Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for guimarães and 14,084 records were found.

Filiação: José Alves Dias e Maria do Carmo Naturalidade: freguesia de Borbela; concelho de Vila Real de Trás-os-Montes Idade: 43 anos Destino: Europa Acompanhante: Adelina Júlia dos Santos Guimarães
Inventariante: a irmã D. Joana Teresa Guimarães, testamenteira. 2 apensos. O processo correu pelo Juízo dos Órfãos da cidade de Lisboa, Repartição do Bairro Alto, cartório do escrivão Cipriano Soares de Aguiar.
Réu: - Naturalidade: Guimarães. - Filiação: António Pinto. - Cônjuge: Brígida Gomes. A acção prende-se com o crime de agressão física. O réu é acusado de ferir Bernardo Luís, na sequência de uma desordem.
Contém ofícios recebidos e expedidos entre o Chefe de Gabinete da Presidência do Conselho, o Director-Geral das Alfândegas, Joaquim Lopes Alves Guimarães,um apontamentos manuscritos, um parecer, facturas, guias de pagamentos de impostos e respectivos despachos.
A carta aproveita o espaço em branco de uma carta que o remetente recebeu do destinatário. José de Freitas Guimarães refere o falecimento da mulher "foi Deus servido levar a minha mulher para a eternidade".
Inventariado: Francisco José Pereira Guimarães, casado com Ana Vitória, morador na cidade de Évora. O inventariado fez testamento. Data de óbito: 20-09-1805 Cabeça de casal: Ana Vitória Filhos herdeiros: 1- Francisco de Paula de Macedo, clérigo diácono, de 24 anos de idade, 2-Maria Vitória da Encarnação, de 22 anos de idade, 3- Jacinto António de Macedo, de 20 anos de idade, 4-Gertrudes Vitória, de 18 anos de idade, 5-João José Guimarães, de 15 anos de idade.
Inventariado: Joaquim Maria Guimarães da Mota, informador fiscal, viúvo de Adélia Barbosa da Cunha e casado em segundas núpcias com a inventariante, em morador que foi na vila Ponte de Lima, falecido em 28 de setembro de 1939, sem testamento; Inventariante: Ana Maria Guimarães da Mota, a viúva, moradora na freguesia de Sá, Ponte de Lima. Não houve filhos do 1º matrimónio. Filhos do 2º matrimónio: Maria Celeste Gonçalves da Mota, de 10 anos; João Cândido Gonçalves da Mota, de 6 anos.
Contém os documentos: 1 - Ficha de endereço. 2 e 3, 5 e 6, 8 e 9, 12 a 15, 17 e 18, 21 e 22 e 25 a 37 - Oficios, despachos e informações. 4 - Apontamentos e rascunhos. 7 e 20 - Parecer sobre o plano de urbanização. 10 e 11, 16 e 24 - Correspondência recebida e expedida. 19 - Parecer sobre o liceu de Guimarães. 23 - Parecer sobre a colegiada de Guimarães.
Requerimento pedindo a demissão de Presidente da Câmara do Porto, por parte de Luís José de Pina Guimarães. O mesmo pede também uma visita da Inspeção administrativa.
1.º Outorgante: Francisco Correia de Almeida Guimarães, fr. Abraveses 2.º Outorgante: Joaquim António Lopes e Carolina de Jesus, Santarinho, fr. São Salvador
Contém cartas, uma informação da Direção-Geral da Ação Cultural e fotocópias de dois ofício do Chefe do Gabinete do Ministro da Cultura para José de Guimarães.
Pretendente a familiar, homem de negócios, natural de Guimarães, morador no Porto, filho de Pedro Machado e de Catarina Salgada, moradores na freguesia de S. Miguel de Creixomil; neto paterno de António Duarte, natural da freguesia de S. Martinho de Candoso, e de Luísa Machado, natural de Santa Cristina de Serzedelo; e neto materno de Salvador da Silva e de Maria Machada. Casado com Ana Josefa, filha de Rafael de Campos de Aguiar, natural de S. Miguel de Três Minas, e de Luísa da Silva do Espírito Santo, natural de S. João da Foz do Douro; neta paterna de Domingos Martins e de Isabel Afonso; e neta materna de Miguel da Silva e de Ana da Luz.
Pretendente a familiar, homem de negócios, natural de Santa Eulália de Nespereira, termo de Guimarães (arcebispado de Braga) e morador no Porto, filho de António de Gonçalves de Almeida e de Luísa Abreu; neto paterno de Domingod Gonçalves de Almeida e de Isabel Vieira; neto materno de Pedro Lopes e de Jerónima de Abreu. Casado com Rosa Margarida, filha de Manuel da Silva Baptista e de Antónia Baptista; neta paterna de Sebastião Gaspae e de Maria Antónia; neta materna de João Álvares Baptista e de Maria Luísa. Obteve carta de familiar em 11 de Março de 1755. Inclui as diligências de sua segunda mulher Maria Joaquina Clara, natural e moradora no Porto, filha de José dos Santos e de Teresa de Jesus; neta paterna de João Gonçalves e de Isabel da Pena; neta materna de Costódio Pereira e de Clara dos Santos. Aprovadas em 19 de Outubro de 1771.
A acção prende-se com como único herdeiro, a herança de seu filho Luís da Costa Barbosa, natural de Guimarães, solteiro e falecido na cidade do Pará. Guimarães. Escrivão João Caetano da Silva Pereira.
Alfonsus Iohannis lega ainda outras quantias a São Miguel de Guimarães, São Miguel de Castelo, São Martinho de Candaosa e a Santa Maria de Enfias, o casal de Barrio e a herdade de Portela. Vincentius Iohannis, tabelião de Guimarães.
Naturalidade: Santa Eulália de Barrozos e São Jorge, Guimarães. Cônjuge: José Dias, falecido. Cônjuge do genro: Ana. Filiação do enteado: o marido da primeira justificante e Josefa Maria da Silva. A acção prende-se com parte da herança de seu filho, irmão, cunhado e tio António José Dias Guimarães, falecido na Baía (Brasil), em 1825 Fica reservada a parte que cabia a seus irmãos Francisco Dias Guimarães e Joaquim Dias Guimarães, ausentes no Brasil.
Dispensa Matrimonial de Tomás José Rodrigues Guimarães, viúvo que ficou de Joana Bárbara, natural da matriz de Guimarães e Maria da Assunção, natural da freguesia de Nª SRª da Graça do Divor, termo de Évora. Filiação da nubente: filha de Francisco Leal e de Antónia de Jesus Contém: Petição, rol de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos justificantes, mandado de diligências.
Menendus Iohannis lega também certos bens móveis e imóveis ao Convento do Souto, à Igreja de São Miguel de Gonça, à Igreja de São Miguel de Taydi, aos frades de São Francisco, à Igreja de São Miguel de Opido e à albergaria dos Alfaiates. Vincentius Iohannis, tabelião de Guimarães.
A última religiosa faleceu em 16 de Abril de 1888. O Convento da Madre de Deus de Guimarães, também designado por Convento das Capuchinhas da Ordem de São Francisco, estava situado na freguesia de São Sebastião, da cidade de Guimarães, distrito de Braga. Contém inventários dos bens imóveis (rústicos e urbanos) e dos bens móveis, feitos em 1858, e outros de 1879, estando presentes a abadessa soror Luísa Maria de São José, o funcionário da Repartição da Fazenda do distrito de Braga, entre outros. Contém também inventários de 1888, de foros, prazos, alfaias e objectos de culto, bem como descrições e avaliações do edifício e anexos. Inclui o testamento de António Ribeiro da Cruz e sua mulher Catarina Moreira, moradores na Rua dos Mercadores, da vila de Guimarães, um auto de vistoria e louvação, mapas do pessoal do Convento, de salários, de seculares, de bens e rendimentos, entre outros.
Inventariada: Teodora Rodrigues Teixeira Guimarães, viúva de Domingos António Pereira dos Santos, moradora que foi em Bairros, freguesia de Soajo, Arcos de Valdevez, falecida em 11 de setembro de 1879, com testamento; Inventariante: Maria Benedita Pereira dos Santos, filha da inventariada, moradora em Bairros, freguesia de Soajo, Arcos de Valdevez. Filhos: Teresa Pereira, casada com Jerónimo Rodrigues; José Joaquim Pereira dos Santos, casado, ausente no Brasil; Maria Benedita Pereira dos Santos (a declarante), de 42 anos, solteira; Marcelino Pereira dos Santos, de 40 anos, casada com Francisca Pires Casanova; António Pereira dos Santos, casado, ausente em Lisboa; Félix Pereira dos Santos, casado com Teresa Capela, ele ausente no Brasil; Silvério Pereira dos Santos, de 35 anos, solteiro, ausente no Brasil; Secundino Pereira dos Santos, casado com Maria Pires Rego; Joaquim Pereira dos Santos, casado que foi com Claudina Rodrigues de Brito, já falecido, com 2 filhos (Manuel Pereira dos Santos, solteiro, de 30 anos, morador em Lisboa; Ana Pereira dos Santos, solteira, de 27 anos); Manuel Pereira dos Santos, casado, ambos já falecidos, com 1 filha de 14 anos, moradora em Lisboa; Domingos Pereira dos Santos, casado que foi com Maria Martins, já falecido, com 1 filho (Manuel Pereira dos Santos, de 14 anos).
Uma Inês Afonso, aí moradora, era mulher que lhe queria mal por demanda que houveram sobre um porco, o qual lhe fora dela julgado pelo Juiz. E um cunhado da Inês Afonso dera contra ela testemunhas por que lhe punham o dito bácoro de furto, e por isso fora presa. E estando presa no tronco de Guimarães, temendo-se de estar presa por muito tempo, viera a fugir da prisão sem quebrar ferros, nem romper paredes, por bem da qual fugida andava amorada. Enviando a suplicante pedir perdão da fugida, porque do mais se queria livrar e mostrar por sem culpa, El-rei, vendo o que dizia se assim era, e visto um parece com o seu passe, lhe perdoou contanto pagasse 300 rs. para as despesas da Relação, os quais logo pagou a Francisco Dias, escrivão desta carta, por um seu assinado e outro de Gomes Eanes, por João do Porto e mais tiraria carta de seguro nos 15 dias primeiros seguintes, e se livararia do caso por que era presa. Por o Bispo estar doente, El-rei o mandou pelo Dr. somente. Francisco Dias a fez.
Inventariado: Luís António da Costa Guimarães, casado com a inventariante, morador que foi na freguesia de S. Salvador, da vila de Arcos de Valdevez, falecido em 14 de agosto de 1865, com testamento; Inventariante: Mariana de Brito, a viúva, moradora na freguesia de S. Salvador, da vila de Arcos de Valdevez. Filhos: Maria Júlia de Brito, solteira, ausente em Fafe; Ana de Jesus de brito; Rosa de Brito; José Tomás da Costa Guimarães, solteiro, maior, ausente no rio de Janeiro, Brasil; Filomena de brito, solteira, de 22 anos.
Maria Emilia do Sacramento, natural da freguesia São Cristóvão de Mafamude, filha de Manuel Fernandes da Veiga e de Joaquina do Sacramento estava contratada para casar com Tomás Alves Guimarães, negociante e propriétario, natural da freguesia de Santa Eulália de Nespereira, concelho de Guimarães, filho de Manuel Alves e de Maria Pereira, ambos moradores na Rua do Almada, no Porto. Pretendiam através desta escritura constituir seus dotes e estabelecer as normas pela qual tinham de ser regidos. À data já moravam juntos, tendo já uma filha de nome Maria, nascida a 1 de Novembro de 1858.
Filiação: Francisco José Teixeira Guimarães e Luísa Maria Pereira Cônjuge: Ana Maria Ribeira. Irmãos e cunhados: Manuel José Teixeira Guimarães e sua mulher Francisca Rosa Pereira, Ana Joaquin Teixeira, Maria José Teixeira casada com José Joaquim de Mendonça. A acção prende-se com a represenatação das mulheres para que Joaquim José e seu irmão Manuel José possam por elas receber a sua parte, uma vez que por motivos de saúde não se podem deslocar à capital onde no Depósito Público se encontra a herança do pai e sogro, vinda do Maranhão. Escrivão Bento Gualdino da Silva Valadares.
Contas de ligação entre a sede e a filial de Lisboa e a agência de Guimarães. Consiste em sequências de contas de ligação específicas ("saques a pagar", etc.), sendo a mais extensa em ambos os casos a "conta cheques". As contas com a agência de Lisboa coincidem no tempo, parcialmente, com os do livro 118, mas os lançamentos não coincidem.
Inventariado: Francisco José Cunha da Guimarães, casado com a inventariante, morador que foi em Casais, freguesia de Souto de Rebordões, Ponte de Lima, falecido em 27 de dezembro de 1913, sem testamento; Inventariante: Maria Vicente, a viúva, moradora em Casais, freguesia de Souto de Rebordões, Ponte de Lima. Não teve seguimento.
Inventariada: Rosa Vieira Guimarães de Barros, casada com o inventariante, moradora que foi em Soutelo, freguesia de Souto Rebordões, Ponte de Lima, falecida em 2 de junho de 1952, sem testamento; Inventariante: Alfredo Fernandes Lima, o viúvo, morador em Soutelo, freguesia de Souto Rebordões, Ponte de Lima.
Inventariada: Judite Amália Guimarães da Mota, casada com o inventariante, moradora que foi na Rua Padre Francisco Pacheco, na vila de Ponte de Lima, falecida em 12 de novembro de 1935, sem testamento; Inventariante: João Pereira de Lima Junior, o viúvo, morador na Rua Padre Francisco Pacheco, na vila de Ponte de Lima.
Inventariada: Águeda Úrsula Guimarães Rebelo da Silva, viúva de Cesário Augusto Rebelo da Silva, moradora que foi na Vila de Monção, falecida em 14 de outubro de 1918, com testamento; Inventariante: José Joaquim Rebelo da Silva, padre, filho da inventariada, morador na Vila de Monção.
Parecer do Vogal Diogo de Macedo favorável à classificação como Imóvel de Interesse Público da Igreja de S.João de Calvos, em Lordelo, no distrito de Guimarães, edificação de origem românica que, pelo seu interesse e história, mereceria ser restaurada e conservada.
Parecer favorável do Vogal João Couto relativo ao pedido expresso pela Directora do Museu Alberto Sampaio, de Guimarães, solicitando a colaboração de um Conservador do Museu de Arte Antiga (Abel de Moura), no problema da conservação e restauro de um fresco do século XVI - denominado "de S. Francisco" - pertencente àquele museu.
Ocupou o lugar de Gonçalo Vaz que ao mesmo renunciou, de acordo com o instrumento de reúncia apresentado, feito pelo tabelião Jorge Fernandes, tabelião na vila de Guimarães, não inserido. El-rei o mandou pelo doutor Rui Boto do seu Conselho e chanceler-mor no reino. Vasco Gil, escrivão de Pero Borges, escrivão da sua chancelaria a fez.
Filiação: António Francisco da Silva e Joana da Silva. A acção prende-se com a herança de seu irmão e tio, António Francisco da Silva Guimarães, falecido na Baía. Contém documentos referentes à herança e uma árvore genealógica. Escrivão: Bento Gauldino da Silva Pereira.
Refere a entrega de recibos dos Condes da Ponte e Castelo Melhor, o pagamento das mesadas de Lourenço Gonçalves da Câmara. Refere também uma comenda e dívidas de Domingos da Silva Vieira. No verso tem escrito: "Couto de Ronfe 3 de Março de 1745. Carta do senhor António da Silva Guimarães"
Cônjuge: Inácia Maria de Jesus. Cunhados: Úrsula Rosa Duarte casada com António José Gonçalves, João José Duarte e Maria. Sogros: Domingos Duarte Neves e Domingas de Macedo. A ação prende-se com a herança do cunhado e irmão Inácio José Duarte Guimarães, falecido , Brasil. O processo correu pelo cartório do escrivão Francisco da Silva Braga.
Refere: - nau "São José e Mercês", comandante Tristão da Cunha. - Custódio José Ribeiro dos Santos e companhia. Guimarães. - fragata "Nossa Senhora da Graça e São João". - encomenda que fez de relógio, painéis e laminas. - galera"Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora do Rosário", remessa de arroz a cargo de mestre calafate José da Costa.
Refere: - nau "São José e Mercês", comandante Tristão da Cunha. - Custódio José Ribeiro dos Santos e companhia. Guimarães. - fragata "Nossa Senhora da Graça e São João". - encomenda que fez de relógio, painéis e laminas. - galera"Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora do Rosário", remessa de arroz a cargo de mestre calafate José da Costa.
Estado civil: solteiro Naturalidade: Guimarães Morada: Lisboa Pai: António de Freitas Mãe: Domingas de Francisca Avô paterno: Amaro de Freitas Avó paterna: Maria Antunes Avô materno: António Martins Avó materna: Ana Francisca Data da carta de familiar: 2 de Maio de 1749.
Processo enquadrado no tema "direito de resposta". O processo inclui: exposição de Rui de Castro Guimarães Cardoso, com anexos; correspondência trocada entre o Conselho de Imprensa, o director do semanário "Êxito", e o queixoso; parecer do relator; proposta de Adelino Cardoso; deliberação aprovada pelo plenário e comunicado do Conselho de Imprensa relativo à sessão do dia 14/10/1985; recortes de imprensa. Relator: Fernando Cascais.
Tem inserta a procuração passada por Orraca Airas a Arias Gomez com plenos poderes sobre a herdade no lugar de Ramada. 8 de Dezembro da Era 1327 (ano 1289). Petrus Dominici, tabelião de Guimarães
Dispensa Matrimonial de João Teixeira Guimarães, natural da freguesia de S. Miguel de Serzedo, termo de Guimarães e Maria Eduarda da Silva Coutinho, natural da freguesia de Nª SRª do Socorro em Lisboa Filiação do nubente: filho de Manuel José Teixeira e de Ana Maria Filiação da nubente: filha de Alberto da Silva Coutinho e de Ana Rita da Cunha Souto Maior Contém: Petição, rol de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos justificantes, mandado de diligências.
Requerente: Maria Adelaide Guimarães Tavares Marques de Paiva e sua irmã Maria Maria Amelia. Filiação: Idade: Profissão: Estado Civil: Lugar: Freguesia: Concelho: Acompanhante(s): Local de embarque/passagem: Destino: Espanha.
Inventariados: António Gonçalves Brandão e Manuel de Barros e mulher, Ana da Cunha Guimarães, moradores que foram na freguesia de Souto Rebordões, Ponte de Lima; Inventariante: Emília da Cunha Barros, moradora em Pesqueiras, freguesia de Souto Rebordões, Ponte de Lima.
Inácio José da Silva Guimarães era boticário na rua Augusta, Lisboa. Pretende o pagamento de uma botica e um escravo, chamado Simão, que em 1785 vendeu ao dito defunto, em Pernambuco (Brasil)
O justificante pretende receber, como único herdeiro, a herança deixada por seu filho Jerónimo Marques, natural de Outeirinho, freguesia de Salvador de Balazar, falecido em Angola, para onde tinha sido degredado. Justificação proveniente de Guimarães
A ação prende-se com a herança do irmão Manuel José da Silva Guimarães, falecido no Pará (Brasil). Escrivão ajudante: João Francisco da Trindade. Escrivão proprietário: Francisco da Silva Braga, cavaleiro professo da Ordem de Cristo.
Contém um ofício do Chefe do Gabinete da Secretaria de Estado da Cultura para Manuel Guimarães e um cartão-de-visita. Contém uma publicação com a numeração original e sequencial das páginas de 7 a 22.
Refere: - Fragata "Nossa Senhora da Graça e São João". - João da Rocha Silva, Afonso João Vaz, Domingos de Sousa Guimarães, Manuel Afonso - Droguetes, açúcar, liages, durantes, camelões, chitas, baetas, lenços.
Refere: - Fragata "Nossa Senhora da Graça e São João". - João da Rocha Silva, Afonso João Vaz, Domingos de Sousa Guimarães, Manuel Afonso - Droguetes, açúcar, liages, durantes, camelões, chitas, baetas, lenços.
Dispensa Matrimonial de José Joaquim da Costa Padilha, natural de Santarém e Joana Maria Leite de Oliveira, natural de Guimarães. Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Certidão da carta do rei D. Dinis para que os vizinhos da Vila de Guimarães pagassem os direitos de portagem. Este documento contém a transcrição do despacho e da certidão.
Rodrigo Anes, tabelião em Guimarães. Tem inserto o traslado da carta de privilégio de D. João I por queixas que o Cabido da Igreja de Santa Maria de Guimarães lhe fizera por não serem respeitados os privilégios concedidos à dita igreja, que manda ao recebedor dos pedidos que cumpra o privilégio em que isenta os caseiros, lavradores, moradores e beneficiados da igreja de pagarem os pedidos de fintas, talhas e peitas. Feita por Estevão Rodrigues. 29 de Outubro da Era 1456 (ano 1418).
Carta Precatória de diligência do Desembargador do reino Dr. Miguel de Oliveira Guimarães e Castro, ao Juiz de Fora da Vila de Borba.
Carta Precatória de diligência do Desembargador do reino Dr. Miguel de Oliveira Guimarães, para o Juiz de Fora da Vila de Borba, executar o que nela se declara.
Carta Precatória do Desembargador do reino Dr. Miguel de Oliveira Guimarães e Castro ao Juiz de Fora da Vila de Borba sobre a aposentadoria de oficiais.
Administrador: Dr. José Roberto Vidal da Gama. Tesoureiro: Luís André do Couto. Manuel Pereira Guimarães é proprietário de uma loja. Escrivão da casa: José Ferreira Batalha.
Alfonsus Petri lega ainda várias quantias aos leprosos de Guimarães, a São Torquato, a São Fructuoso do Porto, a Santa Maria da Costa, etc.
Réu: - Profissão: mestre alfaiate - Morada: rua das Molianas, Guimarães A ação prende-se com a habilitação à herança de Manuel José da Silva Viana , falecido no Pará (Brasil).
, para a construção de um mercado nas Caldas das Taipas, e aplicar nas obras de aformoseamento do largo de São Paio, Camara Municipal de Guimarães
Licenciatura em Engenharia de Minas e Geoambiente
Irmãs: Rosa Maria, Teresa Maria, Luísa Maria, solteiras, Maria Teresa viúva de Domingos Pereira, Francisco, Domingos, João, António Francisco da Silva Guimarães e duas crianças que faleceram com dois anos. Filiação: António Francisco da Silva e Joana da Silveira ou Silva. Sobrinhos: - Domingos, José, António, Miguel, filhos de Maria Teresa e Domingos Pereira. - Francisco José da Silva, ausente na Baía, João, ausente no Rio de Janeiro, Manuel José da Silva Fernandes, Eulália Claudina, filhos de João Francisco da Silva e Maria Josefa Fernandes, falecidos. A acção prende-se com a herança do irmão e tio António Francisco da Silva Guimarães, falecido a 26 de Julho de 1822, falecido na Baía, Brasil. Escrivão: Bento Gualdino da Silva Valadares.
Registo de pagamentos de credores sobre a agência de Guimarães (por depósitos a prazo e à ordem), em duas sequências: a primeira, até fl. 27, refere-se ao pagamento das duas primeiras prestações de pagamento (40% e 4%), ordenada por números (de promissórias?); a segunda regista a última prestação de pagamentos a depositantes, a prazo e à ordem, (1,36%), por ordem alfabética. Livro originalmente destinado a depósitos a prazo, com 203 fólios (preenchido até fl. 53).
Naturalidade: Porto. Cônjuge: Maria da Conceição. Cunhadas: Teresa Pereira e Ana Emília Pereira, filhas de José António de Oliveira Pereira e de Teresa Pereira. A ação prende-se com parte da herança de seu cunhado e irmão Manuel António de Oliveira, também natural do Porto, falecido na Baía, Brasil, em 1816, havendo ainda como herdeiros José António de Oliveira e Margarida de Jesus Pereira, casada com Manuel José de Macedo Guimarães, irmãos do falecido. Escrivão Bento Gualdino da Silva Valadares.
O Convento foi extinto em 10 de Março de 1888, por morte da última religiosa. Contém inventários de bens do Convento da Ordem de São Domingos, situado na Rua da Travessa da cidade de Guimarães, realizados na presença da madre prioresa D. Joaquina Libânia de São Jacinto, em 22 de Maio de 1858, na grade do Convento: de bens imóveis (prédios rústicos e urbanos) e dos bens móveis, descrição e avaliação do edifício do Convento e anexos, inventário e avaliação de alfaias, paramentos e mais objectos de culto, mapas do pessoal do Convento, bens e rendimentos, dívidas activas e passivas, foros, censos, prazos. O inventário geral dos bens de 1888 inclui índice, participaram Joaquim Alves de Melo, administrador do concelho, D. Delfina Augusta da Assunção Novais, educanda de maior idade do Convento, e Manuel António da Silva Barros, oficial da repartição de Fazenda do Distrito de Braga. Inclui requerimentos (alguns do médico do Convento, Avelino Germano da Costa Freitas), autos de arrendamento da cerca e casa do capelão, autos de louvação dos foros. Contempla o ofício de António Tomás da Fonseca, Inspector da Academia Real e Belas Artes e Arqueologia de Lisboa sobre os objectos escolhidos para o Museu Nacional, em condições idênticas aos extintos conventos de Évora e de Almoster, em 1888, entre outros. O edifício do Convento e anexos foram concedidos, por Decreto de 12 de Junho de 1888, à Sociedade Martins Sarmento, a fim de se estabelecer a biblioteca, museu, escolas e mais dependências. Tratava-se de uma instituição cultural de utilidade pública, sem fins lucrativos fundada em Guimarães em 1881, em homenagem ao arqueólogo e etnógrafo vimaranense Francisco Martins Sarmento. Integra o decreto e outros documentos sobre a concessão da Igreja e todas as dependências à Irmandade de Santo António, erecta na Igreja de São Francisco da cidade de Guimarães. A documentação menciona bens situados nos concelhos de Guimarães, Paços de Ferreira, Póvoa de Lanoso, Vila Nova de Famalicão, Fafe, entre outros.