores do bairro do Leal.
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores de Poço de Baixo.
Peça desenhada : cortes - bloco 2 : 2ª fase, zona de intervenção de Massarelos. Escala 1/100.
Pedido de empréstimo da Associação de Moradores da Cruz de Pau.
Peça desenhada : planta de localização do conjunto habitacional, zona de intervenção de Massarelos.
Pareceres sobre os relatórios das brigadas técnicas das zonas, relativamente ao processamento das facturas.
Relatórios referentes à zona de intervenção de S. Victor. Tipologias: relatórios, memória descritiva, plantas, periódico local, folha de inscrição de sócios na associação de moradores, folha com senhas referentes a cada mês.
Estes processos resultam de um concurso público para adjudicação de determinada obra de construção do processo SAAL, continham os seguintes elementos: as condições jurídicas, explicitando entre outros o objecto da empreitada o prazo e o preço base; as condições especiais, referenciando o tipo de obras a executar descriminando inclusivamente as obras a executar; a memória descritiva e justificativa e peças desenhadas.
Nota de serviço, correspondência, parecer, certidão, parecer sobre os relatórios e processamento das facturas da brigada técnica da Arrábida.
Pareceres sobre os relatórios das brigadas das zonas 3, 4 e 11A, relativamente ao processamento das facturas.
Relatórios, programa provisório e estimativa, despacho, memória descritiva, apontamentos, desenhos, fotocópias de fotografias.
Pareceres sobre os relatórios das brigadas técnicas das zonas 3.4 e 11A, relativamente ao processamento das facturas.
Relatórios, peças desenhadas (ante-projecto 2ª fase, recuperações Rua das Fontaínhas.
Relatórios, programa de actividades, peças desenhadas: coberturas, alçados, plantas tipo, planta onde está assinalada a utilização do espaço no aglomeradoactual.
Periódico do sector de apoio à construção onde se dá nota das obras em curso em diferentes zonas de intervenção contendo imagens que as ilustram.
Contém facturas mensais de honorários, certificado, recibos e relatórios da zona de intervenção de Francos.
A série dos pagamentos empréstimos retrata uma das funções principais dos Serviços Administrativos do SAAL, ou seja, a gestão do financiamento da construção. Estes processos refletem as questões relativas a pedidos e concessões de empréstimos, assim como pagamentos de despesas várias realizadas pelas Brigadas Técnicas.
Relatório e plantas da zona de intervenção de Francos.
Relatórios, plano de actividades, convocatória da zona de intervenção de Cortegaça.
Auto de medição, zona de intervenção de S. Victor. Contém correspondência, recibo.
Notas de serviço, autos de medição, da zona de intervenção de S. Victor.
São os documentos realizados pelos "medidores" (não pelos arquitectos). Os medidores consideram o projecto e a área e indicam os valores/quantidades de materiais e serviços que julgam necessários para a execução da obra. Estas medições eram divididas por artes - trolha, pedreiro, picheleiro, etc. Sobre estes documentos os empreiteiros propunham uma estimativa orçamental que seria confirmada ou alterada mais tarde após o próprio empreiteiro ter procedido às medições. Desta etapa surgem frequentes vezes alterações realizadas a lápis nos documentos indicando os preços correspondentes aos novos valores encontrados. Deste processo surge o orçamento definitivo e, por vezes, correcções feitas ao próprio projecto de construção.
Medições - Associação de Moradores de S. Victor.
Estes processos resultam de um concurso público para adjudicação de determinada obra de construção do processo SAAL, continham os seguintes elementos: as condições jurídicas, explicitando entre outros o objecto da empreitada o prazo e o preço base; as condições especiais, referenciando o tipo de obras a executar descriminando inclusivamente as obras a executar; a memória descritiva e justificativa e peças desenhadas.
Documentação referente ao projecto de construção do conjunto habitacional de S. Victor. Contém um projecto a concurso proveniente da Câmara Municipal do Porto para a Associação de Moradores de S. Victor : conjunto de 3 casas na Praça da Alegria nºs 6, 7, 8 com peças desenhadas.
Trata-se de uma factura de pagamento ao empreiteiro, ou seja, o dono paga ao empreiteiro segundo os valores e processos de pagamento acordados na adjudicação (caderno de encargos). O pagamento é dividido em fatias do total. O auto de medição é passado mediante a factura apresentada pelo empreiteiro sobre uma ou mais fatias específicas. Antes de se realizar o pagamento o arquitecto ou fiscal tem de confirmar se o trabalho específico na factura foi efectivamente realizado de acordo com o caderno de encargos.
Auto de medição de trabalhos da zona de intervenção de S. Victor.
Contém documentos vários referentes à constituição de brigadas técnicas desde circulares, minutas de propostas de formação de brigadas técnicas, minutas de fichas de resumo de situação.
Peça escrita da zona de intervenção da Lapa. Contém documentação referente à criação do SAAL e à situação em que se encontravam as operações em Fevereiro de 1977 em todas as zonas de intervenção, um processo de expropriações da zona da Lapa, relatório e análise global dos empreendimentos programados pelo SAAL - Norte.
Série constituida por fichas tipo de inquérito dirigidas ao agregado familiar. Incidiam em cada bairro ou ilha objecto de intervenção do SAAL. Estes inquéritos faziam parte de um processo obrigatório feito pelas brigadas técnicas. Podia integrar-se nos DUO. A análise destes inquéritos reflectem as condições socio-económicas das familias alvo.
Documentação referente à zona de intervenção do Heroísmo. Contém memória descritiva e justificativa, mapa de fases e custos/previsão, fichas com dados estatísticos, recortes de jornais.
Arquitectura - Saneamento/Distribuição de águas e instalação eléctrica, zona de intervenção S. Victor. Planta parcial e corte, corte pela caixa de escada, alçados parciais, alçados de empenas, planta do rés-do-chão, planta dos andares, instação eléctrica, colunas, quadros das habitações.
Peça escrita : dossier de intervenção técnica das zonas do Heroísmo e Lomba. Contém fichas de inquérito e pareceres.
Cabe à Câmara Municipal aprovar os projectos de construção ou de remodelação de habitações elaboradas pelas cooperativas de habitação económicas ou pelas associações de moradores. Os elementos constituintes dos projectos de construção são: as peças escritas (memória descritiva e justificativa, o caderno de encargos, as medições e orçamentos) e as peças desenhadas (implantação, alçados, perfis, pormenores). Estes elementos do projecto podem não corresponder a uma só fase mas abranger fases sucessivas. O projecto de construção também se denomina de projecto de execução.
Peça escrita da zona de intervenção da Lomba. Contém fichas de inquérito familiar onde constam nome, sexo, idade, parentesco, escolaridade, profissão, local de trabalho, salário, e dados referentes à casa, da Travessa Vera Cruz e da Rua Silva Pereira.
Os processos de Brigadas Técnicas são formados por documentação relativa a uma zona de intervenção e respectiva Brigada Técnica. A tipologia documental é variada contemplando as diversas áreas de actuação da Brigada e os seus próprios elementos.
Série constituida por fotografias que ilustram os estados ambientais vividos no período em questão. Era um procedimento normalmente levado a cabo pela Brigada no sentido de captar as condições e panorama geral de conservação das zonas de intervenção. Os autores destes levantamentos são normalmente os responsáveis pelas Brigadas Técnica das zonas de intervenção do SAAL.
Dossier de intervenção técnica, zona de intervenção da Lomba. Contém fichas de inquéritos familiares da Rua da Lomba e da Rua Pinto Bessa, Ilha da Faroleira.