Type

Data source

Date

Thumbnail

Search results

You search for ameixial and 447 records were found.

Proveniência: Bispado do Algarve Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do avô paterno do justificante, para se ordenar de ordens menores e sacras. Naturalidade do justificante: Corte dos Pereiros (Alcoutim) Filiação: João Mestre Coelho, capitão, e Margarida de São José Avós paternos: Jácome Coelho Tacanho e Maria Dias Naturalidade do avô paterno: São Barnabé (Almodôvar) Naturalidade da avó paterna: Corte de João Marques (Santo António do Ameixial, Loulé) Avós maternos: Fernando Vaz Marques e Maria Nunes Naturais: Corte dos Pereiros (Alcoutim)
Proveniência: Bispado de Elvas Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte dos avós paternos e maternos do justificante, para se ordenar de ordens menores. Naturalidade do justificante: Olivença Filiação: Francisco Rodrigues Soeiro e Esperança Maria Naturalidade do pai: Juromenha Naturalidade da mãe: Olivença Avós paternos: Domingos Soeiro e Maria Dias Naturalidade do avô paterno: São Bento do Ameixial (Estremoz) Naturalidade da avó paterna: Vidigão Avós maternos: Miguel Rodrigues e Maria Ramalha Naturais: Freixo (Redondo) Constém: certidões do registo de casamento dos avós paternos e do registo de baptismo do avô paterno.
Proveniência: Bispado de Elvas Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte dos avós maternos do habilitando, para se ordenar de ordens menores e sacras. Naturalidade do habilitando: Ribeira da Vargem, freguesia de São Brás Filiação: Manuel Martins do Vale e Maria Gomes Avós paternos: António Antunes e Maria Lopes Naturalidade do avô paterno: Bondada, Bispado da Guarda Naturalidade da avó paterna: Ribeira da Vargem, freguesia de São Brás Avós maternos: Domingos Gonçalves e Catarina Gomes Naturalidade do avô materno: Estremoz, freguesia de São Bento do Ameixial Naturalidade da avó materna: Vila Viçosa, freguesia de Ciladas
Proveniência: Bispado de Elvas Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do avô paterno e do avô materno do habilitando, para ser promovido a ordens menores. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Elvas Filiação: Vicente Ferreira e Antónia Maria Rebocho Naturalidade do pai: Vila Fernando Naturalidade da mãe: Elvas Avós paternos: Tomé Silveiro e Maria Martins Naturalidade do avô paterno: Estremoz, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Naturalidade da avó paterna: Vila Fernando Avós maternos: Matias Fernandes e Rebocho e Maria da Rosa Naturalidade do avô materno: Vimieiro (Arraiolos) Naturalidade da avó materna: Elvas
Proveniência: Bispado de Elvas Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do pai e avó paterna do habilitando, para ser promovido a ordens menores. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Elvas, freguesia da Sé Filiação: António Rodrigues e Isabel Maria Naturalidade do pai: Estremoz, freguesia de Santo Estevão (Herdade da Perna Seca) Naturalidade da mãe: Arronches Avós paternos: Manuel Dias e Eugénia Rodrigues Naturalidade do avô paterno: Cerdeira, termo da Guarda (Sabugal) Naturalidade da avó paterna: Estremoz, Campo do Ameixial Avós maternos: Manuel Gonçalves e Catarina Dias Naturalidade do avô materno: Castelo de Vide, freguesia da Povoa das Meadas, Bispado de Portalegre Naturalidade da avó materna: Barbacena
Inventariada: Jacinta Maria, viúva de Francisco José Cota, moradores na Quinta do Ameixial, coutos da cidade de Évora. A inventariada fez testamento. Data de óbito: 21-04-1837 Cabeça de casal: Francisco José Cota. Filhos herdeiros: 1-Francisco José Cota, casado 2-Claudino José Cota, casado 3-Joaquim José Cota, casado. (falecido) 4-Teresa Joaquina, casada. (falecida) Netos, filhos de Joaquim José Cota: 1- Francisco Joaquim, viúvo. Netos, filhos de Teresa Joaquina: 1- Jacinta Maria, de 23 anos de idade. 2- Maria Vitória, de 21 anos. 3- Joaquina Rosa, de 18 anos. 4- Felizarda Rosa, de 14 anos. 5- José Joaquim, de 8 anos.
Dispensa Matrimonial de José Francisco Delgado, natural da matriz de Estremoz e Mariana Rita, natural da freguesia de Santiago de Estremoz. Filiação do nubente: filho de Manuel Joaquim Delgado, natural da freguesia de Santo André de Estremoz e de Maria Joana, natural da matriz de Estremoz Filiação da nubente: filha de Lourenço dos Santos, natural da freguesia de S. Bento do Ameixial, termo de Estremoz e de Maria José, natural da matriz de Estremoz Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de Joaquim Maria e Maria do Rosário, naturais da freguesia de Santo Estevão, termo de Estremoz. Filiação do nubente: filho de João Rodrigues, natural da freguesia de Santo Estevão e de Inácia Maria, natural da freguesia de S. Bento do Ameixial, ambos do termo de Estremoz Filiação da nubente: filha de Estevão António e de Rosália de Jesus, naturais da freguesia de Santo Estevão, termo de Estremoz Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de Lourenço dos Santos e Mariana Lúcia, naturais da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz do Cano, termo de Sousel. Filiação do nubente: filho de Carlos António e de Filipa Rosa, naturais da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz do Cano, termo de Sousel Filiação da nubente: filha de António José Gil, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz e de Maria Teresa, natural da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz do Cano, termo de Sousel Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de Marcelino Lourenço, natural da freguesia de Santo Estevão, termo de Estremoz e Maria Lúcia, natural da matriz de Estremoz. Filiação do nubente: filho de Amaro Lourenço, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial e de Rita da Conceição, natural da freguesia de Santo Estevão, ambos do termo de Estremoz Filiação da nubente: filha de José António, natural da matriz de Estremoz e de Lúcia de Jesus, natural da freguesia de Santo Estevão, termo de Estremoz Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de José Maria e Balbina de Jesus, naturais da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz de Sousel. Filiação do nubente: filho de José António, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz e de Maria José, natural da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz de Sousel Filiação da nubente: filha de João Silveiro e de Ana de Jesus, naturais da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz de Sousel Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de Joaquim António e Gertrudes Carolina, naturais da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz de Sousel. Filiação do nubente: filho de Francisco João, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz e de Maria Bárbara, natural da freguesia de S. João da Ribeira, termo de Sousel Filiação da nubente: filha de José da Orada, natural da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz de Sousel e de Maria José, natural da matriz de Mora Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de Domingos José e Liberata Cecília, naturais da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz do Cano, termo de Sousel. Filiação do nubente: filho de António José Gil, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz e de Maria Teresa, natural da freguesia de Nª SRª da Graça, matriz do Cano, termo de Sousel Filiação da nubente: filha de António Gonçalves, natural da freguesia de Nª SRª dos Mártires da vila do Crato e de Maria Romana, natural de Avis O nubente era gémeo com Francisca Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Dispensa Matrimonial de Francisco António, natural da matriz de Estremoz e Vicência Rita, natural da freguesia de Santiago de Estremoz. Filiação do nubente: filho de José Joaquim e de Joana Rita, naturais da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz Filiação da nubente: filha de José Inácio Carinhas, natural da freguesia de Santiago de Rio de Moinhos, termo de Borba e de Angélica do Espírito Santo, natural da freguesia de Nª SRª da Glória, termo de Estremoz Contém: Petições, rol de testemunhas, sumários de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos suplicantes, mandados de diligências.
Treslado de escritura de distrate de 4 alqueires de azeite a retro aberto, impostos num olival à Madalena, termo de Sousel, que compraram Afonso Lopes Cid e sua mulher, Beatriz Dias Boroa, do Assumar, a Manuel Rodrigues e sua mulher, Maria Cardoso, moradores na Herdade dos Pedregais da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, por preço de 16.000 rs. O foro foi, posteriormente, vendido por Afonso Lopes Cid a Simão Martins Penalvo por 18.220 rs. Treslado do original datado de 26 de janeiro de 1695.
O 1º Marquês de Fronteira foi D. João de Mascarenhas, 2º Conde da Torre (1633-1681), título criado por Pedro II, ainda príncipe, em 1670. Foi comendador do Rosmaninhal, Santiago de Fonte Arcada, São Nicolau de Carrazedo, São João de Castelão, São Martinho de Cambres e São Martinho de Pindo, da Ordem de Cristo, e senhor dos morgados de Goucharia (junto a Almeirim) e Chantas (termo de Santarém), bem como de Conculim e Verodá, na Índia. Foi gentil-homem do príncipe regente D. Pedro, membro do Conselho de Estado e do Conselho de Guerra de D. Pedro II, mestre de campo general da Estremadura e do Minho, general de cavalaria no Alentejo, cavaleiro da Ordem de Malta e grão-prior do Crato. Foi um dos generais da Guerra da Restauração, tendo participado nas batalhas do Ameixial e de Montes Claros. Foi o fundador da casa de Benfica, posteriormente transformado no palácio de Fronteira. O 2º Marquês e 3º Conde da Torre, filho primogénito dos anteriores, D. Fernando de Mascarenhas, (1655-1729), acrescentou à Casa a donataria da mordomia-mor de Faro, várias comendas e os padroados dos mosteiros de São Domingos da Serra, OP, e de Nossa Senhora da Conceição da Torre das Vargens. Além de vários cargos, pertenceu ao Conselho de Estado de D. João V, e foi presidente do Desembargo do Paço, vedor da Fazenda (1721) e mordomo-mor da rainha D. Maria Ana de Áustria (1727). Foi ainda censor e presidente da Academia Real de História, e através desta Academia publicou vários trabalhos de cariz historiográfico. Casou com Joana Leonor de Toledo e Meneses, filha dos 7os Condes de Atouguia. O 4º Marquês, 5º Conde da Torre, D. Fernando de Mascarenhas faleceu sem descendência, pelo que foi 5º Marquês e 6º Conde da Torre, seu irmão, D. José Luís Mascarenhas (1721-1799), cónego na Sé de Lisboa, cargo a que renunciou para poder receber o título de Marquês de Fronteira, em 1769. Pertenceu ao Conselho de D. Maria I e foi vedor da Princesa D. Maria Francisca Benedita. Foi o responsável pela transformação da casa de Benfica no palácio actualmente existente. Casou com D. Mariana Josefa de Vasconcelos e Sousa, filha dos 1os Marqueses de Castelo Melhor. O 6º Marquês e 7º Conde da Torre, D. João José Luís Mascarenhas Barreto (1778 - 1806), casou com D. Leonor Benedita de Oyenhausen e Almeida, condessa de Oyenhausen na Áustria, filha do Conde Oyenhausen Gravenburgo, enviado extraordinário e ministro de Portugal junto da Corte de Viena, tenente general do exército, inspector de infantaria, e de D. Leonor de Almeida Portugal, 4ª Marquesa de Alorna, conhecida no mundo literário como Alcipe. Devido a este casamento entrou na Casa de Fronteira a representação da Casa dos Marqueses de Alorna e Condes de Assumar e os títulos de Marqueses de Távora e Condes de São João da Pesqueira, que os Alorna também representavam. Detém actualmente a representação das Casas D. Fernando José Fernandes Costa Mascarenhas nascido em 1945, filho de D. Fernando Mascarenhas (1910-1956) que usou o título de Marquês de Fronteira e representou os títulos de Marquês de Alorna, Conde da Torre, de Conculim e de Assumar, e de D. Maria Margarida de Sousa Canavarro de Meneses Fernandes Costa.
O pai do habilitando era natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz, e a mãe era natural da freguesia de São Miguel de Palhacana, termo de Alenquer, Patriarcado de Lisboa. Neto paterno de Manuel Martins Folgado, natural da freguesia de Alvoco da Serra, Bispado da Guarda, e de Catarina Maria, natural de Santa Vitórioa do Ameixial, termo de Estremoz. Neto materno de Matias de Almeida, natural da freguesia de São Miguel de Palhacana, e de Mariana de Jesus, natural da cidade de Évora. Constam: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais e da avó paterna; os autos de justificação da fraternidade da mãe do habilitando com António de Almeida, pai do Padre Inácio de Almeida; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fez ao habilitando Margarida da Graça, serva no Mosteiro de Nossa Senhora da Saudação de Montemor-o-Novo, a escritura de dote para ordens sacras que fez o Doutor Luís Lopes Machado, prior da freguesia de São Bento do Mato, padrinho do habilitando, os editais do património afixados na Sé e na Igreja de Santo Antão da cidade de Évora, e as diligências de visita e avaliação do mesmo; Breve de extra têmpora, do Núncio Apostólico, a favor do habilitando, para ordens sacras.
O pai do habilitando era natural da freguesia Matriz de Vila Viçosa e a mãe natural da freguesia de São Bento do Ameixial, termo de Estremoz. Neto paterno de João da Rocha natural da freguesia de São Bartolomeu de Vila Viçosa, e de Luísa Mendes natural da freguesia Matriz de Vila Viçosa. Neto materno de Manuel Rodrigues Consciência natural da freguesia de São Tiago da vila de Castro Marim, e de Mariana da Encarnação natural da freguesia de São Bento do Ameixial, termo de Estremoz. Consta: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e dos avós maternos; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de património para ordens sacras que fez o padrinho do habilitando, Gaspar da Fonseca Pessanha e Castro, Fidalgo da Casa Real, e a cópia da escritura de compra, de umas casas nobres com quintal e lagar, em frente da Fonte das Bicas em Estremoz, que comprou o mesma a D. Luísa Joaquina Vieira da Costa, o edital do património afixado na Sé da cidade de Évora, e as diligências de visita e avaliação do património. Só consta que foi examinado e aprovado para auferir de ordens de epístola.
O pai era natural da freguesia de São Bartolomeu de Borba e a mãe natural da freguesia de Santo André de Estremoz. Neto paterno de João da Rosa e de Aldonça Clara, naturais da freguesia de São Bartolomeu de Borba. Neto materno de José da Silva, natural da vila de Pavia, e de Teresa Angélica, natural da freguesia de Santo André de Estremoz. Constam as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e dos avós maternos; o processo de património que contém, entre outros documentos, a certidão da verba do testamento com que faleceu António da Rosa Capeto (ou António da Rosa Gapete), tio do habilitando, no qual lhe deixou um olival junto à vila do Cano, a cópia da escritura de dote que fez Teodora Maria, viúva do mesmo, do foro anual de 12 mil réis impostos numa fazenda de vinha e oliveiras na freguesia de São Bento do Ameixial, os editais do património afixados na vila do Cano e na freguesia de São Bento do Ameixial e as diligências de visita e avaliação do mesmo.
O pai era negociante de loja de capela. O pai era natural da freguesia de São Tiago da vila de Marialva (Mêda), Bispado de Lamego, e a mãe natural da freguesia de São Bento do Ameixial, termo de Estremoz. Neto paterno de Manuel Fernandes e de Joana Fernandes, naturais do lugar de [Casas do Rio ou Casos do Rio], Bispado da Guarda. Neto materno de Manuel da Fonseca, natural da freguesia de Santo Estevão, termo da vila do Sabúgal, e de Mariana de Jesus, natural da freguesia de São Bento do Ameixial, termo de Estremoz. Constam as certidões de baptismo do habilitando, da mãe, do avô paterno e da avó materna; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de doação para ordens sacras que fizeram os pais do habilitando, de uma morada de casas sitas no Terreiro do Prior em Estremoz, o edital do património afixado em Estremoz e as diligências de visita e avaliação do mesmo; a Sentença Apostólica de dispensa de treze meses de idade, passada a favor do habilitndo, para ordens de presbítero.
Dispensa Matrimonial de José António, natural de freguesia de Santiago de Rio de Moinhos, termo de Borba e Joana da Conceição, natural da freguesia de Nª SRª da Glória, termo de Estremoz. Filiação do nubente: filho de Francisco Rodrigues Cabaço e Joana Maria, naturais da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz Filiação da nubente: filha de Bento António, natural da freguesia da SRª do Pranto da vila de Pampilhosa, bispado da Guarda e de Isabel Maria, natural da freguesia de S. Brás da Granja, termo de Mourão Avós paternos do nubente: João Rodrigues, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz e Inês Maria, natural da freguesia de Nª SRª da Glória, termo de Estremoz Avós maternos do nubente: Félix da Silva, natural da freguesia de Santo António dos Arcos, termo de Estremoz Avós paternos da nubente: Francisco dos Anjos e Maria Antão, naturais da freguesia da SRª do Pranto da vila de Pampilhosa, bispado da Guarda Avós maternos da nubente: Joaquim Nunes, natural da freguesia de S. Brás da Granja, termo de Mourão e Inácia Teresa, natural da matriz de Mourão Contém: Petição, rol de testemunhas, apresentação de comissão, depoimento dos justificantes, mandado de diligências.
Proveniência: Bispado de Elvas Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do pai, do avô paterno e do avô materno do habilitando, para ser aditido a ordens. Contém as inquirições “de genere” e as certidões de batismo do pai, do avô paterno e do avô materno. Naturalidade do habilitando: Alandroal, freguesia de Nossa Senhora do Rosário Filiação: Elói Franco Vidigal de Sequeira, capitão mor, e Catarina Ramalho de Sequeira Naturalidade do pai: Estremoz, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Naturalidade da mãe: Alandroal, freguesia de Nossa Senhora do Rosário Avós paternos: Tomás José da Veiga, capitão, e Maria Franco Ramalho Naturalidade do avô paterno: Estremoz, freguesia de São Bento do Ameixial Naturalidade da avó paterna: Monforte, freguesia de São Pedro de Amaro (anexa à freguesia dos Prazeres) Avós maternos: Gabriel António de Sequeira e Margarida Franco Ramalho Naturalidade do avô materno: Borba, freguesia de São Tiago de Rio de Moinhos Naturalidade da avó materna: Monforte, freguesia de São Pedro de Amaro (anexa à freguesia dos Prazeres)
Este fundo representa a actividade do produtor relacionada com a arquitectura, etnologia e arqueologia navais – que o doador produziu ao longo da sua vida e investigação sobre esta temática. Apresenta como temáticas os barcos (diferentes tipos de barcos em vários locais da Europa, a construção de barcos e inauguração de barcos). Também representa imagens de barcos e outras embarcações em vários locais como Castelo de Paiva (aldeia), Escamarão, Bitetos, Afurada, Esposende, Avintes, Chaves, Tejo, Entre-os-Rios, Porto, Póvoa de Varzim, Ribeira de Abade- Valbom, Rio Douro, Chamusca (Tejo), Ameixial (Guadiana), assim como reproduções de imagens provenientes do Museu da Marinha, vistas de Lisboa, retratos de grupo em palestras e acontecimentos, arquitectura, monumentos nacionais, família, reunião com Alexandre Herculano, entre outras temáticas.
Constam inquirições "de genere" que se fizeram na vila do Rabaçal, Bispado de Coimbra, na vila de Redondo, na vila de Estremos e na freguesia de São Bento do Ameixial do termo da mesma vila, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram na vila de Estremoz, por comissões e requisitória do Dr. Manuel Ávares Cidade e de Frei Jerónimo de São José, provisores das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora; o processo de património que contém, entre outros documentos, o traslado da escritura de doação para ordens sacras que fez a si mesmo o habilitando, a escritura de dote que fizeram os pais do mesmo, as diligências de visita e avaliação do património e o edital do mesmo afixado na vila de Estremoz; Breve de estra têmpora, do Papa Benedito XIV, para ordens de epístola (em pergaminho). Não consta qualquer acordão da Relação Eclesiástica em como o habilitando foi examinado e aprovado para ordens de epístola.
Constam: inquirições "de genere" que se fizeram na freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz, naturalidade da mãe do habilitando e da avó materna, Joana Martins, na freguesia de Santo André de Estremoz, naturalidade do pai do habilitando, na vila Olivença, naturalidade do avô paterno, Manuel Rodrigues Pinto, na vila de Sousel, naturalidade da avó paterna, Maria Madalena, e na freguesia de São Mamede da vila de Pombal, naturalidade do avô materno, António Rodrigues; certidões dos baptismos do habilitando, dos pais, dos avós paternos e dos avós maternos. O habilitando ficou impedido de auferir ordens menores por fama de mulato por parte do avô paterno e de cristão novo por parte da avó paterna.
Os pais do habilitando eram naturais da freguesia de Santo André de Estremoz. Neto paterno de Manuel Luís da Costa, natural da freguesia de São João Baptista de Felgueiras, e de Cecília da Encarnação, natural da freguesia Matriz de Estremoz. Neto materno de Simão Gonçalves, natural do lugar de [Azevo], Bispado de Lamego, e de Maria Cortes, natural de São Bento do Ameixial, termo de Estremoz. Constam: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e da avó materna; a certidão de casamento dos avós paternos; Breves de extra têmpora, do Núncio Apostólico, a favor do habilitando, para ordens de diácono e de presbítero; Breve de suplemento de idade, passado a favor do habilitando, para ordens de presbítero.
O pai era natural da freguesia de Santo André de Estremoz, a mãe era natural da freguesia da Sé da cidade de Évora. Neto paterno de Alexandre de Oliveira Cordes, natural da freguesia Matriz de Penamacor, e de Maria Correia, natural da freguesia de Santo Amaro de Veiros. Neto materno de avós incógnitos. Constam: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais e dos avós paternos; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fez a mãe do habilitando e ele a si mesmo, os editais do património afixados na freguesia de São Bento do Ameixial e em Estremoz, e as diligências de visita e avaliação do mesmo.
Naturalidade dos pais: Borba (São Bartolomeu) Avós paternos: José Mariano Oliveira e Gama e Catarina Augusta Oliveira e Gama Naturalidade do avô paterno: Borba (São Bartolomeu) Naturalidade da avó paterna: Borba (Matriz) Avós maternos: Joaquim de Matos Barata e Lima (ou Joaquim José de Matos) e Antónia Gomes Cromicho Naturalidade do avô materno: Borba (São Bartolomeu) Naturalidade da avó materna: Estremoz (Santa Vitória do Ameixial) Constam: a certidão de baptismo do habilitando e a certidão do casamento dos pais; a provisão régia de licença para ser ordenado de ordens de subdiácono e diácono; Breve Apostólico de extra têmpora, do Papa Leão XIII, para ordens de presbítero; a provisão régia de licença para ser ordenado de ordens de presbítero; Breve Apostólico de dispensa de idade, do Papa Leão XIII, para ordens de presbítero. O habilitando apresentou um atestado de pobreza e ficou isento de constituir património para ordens sacras.
São infractores José, filho de Manuel Guerreiro, residente no sítio de Corte Neto, José, filho de Manuel Lourenço, residente no sítio da Portela, ambos da freguesia de Querença, José, filho de Joaquim José Pintassilgo, residente na localidade de Salir, Manuel, filho de José Nogueira, residente no sítio das Éguas, ambos da freguesia de Salir, Manuel, filho de José da Palma, residente no sítio de Corte Fidalgo e Manuel, filho de pai incógnito e de Serafina da Conceição, residente no sítio do Corte do Ouro, ambos da freguesia do Ameixial, concelho de Loulé, por não se terem apresentado no prazo legal a solicitar a guia de marcha, para com ela se apresentarem à Junta de revisão.
Proveniência: Patriarcado de Lisboa Requisitória para se proceder a diligências "de genere" por parte do pai e avós paternos do habilitando, para ser promovido a ordens menores e sacras. Contém as inquirições “de genere”. Naturalidade do habilitando: Lisboa, freguesia de Nossa Senhora do Socorro Filiação: Bartolomeu Gomes, espingardeiro e serralheiro, e Maria Josefa das Mercês Naturalidade do pai: Estremoz, freguesia de Santa Maria Naturalidade da mãe: Lisboa, freguesia de São Nicolau Avós paternos: manuel Gomes e Esperança da Rocha Naturalidade do avô paterno: Estremoz, freguesia de Santa Maria Naturalidade da avó paterna: Estremoz, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Avós maternos: João Caetano Ferreira e Inocência Maria, moleiros Naturalidade do avô materno: Condixa-a-Nova, freguesia de Santa Cristina Naturalidade da avó materna: Lisboa, freguesia de São Julião
O habilitando era aluno do 2º ano do curso de teologia do Seminário de Évora. O pai era carpinteiro e seareiro. Naturalidade do pai: Cano, termo de Sousel Naturalidade da mãe: Estremoz, freguesia de Santo André de Estremoz Avós paternos: Gaspar de Castro Lobo Pimentel (ou Gaspar de Castro Junior) e Joaquina Josefa Rebelo, lavradores Naturalidade do avô paterno: Sousel Naturalidade da avó paterna: Cano, termo de Sousel Avós maternos: Miguel António Morgado, almocreve, e Joana Augusta Naturalidade do avô materno: Estremoz, freguesia de São Tiago Naturalidade da avó materna: Estremoz, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Constam (entre outros documentos): as inquirições "de genere" dos pais e avós do habilitando; a certidão do batismo do habilitando; a certidão do casamento dos pais; as inquirições de "vita et moribus"; Carta régia de licença para o habilitando se ordenar de ordens sacras, em virtude dos decretos de 26 de Agosto de 1859 e 28 de Setembro de 1861.
Inventariada: Margarida Josefa (Saloio), viúva, de 73 anos de idade, moradora na Quinta das Espadas, extramuros da cidade de Évora. A inventariada fez testamento. Data de óbito: 1883-04-19 Inventariante: José Joaquim Saloio Filhos: 1-Maria Margarida, casada com António José de Almeida o “ fofa”, residentes em Évora 2-Mariana Rita, casada com António tavares da Silva, moradores no Vimieiro. 3-Margarida Joséfa, casada com José do Ameixial, residentes em Évora 4-José Joaquim Saloio, casado com maria da Conceição, residentes em Évora. 5-Joaquim António Saloio, casado com Inácia Joaquina, já falecido. Netos, filhos de Joaquim António Saloio: 1-Jacinta das Dores, de 22 anos. 2-José António, de 19 anos. 3-Mariana Rita, de 8 anos. 4-Maria da Alegria, de 6 anos.
Inventariados: Catarina Bárbara, viúva de Joaquim Gomes Ratão, lavradora Morada: Monte do Formosilho Grande, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Testamento: sem testamento Data do óbito: 25-10-1851 Inventariante e cabeça de casal: José Joaquim Gomes Ratão, filho da inventariada Filhos: José Joaquim Gomes Ratão, de 28 anos João António Duro, de 27 anos Francisco de Paula Ratão, de 20 anos Joaquim Gomes Ratão, de 16 anos Contém, entre outros documentos, o inventário descritivo dos bens da falecida e o mapa de partilha dos mesmos. Apensos: 1- Autos cíveis de petição para emancipação, a favor de Francisco Paula Ratão e de Joaquim Gomes Ratão; 2- Autos cíveis de inventário a que se procedeu por falecimento de Joaquim Gomes Ratão, em que foi inventariante e cabeça de casal Catarina Bárbara, sua mulher. Faleceu a 5 de janeiro de 1850. Contem o inventário dos bens e o mapa de partilha dos mesmos (16-07-1850/01-04-1851).
Outros Nomes: Ou Francisco Dias Estatuto Social: Lavrador e Trabalhador Crime/Acusação: Bigamia; Agresão Naturalidade: Herdade da Luzeira, Termo de Estremos Situação Geográfica (Naturalidade): F. S. Bento do Ameixial Morada: Monte do Freixo, Termo de Monforte Situação Geográfica (Morada): Bispado de Elvas Código Idade: 23 Ou 24 Anos Pai: Domingos Perdigão da Silva, Lavrador Mãe: Maria Barroqueira Estado Civil: Casado Nome do Cônjuge: Catarina Silveira, A Raiva Data da Prisão: 19/01/1611 Data da Sentença: 19/02/1612 Data do Auto de Fé: 19/02/1612 Outros Dados: CASOU SEGUNDA VEZ COM MARIA GONÇALVES, SENDO VIVA A SUA PRIMEIRA MULHER; FOI MANDADA LEVAR DOS CÁRCERES PARA A CADEIA PÚBLICA DE ÉVORA EM 1612-02-20, PARA DAÍ PARTIR PARA O DEGREDO, TENDO SIDO ENTREGUE NA GALÉ EM 1612-05-25. Outros Nomes: Mateus da Silva
Inventariado(a): Domingas da Conceição viúva de António José Leão Morada: Estremoz Testamento: sem testamento Data do óbito: 15-03-1863 Inventariante e cabeça de casal: Domingos António, filho da inventariada Morada: Estremoz Filhos: Margarida de Jesus, casada com José Dias, moradores na Cerca, termo de Estremoz Maria Joana, casada com José Francisco, moradores na Azaruja, termo de Évora Domingos António, casado com Caetana do Carmo Josefa da Conceição, casada com Manuel Joaquim Pestanudo, moradores nos Catetinhos, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Joaquina Maria, já falecida, casada com Filipe José, morador junto à Horta Branca, coutos de Estremoz Neto da inventariada filho de Joaquina Maria: José Filipe, de 15 anos Contém, entre outros documentos, o inventário de descrição e avaliação dos bens da inventariada e o mapa de partilha dos mesmos.
O habilitando era colegial no Real Colégio de Vila Viçosa. Ficou impedido de auferir ordens menores por fama de cristão novo por parte do avô materno Miguel Rodrigues. Alegou que o dito avô não era filho de Francisco Rodrigues, natural da vila de Estremoz, descendente de famílias com fama de cristãos novos, mas sim de um Francisco Rodrigues natural da vila da Sertâ, do Priorado do Crato. Após novas inquirições "de genere" ficou provado infundado o impedimento. Constam inquirições "de genere" que se fizeram na cidade de Elvas e na vila de Estremoz, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram na freguesia de Santa Vitória do Ameixial e na cidade de Évora, por requisitórias e comissões Dr. Manuel Álvares Cidade e do Dr. José Cardoso Gião, provisores das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora. Apesar do Acordão da Relação Eclesiástica julgar o habilitando apto para receber as ordens pretendidas não consta deferimento em como foi examinado e aprovado para as mesmas.
Constam: inquirições "de genere" que se fizeram na vila de Estremoz, naturalidade dos avós paternos, Pedro Rodrigues e Esperança Gomes, na vila de Pedrogão Grande, naturalidade do avô materno, Simão Fernandes, e na freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz, naturalidade da avó materna, Francisca Mendes, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Estremoz e na cidade de Évora, por requisitória, secretas e comissões de Frei Jerónimo da São José, provisor das justificações "de genere" do Arcebispado de Évora; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fizeram os pais do habilitando, o edital do património afixado na Igreja de Santo André de Estremoz, e as diligências de visita e avaliação do mesmo; Cartas de prima tonsura e ordens menores, ordens de epístola e de ordens de evangelho; Breve de extra têmpora, do Papa Clemente XIII, para ordens de evangelho; Breve de dispensa de luto, a favor do habilitando, para ordens de evangelho; e os documentos inerentes para receber ordens de missa (mandados, comissões e secretas para se fazerem inquirições de “vita et moribus”, declarações em como não possuia impedimento para receber as ordens requeridas, declarações em como exercitara as mesmas, petições do habilitando para correr folha pelos escrivães do juízo da conservatória secular, da correição geral e do juízo eclesiástico, e os deferimentos para auferir as ordens).
Constam: inquirições "de genere" que se fizeram na vila de Estremoz, naturalidade dos avós paternos, Manuel Martins Casco e Isabel Madeira, na freguesia de Santo António dos Arcos, termo de Estremoz, naturalidade do avô materno, Manuel Martins, e na freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo da mesma vila, naturalidade da avó materna, Margarida Gomes, e inquirições de "vita et moribus" que se fizeram em Estremoz e na cidade de Évora, por secretas e comissões de Frei Jerónimo de São José, provisor das justificações "de genere" do Arcebispado de Évora; certidões de baptismo do habilitando, dos pais e dos avós; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fizeram os pais do habilitando, o edital do património afixado na Igreja de Santo André de Estremoz, e as diligências de visita e avaliação do mesmo; e os documentos inerentes para receber ordens sacras (cartas de ordens menores, de epístola e evangelho, breve de suplemento de idade, do Papa Clemente XIII, breve de extra têmpora para ordens de missa, para ordens de missa, mandados, comissões e secretas para se fazerem inquirições de “vita et moribus”, declarações em como não possuia impedimento para receber as ordens requeridas, declarações em como exercitara as mesmas, petições do habilitando para correr folha pelos escrivães do juízo da conservatória secular, da correição geral e do juízo eclesiástico, e os deferimentos para auferir as ordens).
O pai era natural da freguesia de São Miguel de Machede, termo de Évora, e a mãe natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz. Neto paterno de José Vicente natural da freguesia de Santo André de Estremoz e de Teresa Maria natural da freguesia de São Lourenço da cidade de Portalegre. Neto materno de Manuel Pires natural da freguesia de Avelar, Bispado de Coimbra, e de Maria Madeira natural da freguesia de Santo André de Estremoz. Constam: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e dos avós maternos; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fez ao habilitando o Cónego Manuel Pires Madeira, consta a certidão em como o Cónego Manuel Pires Madeira renunciou à sua prebenda a favor do Padre Sebastião Soares de Sousa Evangelho, nomeando-o para seu coadjutor perpétuo e futuro sucessor com o encargo de várias pensóes, entre as quais consta uma a favor do habilitando; Breve de extra têmpora, do Núncio Apostólico, para ordens sacras.
O pai do habilitando era natural da vila do Cano e a mãe natural da freguesia do Vidigão, termo de Arraiolos. Neto paterno de João Dias Falcato natural da vila do Cano e de Maria Gião natural da freguesia de Alcôrrego, termo da vila de Avis. Neto materno de Sebastião Lopes Bácoro natural da freguesia do Vidigão e de Maria Teresa natural da freguesia de São Bento do Ameixial, termo de Estremoz. Consta: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais e dos avós maternos; constam os autos de justificação da fraternidade do pai do habilitando com o Padre António Manuel Falcato; o processo de património que contém, entre outros documentos, a escritura de dote para ordens sacras que fizeram o pai e o Padre António Manuel Falcato ao habilitando, o edital do património afixado na Igreja Matriz da vila do Cano, e as diligências de visita e avaliação do mesmo; Breve de extra têmpora e interstícios, do Núncio Apostólico, para ordens sacras; Breve de de suplemento de idade, do Núncio Apostólico, para ordens de presbítero.
O pai era natural da freguesia de Nossa Senhora da Assunção da vila de Gavião, Priorado do Crato, e a mãe natural da freguesia de São Tiago de Estremoz. Neto paterno de António Rodrigues Galante e de Isabel Lourença Nobre, naturais da freguesia de Nossa Senhora da Assunção da vila de Gavião, Priorado do Crato. Neto materno de João Gonçalves Vidigal, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz, e de Isabel Maria da Silva, natural da freguesia Matriz de Borba. Constam: as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e dos avós maternos; a certidão do casamento dos avós paternos; o processo de património que contém, entre outros documentos: - a escritura de doação que fizeram ao habilitando José Mendes da Silveira Brioso e sua irmã Ana Joaquina Brioso da Silveira, padrinhos do mesmo, - a carta de D. João VI, de confirmação e insinuação, passada a favor do habilitando, para o mesmo constituir património com as propriedades doadas pelos padrinhos, - a certidão do inventário dos bens com que faleceu Bárbara Rodrigues Brioso, mulher de António Mendes, - o edital do património afixado em Estremoz, e as diligências de visita e avaliação do mesmo
O pai foi capitão e era natural da freguesia de Nossa Senhora da Graça de Sousel, e a mãe natural da freguesia de Monte Virgem, termo de Redondo. Neto paterno de Francisco Xavier Gonçalves e Francisca Maria de Matos, naturais da freguesia de Nossa Senhora da Graça de Sousel. Neto materno de José da Encarnação Delgado, natural da freguesia de Monte Virgem, termo de Redondo, e de Teresa Micaela, natural da freguesia de Santa Vitória do Ameixial, termo de Estremoz. Constam as certidões de baptismo do habilitando, dos pais, dos avós paternos e dos avós maternos; o processo de património que contém, entre outros documentos, - a escritura de dote para ordens sacras que fizeram os pais do habilitando, - a certidão da escritura de compra da Herdade dos Mares que fez, no ano de 1752, Rodrigo Zagalo ao capitão Luís Carvalho de Sousa e a sua mulher Maria Ramires de Almeida, - o edital do património afixado na freguesia de São Lourenço de Mamporcão, termo de Estremoz, e as diligências de visita e avaliação do mesmo.
Inventariados: Joaquim António e Maria do Rosário Morada: Monte do Olival, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Testamento: sem testamento Data do óbito do inventariado: 1842 Data do óbito da inventariada: 1849 Inventariante e cabeça de casal: Maria Vitória, lavradora na Herdade do Olival, viúva do inventariado Filhos: João António, de 15 anos Joaquina, de 12 anos, residente no Monte da Contera Contém, entre outros documentos, o inventário descritivo dos bens dos falecidos e o mapa de partilha dos mesmos. Apensos: 1 Autos cíveis de carta precatória para avaliação dos bens pertencentes ao casal inventariado, existentes no Julgado de Sousel; 2- Autos cíveis de inventário dos bens dos inventariados, em que foi cabeça de casal Maria Vitória, e herdeiros o filho João, de 6 anos, e a filha Joaquina, de 3 anos (1842); 3- Autos cíveis de reunião de Conselho de Família, a requerimento de José Diogo, tutor dos orfãos, para autorização de pagamento de foros vencidos; 4- Autos cíveis de contas tomadas a José Diogo, como tutor dos orfãos do casal inventariado; 5- Autos Cíveis de petição para licença de casamento, em que foi requerente José Manuel, abegão do lavrador da Herdade da Cântara, Aldeia do Cortiço, para casar com a orfã Joaquina; 6- Autos cíveis de emancipação, a requerimento de João António, filho de Joaquim António e de Maria do Rosário (1857).
Inventariados: Joaquim António e Maria do Rosário Morada: Monte do Olival, freguesia de Santa Vitória do Ameixial Testamento: sem testamento Data do óbito do inventariado: 1842 Data do óbito da inventariada: 1849 Inventariante e cabeça de casal: Maria Vitória, lavradora na Herdade do Olival, viúva do inventariado Filhos: João António, de 15 anos Joaquina, de 12 anos, residente no Monte da Contera Contém, entre outros documentos, o inventário descritivo dos bens dos falecidos e o mapa de partilha dos mesmos. Apensos: 1 Autos cíveis de carta precatória para avaliação dos bens pertencentes ao casal inventariado, existentes no Julgado de Sousel; 2- Autos cíveis de inventário dos bens dos inventariados, em que foi cabeça de casal Maria Vitória, e herdeiros o filho João, de 6 anos, e a filha Joaquina, de 3 anos (1842); 3- Autos cíveis de reunião de Conselho de Família, a requerimento de José Diogo, tutor dos orfãos, para autorização de pagamento de foros vencidos; 4- Autos cíveis de contas tomadas a José Diogo, como tutor dos orfãos do casal inventariado; 5- Autos Cíveis de petição para licença de casamento, em que foi requerente José Manuel, abegão do lavrador da Herdade da Cântara, Aldeia do Cortiço, para casar com a orfã Joaquina; 6- Autos cíveis de emancipação, a requerimento de João António, filho de Joaquim António e de Maria do Rosário (1857).
Inventariado: José Marques; inventariante: Margarida de Jesus; freguesia: Lagoa Ameixi. - Chão de Couce.
Inventariado: Margarida de Jesus e Esposo; inventariante: João Mendes Tojo; freguesia: Lagoa Ameixi. - Chão de Couce.
O pai do habilitando era capitão. Constam os autos de justiifcação de fraternidade do habilitando com João de Abreu Cabaço, seu irmão por parte do pai, habilitado pela Relação Eclesiástica de Évora (ver PT/ADEVR/FE/DIO-CEEVR/A/002/01498). Constam inquirições "de genere" que se fizeram nas freguesias de Santa Vitória do Ameixial e de Santo Estevão, ambas do termo de Estremoz, por comissões do Dr. José Cardoso Gião, provisor das justificações “de genere” do Arcebispado de Évora. O habilitando ficou impedido de auferir ordens menores por fama de cristão novo por parte da avó materna Maria Martins Calha, filha de António Rodrigues, avô de Tomás da Silva Mendes que se habilitou a ordens menores no ano de 1717, ficou impedido de receber as mesmas (ver PT/ADEVR/FE/DIO-CEEVR/A/002/01472). O habilitando apresentou documentos comprovativos e revogatórios do impedimento. Entre outros documentos constam a árvore genealógica da ascêndencia materna (fl. 67), várias certidões de baptismo e casamento, certidões dos inventários de partilhas que se fizeram por falecimento de António Rodrigues, bisavô materno do habilitando, e de Domingos Fernandes, 4º avô do mesmo, a certidão da escritura de dote para ordens que fizeram João Rodrigues Cativo e Isabel Barradas a seu filho o Padre João Barradas, consta o traslado dos autos de justificação de pureza de sangue de Tomás da Silva Mendes, que se fizeram por petição do mesmo no ano de 1718, consta os autos de devassa que se fizeram por falecimento de António Rodrigues, data de 1685, um traslado de uma sentença crime de António Rodrigues, de 1675. No final apesar do Acordão da Relação julgar o habilitando apto para receber as ordens requeridas não consta despacho em como foi examinado e aprovado nas mesmas.